História Wellef - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Lobisomen, Lobos, Mpreg, Original, Romance, Yaoi
Visualizações 464
Palavras 5.156
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishounen, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Olá gente, hoje estou postando com mais calma <3
Queria dizer para todos vocês um muito obrigado pelo apoio e se essa história está chegando num capítulo oito eu devo muito a todos vocês.
Eu espero que gostem ;3

Capítulo 8 - Capítulo 8


Etton estava feliz, feliz como a muito tempo não lembrava de ter se sentido, mantinha sua pose séria como líder da alcateia, mas toda vez que lembrava de ter ouvido um “sim” sair dos lábios de John se continha para não ficar todo sorridente em público. Quando lembrava que ia beijar aqueles lábios pelo resto de sua vida tinha vontade de sair dançando comemorando. Mas tinha suas tarefas a cumprir e isso lhe exigia concentração e seriedade.

Assim que saiu da casa e começou a caminhar em direção ao lugar onde limpavam as carnes, estranhou pelo caminho alguns lobos lhe dizendo “parabéns”, outros parecendo um tanto tristes ao vê-lo e alguns que ao olhá-lo sorriam largo. O que estava acontecendo naquela alcateia? Estranhou aquilo, estranhou muito, mas continuou, chegando rapidamente em seu destino, onde separavam as carnes dos ossos e os guardavam, já que tudo era reaproveitado, seria uma ofensa aos animais deixar algo deles para trás.

 — Bom dia líder! — Um lobo que separava os ossos limpos falou, se levantando e indo até o líder rapidamente. — Meus parabéns, de verdade! Nós o vimos no festival, é um ômega realmente aos seus pés! — Disse sorridente.

Etton encarou bem o beta a sua frente, ergueu uma sobrancelha e deixou escapar.

— Parabéns pelo que?

Os lobos ali pararam seus serviços no mesmo segundo, olhando para o líder a frente deles.  O beta que falava com ele abriu a boca como se fosse falar algo, mas teve que fazer isto duas vezes até realmente conseguir falar.

— Seu casamento, com John. — Respondeu um tanto tenso, preocupado que fosse um boato.

O alfa congelou por alguns segundos. Era por isso que tinha sido parabenizado durante o caminho. Mas como todos sabiam se não tinha contado a ninguém? Tinha conversado com John sobre manterem isso em segredo por enquanto. Ele não poderia ter contado, poderia? Não era possível se ele tinha deixado o quarto antes do ômega. Tinha algo errado.

— Quem anunciou? — Perguntou, deixando passar seu estranhamento.

Os lobos ali se encararam, falaram nomes soltos, de alguém que tinha os contado, que tinha ouvido de um outro lobo, até chegarem no nome que fez o líder da alcateia ficar mais sério e bravo.

— Badel, foi Badel. — Um ômega sentado mais ao longe, que limpava um osso falou.

O alfa nada disse, apenas foi embora dali, com passos apressados e firmes, assustando um pouco alguns lobos que tinham pensando em vir parabeniza-lo. Etton chegou rápido na grande casa e tão rápido quanto chegou foi direto ver seus pais, que a aquela altura também deveriam saber a notícia.

Sydan estava saindo da cozinha quando viu seu filho alfa surgir andando, com passos pesados, engoliu em seco, tinha descoberto a pouco que toda alcateia já sabia sobre o casamento de seu filho e que Badel tinha trazido a notícia a todos.  Planejava ir atrás de seu filho mais novo para impedi-lo de contar que estavam todos espionando a conversa do ômega e do alfa quando resolveram casar, mas seu primogênito tinha chego antes que pudesse fazê-lo.

— Pai, onde está Badel? — O  líder deixou claro sua irritação em seu tom de voz.

— Não sei, eu estava indo procura-lo inclusive. — Respondeu calmamente, escondendo seu nervosismo. — Fiquei sabendo de algo que ele disse aos outros lobos e eu queria confirmar. Então se me dá licen — foi interrompido pelo filho.

— Eu já sei o que é, é verdade que John e eu vamos casar. Agora eu preciso saber onde o Badel está. — Etton estava tão bravo com seu irmão que as palavras sobre seu casamento saíram de sua boca como se não fosse nada demais.

Sydan tinha várias opções de possíveis reações, mas ao ouvir seu filho dizer “vamos casar” não pode conter a mesma felicidade de quando tinha ouvido os dois conversando tomando seu ser, pulando sobre seu primogênito e o abraçando animado, fazendo com que o filho voltasse a si e encarasse o pai surpreso.

— Pai? — Questionou confuso.

— Você vai casar! — Não podia conter sua felicidade.

— Vou... — Respondeu ainda confuso, não esperava tamanha reação.

— Com John! Fez uma escolha tão boa! — Falava animado, abraçando mais o filho.

Etton afastou um pouco o pai de si, vendo-o com um sorriso grande nos lábios. Sabia que ele aprovaria John, tinha certeza, mas não esperava que isso fosse ser tão bem recebido assim. Se perguntava se isso tinha a ver com o solo do mais novo no festival, mas ainda assim lhe parecia um pouco estranho.

Enquanto o líder da alcateia falava com seu pai, John tinha sido chamado por Dyran pouco depois que Etton tinha saído de seu quarto. O lobo negro tinha falado pouquíssimas vezes com o ex-líder da alcateia e tinha ficado consideravelmente surpreso quando foi chamado para acompanha-lo.  Os dois se encontravam nos arredores da vila, indo para a área onde normalmente caçavam, deixando um John curioso.

— John — o mais velho o chamou —, sei que Etton não o ensinou a caçar, então estou aqui para você finalmente aprender isso. — Falou calmo, sorrindo levemente para seu futuro genro.

— Obrigado. — Agradeceu meio sem jeito, tinha esquecido mais uma vez que precisava aprender a caçar.

— Você vai pegar algo pequeno, um coelho ou algo assim, eu vou te ensinar o básico e você o faz, não se preocupe se não conseguir de primeira e depois o traga para mim, ok? — Perguntou parando de andar, se sentando ao lado de um arbusto e batendo ao seu lado com a mão para o mais novo o acompanhar.

O lobo negro rapidamente se sentou e concordou com a cabeça com o que lhe tinha sido dito, tinha compreendido. Dyran sorriu um pouco mais largo, ele surpreendia um pouco o ômega, ele era diferente de Sydan, talvez o oposto, tinha sua pose calma e um sorriso sempre gentil em seu rosto, também era diferente de Etton que tentava se manter sério na frente dos outros e mais ainda diferente de Badel, que mesmo que John o tivesse visto pouquíssimas vezes, sabia que o beta era muito mais parecido com seu outro pai.

— Você vai se transformar em lobo, vai procurar algum animal pequeno, adulto, nunca um jovem, se estiver com filhotes vai procurar outra caça. Quando definir, seu corpo te dirá o que fazer, vá com calma, sem ser notado e na hora você só tem que pegá-lo. No pescoço, morda forte o suficiente para que ele morra ali, mas não forte demais. Não pode deixá-lo sofrer, deve ser uma morte rápido, mas se o mordes forte demais é uma caça perdida, e uma caça perdida é só um assassinato. Entendeu? — Explicou ao mais novo, passo por passo, ainda em seu tom tranquilo.

— Sim. — Assentiu. — Depois eu o trago para você?

— Isso, vamos agradecer a ele pela sua carne, como é pequeno não precisa separá-lo aqui, só fazemos isso com animais grandes. Agora vá. — Pediu.

O ômega respirou fundo, se transformando em lobo, saindo do meio de suas roupas com ajuda do alfa, encarou o mais velho esperando mais algum conselho e recebeu um sorriso, como se lhe informasse que está tudo bem. Soltou um pequeno bufo e saiu dali, indo procurar uma presa.

Andou um pouco, tomando cuidado para não fazer algum barulho indesejado e espantar alguma possível presa, tentava usar de seus sentidos apurados para captar algo, até encontrar uma trilha, um cheiro que lhe indicava algo, algo que lhe parecia ser para onde deveria seguir. Foi indo a passos mais cautelosos, mais silenciosos, até encontrar um guaxinim sobre a grama, mexendo em sementes que parecia ter pego, observou em volta se estava sozinho ou se tinha algum filhote perto de si. Estava completamente só.

John esperava que fosse mais difícil ter que tomar coragem para tal ato, mas pular de onde estava e quase agarrar o animal com uma mordida não tinha sido o problema, mas sim ele ter escapado, o que não durou muito, pois antes que ele conseguisse subir em uma das arvores o lobo negro pulou e o mordeu no pescoço, da forma que lhe tinha sido dito, parando sobre o chão em seguida com o animal em seus dentes.

O gosto de sangue não era confortável, aquela situação em si não era confortável, mas sabia que era uma necessidade, que não tinha matado aquele animal por nada. Voltou para onde Dyran estava e viu o sorrir para si, também reparou que tinha uma espécie de capa nas mãos.

— Coloque ele aqui. — Apontou para frente deles, onde tinha um pequeno pano esticado ao chão.

O lobo assim o fez, colocou o animal ali, em seguida se sentou a frente dele, se perguntando como faria agora, não poderia voltar a sua forma humana, considerando o fato que ficaria nu, se pegasse suas roupas com a boca e fosse para trás de uma arvore se trocar, ela ficaria suja com o sangue que tinha em seus pelos. Mas foi surpreendido ao sentir um manto sobre seu corpo, comprido, que sobrava tecido no chão, era uma espécie de capa na verdade, que Dyran fechou perto do pescoço do ômega.

— Pode se transformar de voltar, tem espaços para você passar seus braços, quando acabarmos de agradecer é só você ir se trocar. — Explicou.

Assim que o ex-líder acabou de falar o lobo negro voltou a sua forma humana, suspirando aliviado de não ter ficado exposto, passou as mãos pelos buracos do manto e olhou para o mais velho que agora apresentava um semblante um pouco mais sério, enquanto encarava o animal morto.

— Aos deuses eu agradeço pela comida, por favor peguem esta alma em seus braços e a tratem como um dos seus. A este animal eu agradeço por sua carne que irá alimentar meus filhos e tirar-lhes a fome, agradeço por teu pelo que irá aquecê-los, agradeço por teus ossos que irão servir a mim e meus decentes pela eternidade. — Disse sério, firme, fazendo uma leve reverencia com a cabeça ao terminar.

O ômega ficou quieto apenas observando, não sabia se deveria repetir aquilo, se deveria acompanha-lo ou se apenas devia ouvir, por fim viu o mais velho enrolar o animal no pano, com cuidado, e em seguida guarda-lo numa bolsa que antes estava vazia.

— Pronto. — Dyran sorriu. — Agora vá se trocar e limpe o rosto. — Pediu, dando as roupas que o futuro genro usava antes a ele.

— Ah, certo. — John assentiu, pegando a roupa e indo para trás de uma arvore ali perto.

Assim que voltou, já vestido e com o cabelo preso num rabo de cavalo um pouco frouxo que tinha feito às pressas viu o alfa já em pé o esperando para voltarem, foi até ele e começou a acompanha-lo a andar.

— Obrigado por me ensinar. — Agradeceu.

— É o mínimo que eu poderia fazer, Etton ainda não sabe distribuir seu tempo direito, e como antigo líder eu não posso deixar um lobo sem saber caçar. — Deu um pequeno sorriso para o mais novo.

John retribuiu o pequeno sorriso, gostava da companhia calma do mais velho.

— Além do mais, se eu não o fizesse Sydan provavelmente iria obrigar nosso filho a fazê-lo ou me mandar fazer de qualquer forma. E acredite, não quer vê-lo bravo gritando por aí. — Fez uma pequena careta, parecendo ter se lembrado de algo. — Da última vez que neguei algo a ele, bem... Ele sumiu com todas as minhas cuecas.

O lobo negro não conseguiu segurar uma pequena risada, contagiando um pouco o outro, o fazendo sorrir novamente. Dyran não estava fazendo aquilo apenas pelo que tinha dito, ele queria conhecer melhor seu futuro genro, tinha ouvido muito dele pelo marido, um pouco de seu filho também, eram coisas em sua maioria boas, na verdade até o defeito dele não era algo ruim, mas queria conhece-lo por si só.

— John — o ex-líder o chamou —, você gostaria de aprender a lutar?

Os olhos lilases se arregalaram um pouco, surpresos com a pergunta.

— Lutar? — Questionou confuso.

— Sim. Você conseguiu entrar para alcateia porque atacou o um urso protegendo um dos nossos, depois você atacou um alfa com uma panela também para proteger um lobo. Isso deixa todos preocupados porque você não parece que vai parar de fazer esse tipo de coisa, mas eu tenho certeza que todos vão ficar bem mais calmos se você souber como se defender e como bater. — Explicou.

— E como eu vou aprender isso?

Dyran soltou um pequeno riso e continuou.

— Nós temos lobos lutadores aqui, vai ver quando vier os torneios, são tão divertidos quanto festivais. Nós temos um lugar para treinar, você pode aprender lá, eu te ensino se quiser. — Ofereceu, sorrindo.

— Todos lutam? — Ergueu uma sobrancelha, estranhando.

O alfa negou com a cabeça.

— A maioria dos lutadores são alfas ou betas ativos. É muito difícil um beta passivo ou um ômega lutador, mas eles existem. Você é amigo de um. — Explicou.

— Quem...? — O semblante estava mais confuso.

— Aeni. Ele é pequeno, mas é provavelmente um de nossos melhores lutadores. Luta inclusive melhor que Etore e muitos alfas. — Explicou, tranquilo. — Também tem outros lobos que lutam muito bem, um ômega que provavelmente consegue me derrubar na luta é Mery.

— Quem é Mery?

— Ah, achei que o conhecesse. Ele é nosso curandeiro, foi ele quem cuidou de você quando foi ferido pelo urso, ele também trabalha como parteiro. Vai conhece-lo mais cedo ou mais tarde.

Os dois continuaram andando e conversando sobre a proposta de luta, o ômega estava realmente interessado. Parecia-lhe uma boa ideia não só por si mesmo, mas porque sentia que isso o deixaria mais confortável ao lado de Etton, não lhe parecia uma boa ideia depender dele para se proteger, mesmo que nunca tivesse de fato precisado que ele o defendesse em uma briga.  Afinal, tinha jogado a pedra no urso sozinho, também tinha batido numa panela num alfa sozinho, mas na primeira quase morreu e na segunda, bem, aquilo as vezes ainda voltava em seus sonhos, o assombrando um pouco.

Estavam já começando a adentrar a vila quando algo começou a chamar-lhes a atenção, alguns lobos que passavam desejam a eles parabéns, alguns ômegas e betas passivos encaravam John de maneira estranha, outros sorriam para si, além dos alfas e betas ativos que o olhavam um pouco cabisbaixos e outros que sorriam largo. Até um lobo, que o ômega não conhecia, se aproximou de si e do ex-líder, era um lobo mais velho, parecia ter a idade próxima do alfa, se não a mesma, John achava ser outro alfa devido o cheiro, era alto, tinha a pele negra, os olhos amarelados e os cabelos comprido pretos, quase azulados, e cacheados.

— Oh, passeando com seu futuro genro Dyran? — Perguntou animado, encarando John em seguida e sorrindo para ele. — Eu vi sua dança, você estava muito bonito e vejo que continua mesmo fora do palco, parece que Etton tem bom gosto.

As bochechas de ômega rapidamente tomaram um tom vermelho, além dos olhos que se arregalaram num pequeno choque. Como aquele lobo sabia? Dyran também estava visivelmente surpreso. O outro alfa percebeu aquilo e travou um pouco.

— Desculpe, eu deixei você sem graça? Não foi a intenção. — Se desculpou com John.

— Tir, do que você está falando? — O ex-líder perguntou.

— Do casamento. — Respondeu, confuso.

— Quem te falou isso? — Dyran questionou.

— Todos estão falando, o primeiro a contar foi seu filho inclusive.

— Etton? — Desta vez John se pronunciou, surpreso, querendo ouvir uma reposta negativa.

— Não, Badel. — Tir respondeu, se virando para o mais novo.

Enquanto o lobo negro se sentiu um pouco mais aliviado ao saber que aquilo não tinha saído da boca de seu futuro marido, o ex-líder da alcateia soltou um suspiro, colocou a mão sobre a têmpora se questionando qual era o problema de seu filho para não ficar quieto quando deveria. Soltou outro suspiro e pegou a sacola que tinha nas costas com o animal morto e a deu a Tir.

— Guarde isso para mim, por favor, eu vou ir atrás de Badel. — Pediu, começando a andar.

O alfa de cabelos negros ficou confuso, e antes que pudesse fazer algo, tinha sido deixado sozinho pelos dois que iam para a grande casa. Dyran foi rapidamente procurar o marido, sabia que John provavelmente estava atrás de si, tinha visto como ele tinha ficado atordoado ao saber que todos sabiam sobre seu casamento e ele provavelmente queria respostas.

— Meu deus! Como vocês se atreveram a fazer isso?! — Um grito do líder da alcateia chamou a atenção dos dois, que foram rapidamente para a direção do grito.

Chegaram na porta de um quarto, abriram sem pensar duas vezes e assim que entraram viram um Sydan e um Badel sentados um do lado do outro, sobre uma grande tora de madeira, olhando para baixo, enquanto Etton estava à frente deles, claramente bravo.

— Filho? — Dyran o chamou.

Assim que o lobo prateado se virou para trás e encarou o pai, deu-lhe o mesmo olhar que dava a seu irmão e seu outro pai, o olhar bravo e decepcionado.

— Ótimo! Você também! Como vocês puderam?! Perderam o juízo?! Ficaram ouvindo do quarto ao lado minha conversa com John! É sério essa merda?! — O tom de voz estava alto e agressivo.

O ex-líder abriu a boca como se fosse falar algo, mas não conseguiu, viu o esposo o encarar e dar-lhe o olhar de “não tente”. O líder da alcateia quando ficava bravo não ouvia ou parava de falar até começar a se acalmar e uma palavra errada poderia fazê-lo arder em chamas novamente extremamente rápido. Mas para a sorte de seus familiares, John estava ali, e sua voz tomou a atenção do alfa que gritava até o atual momento.

— Vocês ouviram a nossa conversa...? — A voz saiu um pouco baixo, como se não acreditasse no que tinha ouvido.

Os dois betas engoliram em seco enquanto o ex-líder desviou o olhar de seu futuro genro e o atual líder encarou seu futuro esposo sem saber o que dizer a ele.

— Vocês invadiram a nossa privacidade e ainda contaram a todos, quando nós falamos que queríamos esperar para contar? — Sua voz era claramente de decepção, principalmente para com o beta mais velho. — Por que?

Sydan tentou falar, mas não conseguiu ao ver o rosto decepcionado do ômega, Badel não sabia o que falar e Etton não tinha a resposta. Dyran sentiu-se rendido e foi para o lado do esposo, para poder encarar melhor dali seu filho e seu futuro genro, começando a falar:

— Sydan e Jyne perceberam que vocês dois estavam se gostando, eles tramaram que John dançasse no festival para te atrair filho, depois Jyne pediu a Anhri durante o festival que fosse cortejar John para você ir atrás dele. No meio disso eu acabei envolvido de alguma forma, Badel também, até Sen um pouco. Nós vimos vocês indo para a cabana e bem... Ontem você o trouxe para casa e nós ficamos curiosos, então essa manhã quando o vimos vir pro quarto de John entramos no outro quarto e ouvimos quando vocês concordaram casar e a parte de esconderem por um tempo. — O ex-líder explicou.

— Então por que Badel contou? — Desta vez Etton questionou.

O beta novo olhou um pouco para o chão e depois para o irmão, se sentia um tanto culpado.

— Eu não ouvi a conversa inteira... Depois eu ouvi a parte de casar eu fiquei feliz e resolvi contar a alguns lobos, quando eu vi todos já sabiam. Desculpe... — Voltou a olhar para o chão, envergonhado pelo que tinha feito.

O líder continuava bravo, seus pais e seu irmão tinham o espionado e isso era um problema. Mesmo que Badel não tivesse contado a todos de maldade, ele tinha lhes dado um problema, iam casar de toda forma, mas não queria acelerar as coisas assim. Entendia a felicidade deles, mas ainda sentia certa decepção em tudo aquilo.

— Badel — o ômega o chamou, surpreendendo todos ali. —, tudo bem. Você não fez por mal. — Deu um leve sorriso e depois encarou os dois adultos. — Quanto a vocês... Se eu souber que ouviram por alguma parede novamente eu serei obrigado a dar um jeito nos dois. — Finalizou sério.

Aquilo surpreendeu a todos ali, Badel se sentiu mais aliviado, mas Sydan e Dyran se encararam surpresos, não esperavam tamanha firmeza ou seriedade vindo do outro. Quanto a Etton, ele estava surpreso, mas ele tinha gostado do que tinha visto, já tinha visto algumas vezes John um pouco mais sério, mas daquela forma nunca.

— Etton. — desta vez John o chamou.

— O que foi? — Perguntou o encarando.

— Venha comigo. — Pediu, já em seu tom mais suave de sempre.

O alfa assentiu, deixando sua família naquele quarto e acompanhando seu futuro esposo pela casa, até chegarem em seu quarto, onde os dois ficaram sozinhos e desta vez sem ninguém os ouvindo.

— Não grite tão alto com os seus pais, todos puderam ouvir. — Pediu meio sem graça, vendo a feição do outro se converter numa pequena careta.

— O que eles fizeram foi errado. — Justificou.

— Eu sei, mas isso pode ser ruim para você.

— Está preocupado comigo? — Etton perguntou, deixando um sorriso surgir em seu rosto.

O ômega corou um pouco, parando de encarar o maior.

— Eu estou falando sério. — O repreendeu.

— Eu também. — Se aproximou dele, o puxando pela cintura, colando seus corpos.

O lobo negro corou mais, demoraria para se acostumar com o outro tão perto.

— Etton... — A voz saiu meio baixa. — O que nós vamos fazer agora?

— Como assim? — Encarou a face vermelha, um pouco confuso.

— Com o casamento. — Corou um pouco mais.

— Ele vai acontecer ainda esse mês agora, eu vou anunciar a todos e então começam os preparativos. — Explicou, ainda um pouco desconfortável com o adiantamento de seu casamento.

— Preparativos?

— Sim, comida, anunciar a outras alcateias, aos anciões, preparativo do lugar, da sua roupa e da minha, da luta, da dança, do canto, a lua cheia, tudo.

Quanto mais Etton falava mais confuso John se sentia sobre tudo aquilo, parecia muito mais complicado que casamentos humanos. Se perguntava se conseguiria entender todos aqueles significados e acontecimentos até o dia de fato. E também quantas diferenças encontraria do que conhecia como casamento e o que era o casamento de lobos.

Foi tomado pela surpresa quando sentiu os lábios de seu futuro marido nos seus, estava tão distraído pensando no casamento que tinha esquecido do fato que estava nos bravos do alfa, que agora lhe tomava os lábios com vontade e que John mesmo que constrangido, não conseguia resistir, seu corpo parecia responder naturalmente ao do outro.

Quando vozes foram ouvidas do lado de fora os dois se soltaram, pelo susto, eram apenas alguns lobos falando, conversando sobre exatamente o casal que estava dentro do quarto.

— Quando será o casamento do líder? — Ouviram um perguntar.

— Não sei, mas vai ser dos grandes provavelmente. Você viu aquele ômega dançando, não viu? Nunca vi um lobo dançarino ter um casamento simples, um dançarino casando com um líder então? — Soltou um pequeno riso. — Esse vai ser dos grandes, pode apostar.

— Espero que seja logo. — O outro tinha animação na voz.

— É um líder, eles sempre casam umas duas semanas depois de anunciarem o casamento. Quando não o fazem é porque não vai acontecer aquele casamento. Foi assim com Mery e Dyran, meu tio me contou, eles tinham sido arranjados, no final quem acabou com o antigo líder foi Sydan. — O lobo comentou.

John ouviu aquilo um pouco surpreso, encarando Etton que sorriu para ele, diferente do ômega, ele sabia a história, os dois lobos do lado de fora continuaram sua conversa e seu caminho, ficando mais distante.

— Como assim Dyran ia casar com Mery? — Perguntou claramente confuso.

Etton foi até a cama, se sentando e chamando John para sentar a seu lado, que veio, curioso.

— Antigamente nós ainda tínhamos casamentos arranjados, normalmente com os futuros líderes da vila, mas meus pais quebraram isso. Mery hoje é casado com outro lobo e meus pais você já sabe. — Explicou tranquilo.

— Ah, sim... — Olhou para o maior. — Então, vamos ter que casar logo ou vão achar que não vamos casar?

— Não exatamente, mas se passar desse mês e não tivermos uma boa desculpa eles vão começar a exigir, perguntar, e só vão parar quando casarmos. Além do fato de já estarem super animados mesmo nem tendo sido anunciado. —Soltou um suspiro.

— O que acontece num casamento aqui? — Estava claramente confuso.

— Como eram casamentos humanos? — O lobo prateado perguntou.

— Eu nunca vi um, mas até onde eu sei, eles vão uma igreja, a noiva usa um vestido grande e branco, o noivo espera ela no altar, ela vai até o altar com o pai dela levando ela, tem a cerimonia, eles aceitam casar um com o outro, assinam um documento, se beijam, tem festa e depois a lua de mel. — Explicou.

— Parece bem mais rápido que o nosso. Bem, aqui é quase como um festival, só que o de um líder chamamos os líderes de outras alcateias, temos atrações, no nosso todos provavelmente vão esperar que você dance novamente, temos música, um pouco de luta, um ancião vem, nos une, falamos com nossos antepassados, pedimos bênçãos aos deuses, ganhamos nossos colares, comemos um pouco e então, quando a noite cair, nós vamos para um lugar que casais vão após casar. — O alfa disse, observando a face do ômega voltar a feição de surpresa.

— Quanta coisa... Eu vou ter que dançar de novo? — Perguntou.

— Se quiser.

Desta vez o ômega suspirou, mal tinha se resolvido com o alfa e já casariam, mal tinha passado por um festival onde dançou na frente de todos e agora iria ter que resolver todo um casamento, além de talvez outra dança.

— Eu vou anunciar a todos, então precisamos de uma data. — Encarou o mais novo. — Pode ser na próxima lua cheia?

— Quando é a próxima lua cheia?

— Daqui a duas semanas.

John se levantou da cama, olhou um pouco a sua volta, pensando, então se virou para Etton, moveu a cabeça positivamente, sabia que não teriam mais como adiar aquilo. O alfa se levantou da cama e foi até o ômega, o puxou para si e beijou-lhe o rosto, vendo a face delicada corar um pouco, gostava daquelas reações dele, se perguntava o quanto de sua vergonha continuaria conforme seu relacionamento fosse se desenvolvendo.

Aproveitaram um pouco daquele momento juntos, trocando alguns poucos beijos, tinha que ir fazer seus afazeres, o alfa precisava voltar ao que fazia antes de ir atrás de seu irmão, além de ter que anunciar a todos oficialmente sobre seu casamento, o ômega iria para plantação e depois conversar com o ex-líder sobre Mery, queria conhece-lo e se possível treinar com ele, lhe parecia algo para ocupar a cabeça quando não estava pensando em plantas ou analisando elas.

— Seu pai me perguntou se eu gostaria de aprender a lutar. — O lobo negro perguntou, enquanto prendia seus cabelos numa trança, de maneira firme já que iria mexer na terra quando saísse dali.

— Por que? — O lobo prateado perguntou, estranhando.

— Ele disse que seria bom eu saber me defender. — Se virou para o alfa.

Etton pensou em questionar, mas seu pai tinha um ponto muito importante ali, tinha receio de que John se machucasse caso fosse treinar, mas preferia que ele soubesse se defender a deixa-lo completamente a sorte, considerando a impulsividade que ele já tinha apresentado quanto a tomar atitudes que o botam em risco para ajudar os outros.

— Não é uma má ideia. Só não exagere. — Pediu, passando a observar um pouco o pescoço do menor que ficava exposto conforme ele ia prendendo o cabelo.

Mesmo que adiantar o casamento não fosse de todo algo bom, tinha um ponto positivo que o alfa não podia negar, teria mais rápido o ômega em seus braços, finalmente pararia de sonhar com seu corpo e o teria de fato, também não teria que ficar longe dele durante alguns dias por causa do cio, já que ele seria o encarregado de cuidar disso.

Os dois se despediram mais uma vez naquele dia, voltando finalmente a seus afazeres.

O dia se resumiu para os dois a receber parabéns, o ômega ficava sem graça com todos, não sabia como reagir, agradecia, mas só de ouvir sobre a dança que tinha ocorrido no festival no dia anterior sentia a vergonha voltar a si, tinha ficado bem conhecido depois de seu número, algo que de certa forma esperava, mas talvez não tamanha repercussão. O que mal sabia é que já estavam falando sobre ele desde o dia que chegou, agora ele só tinha aumentado as razões para seu nome circular.

John além de ser o primeiro humano em muito tempo a ser transformado em lobo, tinha atacado um urso, se tornado protegido do líder, tinha atacado um alfa com uma panela, além de tudo tinha aberto o festival do outono e sido um de seus pontos altos, no dia seguinte ainda fora anunciado que iria casar com o líder da alcateia, e tudo em menos de um mês.

Agradeceu um pouco quando foi atrás de Mery e encontrou-o em um lugar tranquilo, não só para conhece-lo mas conversar sobre o treinamento, sendo acompanhado por Dyran, que lhe pediu algumas desculpas pelo ocorrido mais cedo enquanto caminhavam.

Mery era um ômega assim como John, era tão pálido quanto si, tinha o cabelo curto, preto, um pouco ondulado, os olhos amarelos e a feição um pouco séria, como se estivesse de mau humor. O local era quieto, tinham vários potes espalhados em volta do ômega, alguns vazios outros com ervas misturadas com algo que o lobo negro não sabia o que era.

— Olá Dyran, em que posso ajudar vocês? — Mery perguntou sem encará-los, enquanto mexia em um dos seus potes.

— Mery, esse é John, queria que o treinasse. — Pediu ao ômega mais velho, vendo agora este subir o olhar si e o mais novo.

Os olhos amarelos observaram o lobo negro de cima a baixo, sabia quem ele era, não tinha como não saber, todos tinham falado muito dele.

— Seu nome é John, certo? — Questionou vendo o mais novo assentir. — Eu posso te ensinar, mas eu quero algo em troca. Soube que tem conhecimentos de ervas de seus antepassados, quero que me ensine sobre elas. — Pediu, enquanto se levantava.

O ômega dos olhos amarelos devia ter a mesma altura que o recém-lobo, e carregava um pequeno sorriso no rosto agora. Estendeu a mão ao mais novo, esperando uma resposta. John deu um pequeno sorriso, pegando a mão do mais velho e a apertando, fazendo um acordo com ele.

— Fechado. — Mery soltou a mão do mais novo. — Volte daqui a duas horas que vamos começar.

— Certo. — O lobo negro respondeu.

— E parabéns pelo casamento. — Disse enquanto voltava a se sentar.

A vergonha tomou um pouco a face do mais novo, que apenas agradeceu, estava animado ainda de toda forma, achava ser apenas pelo fato que se sentiria mais seguro sabendo lutar e por não preocupar mais os outros assim, mas a realidade era que seu casamento estava perto e isso tinha o animado de uma forma que só entenderia melhor depois.


Notas Finais


Bem, eu revisei meio rápido, se virem algum erro me avisem, espero que continuem gostando <3
O próximo cap sai dia 5 de maio.
Sugestões e do tipo são bem vindas sempre ;3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...