1. Spirit Fanfics >
  2. Why'd You Only Call Me When You're High? >
  3. Capítulo único - Pq você só me liga quando tá chapado?

História Why'd You Only Call Me When You're High? - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - Capítulo único - Pq você só me liga quando tá chapado?


Era noite de sábado, as ruas da cidade estavam badaladas por aqueles que buscavam uma noite de diversão e libertinagem, o cenário não era incomum, podia-se observar nas esquinas de bares e boates alguns casais desavergonhados que se beijavam de forma obscena, sem se preocupar se estavam em público ou se havia plateia testemunhado a cena, contudo, para o cirurgião Trafalgar D. Water Law, a noite não estava sendo tão boa assim.

A noite começou da seguinte forma, Law recebe uma ligação assim que chega em casa após seu turno no hospital em que trabalha, decidido a ignorar após o trabalho exaustivo ele pega o smartphone e lê o nome de Shachi no contato, aperta o x quase automaticamente, crente de que seu amigo provavelmente só deve estar querendo encher seu saco por conta de alguma garota como sempre, tira sua roupa e entra no chuveiro com a expectativa de que a água quente lave todo cansaço de seus músculos, foram quase 1 hora gasta no banho, seu celular vibra mais um vez ao longe e ao pegar o aparelho percebe que foram quase 20 ligações perdidas do colega insistente, mas com o humor levemente menos irritadiço ele decide atender e acabar com isso de uma vez por todas.

"O que foi?" Law responde grosseiramente assim que ouve a voz do outro lado da linha.

"Se arruma, nós vamos sair" Isso é Shachi respondendo, sem se abalar pelo péssimo humor do outro.

"O que te faz pensar que eu vou com você?" Law não quer sair, ele já fez planos e estes consistem em assistir algum filme de romance idiota embaixo da coberta e chorar pelas decepções da vida.

"Você acha mesmo que existe a opção de recusar? Esteja pronto em 1 hora ou eu e os caras iremos aí te arrastar pela orelha" 

"Você pode tentar" Como se Law tivesse medo de ameaças.

"Qual é Law, já faz meses, até quando vai ficar nessa onda de depressão e tristeza? Você é um saco quando tá assim" Sachi era a pessoa que mais ouvia Law negar o próprio sofrimento.

"E pretendo continuar, uma noite não vai mudar como eu me sinto" 

"Pelo amor de deus se dá uma chance cara, pelo menos um dia pra você beber e esquecer que levou um pé na bunda" Ele não queria esquecer, era esse o problema.

"Qual seu problema? Eu disse que não quero, me deixa em paz" Sabia que era bem deprimente passar o sábado chorando sozinho, mas já era praticamente rotina na sua vida.

"Foda-se Law você vai queira você ou não, até o Bepo topou, sabe que faz muito tempo que ele não sai com a gente" Bepo era o mais novo do grupo, depois que entrou na faculdade seu tempo passou a ser muito corrido, por isso era quase atípico que ele pudesse sair.

"Você é muito chato, eu vou só pelo Bepo, além disso antes de 00:00 eu pretendo estar em casa" 

"Como quiser, te vejo mais tarde" e desligou deixando Law bufando de raiva mas determinado, Bepo foi a peça central para essa decisão.

Após isso, Law abriu o guarda roupa e avaliou suas opções, até olhar as peças era deprimente, não encontrou nada muito bom, mas se importava minimamente então repetiu mentalmente que qualquer coisa serviria, quase se contrariando levou bastante tempo para finalmente escolher uma roupa, no fim das contas acabou optando por uma calça jeans escura, que marcava bem a linha do quadril e dos glúteos, uma camiseta preta com gola V e seus usuais sapatos escuros de bico fino.

Encarou seu reflexo no espelho e não pode deixar de sentir pequeno e insignificante, sua aparência estava boa, Law não duvidava disso, mas o sentimento estranho que apertava o peito dizia claramente que alguma coisa estava errada.

Sem muita escolha, se dirigiu ao ponto de encontro, um barzinho que todos costumavam ir nos tempos de universidade, tinha música, a bebida era boa e as pessoas que frequentavam também, na porta do estabelecimento após saltar do Uber, encontrou seu grupo de amigos, Shachi, Penguim, Bepo e Ikkaku aguardavam o cirurgião requisitado.

"Olha só, você até se esforçou" Shachi estava rindo e Law segurou o impulso de soca-lo.

"Vai se foder" Law respondeu, recebendo risos do grupo.

"Bela bunda aliás" Shachi tinha tirado a noite para importunar o amigo mal humorado.

"As meninas vão ficar aqui fora discutindo ou vão entrar e se divertir?" Ikkaku sempre tentava apaziguar os ânimos quando estava com eles.

O grupo entrou no recinto com Law olhando emburrado por cima do ombro, o ambiente estava agradável, a música que tocava era boa para os ouvidos e as pessoas se moviam livremente sem muito tumulto, o grupo inicialmente decidiu ir para perto do bar e já começar pedindo algumas bebidas, quando estavam suficientemente perto do bar percebeu alguns olhares, mais especificamente de uma Bartender, que encarou Law vulgarmente, observou de cima abaixo enquanto mordia o lábio inferior e sorria logo em seguida.

"Olha só, vejo um grupo interessante, como posso servi-los hoje a noite?" a  mulher sorria e encarava Law com o mínimo esforço para ser sutil, o tipo de olhar que terminaria com ambos num motel em situações normais, se Law não estivesse sofrendo do coração.

Ela era bonita, muito bonita, possuía olhos castanhos que brilhavam em dourado, a camisa branca estava desabotoada revelando uma parte dos seios, vestia um colete verde limão por cima e shorts que Law duvidava que fossem permitidos em um ambiente de trabalho, os cabelos verdes longos caiam pelos ombros e o sorriso de canto deixava com uma aparência absurdamente sensual, no crachá lia-se Monet.

"Cinco doses da sua bebida mais forte" Law falou recebendo uma piscadela da mulher que logo se dirigiu ao interior do bar para preparar os pedidos.

"Cara ela ta tão na sua" Shachi falou ao seu lado. "Por um momento achei que ela fosse pular em você aqui mesmo".

"Não poderia me importar mais" Law já estava acostumado a receber olhares desse tipo e flertes descarados, foi assim que ele conheceu a pessoa que o fez sentir tantas coisas, que o fez se sentir vivo por quase três anos, mas que foi embora assim como todo mundo.

"Qual é cara, é perfeito, aposto que você consegue essa fácil" Shachi falou e foi repreendido por Bepo.

"Você tá passando dos limites hoje" Bepo tendia a ser a pessoa mais coerente do grupo, ou pelo menos não se deixava levar pelas brincadeiras idiotas de Shachi.

"Ele só tá assim porque queria que fosse com ele" Penguim brinca, sem resistir em zoar o amigo um pouco.

"Sofrendo por que ninguém te quer?" Ikkaku completa rindo.

"Mulher cruel" Shachi rebateu fingindo estar ofendido.

A bartender voltou com as bebidas, cinco taças continham um líquido roxo dentro, enfeitado com sal na borda e uma azeitona boiando no meio, Law sentiu vontade de vomitar quando viu, mas pegou a taça e bebeu tudo de uma vez só, seus amigos fizeram o mesmo, aparentemente gostando da bebida suspeita. Percebeu o contato um tanto que demorado da mulher quando esta lhe entregou o recipiente, o toque sutil dos dedos e as mãos passando brevemente pelo braço tatuado.

Não demorou muito para que a bebida fizesse efeito, isso mais algumas doses de tequila e de bebidas do qual ele não sabia nem por onde começar nomeando, tornaram seus olhos pesados, mas ainda estava consciente quando Monet o puxou para o canto e sussurrou em seu ouvido a seguinte frase "meu turno acaba em 3 horas, consigo pensar em algo que podemos fazer, se quiser" e entregou um papel dobrado que Law sabia conter um número de telefone.

Depois disso ele não viu mais a bartender, o pedaço de papel foi amassado e jogado em uma lixeira próxima, viu Shachi levando um fora de uma mulher depois de alguns minutos na pista de dança e correndo para o banheiro logo em seguida com Penguim atrás, Ikkaku estava agarrada com uma mulher no canto esquerdo da pista que Law só reconheceu pela silhueta e Bepo conversava com uma garota bonitinha de cabelo curto perto do bar.

Ótimo, Law não só saiu de casa contra sua vontade, como havia sido abandonado pelos amigos no meio da noite, pegou o celular e pensou seriamente em chamar um carro e voltar, a essa altura o grupo nem perceberia sua ausência. Por isso, estranhou quando em vez de abrir o aplicativo do Uber, acabou olhando para sua galeria, encontrando uma foto sua com Luffy do lado que ele jurava ter apagado.

Na foto Law estava emburrado como sempre, mas Luffy sorria ao seu lado, um dos braços do garoto circundava sua cintura, enquanto o outro segurava a tela do celular para bater a selfie tremida, a recordação o atingiu com tudo, lembrou do passeio no parque naquele dia, de Luffy caindo em um lago depois de perseguir patos e voltando com um sorriso satisfeito depois de conseguir encostar em um deles, de Law o abraçando mesmo encharcado e o beijando.

O namoro deles não era perfeito, Law as vezes não tinha tanto tempo disponível por conta do trabalho, mas Luffy nunca cobrou nada dele, o garoto sempre aceitou Law do jeito que ele era e com tudo que ele poderia oferecer, por isso, Law não entendeu porque depois de uma briga besta, Luffy simplesmente juntou suas coisas e foi embora da sua vida como se nada tivesse acontecido.

Estava muito bêbado, e nesse ponto não tinha mais tanto controle sobre suas ações, nem percebeu quando discou um número bastante conhecido, enquanto balbuciava e maldizia sua própria sorte.

O número atendeu do outro lado da linha após quatro toques, revelando Luffy completamente confuso por receber a ligação de seu ex namorado.

"Alô? Quem é?" Luffy achava que pudesse ser pegadinha, outra pessoa com o mesmo número de Law deve ter ligado por engano.

"Estava dando uma volta e acabei lembrando de você" Law não sabia se a bebida tinha dado coragem ou lançado ele direto no precipício.

"Tral? É você?" do outro lado da linha Luffy estava ansioso, o coração batia desesperado, mas não entendia o motivo da ligação, achava que Law não gostava mais dele.

"Sim sou eu, queria saber se você tá bem, já que foi você que sumiu da minha vida sem dar notícias, pelo visto ainda lembro seu número, queria mesmo esquecer, queria te esquecer, mas eu não consigo, todo dia me pergunto porque isso aconteceu, o que eu fiz de errado, sou o único sofrendo aqui." Law nunca havia despejado tantas palavras ao mesmo tempo, os sentimentos que ele tanto tentava ignorar tomando forma ao sair da sua boca.

"Tral, você não parece bem... Me diz agora onde você tá." Luffy respondeu parecendo preocupado, Law não costumava despejar suas emoções dessa forma.

"Em um bar, naquele... mas não importa, acho que foi um erro" Law desligou e em seguida desmaiou.

Algum tempo se passou quando Law recuperou a consciência, sua cabeça latejava e ele demorou para compreender onde de fato estava, no chão do bar com seus amigos desesperados em volta, já tinha se passado muitas horas da noite e o bar estava quase fechando, o efeito da bebida aos poucos deixava seu organismo enquanto ele lutava para se situar.

Alguns goles de água depois e ele já se sentia melhor, se despediu dos amigos e disse que já se sentia melhor quando chamou o carro e se dirigiu para fora do estabelecimento, no caminho da saída esbarrou com alguém e só então percebeu de quem se tratava. 

"Luffy-ya?" a confusão e o choque estampados em seu rosto.

"Tral, ainda bem que te achei, você disse que estava 'naquele bar' e eu não sabia de qual você estava falando, acabei indo em uns três antes de chegar nesse." Luffy o abraçou quase chorando, apoiou a cabeça no peito tatuado enquanto tentava acalmar a respiração.

"O que você faz aqui?" Law realmente estava confuso e por um momento não soube como reagir frente a presença do mais novo.

"Você me ligou, sabia que tinha algo errado, fique tão preocupado, você tá bêbado?" Fazia tempo que Law não o via, a expressão preocupada do outro foi suficiente para desarmar Law completamente.

Só então percebeu o que havia feito, olhou o histórico de ligação e confirmou suas suspeitas, Luffy estava ali diante de si agora e ele só queria abraçá-lo de volta e esquecer tudo que havia acontecido, estava perdido em pensamentos quando percebeu se aproximar o veículo que deveria levá-lo para casa.

"Vamos lá em casa, a gente precisa mesmo conversar." Law puxou Luffy pelo braço e entrou no carro, o trajeto silencioso até o apartamento se deu por Law tentando colocar seus pensamentos em ordem, empenhado em decidir o que fazer com o problema chamado Luffy.

Quando entrou no apartamento tão conhecido Luffy tirou os sapatos e automaticamente se jogou no sofá enquanto suspirava. "Cara, que saudade desse lugar, você ainda compra aquelas batatinhas que eu tanto gosto?"

"Sim, acho que estão no armário, embora aquilo seja podre, não sei como você ainda não teve gastrite" Law automaticamente pegou o pacote de salgadinho do armário e entregou a Luffy, percebendo tardiamente a situação que se encontravam e a resposta involuntária do seu corpo.

Luffy comia as batatinhas com concentração, Law observou a cena de forma nostálgica antes de retomar o diálogo.

"Então Luffy-ya, o que eu te disse..." Law não conseguiu completar a frase e foi logo interrompido por Luffy.

"Tral, vamos voltar." Luffy afirmou saltando do sofá de forma animada, ganhando como resposta uma expressão incrédula do mais velho.

"O que? Você simplesmente me abandona e agora que voltar? E se eu não quiser?” Law queria, mas seu orgulho também valia alguma coisa.

"Tral eu sei o que você me disse por ligação, eu nunca quis terminar, pensei que você que não me queria mais." A memória de Luffy sempre foi péssima, mas ele deveria no mínimo reconhecer suas próprias decisões.

"Como? Foi você disse que não dava mais e foi embora, me ignorou por meses sem nem me dar uma justificativa." Law falava exasperadamente, Luffy estava brincando com suas emoções.

"Eu perguntei se você queria continuar namorando e você me respondeu que não." Luffy completou espontaneamente.

"Porque eu ia te pedir em casamento, droga" Law queria se bater, aquilo não podia estar acontecendo.

"Ah, mas você não me falou isso" Luffy estava absorto da confusão, seu tom despreocupado revelava a simplicidade que ele lidava com a situação.

"Você não me deu a chance." a cada resposta Law ficava mais furioso com o pensamento de que o fim de seu relacionamento foi por conta de um mal entendido.

"Achei que estivesse com raiva de mim, como eu ia saber?" Luffy retrucou, movendo os braços de maneira expressiva.

"Se me deixasse falar sem antes tomar suas próprias conclusões saberia" Law tentava se acalmar, sua mente estava turva mas seu coração o orientava a todo momento, ele nunca soube muito como agir com a ingenuidade de Luffy, mas sua sinceridade foi um dos motivos que o fizera se apaixonar.

Luffy que estava do outro lado do sofá se moveu até o colo de Law, puxando-o pelo pescoço e abraçado, Law afundou o rosto na curva do pescoço do garoto e sentiu o cheiro característico do ex namorado, ele sempre cheirou a carne e sândalo, e Law jamais poderia imaginar nada melhor do que isso.

"Então estamos bem? Podemos voltar?" Luffy olhou de relance para Law, que permanecia de olhos fechados e tentava gravar com o toque dos dedos, todos os detalhes do garoto em seu colo.

"Podemos, Luffy-ya" Como se Law conseguisse ser firme com alguma coisa quando se tratava de Luffy.

"Eba, vou dormir aqui hoje" Luffy riu e Law se perguntou como conseguiu viver tanto tempo sem ouvir esse som.

"Pode até ser, mas você vai dormir no sofá" Luffy fez beicinho diante da resposta.

E Luffy não dormiu no sofá, se Law pensou que conseguiria retomar as coisa devagar, se enganou redondamente, Luffy dormiu do seu lado, mais especificamente em cima de si, as pernas enroladas com a do mais velho e a bermuda emprestada e frouxa em torno da cintura, enquanto dizia repetidamente que "o amava" antes de pegar no sono, deixando Law com o rosto em chamas enquanto encarava a figura abaixo de si e passava as mãos pelos cabelos escuros, foi a melhor noite de sono em muito tempo. E no dia seguinte, acordou com Luffy animado fazendo mil planos para se mudar de volta, Law lembrou da caixinha contendo o anel de noivado que ainda guardava no fundo de alguma gaveta, talvez fosse o momento de usar.


 


Notas Finais


Eu no meio de um surto: ovo lançar mais uma Lawlu.
Foi revisado por mim então se tiver erro de pontuação perdoa.
Boa leitura.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...