História Unforgettable day (Dimash) - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Deem Amor Ao Dimash, Dimash, Dimash Kudaibergen
Visualizações 74
Palavras 1.673
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Olá meus amores! Me desculpem pela demora, mas como eu já havia dito irei deixar no máximo uma semana de espaço entre um capítulo e outro por dois motivos: 1° minhas aulas voltaram e vou ter de me sair muito bem esse bimestre e 2° às vezes a criatividade não vem no momento certo, mas estou me esforçando muito. OBS: Gostaria de agradecer por todo o carinho e incentivo que vocês vêm me dando, eu amo vocês!! ❤❤❤❤❤

Tenham uma boa leitura! 😍

Capítulo 11 - Escola


Fanfic / Fanfiction Unforgettable day (Dimash) - Capítulo 11 - Escola

                   [Anteriormente]

      "Me deitei em seu peito e ficamos abraçados, adormecemos desse jeito, ambos felizes pelo beijo [...]".



                         ~ P.O.V SN ON ~

      Na manhã seguinte acordei com o despertador e confesso que detesto aquele barulhinho chato e estridente dele! Tentei acordar o Di que já estava no 15° sono e mesmo com o barulho alto ele nem se mexeu. Chamei seu nome várias vezes e comecei a fazer cócegas nele e ele nem tcham pra mim.

S/N: Di, a gente vai se atrasar!!

Di: Ahn?? ~ele virou com tudo na minha direção~ se atrasar pro que?? ~ri ao ver sua expressão de desentendido e seus olhinhos inchados~

S/N: Pra escola seu doido, tem aula hoje

Di: Ah nãooo ~ele se escondeu debaixo das cobertas~

S/N: Anão é um homem bem pequeno, agora trata de sair daí ou eu te arrasto pra escola

Di: Aish, já não me ama mais ? ~ele saiu debaixo das cobertas fazendo bico~

S/N: Não ~vi seus olhinhos inchados arregalarem~ tô brincando meu amor

Di: Jesus, tu quer me matar?

S/N: Jesus não tem nada a ver com isso

Di: Mas você tem, e só vou sair daqui se você me pedir com jeitinho ~disse com voz de manhoso~

S/N: Di, não temos tempo pra isso

Di: Então vou faltar

S/N: Aish, Di, meu bombonzinho de chocolate que tá mais pra chantilly, vamos nos arrumar? ~ele começou a rir que nem doido~

Di: SOCORROOO

S/N: Shiuu, a vizinhança inteira vai achar que tô te agredindo

Di: VIZINHOSSS, POLÍCIAAA, TEM UMA LOUCA ME AGREDINDO ~disse ele em um tom alto e engraçado~

S/N: Vou te agredir de verdade ~fui em sua direção e comecei a fazer cócegas~

Di: V...ocê...ven...ceu... ~disse ele ofegante de tanto rir~

S/N: Mas agora estamos quase atrasad... ~de repente senti meu corpo girar e em um instante ele me mobilizou~

Di: Agora vou me vingar ~ele começou a fazer cócegas na minha barriga, sem sucesso~

S/N: Não tenho cócegas ~sorri vitoriosa~

Di: Não é possível...espera, lembrei! ~de repente ele chegou mais perto do meu pescoço e me arrepiei toda porque ele achou meu ponto fraco~

S/N: Droga... ~resmunguei~

Di: Temos o mesmo ponto fraco hihi ~fiquei em silêncio o observando~ vamos nos arrumar ~disse ele se levantando e eu o puxei de volta~

S/N: Só se você me der um beijo

Di: Ok ~ele disse corado e me deu um beijo na bochecha~

S/N: Não vale!!

Di: Tô com vergonha... ~disse ele parecendo um tomatinho~

S/N: Ah, deixa então... ~fui sair e ele me prendeu de novo, selando nossos lábios durante alguns segundos~

Di: Agora vale? ~disse ele mais confiante~

S/N: Agora sim, vamos


    Fui no banheiro do meu quarto, fiz minhas higienes e tomei um banho rápido, vestindo o uniforme depois. Quando saí Di já estava terminando de se arrumar, logo descemos pro café que em pouco tempo terminamos e fomos seguir nosso caminho. A escola ficava a quase meia hora de nossas casas, indo a pé. Encontramos Rau e Abil no caminho. Quando chegamos na escola, fiquei um tanto quanto impressionada com a estrutura do colégio, que é mais organizado do que o colégio em que eu estudava anteriormente. Depois de alguns minutos nos corredores vi algumas pessoas me encarando com curiosidade, provavelmente por eu ser novata. Alguns dos amigos e amigas de Di vieram o cumprimentar e ele me apresentou, todos eles foram muito gentis comigo. Eu ainda tinha que ir na diretoria pra falar com o diretor sobre minha transferência e ver minha sala. Di me acompanhou até a diretoria e ficou lá comigo, o diretor nos chamou.

Diretor: Olá meus queridos, em que posso os ajudar?

SN/Di: Olá!

S/N: Eu gostaria de verificar com o senhor se está tudo certo com minha transferência

Diretor: Só um minutinho, você é a nova aluna que veio do Brasil, né?

S/N: Sim, eu mesma

Diretor: Seja muito bem-vinda, esperamos que seu último ano letivo seja excelente!

S/N: Muito obrigada!

Diretor: Sua sala será esta aqui ~indicou no papel o número da sala~ Dinmukhamed lhe mostrará o caminho

S/N: Novamente muito obrigada senhor diretor! ~Eu e Di fizemos uma reverência em agradecimento e saímos da sala~

Di: A gente está na mesma sala! ~ele sussurrou quando voltamos aos corredores~

S/N: Agora você vai ter que me aturar 24 horas por dia, 7 dias por semana, 30 dias no mês e 365 dias no ano

Di: Ah eu acho que me enganei, sua sala é lá do lado ~ele comentou fingindo uma cara de assustado exagerado que me fez rir na certa~

S/N: Eu tô brincando seu bobo

Di: Eu não...

S/N: ...

Di: Mentira ~ele riu e veio me abraçar, me afastei, brincando~ vai ficar sem sala

S/N: Espera homiii ~falei correndo em sua direção~


     Fomos pra sala e estávamos um pouco atrasados, nos desculpamos com a professora que já estava em sala e nos dirigimos para dois lugares um pouco mais no canto. Na segunda aula o diretor convocou todos da escola para falar sobre as regras e dar boas vindas aos alunos novos.

Di: Ele vai ficar o resto da manhã falando ~disse enquanto estávamos indo em direção à quadra da escola~

S/N: Mas é tanta regra assim?

Di: Pior que sim, esse é um dos colégios mais rígidos de Aktobe

S/N: Agora entendi porque minha mãe ficou tão animada por me matricular aqui

Di: Ué, o ensino no Brasil não é bom?

S/N: Em partes, sim. Mas acredito que poderia ser melhor

Di: Entendo, mas você não terá problemas aqui


     Conversamos um pouco e prestamos mais atenção no que estava sendo dito. Até que o tempo passou rápido, logo já era o recreio e depois fomos novamente para a quadra, ainda haviam alguns avisos a serem dados. Resumindo: passamos quase a manhã inteira na quadra porque era uma tradição importante em todo o primeiro dia de aula falar sobre a escola, as regras e dar alguns avisos.

     O sinal bateu anunciando que já podíamos ir embora. Eu, Di, Rau e Abil decidimos voltar de ônibus e a partir de amanhã iríamos só de busão pra escola, isso facilitará muito nossas vidas já que moramos um pouquinho longe do colégio. Durante o trajeto fizemos várias brincadeiras e até conheci mais algumas pessoas. Vai ser bom fazer novas amizades, mas sinto tanta falta dos meus amigos do Brasil [Autora: OBS -》 S/N continua falando com seus amigos do Brasil mas não mostrei durante esses caps para não ficar tão repetitivo. Me desculpem.]

     Quando chegamos me despedi deles e cada um foi para sua casa.

S/N: Oi mãe, oi pai, cheguei

S/M: Oi meu amor ~ela gritou da cozinha, segui nessa direção e avistei ela preparando o almoço~

S/N: Hummm, que cheiro bomm, papai ainda não chegou?

S/M: Ele está no trabalho, e estou fazendo as receitas de Pilaf e de Beshbarmak que a Sve passou pra mim

S/N: Ahhh é...e como essas comidas são feitas?

S/M: O Pilaf consiste em fritar arroz em um refogado com especiarias, já o Beshbarmak é tipo um cozido de carneiro

S/N: Acho que comemos Beshbarmak na primeira janta na casa do Di

S/M: Isso mesmo, estava tão bom que decidi tentar fazer agora

S/N: Simm ~falei me aproximando mais~ a senhora precisa de ajuda com algo?

S/M: Por enquanto não filha, obrigada. Suba e troque de roupa, já está quase pronto

S/N: Ok, estou indo


     Fui para o meu quarto e troquei de roupa, desci e almocei com minha mãe, e estava absolutamente MARAVILHOSO mesmo eu não tendo o costume de comer carne. Depois do almoço tirei os pratos da mesa e lavei a louça, sempre procuro me ajudar minha mãe com as coisas, ainda mais quando meu pai está trabalhando.

S/M: Filha, como foi seu primeiro dia de aula hoje?

S/N: Confesso que até agora foi tudo bem, a estrutura do colégio é bem diferente e fui muito bem recebida. Ah, e hoje só teve alguns avisos e regras.

S/M: Que interessante, fico muito feliz que eles tenham te recebido bem filha, espero que você consiga se acostumar

S/N: Acho que isso não vai ser um problema, mas se for eu posso pedir ajuda

S/M: Qualquer coisa que precisar sabe que estou aqui

S/N: Claro mãe, a senhora é minha melhor amiga ~falei a abraçando~


    Já tive muitas turbulências com minha mãe mas hoje posso dizer que nosso relacionamento está ótimo, não há melhor sensação do que ter meus pais como meus melhores amigos.


                         {Quebra de tempo}

    Cochilei um pouco no sofá enquanto assistia alguns filmes com minha mãe. Quando acordei percebi que já estava começando a escurecer. Olhei ao meu redor e vi que a TV estava desligada e minha mãe não estava mais ali. Avistei um bilhete que dizia:

       "Filha, fui no mercado comprar algumas coisas que estão faltando, não demoro a voltar. Qualquer coisa me liga.

                                                    Beijos,
                                                                Mamãe"


      Guardei o bilhete um pouco mais aliviada, eu sempre quase tenho um treco quando meus pais somem. Subi pro meu quarto e decidi ligar pro Di. Conversamos um pouco e vi pela janela que meus pais haviam chegado. Me despedi do Di e desci para ajudá-los. Fui correndo abraçar meu pai, eu não o via desde ontem de noite. Sou muito apegada nele e na minha mãe. Depois de guardarmos as compras passei o resto da noite conversando e assistindo TV com eles.

       Minha mãe recebeu uma mensagem da tia Sve (mãe do Di) nos convidando para tomarmos um chá em sua casa amanhã. Fazia quase 1 semana que não nos víamos. Não que a gente esteja se afastando mas agora temos rotinas um pouco diferentes e isso está impedindo um pouco uma convivência tão frequente quanto antes.

      Estava tudo bem mas acabei por adormecer novamente, com uma sensação estranha. Não em relação aos meus pais ou alguém que amo, mas em relação a mim mesma...eu não estava me sentindo muito disposta, era como se algo estivesse fora do lugar em mim. Não liguei pensando em ser apenas algo da minha cabeça.

           ~ P.O.V  S/N  OFF~



Notas Finais


Sei que esse cap não está perfeito mas espero que tenha ficado ao agrado de vocês. Cap novo em breve. Um beijão pra vocês ❣❤💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...