1. Spirit Fanfics >
  2. Winter Bear- Kim Taehyung >
  3. Capítulo 18

História Winter Bear- Kim Taehyung - Capítulo 18


Escrita por:


Notas do Autor


Espero que gostem!

Capítulo 18 - Capítulo 18


Fanfic / Fanfiction Winter Bear- Kim Taehyung - Capítulo 18 - Capítulo 18

[Quebra de tempo]

-S/n.- Taehyung disse enquanto me envolvia em uma abraço. Ele tinha acabado de chegar em minha casa, eu estava na cama e o mesmo veio até  mim e se deitou.

-Que foi ursinho?- perguntei fazendo carinho em seu cabelo.

-Trago notícias boas e ruins, qual quer primeiro?

-A ruim.

-Por que a ruim? Não deveria ser a boa pra você ficar feliz?- ele disse fazendo uma careta.

-Claro que não, eu tenho que ouvir a ruim primeiro, se eu ficar mala segunda vai me alegrar.- falei bagunçando  seus cabelos.

-Tudo bem.- ainda me abraçando, ele desceu seu corpo  um pouco para que sua cabeça  ficasse  sobre meu peito. Senti ele respirar fundo.

-Meu pai foi preso, mas meu irmão foi inocentado.- ele me abraçou  mais forte.-Me desculpe, S/n. Ele ainda está  solto.

Me sentei na cama, Taehyung ficou com a cabeça  em meu colo.

-Vamos enfrentar isso da melhor forma, ursinho.- um leve sorriso se formou em meu rosto.- Agora me diz a notícia boa.

-Ele se sentou também e abriu um grande sorriso.- Vou começar  a trabalhar com fotografia de lugares históricos para uma empresa. Sabe, uma boa fotografia faz muita diferença num projeto de arquitetura.

-Isso é ótimo, ursinho.- falei o abraçando  e nos jogando na cama.- Fico feliz por você. - selei nossos lábios.

Naquele momento ficamos conversando sobre o trabalho de Taehyung. Eu fazia carinho em seus cabelos e ele me abraçava como se eu fosse um travesseiro fofinho. Mais uma cena que eu guardaria na memória com Kim Taehyung.

 

 Fingi não estar preocupada com a inocência do irmão de Taehyung, mas a verdade é que eu estava assustada.

Ele deve ter juntado muito ódio desde o nosso último encontro, o que ele seria capaz de fazer dessa vez?

[Quebra de tempo]

 Eu estava voltando da universidade quando alguém me segurou por trás.

Me virei assustada. Não podia ser. Mark estava ali, na minha frente.

Tinha alguém do seu lado, Ti- Woo, irmão de Taehyung. Como eles podiam estar juntos?

Olhei de um para o outro, desesperada, já sabendo que era melhor eu não continuar ali. Me virei e comecei a correr, mas não  fui tão  rápida  quanto eles.

 Colocaram-me dentro de um carro e pegaram a rota para o meu apartamento. Lágrimas escorriam dos meus olhos enquanto eu tentava me debater, mas Mark, que não me largou em nenhum momento, segurava cada vez mais tarde. Sua mão ficaria marcada ali.

 

~ Chamada em andamento ~

_Alô?

Ouvi a voz de Taehyung, Mark tinha colocado meu celular no viva-voz.

_Taehyung, amigão. Que bom ouvir sua voz, será  que pode dar uma passadinha no apartamento da S/n?

~ Chamada finalizada ~

Os dois, que estavam na minha frente, riram.

-Ele está vindo, S/n.- Mark disse dando um beijo na minha bochecha.

Meus pulsos estavam amarrados por uma corda muito forte. Quase não sentia o sangue circular pelas minhas mãos.

-Como... c-como estão juntos?- perguntei em meio aos soluços e lágrimas que corriam desesperadamente pelo meu rosto.

-S/n, você é muito esperta.- Ti-Woo disse se sentando ao meu lado.- Não  perguntou  o que queríamos, mas sim o que fazemos juntos.- ele riu.

-Ele foi à minha casa, disse que tinha assuntos pendentes com Kim Taehyung e, bom, eu também tinha.- Mark disse sentando-se ao lado do parceiro.

-Trabalhar com meu pai valeu pra alguma coisa. Fui à delegacia local e puxei sua ficha, conversei com alguns moradores. Não foi muito difícil achar seu ex.- ele riu debochado.

Mark levantou nervoso, puxando Ti-Woo para um canto. -Escuta aqui, você me disse que eu podia fazer o que quisesse com essa vadia, por que não  saiu daqui ainda?

De repente, houve um estrondo. Da porta saíram cinco policiais, todos armados.

-Mãos para o alto, vocês vêm concosco.

 

Depois que alguns policiais saíram com Mark e Ti-Woo, um ficou para me desamarrar e pegar meu depoimento.

 Taehyung apareceu, ofegante, com lágrimas nos olhos.

-S/N, VOCÊ ESTÁ BEM?- ele disse correndo em minha direção e se pondo de joelhos para me abraçar, o policial tinha acabado de me soltar então eu pude retribuir seu abraço.

-Está tudo bem Taehyung.- abracei-o forte, ele chorava  muito.- Você  já  cuidou de tudo,  está  tudo bem.

O policial me chamou pra que eu o seguisse e prestasse depoimento daquele acontecimento para usar no processo de denúncia. Taehyung esperou que eu terminasse.

 

Taehyung ainda estava na minha casa, quando abri a porta ele veio correndo me abraçar. 

-S/n, por favor me perdoe, é  tudo culpa minha. Se eu não tivesse batido neles...

-Taehyung, aconteceu o que era pra acontecer- eu disse saindo de seu abraço e enxugando suas lágrimas. - Vamos deitar. Estou cansada.- disse guiando-o para o meu quarto.

Nos deitamos, Taehyung estava  fungando o nariz.

Sentei na cama.- Pelo amor de Deus, o que é  agora?- falei impaciente.

Taehyung também se sentou.- Seus pulsos S/n, estão  marcados, me perdoe. -ele disse se deitando no meu colo e abraçando minha cintura.

-Ursinho, eu disse que está tudo bem. Isso tinha que acontecer para que eles fossem presos. São pessoas más, fizeram muitas coisas ruins com os outros. Agora, vai aparecer muitas pessoas denunciando eles. Mark também era uma má pessoa, as namoradas dele que conversaram comigo, disseram que ele batia nelas e elas não podiam falar nada. - eu falava enquanto acariciava seus cabelos.

-Kim Taehyung, você fez a coisa certa, eu sou prova de que sua coragem vai além  do que qualquer um pode imaginar.

- S/n.- ele me olhou sério.

-Oi.

-Casa comigo.

Sorri, ele tinha me pegado desprevenida.

-Que tal um pedido decente na nossa formatura?

-Eu posso esperar.- ele levantou e selou nossos lábios.

-Eu te amo.- e dizendo isso nos deitou na cama. -Venha, vamos dormir.

Fechei meus olhos e tornei a abri-los, comecei a rir alto.

-O que foi, S/n?- Tae perguntou assustado.

-Eles são muito idiotas, né? Seu irmão ficou se gabando por ser filho do delegado, mas não raciocinou que você poderia chamar a polícia.

Taehyung acompanhou minha risada.

No fim, viramos a noite conversando. Eu contava a Taehyung o que tinha acontecido comigo enquanto ele fazia caras tristes e, ás vezes, rindo.

Agora podíamos realmente viver tranquilamente, tudo isso foi deixado no passado.


Notas Finais


Continua...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...