História No Broken Hearts - Capítulo 32


Escrita por:

Postado
Categorias Mitologia Grega, Os Heróis do Olimpo, Percy Jackson & os Olimpianos
Personagens Annabeth Chase, Jason Grace, Leo Valdez, Luke Castellan, Nico di Angelo, Percy Jackson, Piper McLean, Thalia Grace
Tags Jasiper, Percabeth, Thaluke
Visualizações 331
Palavras 1.178
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir culturas, crenças, tradições ou costumes.

Notas do Autor


Voltei, dessa vez demorei menos hein? Boa leitura<3
Na capa, a princesa Thalia Grace;

Capítulo 32 - Não temos nada para conversar.


Fanfic / Fanfiction No Broken Hearts - Capítulo 32 - Não temos nada para conversar.

P.O.V. LUKE CASTELLAN

Eu não queria ficar em equipes separadas dos meus amigos, mas se eu quiser vencer tem que ser assim, e Percy tem experiência, a gente ainda pode se divertir, só não estaremos no mesmo time por enquanto. Quando a equipe deles perder, eles podem se juntar a nossa. Ficamos esperando no refeitório, até eles chegarem, quando chegaram, os seis se dividiram e cada um seguiu para o seu lado, Annabeth subiu em um banco do refeitório e chamou a equipe dela e assim cada grupo foi se organizando até formarmos ilhas de conversa.

  - Pessoal, essas outras equipes não representam ameaça para nós. – Percy começou dizendo. – estive com eles por alguns minutos para perceber. A líder de Athenas não coloca a mão na massa, só vai querer mandar, Clarisse e os dela são brutos, só vão agir pela força, Jason não vai ter pulso para agradar os populares, Connor não está nem aí e Thalia se irrita com o vento. – senti-me muito ofendido com Percy falando daquele modo dos meus amigos, afinal ele só conhece dois dos nossos adversários. – A gente só não ganha se não quiser. – as pessoas assentiram confiantes.

  -Percy, também não é bem assim cara, eu não acho que eles vão ser adversários fáceis, além do mais... – sou interrompido.

  - Luke cara, confia em mim. Eles não têm chance. – sorri desconfortável, se ele quer ver a força que as meninas têm com os olhos, eu não vou impedir.

  -Tudo bem cara, depois não diz eu não avisei. – sorri lembrando de mais cedo. – Annabeth te cortou como uma cirurgiã. – ele me olhou sério e me puxou para fora da roda, para a gente conversar melhor.

  -Ela não me cortou coisa nenhuma, eu não quero nada com ela, só estava tentando ser educado. – respondeu com o cenho franzido.

 - Percy, pode repetir isso para ela e para qualquer pessoa que quiser, mas eu não acredito. – respondi recebendo um olhar incredulidade. – pode admitir que queria alguma coisa, mas a Annie não é assim cara, se quer tentar alguma coisa com ela, tem que estar disposto a ser uma coisa séria ou dizer exatamente o que quer, ela odeia situações indefinidas, mentiras. Acho que isso é por causa do... – arregalo os olhos ao me lembrar de que quase falei algo muito intimo dela, ela não me perdoaria.

  - o quê? – pergunta cruzando os braços e nego com a cabeça. – Ah, vai se ferrar! O que é ? Ela se decepcionou com algum namoradinho e agora é fria e prometeu nunca se apaixonar? – perguntou irônico. – E não precisa me dar dicas sobre ela, o que eu quero é distância. – completou.

  -Você não tem ideia do que ela já passou e já que não quer nada, se afasta dela. – digo sério. – Eu sou seu parceiro e te vejo quase como um irmão, mas se você machuca-la, vai ganhar um inimigo. - ele me olha espantado.  

  - Relaxa Luke, eu não quero nada com ela e ela tampouco comigo. – relaxo meus ombros ao ouvir isso. – Patricinhas não fazem meu tipo. – ele sorri e nego com a cabeça.

  -Cuidado para não se apaixonar por ela, meu amigo. – dei tapinhas na costa dele brincando e ele afastou rindo.

  -Não, eu estava pensando na Calipso. – coçou a cabeça.

  - Quem é essa? – pergunto.

  -Uma amiga antiga que eu sinto falta. – respondeu sorrindo.

  - E quando você vai se amarrar em alguém? – pergunto. – Essa Calipso pode ser uma pretendente? – pergunto e ele nega rapidamente.

  -Eu não vou me envolver com ninguém, não quero problemas, nem para mim e muito menos para essa pessoa.

  -e como essa Calipso é ? – pergunto me encostando em uma coluna.

  -Calma, gentil, doce, delicada e muito bonita. – continuou a sorrir e a olhar para o nada. – ela é muito parecida comigo, apesar de tudo.

  -Ela não serve para você. – respondo de imediato. Ele me olha confuso. – Deixa pra lá. – bufo e saio antes que ele diga alguma coisa, Percy é lerdo, não entenderia nem se eu desenhasse, ele seria perfeito para Annie, se eles não se odiassem. Vejo o horário no relógio e ainda tenho uma hora e meia para passear, decido ir andar pelos bosques, quando chego em uma clareira, vejo Thalia em cima de uma rocha grande, parecida com um punho saindo da terra.

  -Thalia? – ela vira assustada e depois revira os olhos, começa a descer. – Espera! Não desce, a gente precisa conversar. – aproximo-me dela e ela recua. Tenta sair novamente e fico na frente.

  - Dá pra sair da porra da frente? – pergunta irritada.

  -Não sem antes conversar com você. – ela me olha com raiva.

  -Não temos nada para conversar. – antes que eu falasse, ela continuou. – Quer conversar, vamos lá! Mas antes me diz que você não sabia que o idiota do meu primo ia te escolher, me diz que você pensou em trocar de grupo e que antes de virmos para cá, você já não estava combinando com ele. – permaneci calado. -Você não consegue não é? Não consegue jogar limpo e descobrir as regras com a gente, sempre tem que dar um jeito de estar na frente de todos. – pulou da rocha na minha frente.

  -Thalia, ele é meu amigo e nós podemos nos unir depois, Quíron falou q... – ela riu amarga.

 -EU PREFIRO PERDER MISERAVELMENTE A ME JUNTAR AO SEU GRUPO! – gritou, me assustando. – Eu prefiro perder com meus verdadeiros amigos a ganhar um campeonato idiota com jogo sujo! – levantou o queixo. – Essa é a nossa diferença. – trinquei meu maxilar.

  -Você não está agindo como uma líder, não está pensando no melhor para sua equipe! – disse começando a me irritar.

  -Você não é o melhor para minha equipe. – bagunçou os cabelos frustrada. – Eu nem ao menos queria liderar uma equipe! – andou de um lado para o outro na minha frente. – Quíron quis me punir! E conseguiu, me fez ficar na frente de uma equipe que eu não sei lidar, me fez assumir reponsabilidades que eu não queria. Fez com que eu descubra até que ponto vai a fidelidade das pessoas. – ela me olhou novamente e apertou os lábios. – E eu definitivamente não estava pronta para isso. Mas agora que estou aqui, vou fazer valera pena.

  -Thalia, só me escuta. – peço e ela para de costas para mim. – Não me faz ficar longe de você, eu não vou aguentar. – fecho meus olhos irritado ao me dar conta do que falei. Ela não move um músculo. – Fica, por favor.

  - Se eu ficar, vou me odiar e te odiar. – diz e sua parece trêmula, não sei se raiva ou tristeza. – No fim desse verão, a gente conversa. Isso se você ainda estiver disposto a conversar, aqui tem muitas garotas e elas soltam informações muito fácil, basta ter as armas que você tem. – voltou a andar e encostei a testa em uma árvore. Droga. Merda.

  Chuto algumas pedras e esmurro alguns troncos, gritando e me perguntando o porquê de Thalia ser teimosa, rude, fechada, dramática, estressada e o porquê de eu não conseguir me soltar dela, não conseguir parar de pensar nela. Eu ‘tô tão ferrado.


Notas Finais


mais um capítulo maroto gente!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...