1. Spirit Fanfics >
  2. Wishbook - Jenmin >
  3. I'm so tired

História Wishbook - Jenmin - Capítulo 11


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura 💞

Capítulo 11 - I'm so tired


Fanfic / Fanfiction Wishbook - Jenmin - Capítulo 11 - I'm so tired

Jennie entrou em desespero. Ela precisava recuperar o livro o mais rápido possível.

Saiu do banheiro e se enfiou no meio de uma multidão de adolescentes que dançavam ao som da música que tocava na casa cheia. Tentou analisar um por um, mas não adiantaria muito. Tinha muita gente ali.

— O que eu faço? O que eu faço? — Respirou fundo tentando se tranquilizar. — Sua idiota, como pôde ser tão descuidada?

— Está falando com quem? — Jimin apareceu de repente atrás de Jennie, fazendo com que ela se assustasse levemente.

— Eu preciso da sua ajuda. Pelo amor de Deus!

—Calma, o que aconteceu?

— Preciso que me ajude a encontrar meu livro. Eu o perdi!

— Ah, sim… O seu diário? — Jimin disse, brincando.

— Estou falando sério! Se alguma pessoa com más intenções pegar nesse livro… Vou estar muito ferrada…

Jimin tentava acompanhar Jennie. Ele queria saber o porquê daquele livro ser tão importante, mas preferiu a ajudar. Ela parecia realmente nervosa.

— Ok, se acalma primeiro. Vou te ajudar a procurar, certo?

— Certo. Você se lembra de como ele é?

— Lembro. — Jennie afirmou com a cabeça. — Eu vou por aqui e você por ali.

No momento em que iriam se separar, Jennie o interrompeu, segurando em seu braço.

— Em momento algum leia o que está escrito ali, combinado?

— Combinado. — E então, eles se separaram.

Jennie para a direita e Jimin para a esquerda. Ambos procuravam o livro.

Jimin não sabia exatamente o que ele procurava. Se lembrava vagamente da capa do livro.

Jennie andava entre aquelas pessoas as analisando bem, até ver Jihyo com um grupinho. Jennie poderia ter certeza que havia sido ela a ladra.

— Jihyo. — Jennie foi até ela. — Devolve. Não tem mais graça.

Jihyo olhou para ela sem entender.

— O quê?

Jihyo era a única pessoa que estava no banheiro com Jennie. Era sua principal e única suspeita.

— Me devolve o livro, Jihyo. Agora. — Jennie aumentou o tom de voz, chamando a atenção de algumas pessoas que estavam por perto.

— Do que você está falando? Está maluca?

— Eu sei que foi você! — Jennie disse

— Eu não peguei nada!

O som parou e as pessoas se juntaram em volta das duas para ver o que acontecia.

Nayeon se posicionou no meio das duas para as separar.

— Que confusão é essa? — Nayeon alternava seu olhar entre Jennie e Jihyo. — Já chega.

Jimin passou por algumas pessoas. Entrou no banheiro masculino e abordou os que pareciam suspeitos. Não havia encontrado ninguém.

Pensou na possibilidade da pessoa ter pego o livro e ido embora. Mas se fosse esse o caso, era provável da pessoa já estar longe. Seria inútil ir atrás.

Ainda analisando algumas pessoas, uma garota parecia agir de forma estranha. Jimin se aproximou dela um pouco receoso. Ele não queria que a garota pensasse que ele fosse um pervertido.

— Licença? Por acaso você viu algum livro ou…

— Não. — A garota disse rapidamente. Enfiou a mão por dentro do casaco que vestia e saiu andando.

— Mas… Espera…

Jimin foi atrás da menina de fios castanhos. Ele teve a total certeza que ela estava com o livro quando a mesma começou a acelerar o passo.

Jimin corria atrás da menina até conseguir segurar em seu pulso e a prensar na parede. Talvez naquele momento ele parecesse um pervertido. Os que estavam por perto encaravam os dois querendo saber o que acontecia, mas tanto Jimin quanto a garota sabiam que ele não tentaria nada.

— Devolva. — Jimin pediu.

De repente, a música da festa para, e esse momento de distração do Jimin foi suficiente para a garota sair correndo. Jimin iria atrás dela novamente, mas percebeu que ela tinha largado o livro no chão.

Tentou normalizar a respiração acelerada. Ele estava cansado de tanto correr.

Se abaixou para pegar o livro e encarou sua capa. Por que alguém iria querer pega-lo? O que tinha de tão importante nele? Era o livro em si ou o que estava escrito nele?

Ele poderia abrir o livro e ter a resposta para todas as suas dúvidas fazendo isso.

"— Em momento algum leia o que está escrito ali, combinado?"

Ele poderia apenas fingir não ter lido nada…

"— Em momento algum leia o que está escrito ali, combinado?"

Só uma olhadinha…

"— Em momento algum…"

— Aish… Eu já entendi. — Jimin disse para si mesmo, se convencendo por fim que ler o que estava escrito ali não seria certo.

Procurou por Jennie. Não precisou de muito, já que ela estava cercada de pessoas. Pareceu ter se envolvido em uma confusão.

Jennie discutia com Jihyo, e Nayeon se encontrava entre as duas.

Jimin se desesperou quando Jennie acusou Jihyo de ter pego o livro. Seria constrangedor para ela, então ele não soube o que fazer.

Jimin foi para o outro lado, onde Jennie poderia o ver, Jihyo estava de costas para ele.

— Eu encontrei o livro. — Sussurrou, fazendo movimentos com a boca esperando que ela entendesse. Mas a única coisa que recebeu foi uma careta de Jennie, indicando que ela não tinha entendido nada. — Sua idiota, o livro está aqui. — Ao perceber que mesmo daquela forma, ela não entendia, Jimin mostrou o livro em suas mãos.

Jennie abriu a boca surpresa. Jihyo ao reparar em sua expressão, olhou para trás e viu Jimin com o livro em mãos.

Soltou um riso debochado.

— Sério? Jura que armou esse showzinho todo me acusando de ter roubado um diário bobo quando eu não fiz nada?

Naquele momento, Jennie sentiu vontade de usar o "diário bobo" para mandar Jihyo para o quinto dos infernos. Mas ela teria problemas se o fizesse.

— Não seja idiota. Poderia muito bem ter sido você.

— Eu não quero confusão, então vou apenas ignorar.

As pessoas que estavam por perto, cochichavam sobre a atitude errada de Jennie. Acusar Jihyo sem ter certeza sendo que realmente não tinha sido ela a culpada tinha sido um papelão. Jennie sabia que aquilo seria ruim para sua imagem. Deveria se defender.

— Você não quer confusão? — Jennie riu sem humor. — Sua consciência não pesa? Sabe o quanto eu me senti mal quando roubou meu namorado? Como consegue andar por aí sabendo de destruiu um relacionamento de três anos? — Jennie se vitimizou. Dessa vez, as pessoas viam Jennie como a vitima da história. — Não queira bancar a inocente pra cima de mim. Não aja como se não tivesse feito nada.

— Eu não roubei ninguém. Você que deixou escapar, eu só aproveitei a oportunidade. Obrigada.

Jennie se aproximou de Jihyo, mas nesse momento, Nayeon separou as duas e agarrou os ombros de Jennie.

— Recomponha-se, o que está acontecendo com você? — Jennie tirou as mãos de Nayeon de seus ombros com brutalidade e foi até Jimin, pegando o livro de sua mão.

Saiu da casa de Nayeon se sentindo estressada. Ela odiava Jihyo. Tinha certeza disso.

— De nada. Não precisava agradecer. — Jimin apareceu atrás de Jennie.

— Obrigada. Já pode ir agora.

— Você está sendo tão grossa comigo… Eu nem fiz nada. — Jimin disse, tentando animar Jennie. — Está tão zangada assim?

Jennie parou de andar. Parecendo distraída em seus pensamentos.

— Não estou... Só estou cansada mesmo.

— Sim… Melhor irmos para casa.

Jennie se despediu de Jimin com um aceno e cada um foi para sua casa. Já era meia noite e Jennie ainda teria que trabalhar.

No fim das contas, a morena acordou atrasada. Saiu de casa na correria e chegou no trabalho mais tarde que o esperado.

— Aqui está o seu pedido. — Jennie entregou a bandeja com o lanche para a cliente. — Faça bom proveito.

Jennie odiava ter que trabalhar como garçonete. Saiu de casa assim que atingiu a idade adulta por não suportar mais morar em sua casa. Na época, ela tinha suas economias, por isso tinha conseguido morar em um lugar decente. Quando o dinheiro começou a faltar, não teve muita escolha. Foi obrigada a trabalhar naquela lanchonete mesmo, que é onde está até agora.

— Está frio. — A cliente reclamou assim que deu a primeira mordida em seu sanduíche.

— O quê?

Era esse o ponto que Jennie mais odiava em seu trabalho: lidar com pessoas.

— Está frio. Não vou comer isso.

— Não coma mas também não reclame comigo. Minha função é entregar a comida, não fazê-la.

— Não é problema meu. Vá fazer de novo.

— Não será possível. Sinto muito.

— Então eu quero o meu dinheiro de volta. — Jennie revirou os olhos e respirou fundo.

— Peço que vá resolver isso com o gerente do…

— Você revirou os olhos para mim?

— Talvez eu tenha.

— Eu posso te ajudar a resolver o seu problema. — Hoseok apareceu de repente. — Por favor, me acompanhe.

Mesmo após Hoseok resolver a situação, Jennie levou um sermão do Sr. Wang sobre "saber lidar com os clientes". Ela sabia que já teria sido demitida caso o seu chefe não tivesse pena dela.

— Você é doida. Está pedindo para ser demitida ou o quê? — Hoseok brincou.

— Aquela garota que era ignorante demais. Viu como ela falou comigo? — Hoseok sorriu e deu de ombros.

— Você deveria ter mais paciência. Aliás, tem uma mesa ali esperando para ser atendida. — Hoseok apontou para uma das mesas. — Boa sorte.

— Vai se ferrar.

O resto do dia correu normalmente, Jennie havia sido liberada a tarde, e decidiu ir direto para casa, mas se surpreendeu ao encontrar Nayeon e Jisoo sentadas no sofá da sala.

— O que aconteceu? Por que estão aqui? — Jennie deixou sua bolsa em cima de uma poltrona e foi se sentar perto de suas amigas. Elas não tinham o costume de se reunir em sua casa.

— Viemos para saber se você está bem. Depois da discussão com a Jihyo ontem, pensamos que você poderia estar um pouco estressada… — Jisoo disse.

Jennie ficou sem reação por um tempo. De fato, ela estava estressada, mas não queria admitir para virar motivo de preocupação.

— Estressada? Por que eu estaria? — Soltou um riso, um pouco sem graça. — Estou bem.

— Se está bem, então pode se desculpar com a Jihyo. — Nayeon falou com impaciência. No mesmo instante, Jisoo virou para ela e sussurrou algo que Nayeon ignorou.

— Como?

— Você acusou ela de ter roubado algo. Sou sua amiga mas não posso deixar passar assim.

— Eu não vou me desculpar.

— Mas você errou, Jennie. Era só um livro bobo, nem precisava daquilo tudo. Desde quando você lê? Ou era um diário?

— Não é um diário. Não é nada, eu tive os meus motivos.

— Quais? — Nayeon perguntou. Estava começando a irritar a Jennie por estar claramente fazendo de tudo para defender a Jihyo.

— Tinha algo escrito ali? Se tiver, nós até entendemos você, mas o ideal seria se você fosse se desculpar. Você exagerou um pouquinho... — Jisoo disse, agindo da forma mais calma possível esperando que Nayeon e Jennie se acalmassem também.

— Não tinha nada escrito. E eu não vou me desculpar, já chega.

— Jennie, calma. — Jisoo pediu.

— Não. Eu não vou me desculpar com ninguém, e se era isso o que vocês queriam dizer, então já podem ir.

— Está nos expulsando? Você agiu de forma errada, estamos te aconselhando a fazer o certo. — Nayeon estava tão irritada quanto Jennie.

— Eu sei o que é certo para mim. — Jennie se levantou e apontou para a porta. — Vão.

Nayeon se levantou bruscamente e saiu da casa de Jennie, com a raiva estampada em seu rosto. Jisoo, antes de sair, olhou para Jennie e disse:

— Não confunda as coisas, Jennie. Estamos do seu lado te induzindo a fazer o que é certo. Ninguém aqui se virou contra você. — Foi o que Jisoo disse antes de sair.

Se jogou na poltrona. As coisas estavam se tornando tão complicadas...  Jennie evitava usar seu celular porque volta e meia recebia inúmeras mensagens e ligações de Namjoon, seu trabalho estava indo de mal á pior e tinha acabado de discutir com suas amigas.

Jennie sabia que o certo seria ir até Jihyo e se desculpar por tê-la humilhado na frente de um monte de gente, mas ela não queria fazer isso, pois no final, quem sairia como humilhada seria ela.

Foi até um bar onde passou um tempo pensando sobre a sua vida. Quando foi que as coisas começaram a dar errado mesmo? Ah, sim… Quando o livro apareceu. Quando ela desejou esquecer Namjoon. Mas ela não se arrependia disso.

Ela poderia estar em uma condição pior se não tivesse feito aquilo, então preferiu acreditar que sua vida poderia estar pior do que já estava.

Isso era algo para se orgulhar? Que bosta…

No fim, ela acabou pedindo uma garrafa de soju. Ela quase nunca fazia isso, mas era bom para se distrair um pouco, Jennie não iria exagerar.

15 minutos depois.

— Esse celular é meio bugado. Quantas ligações... — Forçou a vista para enxergar enquanto batucava os dedos aleatoriamente na tela do celular. — Namjoon… Eu não quero ver você. Não é para me ligar… Está me ouvindo? — Bateu o celular na mão. — Está quebrado? Por que ninguém fala comigo? Ninguém me ama?

Jennie deixou o celular em cima da mesa e olhou para os seus contatos.

— Jisoo unnie, Nayeon, Tae… Eu não quero falar com nenhum de vocês. — Sua voz estava embargada. — Jimin? — Pegou o celular da mesa ainda com um pouco de dificuldade para enxergar a tela do aparelho. Clicou em seu contato e começou a gravar um áudio. — Jimin… Meu celular está esquisito, a tela parece embaçada… Eu tenho muitos contatos salvos mas não quero falar com ninguém.

O áudio foi enviado e logo visualizado.

Jimin:

"Você bebeu? Onde você está?"

— Beber? Quem bebeu? Eu não bebi não… Só um pouquinho, eu acho. Eu estou em um bar. Você vai vir? — Enviou outro áudio. Estava com preguiça de escrever e não estava em condições para isso.

Jimin:

"Em um bar? Estou indo. Não saia daí."

Jennie conseguiu ler a mensagem com um pouco de dificuldade.

— Eu sinto a sua falta... Você é meio irritante às vezes, mas é um amigo legal. Você se preocupa comigo, não é? — Perguntou.

Jimin:

"Claro que sim, sua tonta."

"Já estou chegando."

Jennie:

"achp von mwsmo"


Notas Finais


Volteii
A partir de hoje eu não prometo mais nada. Volto quando der KKKKKK

Só quero que saibam que eu não vou desistir dessa fic, então por mais que demore, podem ter certeza que eu vou voltar <3.

É isto. Se cuidem, bebam água e lavem bem as mãos. Bjos 💞


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...