1. Spirit Fanfics >
  2. Missão Uchiha >
  3. Missão de despedida

História Missão Uchiha - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


E CABUM!
Segunda Temporada de Missão Sasusaku
SEJAM BEM VINDOS À MISSÃO UCHIHA
primeiramente, queria me desculpar com a demora mas sério gente quase estava pedindo permissão para respirar de tanta coisa pra fazer KKKKKK além disso, meus docs de escrita tavam pedindo para apanhar por travarem tanto! E a beta @TiadoNarutovisk também esteve com problemas, ou seja, este cap veio demorado KKKK mas betado :3 OBRIGADÃO ALIÁS AAAA
E MAIS!
Minha metade - vulgo a perfeita da @Luiza77 - fez o favor também de me ajudar com o cap, ALÉM DE TER FEITO A MARAVILHOSA E PERFEITA CAPA DA FIC <3 cara num vivo sem essa loira namoral KKKKKK
se preparem pois esta fic tem MUITO CHORO HAHAHAHA ADORO SORRY - mas quem sabe também não sejam de alegria, hum? TEORIAS TEORIAS BABY!
Sem mais delongas... BOA LEITURA <3

Capítulo 1 - Missão de despedida


Fanfic / Fanfiction Missão Uchiha - Capítulo 1 - Missão de despedida

Missão Uchiha

Missão de Despedida

Escrita por: Kory_Uchiha

Betado por: TiadoNarutovisk

 

Três meses e algumas semanas antes...

 

Sakura suava, já havia gritado tanto que possivelmente no dia anterior - apesar de estar na madrugada - não iria querer ver nenhum vizinho seu. Porém apesar disso tudo, sentia-se feliz, saciada - não totalmente - e completa com o marido ao seu lado. Fora tudo tão rápido, a Uchiha jamais imaginaria que tudo aquilo começaria vindo de uma iniciativa por parte do marido ausente. Em todo o tempo sem Sasuke, idealizava o momento lindo e prazeroso que teria ao lado dele, só que Sakura já estava ciente de que nem tudo o que almejamos e planejamos se concretiza de verdade. Com Sasuke, nada era como o esperado ou como um romance dos livros, claro que havia amor entre eles, mas único e diferente. Isto ficou claro depois da conversa dos pais com a filha e da descoberta da Missão Sasusaku.

 

Sakura, mesmo cansada, podia sentir o fogo se acender a cada sorriso de canto, a cada sussurro “de novo?” e estocada, vindo dele. Com os lábios entreabertos, ofegante e lutando para dar devida regulação à sua respiração, a Uchiha sentiu algo duro encostar em seu ventre e lutou para não rir. 

 

— Quem é você e o que fez com o meu Sasuke? — O moreno soltou um rosnado rouco e puxou-a para sentar-se em cima dele, só que a mesma negou. — Não desta vez, Anata. — Sakura abriu um sorriso grande vendo-o confuso e tão ofegante e suado quanto ela.

 

A Uchiha deslizou-se por cima dele, arrancando suspiros pesados e arrastados do Uchiha, até chegar onde queria, na maior arma de Sasuke Uchiha contra ela. Quando Sakura circulou com seus dedos finos de médica o pau do marido, Sasuke jogou a cabeça para trás - quase tendo o acidente de batê-la na parede -, agarrou os fios de cabelo da esposa com sua única mão e soltou uma palavra chula que não é de seu costume proferir, mas quando estava neste estado, do qual era causado por ela - e somente ela -, ele perdia a razão. De certo, ele já não sabia mais quem era, possivelmente nem se lembrava mais do “encontro” de Boruto e Sarada na casa Uzumaki, que dirá de sua partida no dia seguinte. 

 

Sakura esperou exatos vinte segundos, subindo e descendo sua mão no membro do marido, para então engoli-lo por inteiro na garganta, tendo um pequeno engasgo no processo. Porém isso não foi um empecilho para continuar com seu plano de enlouquecer o Uchiha, e Sakura chupou o pau de Sasuke como se fosse o melhor sorvete do mundo, e para ela era sem sombra de dúvida.

 

— P-Porra.... Sakura! — A mulher de exóticos cabelos róseos, raspou a ponta dos dentes por toda extensão, lambeu circulando o topo do membro, e agarrou as coxas do homem, levando-o para dimensões inimagináveis.

 

Ao senti-lo chegando lá, aumentou a sucção e o aperto na coxa, e Sasuke viu-se no limite, gozando na boca de Sakura antes mesmo de conseguir avisar. Porém estava claro que isto não era problema algum para a rosada, esta que sugou todo o líquido quente e viscoso, sem deixar uma gota. Ofegante e sem se controlar, Sasuke a pegou nos braços e virou-a de quatro na cama e sem aviso prévio afundou-se nela, aumentando ainda mais - se possível - a conexão entre ambos. Estapeou-a entre certas estocadas que foram dadas com uma intensificação a mais.

 

— Gostosa — disse após dar um de seus tapas no traseiro da esposa. — Vou te comer viva até o amanhecer, Dra. Uchiha! 

 

Juntando os cabelos cor-de-rosa entre os dedos, puxara sem exercer força demais e Sakura deixou sua cabeça ir para trás, esta que segurava o lençol até deixar a ponta dos dedos, brancos. 

 

Sasuke soltou um gemido arrastado, sentindo o quão apertada sua esposa era por dentro. Se deitou mais para frente, alcançando o pescoço alvo da menor, deixando uma mordida de leve em seguida de um selar molhado, se deliciando com os gemidos e suspiros soltos por ela. Lentamente, retirou-se apenas para entrar novamente. 

 

A noite seria longa.

 

[.....]

 

Ao amanhecer do dia, Sasuke obrigou-se a acordar por conta do horário de saída para a missão. Abriu os olhos que estavam incomodados com a claridade do sol vindo da janela, então virou-se para o lado oposto, tendo a bela visão de Sakura nua e descoberta da cintura para cima. Soltou um suspiro baixo, arrastando dois dedos seus com delicadeza inimaginável para alguém como ele, e tirando os fios de cabelo cor-de-rosa que estavam caídos e atrapalhando sua visão completa do rosto da Uchiha.

 

Sakura é a mais bela kunoichi, ninja, sannin e médica de todo o mundo ninja. Não havia como discordar disso. E ele era um temido ex-renegado e vingador que se encontra de quatro por ela. Por ela e por Sarada. Elas conseguiam tirar dele o seu melhor lado, o lado de Sasuke Uchiha completo com uma família, e ele pretendia mostrar mais disso assim que voltasse e acabasse com a maldita missão de uma vez por todas.

 

— B-Bom dia...

 

— Bom dia. — Ele abriu um sorriso discreto observando-a acordar, abrir os olhos verdes mais lindos que a própria esmeralda, coçá-los, bocejar e enfim olhá-lo atentamente.

 

— Você já vai?

 

— Hum. Sabe que quanto antes eu ir, mais rápido voltarei.

 

— Voltar anos depois não é rápido...

 

— Sakura...

 

— Não, tudo bem, eu entendo. — ela suspirou e ele fixou seu olhar na subida e descida do peito dela ao suspirar. — Nossa, acho que não vou para o hospital hoje.

 

Sasuke não pode deixar de sentir-se orgulhoso de si mesmo por tê-la deixado tão cansada quanto ele pela noite que tiveram, ao ponto de dizer que não iria ao hospital. Pelo menos assim ela teria um dia de descanso de graça.

 

— Vamos pegar Sarada?

 

— Hum?

 

— Ora Anata, Sarada dormiu na casa do Naruto e da Hina e...

 

— Levanta Sakura, vamos AGORA pra casa do Dobe!

 

— Mas....

 

— Vamos, Sakura! 

 

Sasuke já havia pulado da cama e mal se importara com seu estado de nudez. Havia esquecido que sua preciosa amendoim fofinho estava na casa do Nanadaime e o pior, com Boruto! Oh sim, ele moveria aquela casa abaixo se os visse juntos. E a missão? Bom, talvez devesse deixar para depois, assim que verificasse a segurança de Sarada. Boruto é um perigo para ela, um perigo que ele mesmo lutou contra por tantos anos: o amor.

 

— Você é muito ciumento, querido — disse Sakura risonha, deixando-o ainda mais emburrado e irritado.

 

— Só espero que na minha ausência, ele não tente nada.

 

— Tentar o quê? Eles são crianças ainda, Sasuke. Não tem que se preocupar com isso no momento.

 

— Mas é nessa época que você corria atrás de mim declarando seu amor pelos quatro ventos. — Seu comentário a fez corar como um tomate maduro e lhe deu um aquecer no peito por isso, lembrando da pequena Sakura correndo atrás de si. — Vamos, termos essa conversa agora só aumenta o tempo em que os dois ficam juntos...

 

Sasuke e Sakura se arrumaram para buscarem Sarada, e ele por sua vez, se vestiu como iria para a missão: sua capa preta que o cobria por inteiro, levando kunais e shurikens, pílulas de comida feitas pela rosada, um mapa e uma foto. Sakura fez um rápido obentō de viagem para o moreno, em um pote pequeno e envolto de uma toalha também pequena, mas que ajudava como suporte para carregamento.

 

Ao saírem de casa, caminharam em direção à casa dos Uzumaki, contudo, foram abordados no caminho pela própria filha que corria desesperadamente até eles e quando se viu de frente com os pais, parou com as mãos no joelho, ofegante.

 

— V-Vim...correndo...vai e-embora agora...não é, p-papai?

 

Sasuke apenas moveu a cabeça, concordando e tocou por cima da cabeça dela.

 

— Suas coisas...?

 

— Depois eu pego mamãe, não podia me atrasar. — Sarada sorriu de leve, recuperando o fôlego perdido pela correria.

 

— Vamos então, antes que seu pai dê um “piti” pelo atraso na missão — disse Sakura brincando, Sasuke lhe encarou com uma cara feia, fazendo as duas Uchihas rirem. 

 

— Hum. Estão me atrasando...

 

— Não disse? — A mais velha cutucou a filha que gargalhou vendo seu pai sair praticamente marchando na frente. — Relaxa, eu consigo fazer ele ficar menos ranzinza.

 

— MAMÃE! — Sarada tapou a boca rindo com espanto ao se lembrar do plano e que tinha noventa e nove por cento de chance de ter acontecido de verdade. 

 

Nenhuma das duas viu o rubor presente no rosto de Sasuke, este que andava mais a frente e quase explodindo de vergonha.

 

Sarada e Sakura andavam conversando juntas enquanto Sasuke ia na frente um pouco acanhado pelas brincadeiras que ouvia sobre ele vindo das duas. E com isso, ele já se via pensando na falta que sentiria delas. Doce ilusão a sua pensar que fosse ser independente das duas, elas faziam parte dele e quando uma parte falta, a saudade e a falta dessa parte se fazem presentes de uma maneira dolorosa e necessitada.

 

Quando os passos da família Uchiha cessaram, haviam chegado em frente ao portão da vila, onde se despediram de Sasuke, sem saber quando ele voltaria e se voltaria. Assim elas ficariam sozinhas novamente.

 

— Bom... — Sakura arranhou a garganta e olhou pelo canto do olho, Sarada, recolhida ao seu lado. 

 

— Eu vou voltar mais rápido dessa vez — diz Sasuke com o semblante neutro, porém dentro de si sentia-se mais uma vez culpado por deixá-las. Quando se virou de frente à elas, se surpreendeu pelo baque do abraço da filha, em si. 

 

— Não demora papai.

 

— Ah. — Ele se agachou e retribuiu o abraço da filha, sentindo logo depois os braços da esposa envolta dele e provavelmente da filha também. Se soltaram do abraço em família e Sasuke deu um beijo, ao invés do ‘’poke’’ de sempre, na testa de Sarada, fazendo-a ficar com o rosto bastante corado e os olhos marejados.

 

— Está chorando? — Sasuke arqueou a sobrancelha e acaba por abrir um sorriso pequeno vendo-a negar com a cabeça, e Sakura riu baixo. Sarada era como Sasuke quando criança. — Então o que é essa água escorrendo dos seus olhos?

 

— C-Cisco no o-olho papai. — Sarada fungou esfregando os olhos com o braço.

 

— Hum. — ele esfregou os cabelos dela e a menor resmungou irritada, batendo na mão do pai que riu de leve. — Cuide-se e da sua mãe também.

 

— Sasuke! Sei muito bem me cuidar sozinha, sabia? — a Uchiha não estava nada contente.

 

— Pode deixar que eu cuido. — Sarada riu da careta da mãe.

 

— Como vocês são impossíveis! — Sakura cruzou os braços, ainda segurando o obentō, com um bico nos lábios. 

 

— Não faz isso, Sakura. — Sasuke estreitou os olhos, encarando-a.

 

— Hum. — ela revirou os olhos e lhe estendeu o obentō. — Trate de voltar ainda este ano!

 

— Certo. — ele assentiu com um sorrisinho.

 

— Mas faça seu trabalho direito...

 

— E eu alguma vez não fiz? — Ele olhou-a sugestivo e Sarada pôde contemplar sua mãe corar assim como ela antes. — Tchau.... — murmurou se virando para a estrada e não esperou nem mais um segundo para andar e ficar o mais longe da vila possível, pois se ficasse mais um tempo com elas, com certeza desistiria, dizendo que suas férias ainda não haviam acabado, mas ele sabia que isso não seria possível até que acabasse com a missão.

 

— Mamãe?

 

— Sim?

 

— Você está bem?

 

— Estou sim querida, seu pai logo volta e enquanto isso, o que acha de fazermos uma festa do pijama só nosso?

 

— Isso sim Shannaro! Com toda certeza!

 

Sakura riu da empolgação de Sarada.

 

— Vamos para casa então?

 

As duas olharam novamente para trilha, mas Sasuke já havia sumido no horizonte.

 

— Vamos...

 

 


Notas Finais


Sérião eu amei tanto o feedback de vocês com “Missão Sasusaku” e não vejo a hora de ver vocês aqui também surtando - e sofrendo - junto comigo KKK
espero muito que tenham gostado :3 e se não fosse pela Luh e pela Steph, isso aqui nunca saíria *-*
o cap dois e três estão por um fio de porothons - prontos - ENTONCES AGUENTA CORAÇÃO QUE AGORA EU VOU SER MAIS RÁPIDA e ainda esperar a betagem porque não vou fazer nada de errado nessa fic - ao menos tentar - ser melhor :P
UM KISSES ENORME DA KORY QUE AMA MUITO VOCÊS E QUE IMPLORA DE JOELHOS O PERDÃO DE VOCÊS!
“Mas Kory e a cena do fogo”?
CALMA LÁ AMORES ELA JÁ VEM PARA ARRASAR UNS CORAÇÕES POR AI

Primeira Temporada
Link
https://www.spiritfanfiction.com/historia/missao-sasusaku-18244043


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...