1. Spirit Fanfics >
  2. Membros >
  3. jwhyun

jwhyun

jwhyun
Nome: —.°!𝐤𝐮𝐫𝐨𝐨 𝐭𝐞𝐭𝐬𝐮𝐫𝐨𝐮'𝐬 𝐠𝐢𝐫𝐥𝐟𝐫𝐢𝐞𝐧𝐝
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização:
Aniversário: 4 de Dezembro
Cadastro:

jwhyun


.presa pelo crime de ser linda demais

Postado

Escreveu ——【めかぎ ⁞ 𝐁𝐄𝐈𝐍𝐆 𝐏𝐑𝐄𝐓𝐓𝐘 𝐈𝐒 𝐀 𝐒𝐈𝐍 (𝐘𝐄𝐒) ;; 𝐈𝐓'𝐒 𝐌𝐘 𝐒𝐈𝐍 𝐓𝐎 𝐁𝐄 𝐖𝐀𝐍𝐓𝐄𝐃 𝐒𝐎 𝐌𝐔𝐂𝐇

Mostrar Spoiler: ◦❛𝐌𝐀𝐊𝐈𝐍𝐆 𝐘𝐎𝐔 𝐅𝐀𝐋𝐋 𝐒𝐎 𝐃𝐄𝐄𝐏 𝐅𝐎𝐑 𝐌𝐄 𝐈𝐒 (𝐎𝐇) 𝐌𝐘 𝐌𝐈𝐒𝐓𝐀𝐊𝐄! ◦.✧
—.◦❛𝑨 𝒄𝒉𝒆𝒈𝒂𝒅𝒂 𝒅𝒂 𝒎𝒂𝒊𝒔 𝒏𝒐𝒗𝒂 𝒊𝒏𝒕𝒆𝒈𝒓𝒂𝒏𝒕𝒆 𝒅𝒂 𝒇𝒂𝒎𝒊́𝒍𝒊𝒂 𝑯𝒂𝒏 𝒇𝒐𝒊 𝒄𝒆𝒍𝒆𝒃𝒓𝒂𝒅𝒂 𝒑𝒐𝒓 𝒕𝒐𝒅𝒐𝒔 𝒐𝒔 𝒑𝒂𝒓𝒆𝒏𝒕𝒆𝒔, com direito a uma verdadeira festa em seu nome e...tá, tudo bem. Não foi exatamente assim que aconteceu. A jovem não tem o privilégio de dizer que foi planejada e a maior felicidade da vida de seus pais e blá, blá, blá. Mas tudo bem, Jisu não é muito chegada a festas de qualquer jeito. Bem, apesar de não ser exatamente o presente de Deus que seus pais esperavam, sua mãe passou um bom período da gravidez pensando em um nome para a menina, fazendo questão de ignorar todas as ideias terríveis de seu marido, que gostava de apontá-las como criativas. Na realidade, eram só nomes horríveis mesmo. Até que enfim, depois de semanas, chegou à alternativa unissex Jisu (지수). Originado nos caracteres chineses 志 (ji) e 秀 (su), significa "de grande ambição/determinação", embora também possa ser traduzido como "de impressionante inteligência", se for usado o hanja 智 (ji). Na época, sua mãe não tinha como adivinhar, mas esse nome, no futuro, serviria em sua filha como uma luva feita sob medida, tanto em relação ao primeiro quanto ao segundo significado.

—.◦❛ 𝑭𝒐𝒊 𝒉𝒂́ 𝒅𝒆𝒛𝒐𝒊𝒕𝒐 𝒂𝒏𝒐𝒔, 𝒏𝒂 𝒆𝒙𝒂𝒕𝒂 𝒅𝒂𝒕𝒂 𝒅𝒐 𝒅𝒊𝒂 𝒅𝒂𝒔 𝒃𝒓𝒖𝒙𝒂𝒔 𝒅𝒐 𝒂𝒏𝒐 𝒅𝒆 𝟐𝟎𝟎𝟐, 𝟑𝟏 𝒅𝒆 𝒐𝒖𝒕𝒖𝒃𝒓𝒐, que Han Jisu veio ao mundo na cidade de Incheon, Coreia do Sul. Para a infelicidade de alguns. Incluindo, futuramente, a sua. Afinal, como já foi dito, a menina não foi planejada, de maneira alguma. E ainda conseguiu vir durante a festa de Halloween de seus pais, um dos poucos dias de folga que seu pai havia tirado em sua vida. Pois é. Divertido, não? Ao menos fora uma comemoração memorável, embora não tenha sido em sua homenagem. Ademais, nascer no dia das bruxas sempre garantiu festinhas de aniversário à fantasia, o que fez com que Jisu passasse a detestá-las depois de certo ponto.
—.◦❛ 𝑶 𝒂𝒑𝒂𝒓𝒕𝒂𝒎𝒆𝒏𝒕𝒐 𝒅𝒆 𝒖𝒎 𝒒𝒖𝒂𝒓𝒕𝒐 𝒏𝒐 𝒕𝒆𝒓𝒓𝒂𝒄̧𝒐 𝒅𝒆 𝒖𝒎 𝒑𝒓𝒆́𝒅𝒊𝒐 𝒅𝒆 𝒕𝒊𝒋𝒐𝒍𝒊𝒏𝒉𝒐𝒔 𝒗𝒆𝒓𝒎𝒆𝒍𝒉𝒐𝒔 em que vive, no qual pode-se chegar após uma boa caminhada e uma subida ainda melhor pelos morros de Seul, provavelmente não é o ideal para uma família. Mas, como seu pai já se foi há um tempo e a mãe mal para em casa, Jisu não pode dizer que lhe falta tanto espaço assim, uma vez que também tiveram que vender boa parte dos luxos que uma vez foram capazes de se permitirem ter. O bairro é pobre e o prédio é cercado por outros tantos prédios baixos iguaizinhos a ele, mas apesar de terem o andar mais barato, Jisu se alegra em poder ficar sozinha no terraço, observando as pessoas passarem na rua e cuidando de uma ou duas plantinhas que possui, mesmo que a vista também não seja lá essas coisas.

—.◦❛ 𝑨𝒕𝒆́ 𝒐𝒏𝒅𝒆 𝒕𝒐𝒅𝒐𝒔 𝒔𝒂𝒃𝒆𝒎, 𝑯𝒂𝒏 𝑱𝒊𝒔𝒖 𝒆́ 𝒖𝒎𝒂 𝒎𝒆𝒏𝒊𝒏𝒂 𝒆𝒔𝒕𝒓𝒊𝒕𝒂𝒎𝒆𝒏𝒕𝒆 𝒉𝒆𝒕𝒆𝒓𝒐𝒔𝒔𝒆𝒙𝒖𝒂𝒍. Pobrezinhos, mal desconfiam da preferência da jovem por mulheres. Na realidade, mal desconfiam que Jisu poderia sequer pensar em outras garotas da mesma maneira que pensa em garotos, quanto mais que tende a se sentir mais atraída por elas. Mas veja bem, a Han não esconde sua sexualidade porque tem medo do que possam vir a pensar de si. Poucas coisas realmente a assustam. Curiosamente, Jisu pensa que é mais fácil que a vejam como hétero, pois assim evita perguntas, perturbações, olhares e qualquer outro incômodo que possa vir junto a se assumir para uma sociedade que a jovem tem plena consciência de ser, em suas próprias palavras, estúpida e retrógrada. Dito isso, a Han não se lembra exatamente quando percebeu que gostava tanto de meninas quanto de meninos. Ela só, bem, gostava. Jisu nunca teve muita orientação verdadeira em sua vida, à parte por sua mãe ditando o que deveria ou não fazer na frente da nata da sociedade, então a jovem nunca sentiu que tinha de lutar contra algum sentimento "impróprio". Ninguém nunca havia conversado consigo sobre isso. Assim, Jisu simplesmente sentia e achava que todos os outros também sentiam-se como ela, desde pequena. Só com o tempo percebeu que muitos dos outros, na realidade, atacavam essa sua "diferença".

—.◦❛ 𝑯𝒂𝒏 𝑱𝒊𝒔𝒖 𝒆́ 𝒖𝒎𝒂 𝒃𝒆𝒍𝒅𝒂𝒅𝒆 𝒆𝒎 𝒑𝒆𝒔𝒔𝒐𝒂, 𝒆 𝒂𝒊 𝒅𝒆 𝒒𝒖𝒆𝒎 𝒅𝒊𝒔𝒄𝒐𝒓𝒅𝒂𝒓 𝒅𝒊𝒔𝒔𝒐. Bem, é verdade que cada um tem suas preferências, mas também é verdade que a jovem tende a fazer parte das preferências da maioria, especialmente na escola. Jisu se encaixa nos padrões naturalmente e sabe disso, o que a fez um tanto vaidosa. Por mais que não goste disso, a Han reconhece que beleza é uma arma no país onde mora. Possuindo um rosto oval e fino e um queixo um tanto mais pontudo, a coreana tem o queridinho "v-line", que faz suas bochechas e maçãs da face altas se destacarem quando sorri, exibindo os dentes alinhados e brancos. Os olhos, grandes, redondos e escuros, são aparentemente doces e poderiam ser comparados aos de um cachorrinho por isso, tendo também pálpebras duplas um tanto quanto escondidas. Seu nariz é fino e reto; um tanto longo, terminando pouco acima dos lábios normalmente avermelhados —graças à maquiagem— e cheios da mesma maneira que os de uma boneca. Os cabelos são naturalmente escuros; atualmente Jisu os usa bem longos e com uma franja desfiada, contrastando com sua pele alva. Por fim, mede exatos 1,67m, não sendo exatamente alta, mas tampouco baixa para a média do país, e possui um físico esguio.
𝑷.𝑺.: 𝒄𝒍𝒊𝒒𝒖𝒆 𝒂𝒒𝒖𝒊 𝒑𝒂𝒓𝒂 𝒗𝒆𝒓 𝒐 𝒔𝒆𝒖 𝒈𝒖𝒂𝒓𝒅𝒂-𝒓𝒐𝒖𝒑𝒂.

—.◦❛ 𝑯𝒂𝒏 𝑱𝒊𝒔𝒖 𝒆́ 𝒖𝒎 𝒂𝒏𝒋𝒐 𝒒𝒖𝒆 𝒅𝒆𝒔𝒄𝒆𝒖 𝒅𝒐𝒔 𝒄𝒆́𝒖𝒔 𝒑𝒂𝒓𝒂 𝒂𝒄𝒂𝒍𝒆𝒏𝒕𝒂𝒓 𝒐𝒔 𝒎𝒆𝒓𝒐𝒔 𝒎𝒐𝒓𝒕𝒂𝒊𝒔, ou pelo menos, é isso que a maioria da escola pensa sobre a jovem. Gentil e educada como uma princesa, a coreana é aquela menina popular e inalcançável nos olhares de grande parte de seus colegas. A realidade é bem diferente, entretanto. A verdadeira Han Jisu é uma garota inteligente, mas especialmente astuta. Alguém que vê o mundo como um sistema de engenhocas conectadas, mas ainda por cima, alguém que sabe como manejá-lo.
—.◦❛ 𝑫𝒆𝒏𝒕𝒓𝒐 𝒅𝒆 𝒔𝒆𝒖 𝒄𝒐𝒓𝒂𝒄̧𝒂̃𝒐, 𝑱𝒊𝒔𝒖 𝒏𝒂̃𝒐 𝒔𝒆 𝒊𝒎𝒑𝒐𝒓𝒕𝒂 𝒔𝒆 𝒗𝒐𝒄𝒆̂ 𝒈𝒐𝒔𝒕𝒂 𝒐𝒖 𝒏𝒂̃𝒐 𝒅𝒆𝒍𝒂. Não é por isso que finge ser um doce de pessoa. A Han não poderia estar menos aí para a opinião dos outros. Ela simplesmente não quer ter problemas. Para a jovem, é mais fácil fingir ser dócil e gentil que ter que lidar com pessoas reclamando por conta de sua verdadeira personalidade ácida. Na sua opinião, todo mundo é um pouco assim, ela só acaba por ser um pouco mais que a maioria. Em vez de bater de frente, Jisu acha mais fácil esfaquear pelas costas. Talvez isso a faça uma pessoa ruim, mas a adolescente decidiu, há muito tempo, que a eficiência vale mais que qualquer outra coisa, especialmente se estamos falando de seus objetivos. A verdade é que, para a Han, sua vida já foi ruim o suficiente; ela apenas quer viver sem complicações, e faz o que acredita ser preciso para isso.
—.◦❛ 𝑪𝒂𝒔𝒐 𝒄𝒐𝒏𝒔𝒊𝒈𝒂 𝒔𝒆𝒓 𝒆𝒙𝒑𝒐𝒔𝒕𝒐 𝒂̀ 𝒗𝒆𝒓𝒅𝒂𝒅𝒆𝒊𝒓𝒂 𝑯𝒂𝒏 𝑱𝒊𝒔𝒖, 𝒗𝒐𝒄𝒆̂ 𝒇𝒂𝒛 𝒑𝒂𝒓𝒕𝒆 𝒅𝒆 𝒖𝒎𝒂 𝒅𝒆 𝒕𝒓𝒆̂𝒔 𝒐𝒑𝒄̧𝒐̃𝒆𝒔: a primeira, e mais simples; ela não te vê como uma ameaça. Sabe que, mesmo que exponha seu lado mais sarcástico e mal-humorado, ninguém acreditaria em você. A segunda; fez a realização de irritá-la profundamente. Não tão difícil assim, mas altamente não recomendado. A jovem provavelmente dará um jeito de tornar sua vida um inferno, e rápido. A terceira, e mais improvável; Han Jisu é sua amiga. Sua amiga, amiga, por mais que a mesma negue. A realidade é que a coreana não se lembra da última vez que confiou em alguém e se abriu verdadeiramente, deixando os seus reais defeitos —não aqueles que inventou para sua imagem— serem vistos. Ela é uma menina solitária e, embora perceba, se recusa a aceitar o quanto isso a machuca.
—.◦❛ 𝑯𝒂𝒏 𝑱𝒊𝒔𝒖 𝒕𝒆𝒏𝒅𝒆 𝒂 𝒑𝒆𝒏𝒔𝒂𝒓 𝒆𝒎 𝒔𝒊 𝒎𝒆𝒔𝒎𝒂 𝒄𝒐𝒎𝒐 𝒖𝒎𝒂 𝒑𝒆́𝒔𝒔𝒊𝒎𝒂 𝒑𝒆𝒔𝒔𝒐𝒂, na realidade. Ela é extremamente auto-consciente e compensa a sua falta de amor próprio com vaidade. Sua aparência, junto a sua inteligência, é uma das poucas coisas que Jisu reconhece como boa me si. É justamente por isso que esconde a sua verdadeira personalidade; a jovem acha que, se expô-la, vai arranjar problemas, porque acredita fielmente que não é uma boa pessoa. Curiosamente, ela não é alguém que sai do seu caminho para causar mal aos outros por nada; vingativa? Até pode ser, mas não é casualmente cruel. Não vê razão para ser. E tudo que faz tem um motivo. A Han toca sua vida da mesma maneira que alguém jogaria xadrez; com estratégias e planos para os próximos movimentos, e sempre que algo dá errado, ou simplesmente não vai do jeito que quer, ela vai lá e os ajusta.
—.◦❛ 𝑨 𝒗𝒆𝒓𝒅𝒂𝒅𝒆𝒊𝒓𝒂 𝑯𝒂𝒏 𝑱𝒊𝒔𝒖 𝒏𝒂̃𝒐 𝒆́ 𝒖𝒎𝒂 𝒑𝒆𝒔𝒔𝒐𝒂 𝒎𝒂́, 𝒑𝒐𝒓 𝒎𝒂𝒊𝒔 𝒒𝒖𝒆 𝒈𝒐𝒔𝒕𝒆 𝒅𝒆 𝒂𝒄𝒓𝒆𝒅𝒊𝒕𝒂𝒓 𝒒𝒖𝒆 𝒆́. Mesmo que a jovem se veja como um livro em branco, vazia por dentro, a verdade é que ela é só um resultado. Jisu é uma criança machucada e amargurada, que usa uma fachada bondosa para tentar navegar da maneira mais fácil que pode por sua vida. E quando alguém se aproxima de verdade, o sarcasmo é sua arma para afastá-lo antes que possa ver o quão realmente quebrada ela está. A verdadeira Han Jisu é incrivelmente inteligente e analítica e irônica e ambiciosa e resiliente e até mesmo engraçada, se estiver disposto a rir de si mesmo. Mas ela está cansada. Foi ensinada durante toda a sua vida que o que é, quem é, era algo ruim, então acabou acreditando.
—.◦❛ 𝑨 𝒗𝒆𝒓𝒅𝒂𝒅𝒆𝒊𝒓𝒂 𝑯𝒂𝒏 𝑱𝒊𝒔𝒖 𝒆́ 𝒂𝒍𝒈𝒖𝒆́𝒎 𝒓𝒆𝒔𝒑𝒐𝒏𝒔𝒂́𝒗𝒆𝒍 𝒆 𝒆𝒔𝒇𝒐𝒓𝒄̧𝒂𝒅𝒂, que gosta mais de eficiência que qualquer outra coisa. Trabalhadora, sim, mas sempre procurando algum jeito de poder preservar energia, especialmente se não gosta da tarefa. É uma especialista em captar informações de fora e criar algo com elas, seja isso um plano sobre como deve se comportar na frente de alguém em específico, seja um problema de matemática. Talvez a palavra que melhor a descreva seja eficaz, coisa que Jisu adora ser. Gosta de sentir que está progredindo e completando objetivos, mesmo que pequenos, e gosta ainda mais quando descobre uma maneira mais fácil de fazer isso. Curiosamente, entretanto, ela não é de trapacear, mesmo que supostamente seja o jeito mais simples, tendendo a achar esse tipo de coisa sem graça. A verdade é que Han Jisu tem algum —estranho— senso de moralidade, ainda que não admita, ou sequer reconheça. Resumidamente, é provável que a adolescente chantagearia alguém que a irritou, mas não roubaria uma loja, já que não vê motivo para tal.
—.◦❛ 𝑨 𝒗𝒆𝒓𝒅𝒂𝒅𝒆𝒊𝒓𝒂 𝑯𝒂𝒏 𝑱𝒊𝒔𝒖 𝒆́ 𝒂𝒍𝒈𝒖𝒆́𝒎 𝒊𝒓𝒐̂𝒏𝒊𝒄𝒂, 𝒄𝒓𝒊́𝒕𝒊𝒄𝒂 𝒆 𝒖𝒎 𝒑𝒐𝒖𝒒𝒖𝒊𝒏𝒉𝒐 𝒎𝒂𝒍-𝒉𝒖𝒎𝒐𝒓𝒂𝒅𝒂, mas também é alguém que ri das coisas mais bobas e patetas, que é leal àqueles que ama, que tem uma mente verdadeiramente engenhosa e completamente brilhante, que possui muita ambição e determinação para fazer as coisas acontecerem, e, mais importante, que é estupidamente sensível se tratando de quem gosta, e simultaneamente, claro, estupidamente fechada.

—.◦❛ 𝑰𝒎𝒂𝒈𝒊𝒏𝒆 𝒖𝒎𝒂 𝒇𝒂𝒎𝒊́𝒍𝒊𝒂 𝒆𝒎 𝒂𝒔𝒄𝒆𝒏𝒔𝒂̃𝒐 𝒆𝒎 𝑰𝒏𝒄𝒉𝒆𝒐𝒏, em que os negócios do marido estão dando mais resultados que nunca, em compensação do trabalho intenso e sem folgas, enquanto a esposa desfruta dos luxos que finalmente pode pagar, frequentando os melhores clubes com a nata da sociedade da cidade, comprando das grandes marcas, literalmente jogando dinheiro fora em apostas. Agora imagine uma gravidez que, de acordo com a mulher, irá atrapalhar todos os seus planos de sair para tomar martinis todas as noites e ainda irá comprometer o seu corpo. Essa é a família de Jisu, que, desde que se conhece por gente, cresceu numa grande casa vazia, enquanto tinha que sorrir para fotos e gente que nunca tinha visto na vida, só porque sua mãe os considerava importantes.
—.◦❛ 𝑬𝒏𝒕𝒓𝒆𝒕𝒂𝒏𝒕𝒐, 𝒄𝒐𝒎𝒐 𝒕𝒖𝒅𝒐 𝒒𝒖𝒆 𝒆́ "𝒃𝒐𝒎" 𝒅𝒖𝒓𝒂 𝒑𝒐𝒖𝒄𝒐, a rede de restaurantes de Bohyun —seu pai— caiu por terra. E assim, como que num estalo de dedos, a família Han estava falida, tudo por conta de “investimentos” suspeitos de Bohyun, apesar das advertências de sua esposa. Depois disso, não demorou para o verdadeiro inferno começar na casa. Se a pequena Jisu, com onze anos na época, pensava que a falta dos pais —e de praticamente qualquer outra companhia— era ruim, ela passou a preferir a solidão dos anos anteriores de sua vida às constantes brigas que aconteciam entre seus pais. Sua mãe sempre fora rígida, pelo menos quando se tratava de boas maneiras na frente de pessoas "importantes", e o pai, então, completamente ausente. Agora, Bohyun só aparecia em casa de dias em dias e quando aparecia, muitas vezes cheirava a bebida e resultava em brigas com a esposa. Youngjin —a mãe de Jisu—, por sua vez, não podia ver um fio de cabelo em pé na filha sem repreendê-la a gritos. A Han percebeu, naquele momento, que preferia ficar sozinha e se esconder a ter que lidar com as discussões e reclamações constantes. Então foi isso que fez.
—.◦❛ 𝑨 𝒑𝒂𝒓𝒕𝒊𝒓 𝒅𝒂𝒊́, 𝒂𝒔 𝒄𝒐𝒊𝒔𝒂𝒔 𝒔𝒐́ 𝒑𝒊𝒐𝒓𝒂𝒓𝒂𝒎. 𝑨𝒔 𝒃𝒓𝒊𝒈𝒂𝒔 𝒆𝒓𝒂𝒎 𝒄𝒂𝒅𝒂 𝒗𝒆𝒛 𝒎𝒂𝒊𝒔 𝒇𝒓𝒆𝒒𝒖𝒆𝒏𝒕𝒆𝒔 𝒆 𝒐 𝒅𝒊𝒏𝒉𝒆𝒊𝒓𝒐, 𝒄𝒂𝒅𝒂 𝒗𝒆𝒛 𝒎𝒂𝒊𝒔 𝒄𝒖𝒓𝒕𝒐. Um ano depois, Bohyun tentou matar a própria filha. Jisu sempre vai se lembrar do cheiro de bebida, do olhar errático do pai, de suas palavras atropeladas e da sensação das suas mãos ao redor do seu pescoço. O homem ficava falando sobre como os agiotas viriam cobrar suas dívidas e acabariam com todos eles; que era melhor que ele mesmo o fizesse. O único motivo pelo qual não conseguiu terminar com a vida da Han mais jovem foi porque Youngjin, que acabara de chegar em casa, o parou. Jisu também nunca vai esquecer o olhar de terror de sua mãe ou a maneira como ela bateu com toda a força no marido. Depois daquele dia, nenhuma das duas voltou a ver Bohyun. Ele simplesmente sumiu, e nem Jisu, nem Youngjin tiveram forças ou vontade de procurá-lo. Se mudaram para Seul no mesmo ano, e moram na cidade até hoje. Ninguém jamais veio cobrar nenhuma dívida com a família, mas isso não significa que Jisu adormece toda noite sem medo de que isso aconteça, especialmente sabendo que o débito de seu pai cresce a cada dia.
—.◦❛ 𝑯𝒐𝒋𝒆 𝒆𝒎 𝒅𝒊𝒂, 𝑱𝒊𝒔𝒖 𝒇𝒊𝒏𝒈𝒆 𝒕𝒆𝒓 𝒖𝒎𝒂 𝒐́𝒕𝒊𝒎𝒂, 𝒑𝒐𝒓𝒆́𝒎 𝒉𝒖𝒎𝒊𝒍𝒅𝒆, 𝒗𝒊𝒅𝒂 𝒑𝒂𝒓𝒂 𝒔𝒆𝒖𝒔 𝒄𝒐𝒍𝒆𝒈𝒂𝒔 𝒅𝒆 𝒆𝒔𝒄𝒐𝒍𝒂, enquanto trabalha para o TEDDY; antes, ela até trabalhara em coisas legais, como cafeterias e restaurantes, em meio período, mas não mais, não quando espiar um alguém aleatório por umas horas a rende bem mais que servir cafés. Youngjin, por sua vez, trabalha como empregada doméstica; não que faça muita diferença para a renda das duas, já que sua mãe ainda tem o mesmo vício em jogos de azar que possuía quando a família ainda era capaz de pagar por esse tipo de diversão e desperdício.
—.◦❛ 𝑱𝒊𝒔𝒖 𝒔𝒆𝒎𝒑𝒓𝒆 𝒇𝒐𝒊 𝒎𝒖𝒊𝒕𝒐 𝒃𝒐𝒂 𝒆𝒎 𝒇𝒊𝒏𝒈𝒊𝒓 𝒔𝒆𝒓 𝒂𝒍𝒈𝒐 𝒒𝒖𝒆 𝒏𝒂̃𝒐 𝒆́, graças a sua querida mamãe. É a razão para ter tantos amigos na escola, de ser tão popular. Na realidade, entretanto, ela provavelmente é mais próxima do pessoal "questionável" de seu bairro, com quem fez uma espécie de amizade, que dos seus colegas de classe. No fim, entretanto, por mais que seu caráter não seja o mais certinho, é por conta dessas pessoas, e sua ligação com elas, que a Han consegue evitar ser roubada ou sequestrada onde mora, especialmente quando anda pela rua à noite. Na realidade, Jisu é boa em várias coisas, seja por necessidade ou por genuinamente gostar; desenhar, matemática, maquiar (pois gosta), cozinhar, poupar dinheiro e mentir (por necessidade).
—.◦❛ 𝑨𝒑𝒆𝒔𝒂𝒓 𝒅𝒆 𝒏𝒂̃𝒐 𝒔𝒆𝒓 𝒂 𝒑𝒆𝒔𝒔𝒐𝒂 𝒎𝒂𝒊𝒔 𝒂𝒏𝒊𝒎𝒂𝒅𝒂 (𝒐𝒖 𝒂𝒍𝒆𝒈𝒓𝒆) 𝒅𝒐 𝒎𝒖𝒏𝒅𝒐, a Han não é de detestar coisas. Se há algo que Jisu não gosta, ela tende a (1) resolver essa coisa, se possível, ou (2) ignorá-la completamente; isso inclui pessoas. Enfim, entre seus gostos, além das atividades já citadas, estão incluídos filmes de terror, chá de bobba, doces (especialmente chocolate), dias frios, k-r&b e artigos de papelaria. Sim, Jisu é o tipo de pessoa que planeja todas as suas atividades em agendas bonitinhas e com letras cursivas especialmente complicadas, até mesmo seus trabalhos para o TEDDY, embora esses estejam bem escondidos. Por outro lado, a coreana apresenta um desgosto bastante evidente por filmes de comédia, frango frito —não entra na sua cabeça como tanta gente gosta de uma comida tão gordurosa—, boates e, especialmente, cigarros. Outras coisas ela pode suportar e, se preciso, fingir que gosta. Enfim, mais um fato interessante sobre a jovem é que ela tenta manter uma rotina de exercícios correndo pelo seu bairro e, quando não precisa trabalhar, dorme cedo. Sim, Jisu é uma contradição; ao mesmo tempo que está cometendo atos ilegais, ela vai para cama às dez da noite porque quer ter um bom desempenho na escola. Ah, e depois de se formar, a Han planeja ser arquiteta (de preferência, uma arquiteta rica), querendo juntar seu amor por desenho, matemática e resolver problemas em uma só carreira.
—.◦❛ "𝑷𝒐𝒅𝒊́𝒂𝒎𝒐𝒔 𝒕𝒆𝒓 𝒔𝒊𝒅𝒐 𝒎𝒐𝒓𝒕𝒐𝒔, 𝒐𝒖 𝒑𝒊𝒐𝒓, 𝒆𝒙𝒑𝒖𝒍𝒔𝒐𝒔!" é uma frase que expõe suas prioridades e seus medos. Jisu provavelmente está mais preocupada com suas notas caindo e seu exame para a faculdade que está com as possíveis consequências de se meter com o TEDDY. Ademais, ela tem medo de baratas. De resto, a jovem provavelmente pode suportar.

—.◦❛ 𝑯𝒂𝒏 𝑩𝒐 𝑯𝒚𝒖𝒏, 𝒅𝒆𝒗𝒆 𝒕𝒆𝒓 𝟒𝟐 𝒂𝒏𝒐𝒔 𝒂𝒈𝒐𝒓𝒂, 𝒆𝒙-𝒆𝒎𝒑𝒓𝒆𝒔𝒂́𝒓𝒊𝒐 𝒆 𝒅𝒐𝒏𝒐 𝒅𝒆 𝒖𝒎𝒂 𝒓𝒆𝒅𝒆 𝒅𝒆 𝒓𝒆𝒔𝒕𝒂𝒖𝒓𝒂𝒏𝒕𝒆𝒔 𝒇𝒂𝒍𝒊𝒅𝒂. Também conhecido como o pai de Jisu, que sumiu quando a menina tinha doze anos depois de tentar matá-la por achar que seria melhor ele mesmo fazer o serviço que agiotas. Tanto a jovem quanto sua mãe nunca mais o procuraram, então a relação de Jisu com seu pai é possivelmente melhor descrita como inexistente. Ela não gosta de falar sobre ele e sempre que se lembra do homem, instintivamente protege o pescoço. Quando o assunto surge e insistem nele, Jisu tenta cobrir o medo e o ressentimento que tem de Bohyun com raiva total. Antes de ficar paranoico e se afundar em dívidas, o Han mais velho era extremamente ausente, mas ocasionalmente deixava um ou duas piadas saírem, fazendo a filha rir. Era um homem de bom humor e agitado, sempre querendo fazer mais, ter mais. Hoje, Jisu pensa que essa sua afobação foi também sua ruína.

—.◦❛ 𝑲𝒊𝒎 𝒀𝒐𝒖𝒏𝒈 𝑱𝒊𝒏, 𝟑𝟗 𝒂𝒏𝒐𝒔, 𝒆𝒎𝒑𝒓𝒆𝒈𝒂𝒅𝒂 𝒅𝒐𝒎𝒆́𝒔𝒕𝒊𝒄𝒂 𝒆 𝒖𝒎𝒂 𝒑𝒆́𝒔𝒔𝒊𝒎𝒂 𝒊𝒏𝒇𝒍𝒖𝒆̂𝒏𝒄𝒊𝒂 𝒄𝒐𝒎𝒐 𝒎𝒂̃𝒆. Afinal, como já foi dito, a Kim possui um vício em apostas e jogos de azar desde a época em que sua família conseguia arcar com seus desperdícios. Infelizmente, esses seus hábitos não morreram e por isso, a mais velha continua gastando a maior parte de seu salário em casas de jogos clandestinas, obrigando sua filha a trazer a maior parte da renda para casa. Mas não se engane, Youngjin sempre fora uma péssima influência; quando os Han ainda tinham uma boa condição, a mãe de Jisu passava a maior parte do tempo fora de casa simplesmente porque podia, e só arrastava a filha se fosse para exibi-la para outras mães. Assim como seu marido, nunca deu nenhuma orientação real para Jisu, apenas instruções de como se vestir, como falar e com que garfos comer. Até hoje, Youngjin ainda tem regras de etiqueta, apesar de certamente não frequentar os mesmo lugares de antes. Como sua filha, na realidade é uma pessoa rígida e um tanto séria, entretanto, sabe exatamente como ser persuasiva e charmosa, o que a ajuda a ganhar algumas apostas. Por outro lado, um dos maiores medos de Jisu é ficar como a mãe, já que a jovem reconhece que as duas têm pontos em comum.

—.◦❛ 𝑱𝒆𝒐𝒏𝒈 𝑺𝒊 𝑯𝒚𝒖𝒏, 𝟐𝟏 𝒂𝒏𝒐𝒔, 𝒇𝒂𝒛 𝒂𝒍𝒈𝒖𝒎𝒂 𝒄𝒐𝒊𝒔𝒂 𝒆 𝒆́ 𝒐 𝒎𝒂𝒊𝒔 𝒑𝒓𝒐́𝒙𝒊𝒎𝒐 𝒅𝒆 𝒖𝒎 𝒂𝒎𝒊𝒈𝒐 𝒅𝒆 𝒗𝒆𝒓𝒅𝒂𝒅𝒆 𝒒𝒖𝒆 𝑱𝒊𝒔𝒖 𝒕𝒆𝒎. A Han não tem certeza do que ele faz. É algo ilegal e desconfia que Sihyun seja traficante, pois já o viu com uns saquinhos suspeitos por aí, mas ele diz para que não se meta e então Jisu não se mete. Os dois se conheceram logo que a Han se mudou para Seul com sua mãe e o Jeong é o único, além da família da jovem, que conhece sua verdadeira personalidade, simplesmente porque, na primeira vez que se encontraram, a adolescente estava uma pilha de nervos por conta de tudo que estava acontecendo em sua vida, e, consequentemente, sem paciência nenhuma para fingir alguma coisa. Por algum motivo que Jisu não compreende, Sihyun decidiu que gostava dela e a ajudou, então, com o tempo, a jovem se acostumou com a sua presença. Ela tenta se convencer que não está apegada ao Jeong, mas a verdade é que faz anos que se conhecem e o mais velho acabou sendo quase um irmão para Jisu; às vezes está lá, às vezes não, mas faz tudo que pode para proteger a Han. É, no fim, a única pessoa com quem a jovem se sente confortável de verdade, o suficiente para ser vulnerável, e também a pessoa com quem ela mais se preocupa.

—.◦❛ 𝑨 𝒑𝒓𝒊𝒏𝒄𝒆𝒔𝒊𝒏𝒉𝒂 𝒑𝒐𝒑𝒖𝒍𝒂𝒓 𝒅𝒂 𝒆𝒔𝒄𝒐𝒍𝒂 𝒅𝒆 𝒅𝒊𝒂, 𝒂 𝒆𝒔𝒑𝒊𝒂̃ 𝒅𝒐 𝑻𝑬𝑫𝑫𝒀 𝒆𝒎 𝒕𝒐𝒅𝒂𝒔 𝒂𝒔 𝒐𝒖𝒕𝒓𝒂𝒔 𝒉𝒐𝒓𝒂𝒔 𝒗𝒂𝒈𝒂𝒔, Jisu mantém uma fachada como uma das melhores alunas de sua turma (apesar de seu esforço para suas notas estelares não ser nenhuma fronte), enquanto, fora do colégio, ela sai por aí espionando praticamente qualquer alvo que o site direcione a ela. E a Han é boa; não há nada que uns contatos do seu bairro, uma identidade falsa e um pouco de atuação não consigam resolver. Afinal, Jisu sempre fora boa em se misturar; seja no colégio, seja numa boate, seja num beco escuro seguindo alguém em específico, a Han geralmente consegue parecer o que precisa parecer, seja isso uma estudante estrela, mais uma pessoa na multidão de corpos dançando ou só um outro alguém desinteressado, andando pela rua. No início, tinha se juntado ao TEDDY só para pagar as contas de casa, as quais sua mãe não conseguia, entretanto, a jovem passou a querer mais. Hoje, ela já guarda alguma quantia escondida, planejando usar para pagar pelo menos uma parte da faculdade.
—.◦❛ 𝑨𝒑𝒆𝒔𝒂𝒓 𝒅𝒆 𝒏𝒐𝒓𝒎𝒂𝒍𝒎𝒆𝒏𝒕𝒆 𝒔𝒆𝒓 𝒖𝒎 "𝒍𝒐𝒃𝒐 𝒔𝒐𝒍𝒊𝒕𝒂́𝒓𝒊𝒐", se Jisu ver vantagens, ela não terá problemas em se juntar a Dongjae, especialmente se isso significar que terá mais proteção. Afinal, mesmo que seu pior medo seja ser expulsa, a Han não pode completar seu extenso plano de se formar-faculdade-ficar rica se estiver morta.

Permalink Comentários (4)

[09/08/2020] .im a riddle (question) try to guess the answer!

[24/06/2020] .what's your thing, then? ((complex female characters))

[27/05/2020] .i'll worship you like a dog at the shrine of your lies

[15/02/2020] .id((rather))beHAPPY;;than.dignified


Atualizações do Usuário

Usuário: jwhyun
Favoritei a história
História: Black Flag, Interativa.
História: Black Flag, Interativa.
"É a era dourada da pirataria, e o novo mundo atrai todas as atenções. Edward Kenway — um jovem e impetuoso capitão — não resiste aos chamados de sua ambição e decai nos fascíni..
Usuário: jwhyun
views em feel good do fromis
minhas meninas finalmente voltaram (っ˘̩ ‿ ˘̩)っ
Usuário: jwhyun
Favoritei a história
História: Time of our life
História: Time of our life
[[❝vagas abertas. ⊹ autora participa❞]] Pelo desejo mútuo de se viver a juventude, oito vidas em meio ao temido último ano do ensino médio, se encontraram. Sedentos por novas ..
Usuário: jwhyun
Favoritei a história
História: Gatinho comunista
História: Gatinho comunista
Quando Kuroo ganha a oportunidade de conhecer melhor o fera de Ciências Sociais que andava por aí com um broche ostentando a foice e o martelo na mochila, ele decide flertar da m..
Usuário: jwhyun
Adicionei um novo jornal
Jornal: .presa pelo crime de ser linda demais
Escreveu ——【めかぎ ⁞ 𝐁𝐄𝐈𝐍𝐆 𝐏𝐑𝐄𝐓𝐓𝐘 𝐈𝐒 𝐀 𝐒𝐈𝐍 (𝐘𝐄𝐒) ;; 𝐈𝐓'𝐒 𝐌𝐘 𝐒𝐈𝐍 𝐓𝐎 𝐁𝐄 𝐖𝐀𝐍𝐓𝐄𝐃 𝐒𝐎 𝐌𝐔𝐂𝐇❞ Mostrar Spoiler: ◦❛▸𝐌𝐀𝐊𝐈𝐍𝐆 𝐘𝐎𝐔 𝐅𝐀𝐋𝐋 ..