1. Spirit Fanfics >
  2. Keep Calm and Love me >
  3. Keep calm and I am here!

História Keep Calm and Love me - Capítulo 1



Notas do Autor


Agradecimentos:

À @beccaHatake pela capa principal; amei demais ♡
À Tassya pela betagem do capítulo; obrigada maninha! ♡
Ao Projeto Allhina, trazendo mais fics pra gente ler ♡

Boa leitura

Capítulo 1 - Keep calm and I am here!


Fanfic / Fanfiction Keep Calm and Love me - Capítulo 1 - Keep calm and I am here!


— Ai! - Hinata gritou sentindo a dor percorrer seu pé. — Maldita hora que resolvi trazer essa escrivaninha pro outro lado do quarto. 

Se jogou na cadeira de rodinhas e puxou o pé para o colo, esfregando o dedinho numa tentativa inútil de aliviar a dor. O notebook aberto, ecoou o som típico de uma chamada via Skype, a qual a fez abrir na hora a tela do site, assim como um sorriso em seu belo rosto. 

Fala aí, tampinha!

— Olha como fala comigo, seu Grande!

Hinata olhava para a tela com um sorriso enorme. Do outro lado dela, estava seu melhor amigo de infância Hidan Jashin. 

Hey, esse adjetivo não é mais um insulto válido, baby. - retrucou dando um sorriso convencido, deixando subentendido o duplo sentido. 

— Que horror, Hidan! - gritou indignada a morena, tentando esconder o constrangimento do teor sexual da conversa. 

Geralmente elas dizem "ai meu deus"... 

— Elas quem? Minha prima Samui ou o seu primo Suigetsu? - Hinata zombou rindo da cara emburrada que o amigo fez na hora. 

Me respeita... - soou ameaçador, mas isso não importava para Hinata. 

Hidan e Hinata cresceram juntos, na mesma região. Os Hyuga moravam há muitas gerações no Alaska e gostavam de se manter isolados e o vizinho mais próximo era a choupana de Hidan e sua família. Neji, Hinata, Samui, Hanabi e Suigetsu costumavam passar horas juntos, as vezes na propriedade dos Jashin mas a maioria das vezes na propriedade dos Hyuga. 

— Como esta sua mãe, baby? - Hinata perguntou gentilmente, mudando o assunto. Conhecia Hidan com a palma de sua mão e ele sempre tinha um tique quando as coisas não estavam bem. 

Internei ela. Essa semana foi corrida demais, desculpe não ter ligado antes. - deu de ombros, não querendo mais falar sobre aquele assunto. 

Hinata suspirou, a mãe de Hidan estava desolada pela perda do marido há um ano, devido a um câncer. Hidan tinha que ficar cuidando dela o tempo todo para que ela não tentasse suicídio, como já havia tentado outras vezes. A morena o olhou carinhosamente tentando passar força para que o amigo suportasse tudo da melhor forma possível. 

E você, como esta a faculdade? - Hidan iniciou mudando o foco do assunto, mas logo se arrependeu. 

— Faculdade só serve pra mostrar que somos ruins até no que achávamos ser bons... Mas pelo menos Naru me ajuda a estudar todos os dias... 

Hidan revirou os olhos na tela. O interminável monólogo sobre como o tal colega Naruto era incrível, inteligente, esforçado, lindo, fofo, e mais uma penca de adjetivos melosos o fazia querer vomitar. 

Tomara que esse garoto morra. - comentou mais que entediado. 

— Não fale assim, baby! 

Você só fala dessa ameba ai, vai lá com ele então!

— Você sabe que é a pessoa que mais amo no mundo todo né? - Hinata falou fazendo um biquinho adorável e querendo poder apertar as bochechas do amigo. 

Eu sei, sou incrível mas isso não diminui a insignificância dessa ameba laranja. 

Hinata riu do amigo e antes de falar outra coisa, a porta do seu quarto foi aberta e ela olhou a colega de quarto gritar com desgosto evidente, a chegada de um amigo da faculdade de Hinata. 

— Aquele arrogante Uchiha esta fuçando na nossa geladeira de novo Hina! Manda ele ir comprar a própria comida, ele parece que não tem casa, inferno!

Concordo com você, rosinha. - a voz de Hidan foi ouvida através do PC, e Hinata virou a tela para que Sakura o visse e lhe cumprimentasse adequadamente, o que ela fez, erguendo o dedo médio e mostrando para o Albino. 

— Não seja tão chata, Sakura-chan! 

— É, não seja Irritante, Haruno. O apartamento é da Hina. - Sasuke apareceu no campo de visão de todos com um pedaço de bolo nas mãos e o devorando sem cerimônia alguma. 

Hidan não gostava da forma folgada que Sasuke agia. O garoto simplesmente chegava na casa da sua amiga, comia, se espalhava no sofá, mudava o canal, como se fosse dono do lugar. Ele ergueu uma folha com algumas palavras rabiscadas, se recusava a trocar uma palavra com o moreno. 

— Adoro a forma como seu amigo expressa meus pensamentos, Hina. - Sakura falou ao ler o que Hidan mostrava na tela e saiu bufando do quarto da amiga, batendo no ombro do Uchiha, que estava atrapalhando sua passagem na porta do quarto. 

— É bom saber que continua há bons quilômetros de distância, Jashin. - Respondeu indiferente o moreno enquanto Hinata virava o computador para si e ver do que eles falavam. 

Ela nunca tinha visto o tal "cumprimento" que Hidan havia preparado para Sasuke. E nem Sakura nem o Uchiha comentavam com ela e isso era algo que a fazia morrer de curiosidade. Sempre via quando ele estava abaixando a folha mas nunca conseguia ler o que estava escrito ali. 

— Aff, não consegui ver de novo. 

Nem vai ver nunca, Tampinha

Sasuke se jogou na cama de Hinata enquanto ela estava na escrivaninha próxima a janela. Hidan conseguia ver o moreno todo esparramado em cima da bagunça que a Hyuga dizia ter uma cama por baixo. Aquilo deixou Hidan de mau humor. 

Aquele cara deveria ao menos arrumar essa zona que você chama de quarto, baby. 

— Só você fazia isso com seu maldito TOC por organização... 

Eu não tenho TOC, você que é bagunceira. 

— Não sou não, as roupas que não sabem que devem ficar no closet, não no quarto todo. 

Eles riram da ausência de lógica e desculpa esfarrapada de Hinata sobre sua desorganização. Sasuke pegou um sutiã da garota e jogou nela, ouvindo a conversa e se intrometendo. 

— Com certeza Hina, suas roupas te odeiam, veja estão querendo te agredir agora. - Hinata riu com a brincadeira do amigo e pegou uma camiseta que estava na escrivaninha e jogou na cara dele. 

— Elas odeiam todo mundo! Hahaha! 

— Ei, essa camiseta é minha senhorita!

Hidan observou a interação deles e desejou estar lá. Primeiramente para expulsar Sasuke do quarto, segundo para arrumar aquela zona e terceiro porque ele queria estar lá. Mas saber que havia roupas do cara no quarto da amiga o deixou irritado. 

Por isso desligou a chamada sem se despedir. 

Hinata virou para a tela e tentou retornar a chamada, achando que pudesse ter caído. Mas não obteve respostas. Não teve muito tempo para pensar naquilo pois Sasuke jogou um travesseiro em si e logo ela deixou de lado o pensamento e foi revidar o moreno que lhe importunava.


»●«


Hinata estava atolada de coisas para fazer aquela semana. Em dois dias seria o baile de Inverno da sua faculdade e ela era uma das lideres do comitê. 

Estava tudo perfeito, ela ficou com a parte da decoração e tentou trazer o clima que viveu nas festas regionais do Alasca as quais ia com Hidan na sua infância. Festas de celebração de abundância e prosperidade, de colheita e várias outras tradições únicas de sua terra natal. 

— Caramba Hina, isso vai parecer mágico sexta feira. 

Karin chegou ao seu lado abraçando a colega pelos ombros. A ruiva ficou responsável pelo buffet que, ao contrário da decoração, a comida ia ser bem simples para fácil digestão e custo reduzido, já que todos ali só iam pelo interesse na bebida e se divertir em casais. 

— Busquei inspiração nas Tradições do lugar que melhor representa o inverno que eu possa conhecer. - deu uma risada baixa e acompanhou a colega até os outros líderes que checavam a planilha com os últimos detalhes. 

— Deu muito certo. Sabe por que? Porque não poderia ter ninguém que pudesse fazer uma decoração tão fiel quanto uma autêntica nativa do Alasca. 

— Que susto Shino! - Karin quase gritou com a aproximação repentina do rapaz discreto. 

— Estava perto de vocês o tempo todo.

— Como se fosse um inseto bisbilhotando a conversa alheia... - Karin estreitou os olhos para o moreno. 

— Ei vocês dois, não briguem. - Hinata interviu em prol da boa convivência. Apesar que sabia que Shino era afim de Karin e a ruiva só fazia cu doce, pois às vezes confessava que o achava sexy com aquele jeitão dele. 

— Todo mundo sabe que este é um baile para os chatos e comportados, Sai. A verdadeira festa vai ser na minha casa! 

Ino estava na mesma função que Hinata e adorava tudo que tivesse a ver com festas. Chamou a atenção de todos no recinto ao falar com seu jeito escandaloso e animado. 

— Hina, nos perdoe, o baile vai ser lindo, mas eu estou mesmo animada é para sábado. - Karui que ajudou Karin no buffet falou descontraída e Hinata riu também. 

— Acho que a maioria de nós esta. - Hinata entrou na conversa. — O baile de Inverno é para poder convidar até mesmo os pais, então acredito que não seja animador para grande parte dos alunos. 

— Seus pais virão, Hina? - Sai perguntou direto. Sabia que era complicado uma viagem do Alasca para New York. 

— Não vão conseguir. Nem mesmo Neji poderá aparecer. - falou um pouco tristonha, pensando que não poderia matar a saudade de nenhum deles. 

— Hina, trate de mudar essa carinha porque este baile é seu, viu? — Ino falou autoritária e logo um sorriso malicioso sorriu em seu rosto. — Apesar dos pesares, todos sabemos que a senhorita estará muitíssimo bem acompanhada... 

— Parem com essas insinuações! - retrucou a morena ficando um pouco corada, mas rindo. 

— Querida, você vai estar acompanhada do meu irmão, até eu queria ter essa honra. 

Temari se pronunciou finalmente, levantando da mesa onde fazia as últimas anotações. Ela era a presidente do comitê organizacional da Faculdade e acompanhava de perto a organização de todos os eventos. 

— Gaara é o sonho de todas as garotas da faculdade - Sai falou em voz alta divagando sobre o fato. 

— Se a Temari que é irmã dele também queria ser acompanhante do Gaara, quem somos nós para resistir à um crush desse nível! 

Hinata riu da dramatização de Ino e logo já estavam saindo do salão onde ocorreria o tão falado evento. A Hyuga pegou o aparelho e verificou as mensagens, abrindo logo a conversa com Hidan. 


[16:20]Hidan: Pare de comer tanta besteira

[16:20]Hidan: Vou te confundir com um urso polar quando voltar nas férias 


Hinata riu e se despediu dos amigos. Nevava e ela queria chegar logo em casa para se enfiar em baixo das cobertas. Mas antes, entrou numa cafeteria ali perto e decidiu pedir um cappuccino e contar algo que ainda não havia comentado com o amigo. 

Sentou na cadeira e enquanto aguardava o pedido, retirou as luvas e pegou o aparelho no bolso. Havia acabado de abrir o aplicativo de mensagens e estava pensando em como contar ao amigo quando ele ficou online e logo estava digitando. 


[16:53]Hidan: Ta fazendo o q?

[16:53]Hina: Ia te responder agora

[16:53]Hina:Estava na faculdade vendo os detalhes do Baile de Inverno 

[16:54]Hidan: Esta animada? 

[16:54]Hina: Não muito. Estou com saudades de todo mundo e ninguém vai vir.

[16:54]Hina: Inclusive, preciso te contar uma coisa

[16:54]Hidan: Fala

[16:55]Hidan: Aconteceu alguma coisa?

[16:55]Hina: Nada demais. Só não vou pra casa nessas férias


Hinata se preparou mentalmente para a avalanche de indignação e questionamentos de Hidan. Já fazia 2 anos que ela estava estudando Design em New York e ela só conseguiu ir para o Alaska no primeiro recesso, depois se envolveu demais com eventos da Faculdade e o work on campus que a ajudava a ganhar uma grana para as coisas que sua bolsa não cobria. 


[17:02] Hidan: Tá 

[17:03] Hina: Desculpe mesmo

[17:03] Hina: Não fica chateado, por favor

[17:05] Hidan: Vou ter que sair agora 


E ficou offline. 

Nem dez minutos de conversa direito e ela já havia ficado arrasada. Sabia que o amigo não ia curtir a notícia, mas a reação dele foi tão seca ao que estava acostumada que se sentia a pior amiga do mundo. Seu cappuccino finalmente chegou e ela tentou afogar a culpa com uma generosa dose de glicose. 

— Moça, me trás meia dúzia de rosquinhas trufadas!


»●«


Após uma noite se enchendo de sorvete junto com Sakura - que havia brigado com o ficante - Hinata acordou toda dolorida pelo mau jeito de ter dormido no sofá. Sakura estava pior que ela, na poltrona e parecia até mesmo Anna, do filme Frozen. 

Hinata foi ao banheiro ignorando toda a bagunça do apartamento. Claro que elas não tomaram puro e ingênuo 2 litros de sorvete de flocos, a rosada havia tido a genial ideia de bater o doce junto com vodka. E todo mundo sabe o que acontece quando se toma sozinha 1 litro de vodka com meio pote de sorvete. 

A ressaca fazia sua cabeça explodir. Maldita hora que foi aceitar as ideias de Sakura. Hinata resolveu tomar um banho e ir fazer compras, já que os mantimentos estavam no fim e logo seria impossível andar por causa da neve. 

Quando saiu do banheiro, Sakura já havia levantado e recolhido metade da bagunça que deixaram, estava com uma cara terrível e o humor ainda pior. 

— Bom dia Saky... 

— O filho da puta do Itachi me paga, Hinata!

A morena olhou com medo para a amiga e ficou sem muita reação, parada atrás da poltrona enrolada na toalha do banho. Mal amanheceu e Sakura ainda estava puta com o tal ficante. O ponto era, Sakura se envolveu com Itachi em uma balada e se trombaram no dia seguinte na loja de souveniers que a Haruno trabalhava. Aparentemente, nem ter o chefe por perto impediu o fogo deles e desde então se comiam duas ou três vezes por semana. Estavam nisso há pouco mais de um mês quando, por coincidência se esbarraram no hall do apartamento de Hinata... com Itachi saindo do apartamento do amigo, colega de faculdade e vizinho das garotas, Sasuke Odioso Uchiha, como Sakura o chamava. 

Descobrir que eles eram irmãos fez Sakura ficar virada no Exu. 

— Calma amiga. Ele não tinha como saber que você além de vizinha, odeia o irmão dele. - Hinata tentou apaziguar a outra, mas a mesma continuava a recolher as coisas como uma maníaca frenética. 

— Foda-se Hinata! Que ele e todos os Uchihas da face da terra se explodam em mil pedaços e que sejam engolidos por um buraco negro e esquecidos na história! Bando de arrogantes, convencidos, filhos de uma puta! 

Ouviu o último xingamento ser proferido do quarto da rosada, para onde ela tinha ido durante seu discurso de ódio e bateu a porta com tanta força que parecia que as paredes do apartamento haviam tremido diante da sua força e fúria. 

— Eu acho que tenho que sumir daqui o dia todo, misericórdia... 

A morena falou consigo mesma e correu para se vestir e ir às compras. Esqueceu de carregar o celular mas o enfiou na bolsa junto do carregador, talvez ficasse no apartamento do lado aguardando Sakura ter um exorcismo por conta própria. 

Pouco tempo depois já havia saído do apartamento e foi em direção do mercado em que sempre comprava. A manhã passou voando e logo estava faminta por um bom almoço. 

Cheia de sacolas, Hinata foi de volta para seu apartamento, mas ao chegar no hall, ouviu o grito da Haruno mandando Itachi calar a boca seguido do som de vidro sendo espatifado na porta. 

Provavelmente o prédio todo ouviu. 

Hinata pensou por um segundo em Itachi, talvez devesse chamar a polícia, ou quem sabe o padre, talvez até mesmo ligar para o hospital psiquiátrico,  mas preferiu correr covardemente para o apartamento do amigo e se abrigar la. 

Por sorte a porta estava destrancada, mas logo Hinata tratou de passar todos os fechos na bendita. Que situação bizarra. 

— Ele está lá faz 2 horas. Acho que não tem mais copos ou xícaras. Prometo que depois compro o que a louca da Sakura tenha destruído no seu apartamento. 

Hinata deu um pulo com a voz de Sasuke, virando para encara-lo. Colocou as sacolas na mesa do apartamento e se aproximou do amigo, que estava sentado na divisória da cozinha americana. 

— Parece que eles estão se matando. 

— No começo parecia outra coisa. Mas agora virou uma guerra de quem conhece mais palavrões. - respondeu revirando os olhos. 

— Não deveríamos chamar a polícia? - Hinata disse apreensiva, com os braços cruzados sob os seios e uma das mãos tocando a nuca, em sinal de nervosismo. 

— O vizinho do prédio da frente ameaçou fazer isso e Sakura jogou um prato na janela do cara. 

Hinata ficou horrorizada. Céus, ela ia levar uma multa do síndico ou pior, ser expulsa. 

— Tentei te ligar mas você não atendeu. - Sasuke reiniciou, retomando a atenção de Hinata para si. 

— Estou sem bateria desde ontem. Vou colocar para carregar no seu quarto, posso? - a Hyuga respondeu escolhendo por ignorar os gritos do outro lado do corredor, pegando sua bolsa procurando o aparelho e se dirigindo para a porta mais a frente e a esquerda. — Alias, estou faminta tem algo para comer ai? 

Entrou no quarto masculino que era mais organizado que o seu mas com algumas coisas fora do lugar. Colocou o telefone para carregar e voltou para onde o amigo estava, olhando todas as sacolas em que havia suas compras. 

— Tem essas coisas aqui. - Sasuke respondeu sua pergunta como se fossem seus pertences. Hinata revirou os olhos e começou a tirar algumas coisas da sacola para preparar um almoço para eles. 

— Folgado, não se vive só de pizza!

— Sua comida é a melhor, Hina. Não ofereceria nada nem se tivesse, apenas para poder comer algo preparado por você. - respondeu de forma indiferente, mas com sinceridade. 

Hinata riu e não percebeu que Sasuke a ficava observando mais do que um amigo deveria, enquanto ela cozinhava para eles. 


»●«


Sasuke a distraiu bastante durante o almoço. Mas apesar de ter que ficado ocupada mais da metade do dia, sua cabeça e seu coração não esqueciam do amigo chateado. Deixou o moreno lavando a louça enquanto foi ao quarto dele, se jogando na cama macia e pegando o aparelho celular. Ligou o mesmo, que ainda estava carregando na tomada e um minuto depois foi conferir as mensagens.

Seu coração disparou em preocupação quando bateu o olho na tela cheia de notificações. 

Havia mensagens de Sasuke, algumas nos grupos e varias de Sakura, algumas de Gaara e Naruto, mas ela nunca havia visto tantas ligações perdidas. 

Das 32 chamadas no aplicativo, 2 eram de Sasuke, 3 de Sakura e 27 de Hidan. Não haviam mensagens no contato dele, apenas inúmeras chamadas perdidas, assim como haviam também chamadas dele no seu chip. 

— Meu Deus, meu Deus, meu Deus... 

Foi tomada por nervosismo e aflição. Tirou bruscamente o carregador do celular e começou a andar de um lado pro outro, enquanto ligava para o amigo e escutava chamar. Mas nada dele atender. 

— Caramba Hidan, atende! 

Sua voz estava uma oitava mais alta, se sentia quase em pânico. Mandou uma mensagem ao cair da quarta chamada. Ele recebeu mas não estava online, a deixando cada vez pior. Deveria ter carregado o celular, foi irresponsável e justo quando ele precisou dela, Hinata não pode estar lá. 

— Hina!

Assustou com a voz alta de Sasuke. Ele parecia preocupado, encontrou a amiga sussurrando o nome de Hidan e se auto depreciando enquanto apertava o celular com as mãos pequenas e andava que nem uma maluca em seu quarto. 

— Te chamei quatro vezes. Esta tudo bem? - tentou soar gentil, ao mesmo tempo que acabou a repreendendo. 

— Não Sasuke. Hidan não me atende, tinha um monte de chamadas dele, e se aconteceu alguma coisa com ele? E se for com a mãe dele? Meu Deus, a última vez faz tão pouco tempo! Eu preciso falar com ele mas Hidan não esta me atendendo, me dá seu celular...- falou já indo em cima dele para pegar o aparelho, mas Sasuke a parou, a olhando preocupado. 

— Se acalma Hina. Se for algo grave, ele pode estar não podendo te atender. - disse lógico encarando os olhos já marejados da amiga. Esse Hidan era um cara de sorte mesmo. 

— Preciso ir pra casa. - Hinata respondeu se desvincilhando de Sasuke e limpando uma lágrima que escorreu teimosa pelo seu olho esquerdo. 

Durante o preparo e apreciação do almoço, Sakura e Itachi haviam sido levados para a delegacia, já que os vizinhos não aguentavam mais. Algum ser muito sensato chamou as autoridades e ambos foram levados e gerado um boletim de ocorrência. Como nem Hinata e nem Sasuke queriam dor de cabeça, fingiram não ter ninguém em casa quando a polícia bateu na porta do apartamento. 

Hinata passou voando pela porta do quarto, deixando Sasuke para trás. Seu coração estava apertado, tornou a apertar o botão para chamada, que se foda se Sasuke tinha razão, ela precisava saber se Hidan estava bem. 

Saiu do apartamento do amigo e entrou no seu próprio. Estava tão aflita que não viu a bagunça que o lugar estava, havia sangue na beirada do balcão e uma mala. A chamada caiu novamente, e ela praguejou. 

— Merda Hidan, só quero saber se estáa bem, que saco! Responde... 

Fez outra chamada, agora pelo Chip. Ia se sentar no sofá, mas estava cheio de cacos de vidro, então foi em direção à seu quarto, onde pode ouvir uma melodia que vinha do outro lado da porta, a voz de Paul Laone cantando Baby, I'm perfect to you.

Abriu a porta segurando o celular no ouvido e se deparou com um albino dobrando suas roupas enquanto seu celular tocava despreocupadamente sobre sua escrivaninha. 

Hidan virou o olhar para sua garota favorita. Sorriu de lado e deixou a camiseta na cama, Hinata parecia travada no lugar a ponto de chorar. Abriu os braços e ela voou ao seu encontro, o abraçando como se ele fosse desaparecer à qualquer momento.

— Achei que era só seu quarto que estivesse uma zona, mas já vi que vou ser feito de faxineira. - falou a segurando contra si, afundando o rosto nos cabelos índigos que sentiu tanta falta. 

— Seu idiota! - O grito de Hinata foi sufocado em seu peitoral, mas ele podia perceber o tom emocionado, só não sabia se era uma emoção boa ou ruim. — Porque não avisou que vinha? Estava achando que tinha morrido!

Hidan sentiu o aperto do abraço ficar mais intenso. A camisa estava úmida, mas ele sabia que essas lágrimas iam acabar logo. 

—Eu até tentei, queria que fosse me buscar no aeroporto, mas você não atendia nem com macumba. -Respondeu bem humorado, a afastando um pouco para a olhar nas íris violeta. — Fiquei perdido por mais de 2h nessa maldita cidade e não conseguia um táxi sequer. Pra ajudar, quando cheguei aqui sua amiga estava prestes a cometer um homicídio. Tive que lidar com a polícia enquanto a senhorita tinha tomado chá de sumiço. - terminou o relato e pode ver um lindo sorriso nos lábios de Hinata. 

— Estava me escondendo do furacão Sakura. 

— Serio, aquela garota não deveria ficar solta na sociedade, muito menos morar aqui com você. É praticamente dormir com o assassino. 

— Já dormi com você, então não é tão diferente assim. - Hinata falou e gargalhou com nostalgia. Quando pequenos, Hidan sempre a chamava para dormir com ele nas noites gélidas. 

— Vamos matar saudade desses momentos então, faz dois anos que não posso fazer isso... 

Os olhos de Hinata se arregalaram pois o primeiro pensamento que teve foi de uma memória já muito esquecida, quase enterrada. Hidan a segurou pela cintura e a jogou na cama arrumada, já que ele já havia dobrado todas as roupas e colocado na cadeira,  ficou por cima da garota que sentia o coração palpitar a mil. 

Então as mãos dele a tocaram, da mesma forma sádica e tortuosa que ele adorava fazer com ela, apertando nos pontos certos a fazendo gritar... por causa das cócegas. 

— PARA, HIDAN! - Dizia em meio aos risos, sentindo a barriga doer e tentando de alguma forma se livrar do peso do maior. 

— Implore misericórdia, Hyuga! - falou de forma cruel como se fosse o vilão de algum desenho animado. Só faltava a gargalhada fatal. — HAHAHA!

Naaa, não faltava nada. 

E realmente, naquele momento não faltava nada para Hinata e Hidan. 

— Por favor baby, chega, eu não aguento mais! - tentou mais uma vez chorando de tanto rir. 

— O que você não me pede chorando que eu não faça sorrindo? - respondeu parando as cócegas e segurando os braços estabanados de Hinata que ainda tentava acerta-lo. 

Segurou ambos os pulsos da garota acima da cabeça dela e observou seu rosto corado e um sorriso que parecia que nunca sairia dali. Hinata sempre foi linda, mas ela parecia ainda mais a vendo assim, tão bagunçada, tão ela. 

Hidan a encarava divertido, ela odiava aquele sorriso cafajeste dele. O brilho perigoso no olhar, os fios grisalhos caindo de seu comum penteado politicamente correto. Hinata viu o olhar dele fixar em seus lábios e sentiu necessidade de umidece-los. Hidan parecia mais perto e Hinata parecia não ligar para a proximidade perigosa. 

Afinal era isso que ela tanto gostava nele. 

— Cof cof, vou ter que ter uma crise de pneumonia para me notarem aqui? 

Hinata saiu do transe que ficou por segundos e empurrou Hidan, mas ele não se moveu um centímetro. Pode ver o olhar mortal de Hidan para Sasuke, parado na porta do quarto. 

— Nem pense nisso Hidan, você já mandou um Uchiha para a delegacia, não vai mandar o outro! - Hinata tentou soar brava mas apenas divertiu o albino. 

— Que isso baby, eu queria mandar ele direto para um necrotério, isso sim. 

— Como se fosse capaz... - Sasuke provocou. 

— Parem vocês dois! 

Hinata empurrou Hidan e dessa vez ele a deixou se levantar. Hidan se colocou de pé assim como a amiga, que foi logo empurrando o Uchiha para fora do apartamento.

— É assim que me trata Hina, esta me trocando por essa bituca de cigarro? - Sasuke se deixou ser expulso da casa de Hinata. 

— Parem de bobagens. Não vou trocar ninguém por ninguém, mas falo com você depois, Sasuke. 

O moreno olhou para a Hyuga e sabia que ela era sincera. Mas ao olhar para trás dela viu Hidan movendo os lábios, sem som algum, mas ele dizia o mesmo recado que mostrava toda vez que Hinata estava em chamada com ele. 

"Ela é minha"

E dessa vez Sasuke não poderia sequer retrucar que ele estava há quilômetros, pois agora ele estava mais perto do que ele. 

Muito provavelmente, Hidan sempre esteve. 


»●«


Após Hidan fazer Hinata o ajudar a limpar o apartamento, a morena se jogou no sofá que haviam aspirado. Estava morta. 

— Eu te odeio Hidan... 

— De nada por ter colocado em ordem seu lar, doce lar. - respondeu se jogando ao lado da morena, erguendo as pernas dela e as colocando sobre seu colo. 

— Estou faminta. Vai cozinhar pra gente? - falou manhosa, já era noite. 

— Aham. Vou cozinhar o número de uma pizzaria. Nem fodendo que vou mexer com comida hoje. - respondeu mexendo no celular pronto para pedir um Ifood. 

— Beleza... vou tomar um banho enquanto isso. -informou já se levantando e tocando a perna de Hidan para se levantar. 

— Vai lá, baby. - deu de ombros sem tirar os olhos do aparelho eletrônico. 

Hinata e Hidan tinham muita intimidade, as vezes pareciam que moravam juntos de tanto entrosamento. Hinata foi pro banho e tirou toda a canseira do corpo, logo dando vez para o amigo o fazer. Colocou uma camiseta de Hidan e uma calcinha, nunca teve vergonha do amigo. Saiu do quarto e ligou a TV na Netflix, colocou Lúcifer e olhou o celular. 

Viu algumas mensagens de Sakura e Naruto. Sakura estava bem, ela ia para casa no dia seguinte apenas. Naruto falava sobre um assunto aleatório, e antes de bloquear recebeu uma mensagem de Gaara. 


[21:15] Gaara: Oi Hina

Tudo bem para o baile amanhã?

[21:15] Hina: Oi Gaara, tudo bem sim

[21:15] Hina: Desculpe não ter respondido antes, tive uns imprevistos 

[21:16] Gaara: Tudo bem. Senti sua falta hj 

[21:16] Hina: Também senti a sua. Mas amanhã a gente se vê ♡

[21:17] Gaara: Estou realmente louco para isso

[21:17] Gaara: Na verdade, estou louco por você


Hinata ficou olhando a mensagem que se repetia em um looping em sua mente. Gaara era discreto mas não deixava de ser intenso e demonstrava isso cada vez que tinha oportunidade.


[21:18] Hina: Vc me deixa tímida assim >///<

[21:18] Gaara: Bom saber que mexo com vc tanto quanto mexe cmg.


— Por que tá sorrindo que nem idiota? - Hidan perguntou ao sair do banheiro. 

— Não é nada... - tentou desconversar, mas o rubor em sua face a entregou para Hidan, que estreitou os olhos. 

— Agora esta mentindo para mim, senhorita Hyuga? Achei que fosse mais importante para você... - falou acusatório e dramático, fazendo a amiga revirar os olhos. 

— Para de drama, Hidan! Você é a pessoa mais importante pra mim. - respondeu fazendo um coração com as mãos e piscando para ele. Logo Hidan se senta no sofá ao lado da morena, cruzando os braços sob o peitoral desnudo, já que vestia apenas uma bermuda moletom. 

— Sou é? Que bom, porque viajei de longe só pra ir nesse baile idiota com você. Não aguentava mais você falando disso por um mês e chorando por seus pais não poderem vir. - disse com casualidade, mas um sorriso convencido no rosto.

Hinata piscou surpresa, inicialmente magoada com a escolha de palavras do amigo, mas em seguida confusa, pois as ações dele eram muito mais significativas do que o discurso. Ele era incrível e estava ali por ela. Então o seu celular apitou e vibrou, a tela acendendo e a imagem de Gaara apareceu por 2 segundos de chamada. 

— Quem é esse cara? - a voz de Hidan foi seca, seu olhar encarando o aparelho assim como ela.

— Então... é o Gaara. Meu par do baile. 

Resolveu soltar de uma vez com um sorriso sem graça, como se pedisse desculpas. O olhar de Hidan era impenetrável, queria saber o que ele estava pensando. Pegou o celular e desbloqueou, lendo rapidamente a mensagem de Gaara. 


[21:28] Gaara: Desculpe, fui admirar sua foto e liguei sem querer 

[21:28] Gaara: Não canso de olhar pra você 

[21:28] Hina: >//////<


Ficou sem palavras para as investidas do ruivo, então mandou o emoji envergonhado e bloqueou a tela novamente. Estava constrangida pelo ruivo, constrangida por Hidan, que permanecia mudo, encarando a TV e ela desejava que pudesse bloquear o amigo e o colocar no meio de suas coxas, como fez com o celular. 

Isso soou mais constrangedor ainda ao imaginar a cena. 

Graças a Kami, a campainha soou interrompendo sua nada saudável linha de raciocínio e ela saltou do sofá, praticamente fugindo do amigo como se ele fosse a julgar pelos pensamentos nada convencionais que ela tivera. 

— Deve ser a pizza, vou atender. - correu para a porta indo buscar o jantar deles. 

Hidan permaneceu calado no sofá encarando a mesa de centro. Puta que pariu, ela não tinha comentado que teria um par. Ele estava fazendo papel de otário. Deveria parecer um desesperado para a amiga. Ela estava com pena dele? Ele não precisava disso, era Hidan Jashin, ele não precisava da pena de ninguém. Se ela já tinha par, que mal havia nisso? Foda-se, ela era bonita, inteligente, cheirosa, gostosa pra caralho... Porra, fazia algum tempo que havia enterrado pensamentos desse tipo sobre a amiga. Ergueu o olhar, virando o corpo para trás e viu ela levar a pizza para a mesa e procurar os pratos, ela atendeu o entregador com aquela camiseta velha e calcinha? 

Aliás, ele reconhecia aquela camiseta. 

Que o inferno desse forças para ele, pois o único pensamento que vinha era de joga-lá naquela mesa, rasgar aquele pedaço de pano para usá-lo de algemas e mordaça e devorar cada pedaço de Hinata. 

— Vai ficar olhando a pizza até quando? Vou comer tudo sozinha se demorar muito hein! - Hinata interrompeu seus pensamentos insanos e ele recuperou a postura. 

Eram amigos, que bobagem. Nunca aconteceu nada entre eles, exceto aquela vez, mas aquilo foi esquecido e enterrado por ambos. Nada nem ninguém iria mudar a relação que tinham e isso incluía eles mesmos. 

— Você é pequena mas come como um pedreiro. - falou se levantando, tentando disfarçar o volume na bermuda. 

— Estou morta de fome depois de ter me feito de escrava. - deu de ombros pegando a coca e servindo um copo para o amigo. — Desculpe não ter comentado do Gaara. Você já surta com Naruto e Sasuke, e olha que nem rola nada com eles!

— Então quer dizer que rola algo com esse cara? - o bom é que agora os pensamentos do albino deixaram de ser eróticos para se tornarem homicidas. 

— Ele é diferente, Hidan. Gosto mesmo dele. - a voz de Hinata saiu baixa, como se quisesse que o amigo aprovasse o tal Gaara. 

Hidan ficou em silêncio, comeu um pedaço de pizza e tomou o copo de coca. Se recostou na cadeira, pensando no que diria. Hinata geralmente era sincera consigo, mas não ter contado antes sobre esse cara meio que feriu os sentimentos do albino. Mas ele não podia culpa-la totalmente, já que costumava desaprovar qualquer homem que ousasse colocar em perigo sua amizade com a morena. 

Sabia bem como as pessoas que diziam te amar podiam trocar você por novos amores. 

— Acho que só perdi uma viagem, já que vim só pra você não se sentir sozinha. - finalmente falou, deixando transparecer sua mágoa. 

Jamais, baby. - a atenção de Hinata estava toda nele agora. Os olhos lilases focados no albino, ela se inclinou e segurou a mão esquerda dele sobre a mesa. — Você estar aqui me faz sentir em casa. Obrigada por ter vindo. De verdade. 

Ele apertou a mão dela e logo moveram as mesmas e entrelaçaram os dedos. Sorriram um para o outro com sinceridade, sabendo que aquele momento era real

— Tem catupiry na sua cara. - Hidan falou primeiro.

— Onde? - Hinata se ajeitou de volta na cadeira limpando as bochechas com um guardanapo. 

— Aqui, tampinha. - Então passou o próprio dedo sobre a pizza e lambuzou o nariz da amiga, fazendo os dois rirem. 

— Seu idiota! Haha! - Hinata limpou o local sujo enquanto o amigo lambia o próprio dedo. — Sábado vai ter uma festa, bem mais badalada que o baile. Você vai me levar, combinado? 

— Já que está desesperada por minha companhia, aceito devido sua insistência. - respondeu sorrindo de lado e piscando para Hinata, que revirou os olhos. 

— Obrigada por sua nobreza. Em troca vou arrumar um par para você no baile amanhã. 

— Não sendo uma louca sociopata desequilibrada igual a Sakura, eu faço essa caridade também. 

— Você não toma jeito! - Hinata riu e socou Hidan. 

— Se for alguma bebida, acho que já tomei sim. 

Eles eram bons amigos e sempre seriam. Ninguém ficaria entre uma amizade sólida e real como a que eles tinham. 

Mas tudo que é impenetrável por coisas externas, pode ser destruído... se as dúvidas começam dentro. E Hidan se perguntava se podia continuar tão perto e tão longe de Hinata. 


»●«


Após se encherem de pizza e coca cola, ficaram assistindo Lúcifer até dormirem no sofá. Hidan acordou primeiro, já que tinha um sono mais leve que o da morena, que estava com a cabeça sobre suas pernas. A levou até o quarto, onde se deitou com ela, exausto e dolorido demais para voltar pro sofá. 

Quando Hinata acordou sentia o calor de Hidan a envolver. Corou até os cabelos mas estavam apenas dormindo tranquilamente, na verdade era ela quem estava abraçando o amigo. Por final deu aquilo por esquecido, já que levantou correndo ao ver que estava atrasada. 

Sexta feira corrida, Hinata foi para a faculdade terminar os detalhes para o baile a noite. Hidan ficou no apartamento e logo Sakura chegou, contando tudo que havia acontecido no dia anterior. 

Transou com Itachi, brigou, se cortou quando foi recolher os cacos, ele foi ajudá-la e acabou se cortando também. Voltaram a se pegar, sexo selvagem e somado ao sangue na mão de ambos, quando Hidan chegou, parecia que a rosada estava estrangulando o cara e havia uma faca por perto. Tudo muito mal interpretado mas resolvido na delegacia. O boletim foi feito pelo vizinho enxerido que Sakura atacou jogando um prato, pois alegou que ele havia tirado "o pinto flácido e murcho com o intuito de  converte-la para o lesbianismo".

Ainda desconfiado da garota, preferiu ficar mais na sua durante o dia. Fez almoço e Hinata apareceu apenas às quatro da tarde. 

— Cheguei! - ouviu a voz da amiga na cozinha. 

— Hey baby, como está? - respondeu Hidan, caminhando ao encontro da amiga e a abraçando. Adorava ter ela ali, pertinho dele. 

— Exausta. Mas tenho ótimas notícias! - disse erguendo a cabeça para olhar o amigo, apoiando o queixo no peitoral de Hidan, que deu um olhar dizendo pra ela prosseguir. — Está tudo pronto para o baile e consegui uma ótima acompanhante para você! É uma veterana, sabia? 

— Uau, mas eu ainda preferia você. - brincou sorrindo e a puxou para uma valsa imaginária, adorando a risada que escapou dos lábios rosados de Hinata. — Sou um gentleman, veja as habilidades que estará perdendo!

Segurou uma das mãos de Hinata e a rodopiou, a garota sorria e se sentia leve como há muito tempo não sentia. Logo Hidan a puxou de volta e Hinata colocou uma das mãos na nuca do rapaz. O tempo pareceu desacelerar enquanto olhava aquelas íris em tom rosa, tão brilhantes e perigosas. 

— Hinata! Que demora, preciso de ajuda aqui! - Sakura surgiu quebrando o transe da morena e a fazendo se afastar do amigo, suas mãos tremiam e ela suava exageradamente. 

— Saky! Desculpe, mas preciso me arrumar para o baile. 

— Ah, tinha esquecido disso. Seu amigo também vai? 

— Meu nome é Hidan e eu estou aqui, cabelo de Milkshake. 

Sakura continuou ignorando o rapaz e encarando Hinata que apenas deixou os ombros caírem e acenou com a cabeça. Sakura era uma garota complicada. 

— Vou sair com Itachi, então não me esperem. - falou voltando para seu quarto, não dando tempo para Hinata retrucar. 

Hidan trocou olhares com Hinata, e eles riram, dizendo com os olhos "Doida". 

— Vou tomar um banho, depois você vai e se arruma no meu quarto. Beleza? - Hinata mudou de assunto remexendo em sua bolsa. 

— Tranquilo. Mas poderia me passar o contato do meu par? Não quero que pareça um encontro às cegas. 

— Não vai parecer. - Hinata riu enquanto olhava a tela do celular e já enviava o contato da amiga para Hidan. — Temari é irmã do Gaara, mas ela tem um ficante que não toma atitude. Então resolveu que vai com você pra ver se o cara faz algo a respeito. 

— Ta dizendo que to sendo usado pra provocar ciúme? - disse indignado com a história. Pior ainda era saber que ele ia com a irmã do par de Hinata. 

— Tô dizendo que você não vai ter que impressionar ela, tonto. 

— Na verdade tá parecendo que você quem não quer que eu conquiste uma de suas amigas. - Hidan disse sem pensar muito, olhando o próprio celular e vendo a foto da tal Temari, já enviando uma mensagem para ela. 

Hinata ficou muda, pois dentro de si, notou que realmente não queria Hidan engolindo uma de suas amigas. Temari era território neutro e mais que seguro, então ela foi perfeita para quebrar esse galho. A morena deu as costas pro amigo, fingindo que não havia ouvido o que ele disse e foi para o banheiro.

Hidan trocou algumas mensagens com Temari, ela era legal e bem decidida. Logo foi para seu banho e quando saiu enrolado na toalha, viu Hinata da mesma forma, apenas de toalha e segurando o secador de cabelos na mão. Sua boca secou imediatamente e parecia que ainda estava dentro do cubículo cheio de vapor. 

Hinata ia ajeitar seu cabelo no banheiro enquanto o amigo se vestia em seu quarto, contudo ver o albino apenas com uma toalha na cintura e o tronco ainda úmido, a fez se arrepender de não ter colocado qualquer roupa. O cabelo dele pingando e o olhar sobre si a deixou em ponto de combustão. Assistiu aquele pedaço de mal caminho se aproximar sorrateiramente de si. 

— Você lembra quando veio para Nova Iorque? - a voz de Hidan estava no tom de um sussurro rouco e tentador. 

Hinata se lembrava sim. Se lembrava perfeitamente daquele momento, um que ela queria que se repetisse agora. Acenou com a cabeça encarando os lábios do amigo, sentindo o coração disparar. A mão de Hidan subiu por sua costa e afrouxou a toalha ao redor de si, mas não o suficiente para que caísse, a outra mão a puxou para perto e Hinata sentiu uma protuberância em seu ventre. 

Céus, eles estavam perto demais. 

Então o celular de Hinata tocou, e ela se deu conta do que estava fazendo. Tremendo se afastou de Hidan, pegou o aparelho e olhou a tela, vendo a foto de Gaara, logo deslizou para atender e correu para o banheiro, se trancando lá. 

Hidan suspirou sem saber bem o que fazer. Estava passando dos limites com Hinata, eles eram amigos e não era isso que amigos faziam. Balançou a cabeça e tentou esquecer o ocorrido, iria para o baile se divertir.

Passou o tempo e Hidan estava na sala, vestido com jeans escuros, uma camisa negra sem gravata e um blazer por cima. Não usaria smoking nem que lhe pagassem. Hinata passou por si umas duas vezes indo e vindo do banheiro e fazia 30 minutos que aguardava ela ficar pronta. 

Atrasos faziam Hidan esquecer qualquer coisa no mundo e lembrar apenas da falta de pontualidade da pessoa. 

A campainha soou e ele se viu obrigado a ir atender. Abriu a porta e pode ver Temari em um vestido verde escuro de cetim, um sobretudo negro por cima e um sorriso pintado de escarlate. 

— Muito prazer em conhecê-lo, Jashin. - iniciou sarcástica, o que fez o Albino sorrir de lado também.

— Nem tivemos tempo das preliminares ainda, querida! 

— Haha, engraçadinho. - Não deu bola para ele, logo entrando e indo se servir de vinho. — Gaara está terminando de estacionar. Vamos todos juntos. Cadê a Hina?

— Baby, a loira furacão chegou! - gritou indo de volta para o sofá, dando tanta importância para a loira quanto ela lhe dera. 

— Conversaram por 1 hora e você já deu um apelido pra ela, Hidan? - Hinata saiu do quarto rindo, com toda sua graça e virtude. 

Hidan encarou a amiga dos pés a cabeça, encantado com o quão graciosa ela estava. O vestido era perolado, de cetim. Fechado na frente e totalmente descoberto nas costas. Ela parecia uma deusa, não precisavam jóias para adornar pois sua beleza era mais que suficiente. 

— Você tá... - Hidan tentou falar mas a voz sumiu no final. 

— Esplêndida. - a frase foi completada por uma segunda voz masculina, de tom grave e firme. 

O olhar de Hinata que estava sobre Hidan foi para o homem na porta, que a observava com adoração. 

— Gaara... 

Hidan ficou de mau humor imediatamente. O sorriso que viu Hinata dar para o cara atrás de si foi um dos mais lindos que já viu nela. Suspirou derrotado com um único pensamento: 

A noite ia ser um porre. 


»●«


O baile estava lindo, a decoração era perfeita. As músicas não eram muito animadas mas também não eram muito paradas. Hidan estava sentado de qualquer jeito na mesa reservada para eles, bebendo do ponche batizado.

De onde estava podia ver Hinata sorrindo e se divertindo com aquele ruivo metido a badboy. Nas músicas agitadas ele ficava atrás dela enquanto Hinata se soltava e rebolava sensualmente. Nas músicas lentas ele sussurrava no ouvido dela. 

Hidan estava confuso. Estava com raiva, triste e seu lado racional dizia que ele deveria ficar feliz pela amiga, mas seu lado possessivo gritava que era ele quem deveria estar lá. 

Não do jeito romântico, mas sim como um cara que veio para ser par de uma amiga amada. 

Sim, ele estava se irritando à toa. Olhou ao redor e começou a reparar em outras garotas, logo uma delas notou seu olhar e veio se sentar próximo a ele. 

— Oi, nunca te vi por aqui. Como se chama? - falou inclinando o corpo para oferecer mais da vista de seu decote. 

— Não sou daqui. - disse olhando para a moça. Desviou o olhar para Hinata novamente e a pegou olhando para si. Sorriu e voltou sua atenção de forma mais dedicada a generosa garota do decote em "V". Afinal, ele veio para se divertir no baile também. — Me chamo Hidan, e você? 


»●«


Hinata olhou novamente para Hidan. Estava bem claro o flerte descarado dele e de Shion. Gaara havia a deixado para buscar água então ela quis verificar se estava tudo bem com o amigo, mas viu que ele já estava acompanhado. 

Quando eles trocaram olhares, Hinata viu deboche nas íris de Hidan. Ele queria a provocar. Depois do que quase compartilharam no apartamento, como ele podia estar tão próximo da puta da Shion? Tava na cara o que aquela vadia queria. 

— Hina, aqui esta a água. - Gaara falou tocando a base de suas costas com a ponta dos dedos e colocando o copo vedado a sua frente. 

— Obrigada Gaara. - sorriu para o ruivo pegando o copo e o abrindo. 

Gaara estava sendo perfeito a noite toda com ela. Nunca se sentiu mais desejada e bonita do que com ele. Hidan não ia estragar seu humor com aquela provocação idiota. 

— Está quente aqui. Preciso de ar, você acabou comigo me fazendo dançar 1 hora seguida. - Gaara falou brincalhão e Hinata riu enlaçando o braço no dele. 

— Claro, vamos sim. 

Eles foram juntos até o terraço do salão de eventos, havia uma mesa de ferro com duas cadeiras ali, mas eles preferiram ficar em pé.  Hinata respirou fundo o ar gélido daquela noite e seus pelos se arrepiaram pela brisa de inverno que passou por eles. 

— Já te disse o quanto esta linda esta noite? - Gaara falou rodeando os ombros de Hinata com seu braço.  

— Já sim, umas cinco vezes, eu acho. - retrucou como se ainda não acreditasse que ele estava dizendo aquilo de novo. 

— Eu diria isso todas as noites para você. 

Hinata o encarou sem palavras. Sentiu Gaara se aproximar de seu rosto como estavam fazendo por vezes nas danças lentas, mas dessa vez ele não desviou, Gaara beijou seus lábios. Um selinho lento sem más intenções, apenas... carinho. 

Ele se afastou a observando piscar várias vezes antes de o segurar pela camisa o mantendo próximo. 

— Por que eu? O que você viu em mim que fez você, o cara mais cobiçado da Universidade estar comigo num baile idiota? - Hinata perguntou de uma vez, parecia angustiada com a resposta. 

— Porque você é Hyuga Hinata e nunca encontrei alguém tão especial, tão inteligente, leal e apaixonante como você. Eu não podia simplesmente não tentar algo com alguém tão único. - Gaara respondeu calmamente, colocando uma mexa do cabelo dela para trás. — Não quero e não vou te deixar escapar, não há ninguém no mundo como você. 

Hinata nunca havia recebido uma declaração mas aquela parecia perfeita. Gaara era transparente, deixava explícito o que sentia e o que queria, ela não precisava ficar tentando desvendar ele como era com Hidan. 

Porque ela pensou nele nesse momento? 

Hidan que se fodesse com Shion e pegasse Clamídia. Hinata tinha Gaara, um cara lindo, sexy e que gostava dela, mesmo ela sendo a boba e substituível Hyuga. 

— Você gosta mesmo de mim, Gaara? - a insegurança no seu peito era esmagadora. 

Gaara a encarou com um brilho nos olhos e um sorriso miúdo nos lábios. Se aproximou e beijou a testa de Hinata, descendo pelo rosto dela selando as têmporas, uma de cada vez e então o canto dos olhos, onde haviam lágrimas acumuladas . 

— Eu não só gosto de você, Hina. Eu estou apaixonado por você, Hime

Gaara beijou Hinata novamente, dessa vez com toda paixão que tinha dentro de si. Tomou os lábios da garota e aprofundou o beijo, envolvendo suas línguas, suspirando de prazer ao ser retribuído em igual escala. 

Hinata se entregou àquele beijo, buscando desesperadamente apagar os resquícios de um outro, que atormentava sua mente. 

Um beijo mais ardente, forte e inescrupuloso. 

O beijo de Hidan. 


»●« 


Quando o baile acabou, Hidan estava alterado o suficiente para ter quase feito algo indecente com a loira que em algum momento ele desejou que fosse Hinata. 

Temari foi quem o colocou na linha novamente e logo voltaram no carro para o apartamento de Hinata, dessa vez a amiga foi no banco da frente, ao lado do ruivo e Temari ao seu lado. 

Se despediram, Hidan quase vomitou ao ver Gaara beijando Hinata antes de partir. 

No apartamento, Hinata parecia voar nas nuvens. Ele não sabia o que pensar. Poderia ser tão mesquinho ao ponto de estragar a felicidade da amiga apenas por medo de perde-la? Mas também, parecia já a ter perdido, para aquele idiota ruivo. 

Parecia que ele não tinha mais nada a perder. 

Hinata gostava de Gaara, estar com ele era um tipo de sonho, onde era tudo perfeito, só que ela não era. Ela não sabia se estava o usando ou se era apenas assuntos mal resolvidos do coração. Não sabia se valia a pena arriscar ferir alguém tão legal por causa de um sentimento que provavelmente nunca foi recíproco. 

— Se divertiu ? - ouviu Hidan perguntar com um tom triste. 

— Sim. E você? - tentou soar animada, mas Hidan detectou algo errado. Mas estava alto demais para pensar mais claramente sobre o assunto. 

— A parte divertida foi voltar pra casa. Menos ter visto aquele cara quase te engolindo. 

Hinata riu. Não por achar graça, mas riu quase de desgosto. Quem era ele pra falar dela, sendo que quase comeu Shion na porcaria da mesa? 

— Vou dormir, Hidan. Não estou com cabeça para lidar com suas piadinhas. 

— Desculpe! Sério. Me arrume um travesseiro, vou dormir no chão como autopunição por meus comportamentos de bêbado. 

Hinata revirou os olhos. Ela não sabia bem de seus sentimentos, Hidan era muito mais confuso de se entender, mas ainda era seu melhor amigo e isso era verdadeiro

— Pare de drama. Vem pra cama. 

Hidan sorriu de lado. Ele não a tinha perdido totalmente. Uma parte dela sempre seria sua. 

Deitaram na cama após colocarem uma roupa leve. Estavam de frente um pro outro porém sem se tocar. Hinata ficou com os olhos fechados esperando o sono vir. Hidan foi quem se aproximou, abraçando pela cintura, beijando seu ombro e sussurrando em seu ouvido. 

— Você estava linda para o baile, mas fica ainda mais linda com a minha camiseta velha. - se afastou e viu Hinata o olhar, mas ele logo se ajeitou no travesseiro e a puxou para seu peitoral. — Boa noite, baby

Hinata não sabia o que estava acontecendo com o amigo, mas adormeceu ouvindo as batidas aceleradas do coração dele, assim como do seu próprio. 


Notas Finais


A fic terá 3 capítulos que espero estar postando em breve.

Obrigada por ler ♡

Deixe um comentário para a autora preguiçosa ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...