miela

miela
Rakanzinho;
Nome: .⌗いのち; ℳiela ama muito 𝓡𝓪𝓴𝓪𝓷!𝓡𝓪𝔂
Status: Usuário
Sexo: Outro
Localização: Araxa, Minas Gerais, Brasil
Aniversário: 22 de Março
Cadastro:

miela - Rakanzinho;


Y((ou,, you love it how I mo__ve you<
You lov!!e it how I touch чσυ
ᴹʸ ᵒᶰᵉ,, 𝚠𝚑𝚎𝚗 all is sai#d and do+ne
You'''''ll believe Gᴏᴅ ɪs ᴀ ᴡᴏᴍᴀɴ

.shelter;; personagens

Postado

Escreveu




You have my heart, and we'll never be worl???ds apart;;;
Maybe in maga__zines, but you'll still be my star
Baby, 'cause in the dark}}}
You can'''''t see 𝓼𝓱𝓲𝓷𝔂 cars
.nd that's wheñ you nee)))d me the.re
With y×u I'll always sharē
Becaus_





— Ellen Grayson
¹⁹ ⁻ ᴴᵉʳᵒ́ᶤ



Fιѕн, Ellιe, Grαy

Ellen valoriza muito a vida; isso é o básico que todos sabem dele. Ajuda sempre no que pode, seja Herói, seja Vilão; é piedoso, e aceita desculpas com sorriso enorme. Acredita muito nos outros, e gosta de os colocar pra cima; sua gentileza e bondade são de fato adoráveis. Grayson costuma ser bem alegre, carismático e divertido. Meio doidinho, mas um verdadeiro amor de pessoa. Meio inocente, demorando bastante a entender piadas de duplo sentido, ou qualquer coisa relacionada à isso. Não é visto cabisbaixo, ou sem seu belo e sincero sorriso; na vida, Ellen já chorou e se lamentou demais nessa vida. Então, ele busca deixar seus iguais confortáveis e seguros – pra isso, ele precisa estar bem também. É quase fundamental. Fish prefere não demonstrar abalos, justamente para deixar todos confiantes em si; o que é extremamente precioso pra si.

Não era exatamente o que chamamos de aluno exemplar, mas ele era esforçado e dedicado; tirava “notas” razoáveis, mas buscava sempre se superar. Apesar de bem lerdo com certas coisas, e bem inocente, Ellen é inteligente e não se deixa ser levado por papo furado. É o amigo de todos; da forma mais literal possível. Ele decorou ao menos os nomes de todos os alunos e outros professores; apenas os novatos lhe são novidade. Costuma se preocupar muito com todos, como já dito, então é comum vê-lo tentando animar alguém; seja com palavras gentis, mais duras ou algumas palhaças. Grayson age de formas diferentes com bem pessoas diferentes, a fim de mantê-las bem e ter um clima agradável. No geral, conversas com Ellie são simplórias, mas ele se dedica em deixar a pessoa confortável, para também se sentir assim. Adora estar em movimento, e é incomum vê-lo parado; sempre está ajudando, ou conversando pela ilha.

Tem dificuldades para dormir à noite, devido pesadelos. Somente Philip sabe disso, e o tenta ajudar o máximo que pode. Culpa é um sentimento sempre presente em Ellen, apesar de o esconder bem.

Possui Borderline, ele cria afeto muito rápido pelas pessoas e as considera bem rápido também; por isso ele se dedica aos outros, pois todos são especiais – alguns mais do que outros, nada fora do comum. Seus sentimentos são bem confusos as vezes, e ele pode se tornar muito agitado de repente; tendo algumas leves crises, que o levam a ser meio vazio. Além do medo incessante de perder as pessoas que mais considera – e esse é um de seus problemas que o rapaz mas tenta encobrir, porém, é bem nítido no seu dia-a-dia. Remédios ajudam, mas não gosta de depender sempre deles. Caso haja mudanças em seu comportamento, ele mesmo procura se afastar quando percebe. Isso, sendo marcas de uma passado repleto de tristeza; desde de pequeno convivendo com essas mudanças estranhas de humor.

Quando diagnosticado com Borderline, seus pais, mesmo meio ausentes, faziam o que podiam para se sentir bem; e foi daí que ele quis fazer isso também, com todos ao seu redor. Por isso ele engole seu sofrimento. Simplesmente pra ser como seus pais – ou melhor, para honrar a vida maravilhosa que teve graças a eles. É difícil ver Ellen com medo de algo, ou receoso; tirando suas crises, que pode fazer ele recuar com mais facilidade e assuntos que envolvam All Might – no qual ele fica desconfortável –, sempre é visto de cabeça erguida, sem temores.

Puxar papos estranhos e sem sentido são comuns pra ele; rir do mesmo também, visto que ele é naturalmente lerdo e engraçado. Sua presença, geralmente, trás uma sensação de proteção e aconchego.

— Haru Rodriguez
¹⁶ ⁻ ᴬᵖʳᵉᶰᵈᶤᶻ ᵈᵉ ᵛᶤˡᵃ̃ᵒ



Aɴα̃o, Aнrι, Rυвι

Haru é uma pessoa obsessiva e rigorosa – mais consigo do que com segundos –, podendo até deixar muito a perder para concluir seus objetivos. Mostra-se também uma pessoa gananciosa, que sempre usa os recursos que adquiri a favor de si mesmo, eliminando qualquer intimidade com segundos – porém, depende. Rubi, é meio instável e bipolar, variando seu humor periodicamente. Porém, na maior parte das vezes ele é calmo, frio e de certo bem fofo – somente pela aparência inocente, vale dizer. Ele geralmente tem um olhar opaco e meio sem brilho. Não gosta muito de socializar, prefere ficar sozinho; porém, ele é bem fácil de conversar. Não demonstra muito seus sentimentos, e é fácil vê-lo com uma face neutra. Rodriguez não esconde ter uma personalidade perturbada e sádica; adorando ver as pessoas se ferrarem, e sempre estando por perto para fazer alguma coisinha ou outra.

Geralmente, Haru não é encontrado conversando com ninguém. Sua presença é neutra, e quase ninguém repara que ele está ali. Odeia ser o centro das atenções, e odeia mais ainda quem faz algazarra por motivos fúteis.

Não faz julgamentos precipitados, mas demora a mudar sua opinião, dependendo de como a pessoa age. Criar afeto por alguém é incrivelmente difícil para o mesmo, que costuma analisar e testar muito a pessoa antes de unir-se a ela, e criar laços; porém, depois, ele é fiel e às vezes meio ciumento demais. Rodriguez é bem sincero, mas com relação à sentimentos é fechado, e procura desviar o máximo possível de assuntos que o envolvam. Não é comum vê-lo ajudar ninguém, muito menos vê-lo tempo demais perto de alguém; mas, existem algumas exceções, como: Ellen e Shiro, que apesar de serem muito diferentes de si, ele os julga como confiáveis e os trata como tal. Aproximações repentinas o assustam, então, uma boa abordagem com ele é algo calmo, e mais sutil. Escolhendo bem suas palavras, pelo menos no começo, para não fazê-lo se afastar de imediato como sempre acontece.

Ahri possui Sociopatia, que ao contrário do que pensam, é bem diferente de Psicopatia. Além de ter crises histéricas de raiva, que podem o fazer machucar pessoas – não intencionalmente – ou, acabar se afastando de todos por dias; isso vale também pra ciúmes, porém, a segunda parte é a mais provável. É um garoto difícil de lidar, precisando ser paciente e andar no seu ritmo, porém, os frutos de uma relação com ele são verdadeiros, apesar de serem simplórios.

Pensando de forma positiva, Haru é bem companheiro, mesmo em momentos difíceis. Sua presença se torna mais solta, porém, ainda silenciosa e misteriosa. A sensação que pode percorrer seu corpo ao estar perto dele faria; medo, angústia, curiosidade. Isso depende de sua relação com o mesmo, e o quanto ele te considera. No geral também, não liga em ser provocado; revida quando quer, e se não gostar da pessoa, ou ela ter feito algo que ele julga ser errado, ele vai sim dar indiretas, ser sarcástico e ir até o limite desta. Como um verdadeiro demônio, Rodriguez pode lhe dar péssimas impressões; mas, é só não vacilar.

—Philip Maya
¹⁹ ⁻ ᴴᵉʳᵒ́ᶤ



Pнιl, Mαy, Lιpe

→Quase nunca perde a calma, e geralmente não fica animado ou contente sobre qualquer coisa (com exceção de Ellen e jogos de vídeo). É calmo e reservado. Não costuma expressar demais suas opiniões, pois tem medo do que os outros possam pensar delas – tem bastante medo, na verdade. Phil não é muito acessível e não faz amigos tão facilmente, porém, se esforça pra ser o mínimo amigável possível. Raramente mostra emoções; como tal, ele geralmente acaba dando uma impressão fria e vazia para os outros, o que os leva a se afastar e deixar o garoto sempre receoso com novas aproximações. Seu modo de falar tende a ser tímido e às vezes parece perturbado - como quando Ellen o conheceu. Além deste, Philip não fez tantas amizade com ninguém desde que ele estava na escola primária.

Possui transtorno de personalidade obsessivo-compulsiva, e é realmente preocupado com regras e ordem, e que valorizem o trabalho acima de outros aspectos da vida; é perfeccionista e têm uma necessidade de estar no controle. É importante não confundir com o transtorno obsessivo-compulsivo, que é uma forma de transtorno de ansiedade – apesar de ter leves indícios de possuir também, mas, nada de fato confirmado.

Sempre em um canto, meio calado e alheio aos outros, procura se dedicar mais em seus jogos; além, claro, dos treinamentos que ele precisa participar. Não é de pedir ajuda, e nem gosta muito de ser ajudado; porém, dependendo da pessoa, pode achar uma ação levemente meiga. Também não costuma querer ajudar, mas Ellen sempre põe na cabeça dele que é importante; então, ele o faz, pelo amigo. As conversas com o loiro geralmente são curtas, pois ninguém é interessante e insistente o suficiente para chegar a ter uma amizade consigo. Apesar disso, ele parece não se importar tanto; só parece.

Pode parecer meio manipulador, porém, ele só gosta de estar apar de tudo, e sentir-se no controle das situações. Sendo uma boa pessoa, e alguém que você pode confiar segredos; ele preza o silêncio, e sua boca é como um túmulo. Se procura alguém para lhe ouvir, Philip é perfeito pra isso.

— Shirone Snow
¹⁶ ⁻ ᴬᵖʳᵉᶰᵈᶤᶻ ᵈᵉ ᵛᶤˡᵃ̃ᵒ



Sнιro, Neвlιɴα, Neĸo

Shiro é conhecido por ser guloso, ele ama doces. Principalmente chocolate. Também é bem preguiçoso, dificilmente ele vai fazer esforço desnecessário – a não ser que seja realmente preciso, ou por alguém bem próximo. Como Hide, ele é astuto, lógico, inteligente e manipulador. É sensato o suficiente para duvidar e analisar tudo. Pela aparência jovem e levemente inocente, ninguém imagina que ele seja assim – e agindo de forma descontraída, e meio infantil, fica ainda mais difícil perceber. Apesar de não ter um lado fixo, ele gosta bastante dos vilões; por não terem regras, mas, não é exatamente igual a eles, pois seus ideais são distintos demais. Seu instinto assassino é algo que ele não pode explicar, proveniente de sua personalidade meio bipolar. Não é difícil, porém, também não é exatamente comum vê-lo com os olhos escuros, sedento por sangue.

Ele não é tão confiável, e até mesmo Hideyoshi, com quem criou uma amizade, vive com um pé atrás com relação ao albino. Apesar de ser brincalhão, amigável e bem humorado, como Haru, a sua confiança é difícil de se conseguir. Diferente do Rodriguez, como já dito, Shirone é animado e conversa fácil com as pessoas – se essas vierem até si. Sorri bastante, e age de forma infantil às vezes. Não conhece todos por lá, porém, sente vontade de conversar com os outros; apenas pela atenção, mas nunca se sabe quando ele pode gostar da presença de alguém, como; Amai, Ellen e Hide.

Apesar de não parecer, Snow sofre de Ansiedade; tendo preocupação acima do normal por coisas pequenas, sendo esse um dos seus piores problemas que o atrapalham muito em seu cotidiano. Insônia. Medo sem sentido, porém, por motivos em específico, ele se sente pior e mais frágil a noite. Tensão muscular e pânico, que o leva a andar em círculos, e mexer exageradamente em seus cabelos, murmurando coisas sem sentido. Costuma tentar guardar tudo isso pra si, mas é bem visível que ele é meio perturbado por esses problemas.

— Hideyoshi Nakamura
¹⁴ ⁻ ᴬᵖʳᵉᶰᵈᶤᶻ ᵈᵉ ᵛᶤˡᵃ̃ᵒ



Hιde, Nαнι, Yoѕнι

Hide é um garoto inteligente, lógico e cético, fazendo com que ele aja mais com a razão do que na emoção. Sua inteligência o torna alguém negociador, calculista, estrategista e manipulador, como isso ele consegue enganar e se aproveitar das pessoas. É bem preguiçoso, e não costuma ajudar muito as pessoas ao seu redor – porém, novamente, existem algumas exceções. Sua inteligência também lhe traz grandes desvantagens. Muitas vezes, Hideyoshi acaba subestimando os outros a sua volta e tendo total confiança em si mesmo, ignorando as outras possibilidades – o que, sem dúvidas, lhe quebra as pernas em algumas situações.

Ele se mostra também alguém muito paciente, embora às vezes perca a paciência com a insistência de Ellen de agir conforme as emoções, apesar de ser bem acostumado com o jeito dele. Nakamura também é conhecido por ser extremamente corajoso e audacioso, não tendo medo de provocar e revidar o que jogam pra si. Na maior parte das vezes ele é visto lendo, porém, não é tão fã de estudar como parece; apenas faz isso pra reunir conhecimento, e não ser um peso morto, visto que suas habilidades giram em torno de si, e em uma luta contra ele não seria tão útil. Apesar de ser seguro de si, sabe que ainda tem muito o que aprender. Em segredo, porém, sabe.

Hide é um dos garotos mais inteligentes que já pisaram na ilha – mesmo sendo muito novo para tal. Segundo Shirone, Nahi é uma enciclopédia ambulante. Estudou e estuda muito para poder manter-se ativo, além de sempre poder expandir sua individualidade mais e mais. Graças a sua inteligência, o rapaz é calculista, analítico e estrategista. Grande parte das vezes analisando uma situação difícil para encontrar uma melhor solução. É um grande manipulador, conseguindo enganar muitas pessoas no passado, antes de ser obrigado por seus tios a ir para o Isolamento.

— Amai Honaru
¹⁵ ⁻ ᵃᵖʳᵉᶰᵈᶤᶻ ᵈᵉ ʰᵉʳᵒᶤ́ᶰᵃ



Mαι, Fαитαѕмιинα, Nαяυ

Amai é uma garota divertida. Nunca deixou sua aparência definir sua futura profissão. Ela seria a mais forte e mais poderosa heroína de todos. A opinião do outros sobre si é facilmente ignorada por seu ego de “futura” heroína e seu jeito inocente de ser.
Amai perdeu seus pais durante o desabamento de um prédio, e não se sabe como ela sobreviveu. Deste então se tornou sensível quanto a “perder alguém”. Pois eles se foram rapidamente… Porque seus amigos não fariam o mesmo durante a guerra? Esse era seu medo, mas também, sua vontade de lutar contra isso veio graças a esse medo. Ela não deixará nada, NADA, acontecer a aqueles que ela ama.
Mai é amorosa, sempre foi na verdade, e nunca deixará de ser. Sua aparência não importa, apenas seu senso de heroína buscando um futuro melhor. Seu jeito engraçado parte para as vezes que ela perde parte de algum corpo de repente… “Eu acho que eu acordei com o pé direito… Ah, CADÊ MEU PÉ ESQUERDO?” são comuns, além de piadinhas quase sem sentido. Naru ainda sim, possui um lado que ela detesta; sua crise de identidade. Ela não gosta de pensar nisso, mas ela já se pensou como vilã; e isso não deu certo. Ela quer ser uma heroína, mas acredita que precisa de mais apoio para isso. Normalmente Amai pode ser vista com um ursinho de pelúcia por aí, ou cantarolando músicas aleatórias — seu gênero favorito é pop.

— Tobias Levesque
²⁴ ⁻ ᵛᶤˡᵃ̃ᵒ



Toвy, Cιвerɴéтιco, Toтó

Toby nunca se sentiu confortável no mundo. Sua família o criou com vários mimos querendo que o garoto se tornasse um herói forte. Sua individualidade de fato era forte; mas ser herói não combinava. Tobias tinha um senso diferente, ele estava tão perdido que fez amizade com um vilão. O outro era desconhecido, mas deu tantas respostas que o garoto teve um grande estímulo em sua inteligência e curiosidade.
Mas ele transformou sua curiosidade e inteligência em uma arma. Sua individualidade parecia inútil, mas sua inteligência para um simples herói era forte... e para um vilão? É.
Tobias não queria saber de sua individualidade, ele tinha uma coisa muito melhor em mente; matar com as próprias mãos. Nascido psicopata, nunca teve o tratamento devido e isso se desenvolveu rápido. Toby fugiu de casa aos 14 anos e foi morar com seu amigo vilão, que iria o trair por dinheiro. Mas ele tinha sua carta na manga, ele sempre tem, afinal, “um amigo verdadeiro lhe esfaqueia na frente”. Ele disse, destruindo as chances do outro de lhe atacar.
Tobias trabalhou por dez anos como um mercenário, matando e roubando pessoas apenas como uma diversão e modo de ganhar dinheiro. Ele esteve em diversas gangues, descobrindo mais de si mesmo; Toby era louco, ele era o caos, ele havia nascido para derramar sangue.
Mas foi capturado por pessoas misteriosas após o início da guerra.
“Sua individualidade é forte” eles disseram, mas o rapaz não queria saber mais dela. Ele queria matar, e isso custou suas memórias.
Toda a sua memória de antes da guerra foi apagada, e Tobias se tornou um jovem confuso e entediado. O que ele deveria fazer agora? Quem ele era? Ele, mais uma vez, precisava de respostas. Ele começou a socializar após conhecer seus primeiros amigos; Amai e Philip. Deste então, Toby é rodeado de alguns amigos e sempre faz algumas travessuras, mas sempre que ele vai atacar, todos sabem que devem ser afastar.
Mas sua agressividade ainda se mantém, ele ainda é um monstro, ainda é um vilão. Ele continua sendo mal, descontrolado, e com total controle de sua individualidade, nada vai o impedir.

— Noah Kindell
²¹ ⁻ ᵛᶤˡᵃ̃ᵒ



Kιɴ, Sɴαĸer, Dell

→De acordo com ele mesmo, Noah não vive. Ele apenas existe. Existe para concluir uma missão que é forçado a cumprir.
Noah perdeu parte de seu senso de liberdade quando foi mandado morar com os tios após um acidente com sua individualidade.
Kin despertou sua individualidade com 7 anos, e com isso veio um grande “preço”: a morte de seus pais graças a sua própria individualidade. Todos tinham medo de olhar para o garoto, até mesmo ele tinha medo de si mesmo. Ele se via um monstro, e isso o prendeu a aceitar e ficar calado. E assim ele fez, pelo resto de sua infância e adolescência. Noah tem medo do errado, mesmo ele sendo errado, e por isso seus lábios não se movem mais como antigamente. Agora ele tem suas parceiras para o resto da vida. Sua própria individualidade; medusa.
Perdeu total liberdade de expressão quando simpatizou com sua própria individualidade. Ele não falaria mais nada, mas elas falariam por ele. Noah se sente trancado em um ciclo: ele quer, mas não pode ter, e nunca iria ter. Ele se sente perdido e isolado no mundo, então a anti-socialidade caminha ao seu lado, junto da timidez e a incapacidade de falar com as pessoas. Ele não é mudo, mas não consegue falar como uma pessoa normal sem começar a pensar nas mil respostas que as pessoas poderiam lhe dar. E elas machucam. Não quer se machucar, mas ele quer ser livre, mas para isso ele precisa viver.
Dell é bi-gênero, e isso não foi bem aceito de início por sua individualidade, mas todos chegaram a um acordo sofrido. Noah se tornou manipulador e muito provocativo, e se ele puder, ele vai te esfaquear. Quer amigos, então ele usa os gestos para se expressar. É difícil para ele, tendo medo de viver, mas Noah não desiste. Ele é errado, e se sente errado, mas isso não o fere. Noah quer, e vai viver, e tudo isso antes de morrer.

— Aline Steward
¹⁷ ⁻ ᴬᵖʳᵉᶰᵈᶤᶻ ᵈᵉ ʰᵉʳᵒᶤ́ᶰᵃ



Lιɴe, Cαмpeα̃, Ally

Aline é uma das mais leais se comparada a alguns veteranos no Isolamento. Sua lealdade traz confiança aos novatos, e determinação a si mesma. Ela sempre consegue ganhar os jogos do Isolamento, sendo até então a Campeã. Todos que tentam tirar seu “trono” dão de cara com o forte ego de Line. Nada nem ninguém consegue derrubá-la, mas o coração de Ally é fraco para crianças.
A maioria dos novatos é de “coração fraco” em sua visão, e ela se vê no dever de protegê-los de qualquer mal que o Isolamento traga a eles. Ela sempre dá dicas de como derrotar determinado veterano, apenas para ver a reação hilária do mesmo ao perder para uma criança. Ela tem seu lado sério e educado, age assim perto dos mais velhos e heróis profissionais; mas costuma agir de maneira rebelde diante de sua mãe e outros vilões.
Ela perdeu seu pai, e viu sua mãe virar uma vilã. Aline acredita que o amor fez sua mãe fazer isso, mas ainda quer acreditar que isso pode mudar de algum jeito; que tudo aquilo que ela passou era apenas um sonho ruim. Ela quer confiança nas pessoas, mas primeiro, confie em Line.

— Andrea Steward
³⁶ ⁻ ᵉˣ⁻ʰᵉʳᵒᶤ́ᶰᵃ



Aɴdry, Aɴdy, Dreα

Andrea não sabe o que se tornou. Ela era apenas uma heroína, e após a guerra viu seu marido morrer a protegendo. Ele não tinha poder nenhum, mas se sacrificou daquela forma tão estúpida e gloriosa.
Andry desde então tem outra visão sobre quem são heróis e vilões no mundo.
Heróis não precisam de individualidade para fazerem o bem e protegerem quem amam, eles são livres para morrer e viver por aqueles que amam, correto? Mas ao nascer com uma individualidade, você só pode ter dois caminhos. Vilão ou herói.
Andy acha injusto a escolha, e por mais que trabalhe no Setor de Vilões, e seja chamada de vilã, ela não se considera uma.
Andrea acha que as pessoas são livres desde que “abram suas asas para o futuro”, “todos são livres, mas precisam aprender a voar aos seus objetivos primeiro”.
Ainda sim, entende o quanto ela mudou. Ela é rude e rígida, além de fazer piadinhas com o que não deve. Sempre provocando os vilões,aprendizes, nunca se importando com as brigas que eles causam entre si. Ela não liga, mas se eles são o futuro da humanidade, porque não observa-los de perto? Andrea é curiosa e na minoria do tempo, preguiçosa e sozinha, mas quando tem a chance, vai perturbar algum outro vilão por aí. E claramente, ela é muito irritante.


Permalink Comentários (7)

[08/02/2019] Shelter, Interativa.

[03/02/2019] .bem-vindo ao meu perfil, humano;;


Atualizações do Usuário

Usuário: miela
aa, foi mal. mas prometo entrar mais vezes <3 @cotonet
Usuário: miela
caramba que vontade de dar o cu
Usuário: miela
Favoritei a história
História: Sorriso;;
História: Sorriso;;
✿ Podemos esconder nossa dor e angústia apenas num grande sorriso falso✿ ѕayorι.cнr || draввle, droυввle || +18
Usuário: miela
é que você não entendeu a malícia ALSHWLSHSLW @Akanium