1. Spirit Fanfics >
  2. Ciúmes >
  3. Capítulo Único

História Ciúmes - Capítulo 1


Escrita por: _SeaBlue_

Notas do Autor


O de sempre, fanfic Ereannie, espero que goste.

Capítulo 1 - Capítulo Único


P.O.V Eren





Saco

É isso que eu acho dessa sua situação, um saco.

O motivo de toda essa minha frustração? Ah, é só a minha namorada...ou melhor, o "acompanhante" da minha namorada.

Eu e a Annie já namoramos há uns dois meses, mas a gente não é de sair por aí espalhando nosso namoro. A gente acha brega aqueles casais que ficavam sempre postando fotos de mãos dadas, os apelidinhos, bom, ela mais que eu, mas fazer o que né? 

Sem falar que Annie é uma pessoa bastante reservada, e como essa é uma situação bastante nova para a gente, resolvemos deixar só entre nós mesmo.

E bom, pra mim estava tudo bem, eu me sinto confortável quando estou com Annie, até mesmo quando nós dois estamos só juntos, mas sem se falar ou se beijar, o silêncio é bastante confortável pra nós dois. 

Afinal, esse era o jeito dela, e eu compreendo isso, tanto que me adaptei rápido a isso e meio que aprendi a gostar.

Porém, numa situação dessas, eu gostaria muito que as pessoas soubessem que Annie era MINHA namorada.

Nós dois frequentamos uma academia de luta, onde Annie meio que era uma "veterana" por ali, já que ela já frequentava o local há mais tempo. Normalmente, eu e ela treinamos juntos, e isso meio que ficou tradicional entre a gente, um treinar com o outro, e o motivo de eu estar surtando hoje, foi quando eu vi outro cara pedindo para treinar com Annie.

No começo, eu achei que fosse ser uma coisa de cinco minutos, ela ia tirar a dúvida dele, e depois ia me chamar para eles treinar como sempre fazemos, mas o cara segurou Annie por todo o período de treino, e o meu sangue tá fervendo enquanto eu vejo um otário, que eu nunca vi na vida ser chutado por Annie. Escuta aqui, seu lutadorzinho de uma figa, eu não sei se você sabe, mas ela chuta as minhas canelas, antes de você sequer pensar em ser chutado por ela.

Além disso, eu posso jurar que esse cafajeste está dando em cima dela, agora eu tenho motivos para quebrar a cara desse otário, ele que me aguarde pela hora em que eu puder pegá-lo em um mano-a-mano.

O horário da academia acabou, eu vi algumas pessoas tomando água e indo embora, mas eu não vou ficar perdendo tempo aqui, tenho que tirar satisfação com Annie sobre algo.

Eu me dirigi ao local onde ela guardava os equipamentos de treino, e quando cheguei lá, adivinha quem estava com ela? É, aquele mesmo zé mané.

Eu, já sem paciência, me aproximei dos dois.

– Você! – Coloquei a mão no ombro do sujeito e o afastei bruscamente de perto de Annie – Saí!

– Ei! Eu tava falando com ela…

– É, você estava, mas agora o eu, o NAMORADO dela, vou falar com ela – Dei ênfase na palavra namorado – Some logo daqui!

Eu vi o sujeito se assustar e ir embora logo em seguida.

– Desde quando a gente se refere como namorado e namorada em público? – Perguntou Annie, que estava calada até agora – Quer usar apelidinhos carinhosos também?

– Não muda de assunto – Eu não estava com paciência para os deboches de Annie – Quem era aquele cara?

– Sei lá – Ela respondeu – Um cara que frequenta a academia.

– E por que tava treinando com ele? – Perguntei, ainda cheio de ciúmes.

– Bom, ele me pediu ajuda e eu ajudei – Annie respondeu indiferente.

– Ah, então quer dizer que você ajudou ele o treino inteiro? – Disse sarcástico.

– É, o cara tinha um monte de dúvidas – Annie cruzou os braços – Ele me segurou pelo período inteiro.

– Se com "segurar", você quer dizer, dar em cima da minha namorada pelo período inteiro, então sim, foi isso que ele fez – Annie levantou uma das sobrancelhas ao me ouvir.

– Sério Eren? – A loira perguntou, sarcástica – Tendo um ataque de ciúmes por causa disso?

– Se com "ataque de ciúmes", você quer dizer, se preocupar com a minha namorada, então sim, é isso que eu estou fazendo.

– Pare de repetir a mesma frase com palavras diferentes! – Annie disse, já ficando irritada com a situação – O que queria que eu fizesse? Mandasse ele ir pro caralho, igual você faz com Jean!?

– Não seria ruim – Respondi – Era só me chamar e eu faria isso por você.

– Está sendo ridículo.

– Você foi ridícula primeiro – Annie achava que Eren estava parecendo uma criança – Era pra você treinar comigo!

– A gente sempre treina junto! – Annie já estava ficando sem saco para aquilo

– Exatamente! – Exclamei – Era pra ser assim hoje também, mas aí você resolveu me trair!

– EU NÃO TRAÍ VOCÊ! – Ela gritou.

– MAS ESTAVA PENSANDO! – gritei de volta.

– VAI SE FODER, EREN!!! – Apontou o dedo do meio da minha cara.

– VAI VOCÊ!!! – Fiz o mesmo gesto na cara dela.

– VAI VOCÊ!!! – Logo depois de gritar, Annie socou com força a parede, fazendo um grande estrondo pelo local.

Eu me virei de costas, com medo de encarar Annie. Respirei fundo, ele não devia ter ido tão longe com aquela história de ciúmes.

Eu nesse curto espaço de tempo, já devo ter pensado em todos os jeitos de me desculpar, mas acho que vou acabar levando uma surra de qualquer jeito.

Vamos lá Eren, você consegue...Quer dizer, eu consigo. Vamos lá, é só a Annie, ela nem é tão assustadora...É, eu nem tomei o soco e já tô delirando.

Depois dessa minha "preparação mental", resolvi me virar para encará-la. Enquanto estava me virando, ao mesmo tempo rezava para que o soco não doesse tanto, mas pra minha sorte ele nunca veio.

Em troca disso, assim que me virei, fui surpreendido por um beijo de Annie. As mãos estavam nos meus ombros e ela provavelmente estava na ponta dos pés, vai por mim, eu sei como minha namorada beija, e eu, não sou idiota a ponto de não corresponder algo tão gostoso igual aos lábios de Annie Leonhardt.

Segurei sua cintura, colando mais nossos corpos e aprofundando o beijo. Aquele beijo continuou até a falta de ar se fazer presente, obrigando a gente se separar, mas continuamos com os rostos colados.

– Desculpa, eu não queria ter brigado – Annie se desculpou.

– Não, a culpa minha e do meu ciúme idiota.

– Não, eu devia ter percebido as intenções do cara e dispensado ele.

– Eu tava cego de ciúmes, a culpa foi minha.

– Se eu tivesse te chamado desde o começo, nada disso teria acontecido, me desculpa.

– Olha, se…

– Para de discutir comigo – Ela deu um leve tapinha no meu rosto.

– Sim senhora – Eu disse enquanto dava um sorrisinho.

– Bom garoto – ela fez um carinho no meu cabelo – Me ajuda a guardar as coisas, a gente continua em casa.

– Ok então – Observei ela se afastar – Mas se eu ver aquele canalha perto de você...










Notas Finais


Gostaram? Não gostaram? Tomara que tenham gostado.

Essa fic saiu de um completo improviso, mas acho que conseguir escrever algo legal e engraçado.

Até a próxima.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...