História No Broken Hearts - Capítulo 31


Escrita por:

Postado
Categorias Mitologia Grega, Os Heróis do Olimpo, Percy Jackson & os Olimpianos
Personagens Annabeth Chase, Jason Grace, Leo Valdez, Luke Castellan, Nico di Angelo, Percy Jackson, Piper McLean, Thalia Grace
Tags Jasiper, Percabeth, Thaluke
Visualizações 293
Palavras 1.434
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir culturas, crenças, tradições ou costumes.

Notas do Autor


GALERUUUUUU, q saudade de vcs! Mais um capítulo e estou trabalhando ~arduamente para que eu possa oferecer uma maratona com alguns capítulos logo! Tudo depende da escola e da minha criatividade que anda querendo me ferrar. Sem mais enrolação, boa leitura<3
Na capa, nossa amada Thalia Grace.

Capítulo 31 - Conselho dos Lordes.


Fanfic / Fanfiction No Broken Hearts - Capítulo 31 - Conselho dos Lordes.

P.O.V. THALIA GRACE

Quando Connor começou seu discurso, eu não consegui fazer nada além de prestar atenção, porque se eu tentasse fazer outra coisa, iria lembrar de Luke e com a raiva que eu ‘tô sentindo, fazer isso não é uma boa ideia.

  -Galera, então... – ele riu e baixou a cabeça apertando as mãos de forma descontraída. – Quando Quíron me escolheu, eu sinceramente achei que ele tinha batido a cabeça muito forte e ainda acho, mas agora que eu sou líder de vocês, vou fazer valer a pena e dar o melhor de mim, o que não significa nada. – ouvi risos. – Mas mesmo que a gente perca, o que é muito provável, eu juro solenemente que vocês vão se divertir, ou pelo menos dar boas risadas. Além do mais, podemos apoiar outro time, não sei como funciona, mas podemos não é? – olhou para Quíron que assentiu sorrindo. – O que representa a gente é um par de calçados com asas, podem existir outras interpretações, mas para mim significa engenhosidade, criatividade diante de problemas, diversão. Simboliza Hermes, o deus mensageiro, ele poderia se locomover de qualquer jeito, mas ele preferiu calçados com asas, por que? Simples, é divertido, é mágico e fantástico! É como a criatividade. Nós vamos ter muitas dificuldades, principalmente comigo como líder porque não tenho experiência nenhuma e apesar da minha beleza angelical, eu não sou um querubim, por isso peço paciência, porque como minha querida ateniense disse, existem armas mais poderosas que força bruta. – sorriu depois de acenar para Annabeth que o encara bem humorada. – Nós podemos não ganhar, mas vamos dar um trabalho desgraçado. Afinal, vocês estão sendo liderados por um Stoll!- se qualquer outra pessoa dissesse isso, não teria tanto efeito, mas era o Connor e nós sabemos do que ele é capaz, suas pegadinhas são horríveis. - De onde nós somos a partir de agora? – perguntou gritando animado e as pessoas responderam em êxtase: “ Creta!”. – De onde nós somos? – perguntou de novo e o pessoal dele respondeu animado o nome da cidade. Ele pareceu satisfeito e voltou para o lugar dele e depois de minutos que eu percebi que era minha vez. Eu poderia até ficar nervosa se não estivesse com raiva.

  - É o seguinte, vou ser bem clara e sem rodeios. – arregacei as mangas da minha jaqueta. – o nosso símbolo é um arco e flecha como já sabem, assim como sabem os símbolos dos outros grupos, mas o deles não importa. – sorri e olhei para Luke. – Muitos de vocês podem não saber, mas a flecha tem um significado especial, ela significa determinação, resistência, na mitologia significa eternidade porque elas eram de uso de deuses, eles usavam para sacramentar algo e o tornar eterno e imutável. Sabem o quão foda isso é? – perguntei e Quíron me olhou repreendendo e Dionísio me olhou feio, ignorei. Agora que eu sei o significado de flechas, vou falar, eu adoro! Penso até em fazer uma tatuagem. – Quer dizer, não um deus específico, mas diversos e principalmente Ártemis, eles utilizavam essa arma. – caminhei um pouco para o lado. - Flechas separadas podem ser quebradas facilmente, mas juntas se tornam invulneráveis, por isso eu aviso que se querem ganhar alguma coisa, unam-se e deixem que eu me una a vocês, porque se for para se ferrar, que sejam todos e assim vai ser menos insuportável. – disse terminando sorrindo de canto e me virando deixando muita gente espantada, lembro de algo e me viro. – Ah, quase esqueci, o símbolo também dá uma ideia de velocidade, foco e de uma pessoa certeira, que consegue correr atrás dos seus objetivos até alcançar a meta sem medo e dúvida, tal como uma flecha certeira que ao ser disparada não se desvia até alcançar o alvo. Se vocês acham isso pouco, vão para o inferno! – sorri e inclinei minha cabeça para o lado somente um pouco para pensar melhor. As pessoas pareciam surpresas, principalmente quem não me conhece direito. – Qual é mesmo o nosso símbolo? – perguntei calma e por um instante tudo permaneceu em silêncio até eu ouvir gritos organizados! Eles se organizaram em quantos minutos ou segundos? Começaram a gritar e repetir de modo organizado e junto, sorri orgulhosa, mas porra! – Eu dou minha palavra que tentarei ser o arco seguro que precisam, se vocês forem as flechas certeiras que eu necessito. – disse depois que eles terminaram.

  [...]

    -Ainda não acredito que você falou aquilo, Thalia! – Annabeth disse gargalhando. – Zoe ficou vermelha, a veia da testa dela dava para ser vista de longe!

   - Que ela se dane. – respondo sorrindo enquanto seguimos para a Casa Grande com os outros. Depois dos discursos, Quíron nos chamou para uma reunião.

   - Eu gostei, foi do caralho! – Connor disse ao nosso lado.

Continuamos seguindo o nosso diretor de atividades até a sala, onde tinha uma mesa oval com cadeiras de madeira e a cabeça de um leopardo em uma das paredes, que sala mais bizarra! Sentamos e fiquei ao lado da Annabeth.

   - Boa noite, sejam bem-vindos ao Conselho dos Lordes. – quase ri com a seriedade de Quíron ao dizer essas palavras. Vi que não fui a única. – Aqui nós iremos anunciar os avisos para vocês repassarem e organizaremos eventos do acampamento. Alguma dúvida? – ninguém respondeu nada. – Ótimo, porque agora eu vou explicar a responsabilidade de vocês. – ele pegou seis colares com contas, mas o detalhe de cada gravura das contas tinha cores diferentes, a minha conta que era branca, tinha a gravura do arco e flecha preto cintilante, fiquei encarando e vi que de cada um era assim, da Annie era roxa com o detalhe prateado, da Clarisse era vermelho-sangue com detalhe dourado, do Percy era azul-claro um tom de ouro envelhecido,  do Jason era amarelo com detalhes de um azul quase branco e do Connor era vermelho-telha com detalhes de dourado, o mais engraçado era que todos os detalhes eram cintilantes, todos!

  -Esses são os colares de vocês, de líderes. – nos entregou e colocamos cada um no pescoço. – Vocês são responsáveis por aqueles campistas, a decisão de vocês afeta diretamente eles, entendam isso. Portanto, sejam responsáveis e pensem no melhor para o grupo e não para si. Vocês são o pilar com que eles se sustentam, se ruírem, levarão seus companheiros junto. Quero que me deem sua palavra de que serão responsáveis e conscientes de suas escolhas. Eu quero promessas ditas de verdade, da boca para fora eu não aceito, quero que digam o que sentem e até onde pretendem ir para fazer isso funcionar.

  -Eu dou a minha palavra que farei o melhor para minha equipe, mesmo que não seja o melhor para mim. – começo.

  -Eu juro que irei ser responsável e tolerante diante de cisões diferentes em meu grupo. – Annabeth continuou.

  -Prometo que farei da minha equipe minha família esse verão e serei justo. – Percy.

  -Darei o melhor de mim e tentarei manter minha equipe longe de confusões. – Clarisse.

  -Não permitirei que membros do meu grupo façam brincadeiras consideradas muito perigosas. – Connor disse e o encaramos. – E não vou roubar muito. – arqueei a sobrancelha. – Que foi? Não era pra ser sincero?- perguntou abismado.

  -Farei o melhor para que todos se sintam bem no meu time e serei flexível quando necessário. – Jason e assim fechamos nossas promessas.

  -Líderes, podem sair e organizar suas equipes, escolham seus chalés, lembre-se só membros do mesmo grupo podem dividir o chalé com vocês. – essa regra eu vou quebrar, vou dormir muito no chalé da Annie, ca-guei. – Decidam quais serão os chalés das suas equipes e descansem! Amanhã começamos as atividades, por hora vão comer e aproveitar a noite. – assentimos e saímos para a fogueira, mas na metade do corredor, Percy e Clarisse já estavam disputando pelos chalés mais para o sul, inclinei para o restante que estava mais atrás e perguntei.

  -Quais chalés vocês vão querer? – perguntei baixo.

  -Eu poderia ficar com os chalés perto do que eu já estou e com aquele, é um pouco mais longe da casa grande, mas tem mais árvores perto e é ventilado. – Annabeth disse e concordamos.

  -Eu posso ficar com os chalés mais do norte, assim fico longe de qualquer dos dois que ganhem. – Jason falou.

  -Eu fico com os do centro. – Connor avisou.

  -Então eu fico com os do lado dos chalés da Annie. –sorri. –Ei, seus patetas! Já escolhemos os nossos lugares, sobrou o sul e a parte dos chalés mais próximos do lago, decidam! – gritei e eles olharam para trás.

  -Como já decidiram?-Percy perguntou surpreso.

  -Com diálogo. – Jason respondeu e Connor deu uma risadinha. – Deviam tentar, é eficiente. – deu de ombros e quando passamos pela porta, cada um seguiu seu caminho.


Notas Finais


até o próximo e não pude deixar de notar que a ~geofilhadeatena é um bb.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...