1. Spirit Fanfics >
  2. Fantasmas

História Fantasmas


Escrita por: amanocora

Fanfic / Fanfiction Fantasmas
Sinopse:
Shoko Ieiri tinha seu próprio museu, paredes cheias de memórias, cruéis recordações dos fantasmas que habitavam sua casa.
Iniciado
Atualizada
Idioma Português
Visualizações 21
Favoritos 17
Comentários 1
Listas de leitura 9
Palavras 956
Concluído Sim
Categorias Jujutsu Kaisen
Tags Jujutsu Kaisen, Shoko, Shoko Ieiri

LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Drabs, Drabble, Droubble (Minicontos)
Avisos: Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Lista de Capítulos

Capítulo
Palavras
1
.meu próprio museu
1
21
956

Gostou da História? Compartilhe!

Comentários em Destaque

Postado por Deum
.meu próprio museu
Usuário: Deum
Usuário
“Y EN ESTA CASA NO EXISTEN FANTASMAS
SON PUROS RECUERDOS
DE TIEMPOS AJENOS„
Ah, eu simplesmente amei esse lançamento de música e fico muito feliz que alguém escreveu com ela, ainda mais que é uma música que se encaixa muito bem com Jujutsu Kaisen.

É interrssante como o círculo próximo ao Gojo tem essa tendência de sentir inveja da imponência do poder dele, e ver que mesmo assim, o próprio Gojo não conseguiu ter poder em muitas das coisas que se desenrolaram na vida dos amigos, porque apesar de estar perto do divino, ele ainda era humano. E a inveja é um sentimento particular humano. Caramba, isso vai longe se eu continuar...

O que quero dizer, é que sua escrita — formidável, vale ressaltar — faz refletir sobre diversas coisas: morte, vida, amizades, vícios... A nicotina tem esse fedor à morte, mas é inebriante como a vida, e por isso gera um vício. A mim, a Shoko é uma daquelas personagens que sempre ficam pra contar a história — o adulto amargurado com a Síndrome do Sobrevivente; "seria sorte ou azar?", esse tipo de coisa.

Concluindo, por falta de palavras além da compreensão humana, achei a história perfeita, desde a ideia à execução reflexiva (em todos os sentidos da palavra), fascinante como a Shoko deveria ser e inebriante como a fumaça que a vicia. ❤️