História Shatter Me - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias The Originals, The Vampire Diaries
Personagens Alaric Saltzman, Bonnie Bennett, Camille O'Connell, Caroline Forbes, Damon Salvatore, Davina Claire, Elena Gilbert, Elijah Mikaelson, Elizabeth "Liz" Forbes, Esther Mikaelson, Finn Mikaelson, Freya Mikaelson, Hayley Marshall, Henrik Mikaelson, Hope Mikaelson, Isobel Flemming, John Gilbert II, Katherine Pierce, Klaus Mikaelson, Kol Mikaelson, Marcellus "Marcel" Gerard, Matt Donovan, Mikael Mikaelson, Personagens Originais, Rebekah Mikaelson, Stefan Salvatore
Tags Armações, Drama, Elijah/oc, Familia Mikaelson, Romance, Universo Alternativo
Visualizações 114
Palavras 1.405
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Musical (Songfic), Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi gente!

Desculpem a pequena demora, eu estava aproveitando meus últimos dias das férias e fiquei sem atualizar nenhuma das minhas histórias, incluindo essa.

Mas elas acabaram:(

Porém hoje é dia de alegria, por que tem capítulo novo :)

Tenham uma boa leitura!

Capítulo 13 - Capítulo XIII - A promessa de Stefan


Fanfic / Fanfiction Shatter Me - Capítulo 13 - Capítulo XIII - A promessa de Stefan

No passado:

Pov’Victória Mikaelson

 

   Eu caminhava  pela ruas  repletas de vidas de Londres.  Eu olhava para todas aquelas pessoas melancólica.  Meus irmãos estão fugindo de nosso pai e consequentemente   eu também.    O que me deixava triste, afinal eu sempre amei o papai e  sempre acreditei que jamais seria capaz de fazer nada contra  nós.  E de certa forma eu estava certa, ele  não queria me machucar.

O motivo eu  não  fazia ideia.  Eu era uma  hibrida de  vampira,loba e  bruxa!  Eu  conseguia  ser  ainda mais aberração do que todos eles, mas mesmo assim  papai   não  faz nada contra mim, quando teve sua chance.

 Eu ainda me lembrava de suas palavras em nosso último encontro.

 

“Eu  não posso ferir  você  Victória”

 

“ Por que?”

 

“ Você  é diferente deles, eu posso ajudar  você a controlar isso.  Juntos podemos  deter seus irmãos”

 

“  Eu  não quero machuca-los!  Eles  são  minha família afinal de contas”

 

“  Eu também sou sua família.”

 

“Eu não  posso  pai, me desculpe”

 

“  Um dia   você  verá quem eles são e quando isso acontecer, eu vou estar esperando por  você”

 

“ Por que eu sou diferente deles? Eu também sou um monstro”

“ Não você  não é e sim minha  filha”

 

 

A nossa conversa  veio com tudo em minha  cabeça.  As lembranças me corroendo.  Depois  dessa conversa eu me lembro que continuei a fugindo com  meus  irmãos, mesmo eu não  precisando.  

 

Sinto  as lágrimas escorrerem  pelas minhas bochechas,  mas    não  me importo em seca-las.     Corri  para um  beco  da cidade quando ouvi um bater  de um coração.  Espiei e vi que era apenas  uma prostituta.     Ela   estava fumando distraída e  eu não pude me conter.   Eu  me joguei em cima dela estraçalhando a mesma.  Mordi seu pescoço  até  ele sair e  depois mutilei seu corpo  para  disfarçar.    As pessoas  explicavam isso como um assassino chamado  Jack o  Estripador.   O que  eu definitivamente era?    Eu   ainda não conseguia controlar meu lado vampiro, mesmo com meus irmãos tentando ajudar.

 

 

Limpei meu rosto  e sai dali o mais rápido possível.  Eu estava tão afetada  que   não notei que esbarrei  em uma pessoa.   Era  um homem com cabelo  castanhos e olhos da cor castanhos esverdeado.  Ele  pareceu  me fitar preocupado.

 

-  Você  está  bem senhorita?   - Ele perguntou educadamente.

 

- Sim...  – Foi tudo o que eu respondi. 

 

-  Qual seu nome?   - Ele indagou.

 

-  Victória.   -   Eu   disse  monossilábica.

 

-   Meu nome é  Stefan Salvatore.   -  O homem se apresentou.    -  Victória,  eu vejo  que  não está bem.  Em  que posso lhe ajudar? 

 

 

No presente:

Mystic Falls – 1:00 AM

 

Pov’ Victória Mikaelson

 

Eu  tinha certeza que meu gritos podiam  ser ouvidos  de longe.  Ainda bem que  Frederick fez um feitiço  de ocultação,   pois tenho certeza que todos os sobrenaturais  da cidade estariam aqui em questão de minutos.    A dor que eu estava  sentindo era  angustiante, era  enlouquecedora.   Parecia  que estavam enfiando milhares de agulhas flamejantes  no meu corpo.   Pareciam que estavam batendo meu cérebro  num liquidificador.   

 

Não  tinha mais pensamentos coerentes  e  a todos momento  eu tinha uma série de lembranças desconexas.       A dor estava tirando  toda minha racionalidade e me transformando numa coisa berrante e delirante.  Mas eu preciso dessa dor. Eu preciso desse ritual.  Eu preciso estar em equilíbrio novamente para   poder sustentar   todo meu poder sem destruir meu corpo.

 

  Não  havia escapatória, aqui era extremamente necessário, minha vontade era de morrer ali  mesmo.     A dor era tamanha que  conseguiu me fazer desejar minha própria morte, como forma de  faze-la parar.     Depois de alguns minutos que pareceram horas, eu finalmente desmaiei   de dor.  Ao menos uma coisa boa.

 

(...)

 

Quando eu despertei  por sorte    já  havia acabado a parte  mais dolorosa do ritual.   Frederick me deu uma poção para  beber e  eu mandei para dentro.    Ela tinha gosto de  comida estragada e  um cheiro horrível, mas era  necessário.    Depois  eles continuaram   e  uma onda de  dor começou.   Dessa vez mais suave,    mas  mesmo assim  eu desmaiei.

 

(...)

 

Quando eu despertei novamente notei que estava  em um carro em movimento.  Olhei em volta e vi que era o carro de  Dalila.  Eu estava esparramada no  banco de trás ainda meio grogue e fraca por causa de todo o ritual.  Dalila dirigia  e  Frederick estava no banco do passageiro dormindo. 

Ele também estava fraco  por causa  da nossa ligação e também por causa que ele teve que usar seus poderes no ritual.  A melhor de nós era   Dalila com certeza.     Tenho certeza que foi ela que nos carregou  e nos colocou no carro. E provavelmente será ela que terá que cuidar de nós.

 

 

Como o combinado  ela me  deixou no meu quarto na mansão Salvatore  e depois levou Frederick para  a casa dela.  Eu pedi que ela ligasse para  Stefan vir   ficar comigo e foi exatamente isso que ela fez antes de ir embora.

 

Nesse meio tempo, eu fiquei sozinha.   E  aos  poucos   meus sentidos estavam voltando ao normal, mas eu continuava  exausta.  Eu podia sentir o poder começar a fluir com mais intensidade ainda em mim. Poderia   levar um tempo até meu corpo se acostumar novamente.

 

Ouço  a porta  se abrindo e levanto minha cabeça com esforço para ver quem é.   Penso que era  Stefan, mas me surpreendo ao ver  Elijah.    O que ele faz aqui?!

 

-   Victória,    o que aconteceu com você?   -   Ele me perguntou preocupado.

 

- Que te importa!  Você   não deveria estar aqui!  Como conseguiu entrar?    Saia daqui.    – Eu  comecei a falar nervosa.

 

-       Eu  quero saber o que aconteceu?   - Elijah perguntou dessa vez mais sério.

 

 

-  Você   não se importa,  então por que veio aqui  me perturbar?!   - Questionei com raiva e  ele negou com a cabeça.

 

- Eu ainda me importo  Vick, sempre vou me importar.   -  Elijah confessa.   – Você   é da família Victória e  eu tenho sentimentos por  você.     -   Ele tentou se aproximar de  mim, mas com meus poderes de bruxa o empurrei para longe.

 

 

- Eu estou cansada de ouvir suas mentiras!  Saia daqui!    Eu estou esperando   o meu amado Stefan e não você!     -    Eu  grito para o mesmo que pareceu ficar ferido com minhas palavrar.

 

- Apenas me diga o que aconteceu para  você sumir  do baile e estar nesse estado!   -  Elijah pediu  uma  última vez.

 

- Isso não lhe diz respeito,  se retire dessa casa, antes que eu faça isso por  você!    -  Eu lhe ameacei.

 

 

- Como  queira Victória.    – Ele murmurou  saindo em seguida .

 

 

- Estúpido.  – Falo quando ele sai. 

 

 

A porta do meu quarto se abriu mais uma vez, e dessa vez era meu Stefan.  Eu sorri para o  mesmo que me olhou preocupado.

 

- O que aconteceu  com você  Vick?    -      Ele me perguntou   se  sentando  ao meu lado na cama  e me colocando em seus braços.

 

-   Nada de mais.  Estou apenas em equilíbrio agora.      Eu juro  que  vou  melhorar.    – Eu explico.  

 

 

- Eu quero que  me dê a resposta completar Victória.    – Stefan exigiu e  eu concordei com  a cabeça.

 

 

- Certo.   – Eu falei e comecei a contar  sobre todo o ritual e  como  as coisas seriam comigo daqui para frente.

 

- Eu estou preocupado  com você querida,    e se no meio dessa vingança  você  acabar se mantando?    -    Stefan diz   alisando meu rosto com carinho.

 

- Eu tenho poder e aliados  Stefan ,nada de ruim vai aconteceu comigo.  -   Tento acalma-lo.   – Fique tranquilo.    – Pedi sorrindo fracamente para  o  mesmo.      -  Eu vou   acabar com   tudo definitivamente e meus irmãos vão morrer.    -   Eu falo com convicção.

 

-   Eu só quero que saiba que eu vou ficar do seu lado  não importa  o que faça.    -  Stefan diz sério.

 

 

- Então prometa isso.   -  Eu sugeri e ele assentiu.

 

- Eu prometo   a você que estarei para sempre ao seu lado.    -  Ele prometeu e eu sorri.

 

- Sabe  eu não costumo  acreditar em promessas, mas eu acredito na sua  Sfefan.    – Confessei.    -  Eu sei que você irá cumprir. 

 

  Ele se inclinou  para me beijar e  eu correspondi o beijo.     – Agora descanse  acho que  você  precisa.   -  Stefan dá a sugestão.

 

- Fique comigo aqui,   eu não quero estar sozinha.   – Eu pedi e ele concordou.

 

Eu vi Stefan  tirar seus sapatos , calça e  camisa. Ele se deitou ao meu lado   e  eu senti seus  braços ao redor  da minha cintura. Eu adormeci  feliz sentindo o calor de seu corpo  e a sensação de segurança  e tranquilidade que dormir de conchinha  com o Stefan  me proporcionava.


Notas Finais


O que acharam do capítulo de hoje?
Me digam nos comentários, pois isso me ajuda muitos e me estimula a continuar a fic :)
Espero que tenham gostado ! <3
Muitos beijos de luz e abraços <3 ;)
Até o próximo! :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...