1. Spirit Fanfics >
  2. The Servant-maid >
  3. Capítulo 32 - No paraíso?

História The Servant-maid - Capítulo 32


Escrita por:


Capítulo 32 - Capítulo 32 - No paraíso?


Fanfic / Fanfiction The Servant-maid - Capítulo 32 - Capítulo 32 - No paraíso?

Tudo estava branco, era a única coisa que Hyeri conseguia enxergar, vagava perdidamente em um lugar inteiramente branco, estava só e não tinha para onde ir, queria chorar, espernear e gritar, mas não conseguia.

Ouvia vozes o tempo todo, sempre vozes diferentes, falando seu nome, chamando-a, pedindo para que ela abrisse os olhos e sorrisse mais uma vez. Ela não entendia o que estava acontecendo.

Até que de repente, depois de muito tempo, ela conseguiu fazer o que as vozes diziam. Em um desespero tentou puxar o ar, mas ele não vinha, tinha algo preso em sua garganta, que incomodava e dificultada a tarefa, começou a tossir desesperada, sem saber o que estava acontecendo.

Sentiu aquela coisa ser puxada da sua garganta, resultando em mais tosses, mas logo seguida por uma respiração mais calma. Seus olhos se abriram lentamente e um clarão tomou conta, ela fechou novamente.

– Senhorita Kang? – Uma voz a chamava. – Consegue me ouvir?

Novamente ela tentou abrir os olhos, piscando algumas vezes, tentando se acostumar, até que conseguiu abri-los e viu a imagem perfeita de sua mãe a olhando, com seus olhos vermelhos e rosto molhado.

– Omma? – Perguntou ela com um pouco de dificuldade, com a voz baixa e rouca, devido a quantidade de tempo sem falar.

– Adeul, sou eu, estou aqui. – Disse a mãe chorando ainda mais.

A garota abaixou um pouco seu olhar, vendo seu irmão ao lado dela.

– Jee-ah? – Disse baixo.

– Sou eu noona. – Ele sorriu para ela.

– Sabe onde está? – Perguntou o médico e ela virou para olha-lo e arregalou os olhos.

– No paraíso? – O médico riu. – Omma, eu morri? – Perguntou ela ainda olhando atentamente para o médico que tinha um sorriso meigo em seu rosto.

– Parece que se sente bem senhorita Kang. – O médico disse com um sorriso.

Ele pegou uma lanterninha e passou diante aos seus olhos.

– Quem é você? – Perguntou ela ainda o encarando.

– Sou seu médico, me chamo Choi Min-ho. – Ele segurou as duas mãos da garota. – Aperte minhas mãos com força. – Ela o fez sem questionar. – Muito bom. – Ele sorriu. – Vamos tentar se sentar? – Ela assentiu.

Então ele inclinou a maca e a ajudou a se sentar, assim que ela viu sete garotos no pé de sua cama seus olhos se arregalaram e ela levou sua mão a boca.

– Omma estou sonhando? – Perguntou ela.

– Do que está falando filha? – Perguntou a mãe olhando na mesma direção que ela.

Os garotos sorriram para ela, estavam extremamente felizes, ela havia acordado, depois de todo aquele tempo esperando, ela finalmente havia voltado.

– Sabe quem são? – Perguntou o médico. Ela o olhou.

– Claro, é o BTS. – Ela disse como se fosse obvio. E voltou a olhar para eles. – Mas... o que eles fazem aqui?

– Eles vieram te visitar filha, durante todo o tempo que ficou em coma. – Disse a mãe calma e feliz.

– Coma? – Ela perguntou séria. – Eles fazem caridade? – Perguntou olhando para eles novamente.

– Do que está falando Hyeri? – Perguntou Jee.

– Por que eles me visitariam? – Perguntou assustada.

O médico olhou para ela e depois para os garotos que tinham suas expressões curiosas, preocupadas....

– Não sabe quem eles são? – Perguntou ele.

– Já disse, é o BTS. – Disse sorrindo.

– Filha, você é empregada deles. – Disse a mãe a olhando confusa e ela arregalou os olhos.

– Eu sou?

– Não se lembra da gente Hyeri-ah? – Perguntou Namjoon.

– Hyeri-ah? Você me chamou de Hyeri-ah? – Ela perguntou com sua mão na boca. – Omma... ele me chamou de Hyeri-ah, o Namjoon... do BTS me chamou de Hyeri-ah. – Ela olhou feliz para sua mãe.

– Precisamos fazer uma ressonância. – Disse o médico a olhando sério. E a mãe dela assentiu. – Senhorita Kang, se lembra qual sua idade, qual faculdade faz?

– Tenho 20, não faço faculdade. – Ela respondeu confusa.

– Hyeri-ah, você já tem 21 e cursa música. – Disse Jee a encarando curioso.

– Omma, cadê meu appa? – Perguntou apreensiva e assustada.

Todos arregalaram seus olhos, a mãe dela se sentou na poltrona segurando o choro que estava entalado em sua garganta.

 

[...]

 

Após fazer vários exames e uma ressonância, Hyeri entrou no quarto, sentada em uma cadeira de rodas sendo empurrada pelo médico, todos estavam lá esperando. O médico a ajudou a se deitar na cama novamente e suspirou olhando para a mãe de Hyeri.

– Sra. Kang.... – Ele disse apreensivo. – Eu sinto muito, mas sua filha perdeu uma parte de sua memória.

– O que? – Disse ela espantada.

– É uma pequena parte, creio que sejam apenas os últimos seis ou sete meses vividos. – Respondeu calmamente. – Conforme as perguntas que fiz e o que os exames indicam. – Finalizou.

– Omma, cadê o appa? – Perguntou ela novamente ignorando o que o médico dizia.

– Adeul.... – Ela se levantou e pegou a mão da filha. – Seu pai... ele.... – Uma lágrima desceu pelo se rosto. – Seu pai faleceu a quase dois meses.

– O que? – Hyeri perguntou chorosa. – Não minta para mim.

Os garotos se entreolharam preocupados, toda a dificuldade que ela passou, todo aquele sofrimento, ela teria que passar por aquilo novamente?

Quando sua mãe negou, Hyeri desabou a chorar, tudo que ela havia chorado antes, estava chorando novamente, ela estava revivendo toda a sua dor novamente.

 

[...]

 

Duas semanas se passaram e Hyeri já havia voltado para casa, os garotos insistiram para que ela morasse com eles, ela ficou receosa e relutante no início, mas sua mãe insistiu que ela o fizesse. Após muitas idas ao médico, fazendo exercícios diários, para ajudar a voltar a fazer qualquer tipo de atividade física, como até mesmo andar, finalmente estava em casa.

Hyeri se aproximou muito de seu médico, ela ia todos os dias, para fazer a fisioterapia, ele era extremamente simpático, amigável, sociável e completamente lindo. Ele disse que a qualquer hora ela poderia se lembrar das memórias que perdeu, mas até agora... ainda não se lembrava dos garotos.

A garota se levantou da maca, quando terminou se fazer os exercícios propostos pelo seu instrutor no hospital. Já estava andando completamente bem, sem precisar de apoio, mas o médico insistia que ela continuasse a ir, sem saber o motivo.

– Senhoria Kang, já terminou? – Disse seu médico entrando na sala sorrindo, observando a garota calçar seu tênis.

– Ah, dr. Choi. – Ela sorriu. – Terminei, agora vou para casa.

– E se você esperar mais dez minutinhos? – Ele perguntou a encarando sério.

– Por que? – Perguntou confusa.

– Para que eu me troque e te leve para comer algo. – Ele sorriu e ela arregalou os olhos.

– Dr. Choi....

– A partir de hoje, não sou mais seu médico. – Ele se aproximou dela e a ajudou a descer da maca. – Não precisa mais vir se exercitar aqui.

– Sério? Isso é ótimo. – Ela sorriu.

– Pode me esperar?

– P-Posso. – Gaguejou. Ele sorriu e saiu da sala.

Exatos dez minutos depois ele apareceu novamente vestindo uma roupa social maravilhosa, que realçava seu corpo forte, que fazia qualquer garota babar, inclusive Hyeri.

– Vamos? – Ele estendeu a mão para ela.

Ela encarou a mão dele por alguns minutos, receosa... pegou a mão do mesmo que a puxou para fora do quarto e para fora do hospital, levou-a até seu carro e abriu a porta do mesmo.

– Não vou te levar para jantar, está um pouco tarde para isso. – Ele disse e ela soltou a respiração se acalmando. – Mas te levarei um outro dia. – Ele disse dando partida.

– Então, para onde vamos?

– Gosta de sorvete?

– Adoro. – Ela sorriu olhado para a janela.

 

[...]

 

– Obrigada, o sorvete está muito bom. – Disse Hyeri chupando seu sorvete e descendo do carro.

Ele desceu junto e a acompanhou até a porta, ela abriu a porta e se virou para ele agradecendo mais uma vez, ela ficou na pontinha dos pés e deu um beijo na bochecha do mais alto, que engasgou surpreso e começou a tossir.

– Você está bem? – Perguntou preocupada.

– Água. – Disse de uma maneira desesperada.

Ela rapidamente o puxou pelo braço, o arrastando até a cozinha, entrou na cozinha vendo os meninos jantando, ela não disse nada, apenas pegou um copo da água e entregou para o médico, que deu um gole generoso.

– Está se sentindo melhor?

– Estou obrigada. – Ele sorriu em graça.

– Oh, dr. Choi, o que faz por aqui? – Perguntou Namjoon com um sorriso.

– Vim deixar a senhoria Kang em casa. – Ele sorriu de volta.

Hyeri fez um reverencia para os meninos, ela ainda não estava muito acostumada a viver com eles, falava e agia formalmente com eles. Eles queriam a Hyeri de volta, demoraram tanto para conseguir fazer com que ela se abrisse e deixasse as formalidades de lado, que agora estava tudo complicado outra vez.

Os meninos se levantaram e fizeram uma reverencia para o médico e foram todos se sentar na sala conversando. Hyeri continuou chupando seu sorvete calmamente, nem notando que estava sendo observada por Choi.

– Acho que já vou indo. – Disse ele.

– Oh, tudo bem. – Ela sorriu. – Obrigada pela carona e pelo sorvete.

– Não tem que me agradecer. – Ele sorriu e se aproximou da garota. – Mas....

– O que?

– Seu sorvete é bom?

– Sim.... – Respondeu confusa.

– Posso experimentar antes de ir? – Ela riu.

– Claro. – Ela esticou o braço na direção dele.

Ele segurou o pulso da garota e afastou de seu rosto, ela o olhou sem entender. Então ele a puxa pela cintura e cola seus lábios no dela, em um beijo calmo e rápido, puxando o lábio inferior da garota ao separar o beijo. Ela o olhava com carinho e ele sorriu.

– É muito bom. – Ela corou e ele riu dela. – Aegyo.

Ela deixou o sorvete na mesa e o levou até a porta da frente, ele saiu e foi em direção ao seu carro, mas se virou e acenou para a garota, ela acenou de volta e quando viu ele partir com o carro, só então fechou a porta.

A garota encostou na porta assim que a fechou e levou as duas mãos no rosto, os tampando envergonhada e feliz ao mesmo tempo, ela tirou as mãos e levou uma delas aos seus lábios o tocando, lembrando do beijo que ganhou e sorriu. Ela olhou para o sofá e viu os meninos a encarando sérios.

Se endireitou e caminhou até seu quarto, mas parou quando ouviu sendo chamada.

– Hyeri-ah? – Disse Namjoon.

– Sim Namjoon-ssi?

– Ok... primeiro tente de me chamar como você me chamava antes, hm? – Ela assentiu.

– Joon-ah? – Perguntou ela.

Eles já haviam falado a ela, como ela os tratava, mas estava sendo difícil para conseguir se adaptar com aquilo. Então o garoto sorriu mostrando suas covinhas.

– Bem melhor. – Ele bateu a mão no sofá ao lado dele e ela receosa se sentou olhando para as mãos. – Então, por que esse sorrisinho bobo na cara?

– Nada. – Disse olhando para ele.

– Você não nos engana. – Disse Yoongi.

– Hyeri-ah, você sempre falou as coisas para gente. – Disse Hoseok.

– É estranho. – Respondeu ela.

– Por que não tenta? – Perguntou Jin e ela assentiu.

– Hm.… o dr. Choi é muito bom comigo... – Ela disse e os meninos a encaram esperando ela continuar. – Hoje ele me levou para tomar sorvete, foi divertido. – Disse dando com os ombros.

– Gosta dele? – Perguntou Taehyung parecendo triste.

– Eu não sei.

– Gosta ou não? – Jungkook se intrometeu.

– Eu ainda não sei. – Ela riu. – Quando ele me beijou me senti estranha.

– Ele te beijou? – Perguntaram todos juntos com os olhos arregalados.

– Sim.... – Ela diz com sorriso bobo.

– Kang, não....

– O que você sentiu? – Jungkook interrompeu Taehyung.

– Surpresa, assustada, animada.... – Respondeu ela.

Eles se entreolharam e ficaram em silêncio, ouviram um barulho de batida na porta, olharam para a mesma e depois para o relógio que marcava 23h em ponto, meio... tarde para receber visitas sem aviso prévio.

Hyeri se levantou e caminhou até a porta e quando abriu, deu dois passos para trás com o baque de Hwasa a abraçando.

– Hyeri-ah, você está bem? – Perguntou separando o abraço e segurando o rosto da amiga.

– Estou eonnie. – Sorriu com seu rosto sendo apertado.

– Me desculpe não conseguir vir antes, me perdoe....

– Yaah, eu entendo. – Acariciou as mãos da amiga que estavam em seu rosto.

– Eu trouxe alguém que também queria te ver. – Disse Hwasa entrando na casa e saindo da vista de Hyeri, foi até Namjoon.

Hyeri olhou em direção na porta e levou a mão na boca surpresa, ela estava vendo seu baias, ele caminhou até ela e a mesma deu passos para trás, então ele fechou a porta e a encarou, ela olhou para o meninos e Hwasa.

– Eonnie, é o Jackson Wang.... – Disse animada.

Os garotos a olharam tristes, Hwasa já sabia que ela havia perdido a memória, mas ainda não havia presenciado isso. Jackson se aproximou dela e a abraçou, os braços dela estavam caídos ao lado do corpo, ela não sabia o que fazer, não sabia se devia retribuir.

Ele se afastou dela e segurou em seus ombros a encarando.

– Não se lembra de mim? – Ela negou com a cabeça. – Estudo com você garota do armário.

– Garota do armário? – Ela perguntou confusa e uma lágrima desceu pelo rosto do garoto.

– No primeiro dia que eu te vi, você.... – Ele limpou a lágrima e riu baixo. – Você estava tão distraída e ansiosa com o curso, que deu de cara com meu armário.

– Eu fiz isso? – Ela riu e ele assentiu. – Bem típico. – Os dois riram.

– Hyeri-ah, me desculpe por te deixar sozinha na faculdade, se eu tivesse me dedicado mais e faltado menos, eu poderia ter te protegido e.... – Ele parou de falar assim que Hyeri fez uma careta e se abaixou segurando o joelho. – Hyeri-ah, você está bem?

– Estou, só.... – Ela se afastou dele e se sentou no sofá.

Os garotos se aproximaram e a olharam, ela os olhou de volta.

– Me desculpe. – Disse se levantando. – Acho que preciso descansar um pouco. – Caminhou até seu quarto deixando todos na sala preocupados.

Deitou-se na cama, e logo adormeceu, estava com uma dor de cabeça terrível e extremamente cansada, ultimamente ela estava se cansando fácil, então a melhor coisa que fazia era dormir quando se sentia mal.


Notas Finais


CONTINUAAA....???


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...