1. Spirit Fanfics >
  2. My Snowtel - 'Brawl Stars' >
  3. A Estrada

História My Snowtel - 'Brawl Stars' - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Yeah, mais um curto cap.

Capítulo 4 - A Estrada


Fanfic / Fanfiction My Snowtel - 'Brawl Stars' - Capítulo 4 - A Estrada

Após receber instruções para encontrar o seu querido hotel. Mr.P barca em outra caminhada intensa. E como sempre, o sol não colaborava.

Cada passo que dava, imaginava uma situação diferente quando chegar no hotel. Afinal, Mr.P nunca saía de lá, então seria provável que alguém estaria por trás de todo seu azar. Desconfiava, principalmente, de seus funcionários. Criava hipóteses, sobre ser traído por seu Trio. De ter recebido uma certa vingança deles.

Depois de ficar desconfiando de seus leais funcionários, a sua sorte havia brilhado.

Horas e horas de caminhada após ter conseguido uma pequena ajuda, finalmente algo tirou seu mau-humor. Havia uma estrada, uma longa estrada vazia.

Mesmo alegre por encontrar uma possível passagem para sua casa, não sabia qual caminho era o certo. 

Tara tinha sido clara sobre o caminho. Era não parar de ir reto. Seguindo em frente, encontraria a cidade.

Mas, essa estrada fez Mr.P desconfiar das instruções de Tara. Então, decidiu não ir mais reto, e ir em um dos caminhos da estrada, direita ou esquerda.

Tentava utilizar a bússola, mas não tinha certeza qual ponto cardeal era o correto. Poderia tentar lembrar em que lado o sol nascia lá no Snowtel, mas isso era um detalhe que Mr.P não costuma lembrar.

Finalmente decidindo o caminho que iria percorrer, Mr.P caminhou pelo lado direito, em direção ao Leste.

Estando na estrada, sentia-se desconfortável com aquele chão duro. Nos últimos dias, em certas partes de sua caminhava, tinha um excesso de areia, que deixava seus pés afundarem. Precisava de mais esforço para caminhar. Mas, após se acostumar, não era confortável em mudar o terreno. 

O chão não era algo que irritava Mr.P, e sim o sol. Parecia estar lhe castigando com seus raios calorentos. Piorava o estado da sua fantasia. 

Todos os seus desafios fazia suas pernas cansarem. Já não tinham forças para caminhar mais quilômetros. Então, se permaneceu sentado no meio da estrada vazia. 

Olhava para frente, sentia que aquele pista era infinita, parecia não ter fim. Se questionava: Como poderia deixar algo desse tipo acontecer com ele? Imagine a coisa mais importante estando sem ele? Seu querido Snowtel está sozinho. 

Tendo isso em mente, sentia mais raiva de sua situação, e o quem causou. 

Seus pensamentos frustrantes foram interrompidos com o som de uma buzina de carro. Fazia um extremo barulho. O motorista parecia em pânico. 

Após o motorista frear loucamente, Mr.P finalmente teve consciência que estava sentando no meio da estrada, mesmo ela sendo vazia, não negava a possibilidade de algum carro o atropelar. 

Seu rosto estava perto da parte da frente do carro. Ou seja, foi por pouco não ter sido atropelado. Estava um pouco assustado, mas cansado demais para demostrar um enorme desespero.

Se afastando um pouco, Mr.P notou que o carro era uma camionete velha. Parecia carregar alguns caixas na parte de trás. 

Logo, a motorista saia da camionete gritando:

Shelly: TÁ QUERENDO MORRER?? - gritava.

Ignorando os gritos de Shelly, Mr.P viu uma oportunidade de outra grande ajuda.

Shelly estava frustrada, e confusa. Estava com raiva de um maluco estar sentado no meio dessa estrada deserta. E confusa de essa pessoa ser o Mr.P.

Normalmente, Shelly e Mr.P não se davam bem. O pinguim não gostava das atitudes de Shelly em seu hotel, tipo, incentivar a bagunça. E a garota não aceitava críticas de seu comportamento, ainda mais recebê-las fora do hotel.

Mr.P, sem demora, se levanta e vai em direção a Shelly, tentando pedir ajuda:

Mr.P: Hwweptfg!!

Shelly: ...?

Mesmo não entendendo o pinguim, notava que sua fantasia estava bem suja, e com um mau odor. Parecia estar perdido, e acabado.

Shelly: Quer...Uma carona? 

Sem resitar, Mr.P aperta a mão de Shelly, agradecendo pela a ajuda.

Depois de receber a ajuda de Shelly, Mr.P se sentia mais relaxado estando no banco da frente do carro. Logo, dirigindo, Shelly pergunta:

Shelly: Para onde você vai? - perguntava, curiosa por ele estar naquele estado.

Sabendo que ela não ia entender, pegou alguns papeis de sua maleta, junto com uma caneta, escreveu apenas uma palavra: Snowtel.

Mas, não tinha boas notícias.

Shelly não iria para a cidade. Tinha lugares para passar, e algumas encomendas para entregar. Ou seja, estava ocupada demais para deixa-lo na cidade.

Mr.P sabendo disso, escreveu na folha para pelo menos deixá-lo no lugar mais próximo.

Não estava muito disposto em reclamar dessa notícia, pois estava cansado, e com sono, mesmo estando sol.

Olhava pela janela, se sentindo aliviado por estar conseguindo descansar e seguir em frente ao mesmo tempo. 

Shelly não tentou perguntar sobre o estado de Mr.P, e o motivo dele estar tão acabado, não daria para se comunicar. Não tinha certeza se ele tinha folhas o suficiente para explicar.

O silêncio dominava dentro do carro, até que o celular de Shelly toca no porta luvas. E sem demora, ela atende.

Shelly: Ahhh, Sim! Estou chegando. Já fica no lado de fora.

Ignorando a conversa de Shelly, Mr.P resolve cochilar no banco. Mesmo não querendo perder a sua postura formal na presença das pessoas.




Após algumas horas, acordava com um barulho alto. Parecia pratos sendo destruídos, ficando em pedacinhos. Na precisava de muita investigação para descobrir que era a música do rádio.

Músicas não era algo que Mr.P ouvia. Mas sempre se sentia incomodado com instrumentais barulhentos: Baterias; guitarras; etc. No rádio do carro, não identificava a música, mas sim um extremo barulho da bateria.

Nervos surgindo, estresse aumentando, Mr.P desliga o rádio sem pensar no motorista.

Shelly, não estava contente com isso:

Shelly: Por que desligou? - evitava tirar o olho na estrada, por medo de algum outro maluco estar sentado no meio dela.

Mr.P: Hwrp! - tentava cochilar de volta.

Shelly, ficando com raiva, liga novamente o rádio, na sua música predileta. E, dessa vez, aumenta o volume.

Mr.P, sem medo, apenas estressado, desliga novamente. 

Shelly, dá um último aviso:

Shellu: Sabe que eu posso te expulsar do meu carro, né? - dessa vez, deu o aviso olhando pros seus olhos - Você sempre foi chato. - voltava a olhar para a estrada.

"Você sempre foi chato". Não era apenas só essas palavras que muitos retratavam Mr.P. Desde o começo de sua carreira, recebia várias ofensas e críticas. Muitos haviam lhe humilhado antes mesmo de conquistar seu hotel. Chegando a se sentir insatisfeito com si mesmo. Piadas surgiram da profissão que queria seguir. Pra muitos, era apenas um sonho medíocre. 

Conquistando seu hotel, fez sentir uma certa raiva por pessoas, não queria se relacionar com nenhuma delas. Apenas focava em seu real objetivo, cuidar do Snowtel. Não se importava por sentimentos alheios.

A viagem de carro demorava. Cada quilômetro que passava ficava mais próximo da cidade. Mesmo com um extremo barulho da bateria do rádio, conseguia voltar a cochilar.

O sol estava se pondo, a noite surgia, e a vontade de voltar pro hotel só aumentava. Afinal:






"Snowtel, é importante!"








Notas Finais


Man, às vezes deixo um pleonasmo e nem percebo. O corretor deveria me avisar numa hora dessas, invés de colocar outros pronomes, ou palavras aleatórias.

Resumindo: Foi mal pelos erros que estão presentes.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...