1. Spirit Fanfics >
  2. A cura, garoto de Strawberry (mclennon) >
  3. Espero que ele seja feliz!

História A cura, garoto de Strawberry (mclennon) - Capítulo 12


Escrita por:


Notas do Autor


Boa tarde meus amores! Chegamos ao último capítulo da primeira temporada 😢❤

Capítulo 12 - Espero que ele seja feliz!


Fanfic / Fanfiction A cura, garoto de Strawberry (mclennon) - Capítulo 12 - Espero que ele seja feliz!

Os dias pareciam cada vez mais longos para o pequeno garoto de cabelos cor de cobre e olhos âmbar, olhos que agora se tornaram tristes, sentia algo que nem ao menos compreendia, ficava deitado olhando pro teto branco onde haviam algumas estrelinhas... E um sentimento de raiva tomava conta dele.

-Estrelas idiotas!!! – esbravejava ao mesmo tempo em que pegou uma almofada e a atirou com força pra cima, mas ela nem ao menos alcançou o teto, o frustrando mais ainda, se virou pro lado e fechou os seus lindos olhos emburrado.

Em sua mente vinha a imagem de Paul o olhando com curiosidade, seus olhos que pareciam o universo brilhavam a cada vez que descobria algo novo e lembrar essas coisas doía.

Passava os dias olhando pela janela à espera de seu amigo de cabelos negros, como se ele fosse aparecer à qualquer momento, mas ele não vinha, não o chamaria no portão nem brincariam outra vez no parque, e sem ele nada tinha graça, sua vida voltava a ser vazia.

-John – Disse Mimi abrindo a porta do quarto – o que você vai querer para o jantar? Eu estava pensando em...

-Nada, não quero nada – O garoto a interrompeu.

-Como assim nada? Eu estava pensando em cachorro quente! O que me diz? – a mulher se sentou ao lado do sobrinho e acariciava seus cabelos tão macios.

-Ele gostava muito de cachorro quente... Mimi eu quero o meu amigo de volta.

-Eu sei meu amor, mas não podemos fazer nada, tenho certeza que ele está bem! Em um lugar melhor.

-Como você sabe? – respondeu com os olhos marejados - como você sabe!? E se ele estiver com fome ou com frio!? E se os meninos rirem dele??? E se baterem nele!? Eu deveria ter tentado mais!

-Fica calmo meu amor, estão cuidando dele...

-Você viu como era o orfanato? Todas aquelas crianças nem tinham brinquedos! Pouca comida, roupas velhas! E você acha que o outro vai ser melhor do que aqui? Aqui eu cuidava dele... Agora ele não tem ninguém!

Diante dos argumentos do sobrinho Mimi ficou sem palavras, sabia que o destino do garoto era incerto e aquilo lhe causava um imenso nó em sua garganta. Principalmente quando olhava pela janela e via a neve caindo, estava muito frio e mesmo sem querer seu pensamento a levava longe, até um lindo garoto de olhos esverdeados e cabelos negros que a cativou.

-Bom eu... Eu vou preparar o jantar – disse disfarçando a voz ao sair do quarto - Espero que esteja bem... – pensava encostada na porta.

Na verdade não havia um dia em que não pensasse nele, estranhamente gostava de Paul, seu jeito meigo, curioso, prestativo... A durona Mimi se deixou abalar por aquele anjinho que entrou sem ser convidado em sua vida.

O tempo passava e John se tornava cada vez mais triste, nada o deixava feliz, teve que ser levado ao hospital mais de uma vez devido à febres sem causa aparente. O seu diagnóstico foi febre emocional, a mulher já não sabia mais o que fazer.

Os dois garotinhos que moravam na mesma rua, George e Richard em vão o chamavam para brincar, a resposta era sempre a mesma “não estou com vontade".

Certa noite Mimi acordou assustada com um sentimento ruim, ela se levantou imediatamente ao ouvir um barulho estranho na casa, ela desceu cautelosa e ao chegar até a sala se deparou com a porta aberta, ficou assustada imaginando que poderia ser um invasor mas ao olhar pela cortina entreaberta viu John com uma mochila em meio a neve... Ela imediatamente saiu porta afora atrás dele.

-JOHN! O QUE DEU EM VOCÊ!!!??? O QUE PRETENDIA!???

Mas ao invés de responder ele apenas a abraçou chorando.

-Eu sonhei com o Paul! Ele estava chorando no meu sonho! Estava muito doente Mimi... Ele, ele precisa da minha ajuda...

-Vamos entrar querido... – disse o abraçando e levando de volta para dentro de casa.

Mimi retirou a mochila das costas do sobrinho e também o seu casaco, quando tocou suas mãos percebeu que as mesmas estavam geladas.

-Eu não achei minhas luvas... – disse John de cabeça baixa.

-Você me lembra tanto a sua mãe... Tão mais corajosa e valente do que eu – sorriu com a lembrança enquanto aquecia as mãos dele com as suas – sabe o que mais é bom pra aquecer? Um chocolate bem quentinho!

Ela o conduziu até a cozinha, onde começou a preparar a bebida.

-Por que a senhora disse que sou parecido com a minha mãe?

-Ora porque você é – respondeu ainda de costas, você é o garoto mais corajoso que eu conheço!

-Sou? – disse Lennon com um olhar curioso.

-Sim você é, não que eu aprove o que você fez, mas você não pensou duas vezes pra ajudar seu amigo aquele dia, e mesmo ainda com a perna machucada você o levou para encontrar uma cura... Igualzinho a minha linda Julia! Ela enfrentava tudo e todos por aquilo que sonhava e acreditava! Me lembro inclusive de uma vez em que eu estava magoada por causa de um rapaz e ela ao me ver daquele jeito calçou seus sapatos vermelhos assim como seus cabelos e foi até ele e lhe acertou um chute na canela! Rsrs

-Kkk é verdade Mimi?

-Claro que sim, eu não minto! – ela olhou com ternura para o sobrinho que sorria pela primeira vez depois de tanto tempo.

-Eu faria a mesma coisa! Daria um chute bem no saco dele!!!!

-Eu sei que você faria meu protetor!

-Sente falta dela Mimi?

-Penso nela todos os dias querido.

-Por que as pessoas que amamos vão embora? É melhor nunca gostar de ninguém! Assim não vai doer!

-Não diga isso querido, os momentos bons nunca vão se apagar do nosso coração, estarão conosco pra sempre.

-Será que ele também tá com saudade de mim?

-Claro! Vocês são melhores amigos e vão ser pra sempre!

-Eu tratei ele mal, eu gritei com ele, fiz isso pra doer menos, mas fiquei muito pior...

-Ele sabe que você não fez por mal John, agora vamos dormir e quero que me prometa que nunca mais vai fugir de casa!

-Eu não ia fugir, eu ia procurar ele, e voltava de noite, nunca te deixaria. 

-Só me prometa John!

-Eu prometo.

-Ouça aqui, eu só tenho você neste mundo! Eu morreria se algo acontecesse à você.

-Gosta tanto assim de mim?

-Muito mais do que você imagina...

E ele realmente cumpriu com sua palavra, alguns meses se passaram, mas a saudade só aumentava, desenhava em seu quarto ouvindo a chuva, chovia muito e ele parou para observar.

-Espero que esteja bem Paulie... – fechou seus olhos e fez uma pequena prece.

Mimi ia entrar no quarto na hora mas parou na porta, ouviu e não pôde deixar de se emocionar.

“Papai do céu, eu sempre vejo um monte de gente pedindo coisas pra você, será que posso te fazer um pedido? Por favor cuida do Paulie, ele não tem ninguém pra cuidar dele, assim como eu tenho a Mimi, ela é a minha outra mãe que o senhor me deu, ela é brava as vezes mas eu a amo muito, poderia dar uma mamãe pra ele também? Mesmo que ele se mude pra longe, eu só quero que ele fique bem! Mas se não for pedir muito eu queria ver ele só mais uma vez pra pedir desculpa... Ah e diz pra minha mãe que eu amo ela!”

O mulher secou as lágrimas e disfarçou entregando o lanche pro garoto.

-Mimi eu sou um bom garoto?

-Por que está me perguntando isso?

-Porque eu sempre faço uma oração mas nunca fui atendido...

Ela sorriu e o abraçou.


Naquele mesmo dia ao anoitecer John estava deitado quando a tia bateu levemente na porta de seu quarto.

-John eu fiz cachorro quente...

-Não quero Mimi!

-Ouvi dizer que eram feitos de cachorro... – uma voz familiar ecoou pelo quarto.

John não podia acreditar e começou a chorar mesmo sem ter se virado.

-Paulie?

Ao olhar para porta seu coração quase saltou para fora do peito. Ele saiu correndo e agarrou o garotinho de cabelos negros com tanta força que quase o quebrou ao meio.

-É você mesmo!? Me diz que é verdade!!!!!

Paul nem conseguia falar tamanha era sua emoção, seus olhos estavam cheios de lágrimas assim como os de John, mas o pequeno ruivo não perderia a pose.

-Homem não chora seu bobão! Rsrs – dizia secando as próprias lágrimas. Como você chegou aqui???

-Agora eu tenho uma família Johnny! Uma família de verdade!

John se lembrou imediatamente de sua oração, essa era sua chance.

-Eu, eu fico feliz por você ter conseguido uma família e só queria dizer que fui um idiota! Eu menti e fingi que estava bravo! Eu, eu amo você Paulie! Você é o meu melhor amigo e eu nunca vou esquecer de você! Eu não sei de todas as coisas e... E, e também tenho medo as vezes, mas meu maior medo era nunca mais ver você!!!! - disse apressado.

Paul sorriu e correu novamente para os braços do mais velho ficando na ponta dos pés, segurou em seu rosto e lhe deu um beijo.

-Eu também te amo Johnny! Você vai ser o melhor irmãozão de todos!

-O que? O que você disse?

-Eu vou morar aqui com você! A Mimi me adotou!

John parecia em choque.

-Johnny? – Paul o olhava preocupado.

-E VOCÊ NÃO ME FALA NADA!??!!? Eu aqui todo preocupado! Pode esquecer tudo que eu disse! Eu não tenho medo de nada e sei de tudo!!! Entendeu?! E outra coisa... Seja bem vindo de volta... Bobão!


Notas Finais


E então!???? O que podemos esperar desses dois 🤔 rsrs só adianto que muita coisa vai rolar 🤭❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...