História A Chuva que Cai Sobre Nós - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Erza Scarlet, Gajeel Redfox, Gildartz, Gray Fullbuster, Igneel, Jellal Fernandes, Jude Heartfilia, Juvia Lockser, Laxus Dreyar, Layla Heartfilia, Levy McGarden, Loki, Lucy Heartfilia, Mirajane Strauss, Natsu Dragneel, Sting Eucliffe, Yukino Aguria
Tags Gruvia, Jerza, Nalu, Stingyu
Visualizações 116
Palavras 2.087
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Qualquer erro ou contradição me avisem. Então é isto, boa leitura :)

Capítulo 8 - Let's go


Na sexta feira, as 19h, a grande maioria dos estudantes já se encontravam no campo campo de futebol, sob a grama, enquanto outros estavam na arquibancada, e todos eles para prestigiarem o grande passo do ilustre Rogue Cheney para se tornar o capitão sênior do time. As pessoas de fato o admiravam, os caras tinham respeito por eles, e as garotas suspiravam pelos corredores ao verem passar em toda sua glória com o casaco do time. Ele era quente. Mas havia uma única pessoa que não achava isso.

— Eu sinceramente não entendo o porquê dessa animação toda — comentou Lina — Olha só esse cara.

O treinador fazia um discurso no momento, em um pequeno palco improvisado um pouco mais a frente, Rogue estava ao seu lado, sorrindo de ladino, ouvindo o que ele dizia. As pessoas o observavam encantadas, com um sorriso de admiração. Minerva sorria orgulhosa, como se tivesse conquistado a presidência do país, e Kagura, do outro lado do campo, sorria igual a irmã, mas ao se olharem, fizeram pouco caso, olhando com desinteresse uma para a outra.

— Ele nem sequer se importa com o pequeno fã clube dele — Lina continuou.

— Grande fã clube, devo ressaltar, ele e Sting são meio que “aclamados” aqui — disse Yukino — Ao contrário de mim, que sou inexistente.

— Também né, você fala como uma advogada. Metade das pessoas que estão aqui não sabem o significado da palavra ressaltar. São só ricos e populares — disse Lucy — Mas eu particularmente adoro esse seu jeito.

Yukino sorriu sem graça e deu um abraço de leve na amiga, que a abraçou de lado, ficando assim enquanto assistiam ao que diziam mais a frente.

As garotas estavam no campo, próximo a fogueira, Lucy preferiu ficar ali, perto das pessoas, do que na arquibancada.

Lucy olhou de relance para Natsu que passava entre as pessoas por uma das arquibancadas, ela havia decidido não força-lo mais, e refletiu que havia sido imprudente de sua parte ter feito o que fez, ficaria apenas na amizade, caso ele quisesse, claro. Ela havia passado a semana refletindo sobre, de início pensara em parar de falar com ele, mas parar de falar com as pessoas não era de sua índole, e Natsu não havia feito nada de tão grave, apenas havia sido um otário, o que eles poderiam resolver com uma conversa, e sobre ele não retribuir o mesmo interesse por ela? Estava tudo bem também, são coisas normais. E foi assim que ela decidiu que: o manter próximo poderia ser bom.

Mas droga, será que exagerei aquele dia? Eu mandei ele se foder e disse que nunca mais iria até ele, o que devo fazer?

Lucy pois uma mão na testa e suspirou, estava queimando seus neurônios com aquilo.

— O que foi? — perguntou Yukino ao ver a amiga com uma expressão esquisita do seu lado.

— Você acha que... Seria estranho ser amiga de alguém que você disse coisas não tão legais? — perguntou.

— Não, é assim que resolvemos as coisas. Se não, viveríamos intrigado das pessoas para sempre, mas, por que a pergunta?

— Aconteceu tudo aquilo com o Natsu, e bom, eu disse que nunca mais falaria com ele, mas eu acho que ele e eu começamos com o pé esquerdo, e eu não gosto nada disso — Yukino soltou uma risada baixa ao fim da explicação — O que foi?

— Você sempre sendo você, né? Por isso que gosto de você, você resolve as coisas, apesar das meninas hoje em dia não gostarem do Natsu por causa do que você disse — Lucy suspirou e Yukino riu — E eu ficar preocupada com você, já que, você sabe, eu insistia muito no Sting e me fodi, acho legal você tentar resolver as coisas com o Natsu e ser próxima a ele, eu o acho tão... Vazio.

— Mas o que eu faço? A lacrada que eu dei vai ficar sem sentido e ele vai me achar uma idiota — Yukino riu alto.

— Espere que ele fale com você, provavelmente ele vai precisar da sua ajuda em sala, com algum trabalho ou prova, daí você se aproxima dele sutilmente — disse, olhando para frente.

Lucy a abraçou com força.

— Ah, eu amo essa sua cabecinha inteligente, obrigada — sorriu.

Natsu como de costume se sentou em um banco mais acima na arquibancada, enquanto que Minerva e seu grupo estava no último banco de baixo. Sting observou as garotas de longe, pensou em ir até lá, mas lembrou da atmosfera entre Yukino e ele, que ele próprio havia criado, então desistiu. Olhou mais acima, vendo os novatos simpáticos do outro dia e decidiu ir lá.

— E aí, o que estão achando da “grande fogueira”? — Sting disse, lá cumprimentando cada um com um toque na mão.

— Sempre tem isso aqui nesse colégio? — Jellal perguntou.

— Basicamente, o capitão sênior do ano passado vem aqui para passar o título para Rogue, e no ano que vem Rogue vai passar o título para outro estudante — explicou.

— Cara, as aulas mal começaram e eu já estou super animado com aqui — disse Gray.

— Na escola de vocês não tinham essas coisas? — se sentou ao lado de Gajeel.

— Nossa escola tinha um sistema medíocre, tanto no de educação, como na estrutura — disse Natsu — Makarov ganhou na loteria ao se casar com a diretora daqui, e nós também, pois as diferenças entre uma escola e outra são palpáveis.

— Pois é, ainda mais para nós que somos bolsistas — disse Gajeel.

— Que legal, não sabia que vocês eram bolsistas — contou Sting, empolgado.

— Temos bolsa esportiva, menos Natsu, ele não joga mais — disse Gray.

— Sério? Você jogava o que? E por que não joga mais? — perguntou Sting, interessado.

— Ah, eu...

— Sting, você é mesmo um ridículo — disse Lucy ao chegar, interrompendo Natsu — Por que não foi mais lá em casa?

— Desculpa, Lucy. Mas, me dê um desconto, eu só voltei de viagem no sábado, tive que ir a casa da Yuno fazer um trabalho, e de lá pra cá só tenho treinado — suspirou — Mas prometo arrumar um tempo para você esses dias. Você vem para o jogo amanhã?

— Claro. Irei anotar isso — ela disse, sorrindo de lado — E outra coisa, a Yukino sabe que você ainda a chama de Yuno?

— Não, e ela não pode nem sonhar.

Lucy soltou uma risada alta e observou os meninos, que a olhavam, ficando constrangida por não tê-los cumprimentado.

— Sou Lucy, muito prazer — ela disse, erguerdo a não para Gajeel, que aceitou na hora.

Gajeel a respondeu simpático, e ela cumprimentou os outros, sorrindo amigavelmente.

Natsu olhava para frente, fingindo prestar atenção ao discurso de Rogue mais a frente, vez ou outra ele olhava de soslaio para Lucy, vendo-a conversar alegremente com os garotos, rindo junto com eles. O que ela tem demais? Ele pensou, Lucy deu um abraço em Sting e se despediu dos meninos, com um aceno, saindo logo sem seguida.

— Qual é a sua com a Lucy? — Sting perguntou.

— Natsu é antipático, aí eles não se dão tão bem — Gray respondeu.

— Você devia rever seus conceitos, Lucy é uma das melhores pessoas que conheço, ela é tipo minha irmã.

— Ela é muito simpática mesmo — Jellal comentou — difícil achar garotas assim.

— É porque você não conheceu as outras ainda, apesar de não serem tão parecidas, cada uma tem seu jeitinho — riu ao se lembrar — Mesmo que agora uma delas não esteja falando comigo.

— A Juvia faz parte desse grupo também? — Gray perguntou, interessado.

— Sim, todas elas são bem amigas, desde criança — comentou, e o olhou malicioso — Mas, por que? Algum interesse em especial?

— Nenhum — respondeu, rindo.

Sting soltou uma risadinha, não acreditando nada nele.

                           🌤️

— Então, essa é a hora esperada — disse o técnico do time, emocionado.

Richie, o técnico, passou a tocha acesa para Rogue, que a pegou, se aproximando da fogueira e a acendendo com a tocha, o fogo se alastrou por ela e todos vibraram.

Alguns alunos foram o parabenizar pelo novo título, as garotas se aproximaram dele para parabenizá-lo, ele sorriu e pediu licença aos outros, indo de encontro a elas.

— Finalmente o grande dia chegou — Erza disse, sorrindo — Estou muito feliz por você, meus parabéns.

Erza abraçou o amigo, assim como as outras, dando apoio a ele, Rogue observou Lina com um sorriso divertido no rosto, apenas ela ainda não havia falado nada ainda.

— Meus parabéns — ela disse em tom baixo.

— O que disse? — perguntou divertido.

— Parabéns, mas só vou te parabenizar de verdade depois de te ver jogar — ela disse e ele riu.

— Vou esperar então — ele disse.

— Rogue — um dos alunos o chamou, fazendo ele olhar para trás.

— Bom, eu tenho que ir agora. Mas, nos vemos amanhã — ele sorriu e saiu.

As garotas observaram Lina com um sorrisinho no rosto.

— O que foi? — ela perguntou.

— Vocês são fofos juntos — disse Levy.

— Concordo — disse Juvia.

— Queria ele — Lina disse e Lucy riu, a abraçando de lado.

As garotas entrelaçaram seus braços e saíram andando, até a arquibancada, os Fighters iriam fazer uma apresentação especial, e Lina queria ver como eles se sairiam.

— Lina — Jenny disse alto, chamando a atenção da amiga e indo até ela.

Jenny abraçou Lina e o resto das garotas, seguindo para a arquibancada junto com elas.

— A gente poderia ir no shopping comer um lanche — sugeriu Levy.

— Também acho, estou com fome, e não estou com cabeça pra beber com essa galera — disse Juvia.

— Sim, mas a capitã precisa ver a apresentação da Kagura — disse Jenny.

As garotas esperaram até a apresentação da equipe de torcida, que durou cerca de 7 minutos. Uma hora depois, já no shopping, elas conversavam em uma das mesas da praça de alimentação.

— No fim, pude constatar que elas são realmente boas, mas tenho certeza de que nos sairemos melhor no próximo jogo — disse Lina.

As garotas concordaram, em uma semana a garota já havia melhorado bastante sua equipe, apesar de ter ficado preocupada por saber do jogo no sábado, acabou descobrindo que ele seria de futebol americano, e não de basquete, então sua equipe ainda não se apresentaria.

— Semana que vem estaremos preparadas — Jenny disse, empolgada.

— E eu estarei preparada para aplaudir — Erza disse, rindo.

                              🌤️

Lucy arrumava seu cabelo em frente ao espelho de sua casa, ela vestia um short soltinho estampado, com um body branco coladinho. Ela se olhou no espelho uma última vez e saiu, indo até o seu carro.

Alguns minutos depois ela já estacionava em uma rua próxima a escola. O campo estava lotado, o jogo havia começado a uns minutos, Lucy havia ficado de encontrar as outras por lá.

— Você tá uma gata — Erza disse, ao ver a amiga se aproximar.

— Você também, vocês, na verdade. Pego todas.

Lucy se sentou e observou a arquibancada, não encontrou Natsu nem seus amigos, ela suspirou, estava pensando em encontra-lo no jogo para falar com ele, mas pelo visto ele não tinha vindo, então ela apenas assistiu o jogo com as amigas.

Os Fighters venceram de 35 a 19 dos visitantes, Rogue deu o pontapé final, deixando todos eufóricos e Lina impressionada. Depois que um pouco das pessoas já haviam saído, Lina decidiu ir falar com ele, as garotas a acompanharam, mas no meio caminho elas viram ele dando um beijo em Kugura e logo após ela sair em Minerva. Lina parou no meio do caminho enjoada e voltou, apesar disso tudo, Rogue sorria parecendo ser o rei do mundo, e isso deixou Lina com uma sensação conhecida, decepção, talvez ela não quisesse acreditar que ele fosse assim.

— Hump, melhor irmos mesmo, não vale a pena dar atenção a coisas assim. Vamos fazer valer a pena outro tipo de coisa — Lucy disse, quando Lina voltou. As garotas haviam ficado a esperando.

— E o que fazemos agora? — Jenny perguntou.

Lina olhou para trás vendo Kagura e suas amigas.

— Vamos, temos uma festa para nos infiltrar — ela disse sorrindo maliciosa.


Notas Finais


Gente, eu ia escrever tudo junto, mas achei que ia ficar farofa demais, então só no próximo que teremos a festa. Capítulo curtinho, mas é isso, espero que tenham gostado.

Obrigada por lerem e não se esqueçam de comentar e favoritar, beijo, e até o próximo \o/


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...