História Imagines Supernatural - Capítulo 43


Escrita por:

Postado
Categorias Supernatural
Personagens Castiel, Crowley, Dean Winchester, John Winchester, Lúcifer, Sam Winchester
Tags Castiel, Crowley, Dean Winchester, Ilusão, Imagines, Lucifer, Sam Winchester
Visualizações 89
Palavras 1.107
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fantasia, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Sobrenatural
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi amores, trago aqui mais um capítulo pedido pela _prfiromccartiney_ ( espero que esteja escrito corretamente) ela me pediu três, esse é o primeiro.
Obs: vai ter parte 2.

Boa leitura 😊

Capítulo 43 - I love you differently- J.


Fanfic / Fanfiction Imagines Supernatural - Capítulo 43 - I love you differently- J.

Leitora/Jack

Eu me sentia triste, vazia por dentro, tentava o máximo não demonstrar a minha tristeza, os meninos não poderiam saber de nada, tenho certeza que eles fariam alguma coisa para impedir, colocando suas vidas em risco, não podia colocá-los em risco.


Eu teria mais 3 dias antes que os cães do inferno viessem, eu pretendia aproveitar muito bem esses dias, não iria mais ficar triste, não iria mais me sentir vazia, queria passar esses 3 dias sorrindo, feliz com as pessoas que eu amo, sentiria falta deles, principalmente de Jack.


Eu havia me apaixonado pelo nefilim, seu jeito doce e inocente, tinha mexido comigo, e aquela caçadora rude e sem coração, foi mudando com o passar do tempo, me tornei uma pessoa melhor depois que Jack veio morar conosco, ele me ensinou que nem tudo estava perdido, que mesmo ele sendo gerado para destruir o universo, ele poderia sim, ser bom, ser diferente.


Ele havia nos surpreendido com sua força de vontade em nos deixar orgulhosos, e acabou que eu comecei a nutrir sentimentos por ele.


Já faz algum tempo que ele está conosco, eu não tinha contado o que sentia por ele, eu não me preocupava só de eu saber que o amava, já estava bom. Não esperava que ele sentisse o mesmo, os meus sentimentos já bastavam, seria até melhor se ele não sentisse nada por mim, seria menos doloroso.

(...)


Bati na porta do quarto em que Jack dormia, tinha tomado a decisão de pelo menos contar a ele o que iria acontecer, não que Sam e Dean não fossem importantes para mim, eles eram, mas nunca entenderiam.


Ouvi sua voz doce, dizendo para mim entrar, rodei a maçaneta da porta e coloquei somente minha cabeça para dentro, ele estava sentado em sua cama lendo um livro.


-Podemos conversar? - perguntei, costumava vir ao quarto dele, ficávamos conversando, ele me contava seus medos e sonhos, eu contava de minhas aventuras com Sam e Dean, hoje seria diferente.


-Claro - disse fechando seu livro e o colocando ao seu lado.


Sentei-me na cama a sua frente e o olhei, não sabia como ia começar, nunca havia contado aquela história a ninguém, já havia se passado dez anos.


- Veio me contar mais uma de suas histórias? - perguntou sorrindo,com um certo brilho nos olhos, ele sempre gostava quando contava a ele.


-Sim - falei tentando sorrir.


- E sobre o que é?


-Como eu entrei para a vida de caça - falei me aconchegando mais a sua cama - Meu pai era um ótimo caçador, ele começou a caçar mesmo antes de eu nascer, então ele sempre me ensinou a me defender, ele me levava em algumas caçadas com ele, era muito legal ver meu pai matando todos aqueles monstros, eu amava ver como ele era forte e habilidoso, queria ser igual ele quando crescesse…


-Tenho certeza que você é melhor ainda - ele falou sorrindo, acabei sorrindo junto com ele.


-Quando eu completei 17 anos, meu pai foi morto por um demônio em uma caçada, então eu fiquei sozinha, prometi vingar sua morte, então passei a caçar assim como ele, até que um dia qualquer eu encontrei o demônio que o matou, eu não consegui o matar, ele era forte, quase me matou, mas eu não desisti, o procurei por todos os lados, até encontrar Heitor…


-Quem é Heitor? - ele perguntou atento.


- Heitor foi o grande amor da minha vida, por ele eu parei, parei de andar de cidade em cidade, parei de ir a bares de estrada, parei de procurar o demônio, eu parei de caçar...  Nós nos casamos, e poucos anos depois eu descobri que estava grávida- meus olhos encheram-se de lágrimas - Seu nome era Alec, lembro-me até hoje seus olhinhos verdes, e como ele fazia bico quando não estava contente com algum coisa - sorri enquanto as lágrimas desciam - Quando ele completou sete anos, fizemos uma festa de aniversário para ele, seus olhinhos brilhavam ao ver todos os seus amiguinhos festejando seu aniversário. Heitor e eu tínhamos colocado ele pra dormir e fomos arrumar a bagunça da festa, até que ouvimos um grito, fomos correndo até o quarto apavorados, quando cheguei ao quarto, o mesmo demônio que matou meu pai estava lá, segurando meu menino pelo pescoço, naquela hora o ar me faltou, eu tentei fazer de tudo para que ele o soltasse, mas ele não o soltava, Heitor tentou lutar com ele, mas ele era mais forte, e quebrou seu pescoço com facilidade, ele o matou, o corpo de Heitor caiu morto no chão, o demônio olhou para mim sorrindo, ele pegou meu filho outra vez pelo pescoço, vi seu rostinho molhado por lágrimas, fui pra cima do demônio, mas ele me jogou contra a parede, eu havia ficado meio tonta, mas ainda pude ver o momento em que ele pegou o pescoço do meu filho e o virou, me lembro até hoje do olhinhos sem vida dele, lembro-me do barulho do osso de seu pescoço se quebrando.


-Essa não é uma história muito feliz - ele falou de cabeça baixa.


-Ela não acabou ainda.


-Não?- neguei com a cabeça.


- Eu não aguentei vê-los mortos, então eu fui até uma encruzilhada, e fiz um pacto - seus olhos se arregalaram.


- Você fez um pacto?


-Sim, o demônio com quem eu fiz o pacto trouxe Heitor e Alec de volta, hoje eles moram em Nebraska, Heitor é casado e Alec já tem 17 anos.


- E você? Porque você não está com eles?


-Eles não se lembram de mim - falei suspirando - É melhor assim.


- E você? Você vai morrer?


-É provável que depois de amanhã os cães do inferno venham- Jack se levantou apavorado.


-Não, como assim? Não podemos deixar você morrer, vamos pedir ajuda - ele falava andando de um lado para o outro no quarto com as mãos na cabeça.


Fui até ele e segurei suas mãos.


-Não, Jack, isso é segredo, somente você sabe disso, eu não quero que faça nada pra mim voltar, quando eu for, eu quero que fique aqui, eu quero que lute e mostre para todos os anjos e demônios que você pode fazer a coisa certa, prometa para mim.


-Eu…


-Jack, por favor, prometa!


- Eu… prometo - ele falou me abraçando, o ouvir soluçar - como eu vou viver sem você? Quem vai me fazer companhia? Quem vai me incentivar a continuar?


- Você tem Sam, Dean e Castiel,  eles vão te ajudar.


-Eu… eu te amo - ele fala choroso olhando para mim.


-Eu também te amo Jack.


-Não, eu te amo de uma forma diferente, eu não sei o que é isso, mas não é o mesmo amor que eu sinto por Castiel, é diferente.


- Eu também me sinto assim Jack, também te amo diferente.


Notas Finais


E aí? O que acharam? Comentem aí em baixo.
Segunda parte não sei quando vai sair, como minhas aulas começaram, eu vou ficar meio enrolada para postar,mas prometo postar sempre.
Beijos da Escritora que tem os melhores leitores de todos.
Desculpem os erros!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...