1. Spirit Fanfics >
  2. Sunshine - Minsung >
  3. O casal do cool pegando fogo

História Sunshine - Minsung - Capítulo 44


Escrita por:


Notas do Autor


Sentiram saudades?

Minhas aulas voltaram, então isso vai dificultar no meu tempo para escrever e postar os capitulos.

Já tinha dito antes, mas a fic está chegando em reta final. Vai ter mais capitulos para escrever ainda, mas que ela está na reta final, ela está. Quando ela acabar, vou excluir ela dps de uma semana para dar uma ajeitada nela, concertar os erros e colocar uma betagem que tinha pedido em um dos capitulos de Changlix.

De qualquer forma, não precisam se preocupar com nada, ela não vai ser excluída permanentemente e nem nada, todas minhas fanfics vão passar por essa revisão quando essa acabar.

E isso. Fiquem com o capítulo de hoje

Qm está narrando essa primeira parte é o Minho

Capítulo 44 - O casal do cool pegando fogo


Fanfic / Fanfiction Sunshine - Minsung - Capítulo 44 - O casal do cool pegando fogo

Quarta 9:10 AM

Sabe aquela sensação boa que você não sabe explicar, mas incrivelmente se sente feliz e que poderia fazer qualquer coisa? Provavelmente não, mas me sinto assim nesse momento vendo Jisung dormir tranquilamente em cima de mim. Amo esse homem e faria qualquer coisa para ver um sorriso nesse rostinho fofo de esquilo.

– Para de encarar. – Jisung murmura sonolento.

– Te acordei? – pergunto mesmo que a resposta seja óbvia.

– Tem como não acordar com essa secada que você está dando? – Jisung pergunta coçando seus olhos com os dedos. Olha só a audácia desse esquilo falsificado, aposto que foi o Seungmin que influenciou meu bebê.

– Meu amor, sua beleza precisa ser apreciada. – falo.

– Apreciada e não secada. – Jisung fala. To falando, Seungmin tá levando meu esquilo pro caminho errado, aquele bulldog vai ver só. – Bom dia, Lino. – Jisung fala se aproximando do meu rosto para deixar um selinho.

– Bom dia, Hannie. – falo roubando mais selinhos.

– O que você quer fazer hoje? – Jisung pergunta.

– Hum... temos que fazer alguma coisa? Não podemos só ficar agarradinhos assim? – pergunto encarando o mais novo.

– Não. – Jisung responde e faço um bico.

– Por que? – pergunto.

– Porque quero fazer alguma coisa. – Jisung responde.

– Tudo bem, o que você quer fazer? – pergunto envolvendo Jisung em um abraço.

– Vamos acampar? – Jisung pergunta.

– Como assim? Aonde? – pergunto confuso.

– Somos cagões de mais pra acampar em uma floresta, por isso vai ser na sala. – Jisung explica.

– Ok, vamos no mercado comprar o que precisa e quem vai montar a barraca vai ser você. – falo levantando da cama.

– Vai ser nós dois, querido. – Jisung fala.

– Nós dois nada, você que quis acampar. – falo encarando o mais novo que faz uma cara de tédio.

– Greve.

– Amo acampar. Vamos montar a barraca juntos. – falo nervoso. Jisung se levanta da cama sorrindo convencido e deixou um beijinho na minha bochecha antes de sair do quarto. – Maldito esquilo.

(...)

– O que acha de levar isso? – Jisung pergunta segurando uma lanterna vermelha com detalhes de unicórnio.

– Pra que uma lanterna sendo que temos luz? E já temos lanterna. – falo e Jisung faz um bico colocando a lanterna novamente na prateleira.

– Ela é fofinha. – Jisung fala olhando a lanterna.

– É só colar figurinha de caderno na nossa lanterna que fica fofa. – falo começando a empurrar o carrinho para longe.

– Mas amor, não é a mesma coisa. – Jisung fala fazendo uma carinha de esquilo chorão enquanto agarrava meu braço tentando me convencer. – Por favor, amor.

– Você não vai conseguir me convencer fazendo essa cara. – falo tentando me manter forte. Entendam, sou completamente boiola pelo Jisung, meu coração é uma manteiga derretida quando se trata dele e ele sabe disso e fica se aproveitando, mas dessa vez não irá funcionar.

– Lino. – Jisung fala manhoso.

– ... pega. – falo soltando um suspiro longo. Jisung sorri e corre até a prateleira para pegar a lanterna. Igual aquele ditado "o que você me pede chorando que eu não faço sorrindo".

– Agora vamos pra sessão de comida. Precisamos de muita comida. – Jisung fala colocando a lanterna no carrinho e sai correndo para sessão de comida.

– Minha carteira chora. – murmuro começando a empurrar o carrinho atrás do esquilo animado.

Point of view autora

Sunshine 16:16 PM

Minho e Jisung entraram na cafeteria de mãos dadas chamando atenção dos funcionários que trabalhavam por ali já que conheciam o casal do cú pegando fogo, não me pergunte o por quê desse apelido até porque o Jisung é inocente e Minho também.

O casal do cú pegando fogo se sentaram na mesa de sempre e logo Felix deixou a cozinha para atender os dois, iria aproveitar pra fofocar com Jisung, ninguém poderia brigar com ele mesmo.

– Como vai o casal do cú pegando fogo? – Felix pergunta se sentando na frente do casal já que eles estavam sentados lado á lado.

– Ninguém vai esquecer esse apelido não? – Minho pergunta.

– Não. – Felix responde sorrindo debochado.

– Maldito apelido sem sentido. – Minho murmura.

– Se pagam de inocentes, mas de inocentes não tem nada. – Felix fala.

– Ainda tem cheesecake, Lix? – Jisung pergunta.

– Eles já acabaram, mas para a sua sorte, guardei dois cheesecake. – Felix fala.

– Ótimo, obrigado. – Jisung agradece sorrindo.

– De nada. Karen, traga aquele cheesecake que guardei na geladeira, por favor. – Felix pede para a funcionária que passava perto da mesa.

– Sim, chefe. – Karen fala e vai para cozinha.

– Incrível, os funcionários te respeitam. – Minho fala fazendo Felix revirar os olhos.

– Já chegou cheio de gracinhas, palhaço arrombado. – Felix fala e Minho solta uma risada sapeca.

– Arrombado ainda não sou, quem sabe em breve. – Minho fala e dá uma piscadela para o Han que fica vermelho.

– Glicose anal forte. – Felix murmura.

– Aqui está. – Karen fala entregando os cheesecake para o casal e se retira.

– Tenho uma fofoca quente. – Felix fala tendo atenção dos dois.

– Qual? – Jisung pergunta curioso.

– Chan está pensando em adotar um filho. Hyunjin vai viajar pra acasalar com o Innie e o Minnie em alguma praia e Mark está de volta e mais gostoso que antes. – Felix fala deixando os dois chocados.

– Chan está mesmo pensando em adotar um filho? – Jisung pergunta e Felix balança a cabeça confirmando. – To passada.

– Vou ser tio jovem, amém. – Minho fala.

– Você está velho, Lino. – Jisung fala fazendo Felix rir e Minho fechar a cara.

– Velho teu rabo. – Minho fala.

– Meu rabo sempre está novo e apertado. – Jisung fala e sorri malicioso junto com Minho, já Felix para de rir fazendo uma cara de nojo.

– Isso vou ter que testar por conta própria. Sabe como é, apenas garantir mesmo. – Minho fala sorrindo.

– Pode testar a vontade. – Jisung fala.

– Chega, sem putaria aqui. – Felix fala interrompendo os dois que soltam una risadinha e voltam a comer.

– Você tinha falado Mark, mas qual Mark? – Minho pergunta.

– O Mark que gostava do Jisung na faculdade. – Felix fala fazendo o Han se engasgar com bolo.

– Mark que gostava do Jisung... – Minho murmura olhando para Jisung.

– o Mark Tuan voltou? – Jisung pergunta.

– Sim e nem me pergunte o por quê, acho que ele sentiu saudades ou veio atrás de você. – Felix fala provocando o Lee mais velho que lança um olhar mortal para si. – To brincando, palhaço do cú arrombado.

– Hum. – Minho murmura voltando a comer.

– É cada coisa aleatória, viu. – Jisung fala.

– Então. Tenho que ir agora, preciso terminar de fazer os biscoitos. – Felix fala.

– Quero experimentar. – Jisung fala.

– Amanhã vou na sua casa e levo. – Felix fala.

– Tá. – Jisung fala. Felix se levantou voltando para cozinha deixando o casal a sós novamente.

Jisung termina de comer e fica observando o rosto do Lee, mas seus olhos acabaram indo parar na coxa do namorado. Sentindo um fogo surgir do nada, Jisung morde os lábios e leva a mão para a coxa do Lee a apertando com força assustando o mais velho que deu um pulinho.

– Jisung! – Minho fala assustado. Jisung apenas sorri malicioso e começa a massagear a coxa do mais velho fazemos movimentos de sobe e desce, encostando algumas vezes na parte íntima do Lee que se arrepiava todo. – Aqui não, Jisung. – Minho fala sério, mas por dentro queria apenas gemer pelo contato. A coxa era um de seus pontos fracos, o deixava manhoso e isso estava quase acontecendo no meio da cafeteria, a sorte era que ninguém estava prestando atenção e ainda tinha um pano na mesa, impedindo de ver o que acontecia ali embaixo.

– Não estou fazendo nada, hyung. – Jisung fala sorrindo. Minho suspira fundo mordendo os lábios, sentindo a mão do Han roçar na ereção que se formava a medida que os toques ficavam mais intenso.

– Hannie. – Minho o chama manhoso. Jisung sente todo seu corpo se arrepiar com a voz manhosa do mais velho.

– Vamos no banheiro. – Jisung sussurra e dá uma apertada na ereção do Lee antes de se levantar, indo em direção ao banheiro. Minho respira fundo e fica alguns segundos sentado para não desconfiarem, ele se levanta e anda em direção ao banheiro. O Lee entra no banheiro e logo vê seu namorado o encarando com um sorrindo malicioso.

– Demorou, amor. – Jisung fala indo até o mais velho.

– Demorei para não desconfiarem. – Minho murmura.

– Isso não importa mais. Vem, vamos acabar com isso logo antes que chegue alguém. – Jisung fala puxando o namorado para uma das cabines e empurra o Lee para se sentar no vaso enquanto trancava a porta.

Jisung se vira e vai até Minho, sentando em seu colo começando a rebolar sobre a ereção lentamente arrancando arfares e gemidos do Lee.

– H-Hannie... – Minho geme manhoso apertando a cintura do mais novo.

– Não faça barulhos, meu amor. Vão te escutar e teremos que parar, você não quer isso ou quer? – Jisung pergunta e Minho balança a cabeça negando. – Ótimo. Seja um bom menino, hum. – Jisung fala. Ele segura o queixo do mais velho puxando para si, o beijando.

Quebra de tempo

– Pronto. – Minho fala se levantando e alongando as costas olhando para a barraca que tinha montando no meio da sala.

– Lino, você pode pegar as cobertas? Elas estão na parte de cima do guarda-roupa. – Jisung fala colocando as coisas para dentro da barraca.

– Tá. – Minho fala indo em direção ao quarto.

Jisung olha para a barraca que estava quase pronta, só faltava a coberta e os dentro dela. Minho aparece na sala com as cobertas na mão e entrega para o Han que apenas joga elas lá dentro. Jisung liga a lanterna e desliga a luz da sala, ele se vira e anda até a barraca entrando na mesma junto com Minho e os dois deitam abraçadinhos.

– Gostou do nosso programa? – Jisung pergunta encarando o mais velho.

– Gosto de tudo desde que você esteja junto comigo, Hannie. – Minho fala fazendo carinho nos cabelos do mais novo.

– Ai, seu boiola cheia de glicose anal. – Jisung fala fazendo Minho rir. – Eu te amo, Lee Minho.

– Eu também te amo, Han Jisung. – Minho fala. Os dois sorri um para o outro e trocam alguns selinhos sentindo aquela maravilhosa sensação de estar com quem amam até que Jisung sente algo em seu pé.

– Minho...

– Oi?

– Tem alguma coisa no meu pé. – Jisung fala tenso.

– Deve ser a coberta. – Minho fala dando de ombros.

– Nós estamos com a coberta. – Jisung fala.

– Verdade... deve ser nada. – Minho fala.

– Minho... está se mexendo. – Jisung fala tendo um mini desespero.

– Calma, deixa eu ver o que é. – Minho fala ficando sentado. O Lee puxa a coberta e engole seco. – Então...

– O que que é? Por que está com essa cara? Minho? – Jisung pergunta quase tendo um ataque.

– Não entra em desespero. – Minho fala e Jisung balança a cabeça concordando. – Tem uma barata no teu pé.

– ... PUTA QUE PARIU!


Notas Finais


Vocês nesses exato momento vendo que não tinha hot e que era apenas insinuação:
🤡🤡🤡🤡🤡🤡🤡🤡🤡🤡🤡🤡🤡🤡🤡

//

Espero q goxtem ❤💙💚💛💜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...