1. Spirit Fanfics >
  2. Membros >
  3. Hi-Aniki

Hi-Aniki

Hi-Aniki
Nome: ¯\_(ツ)_/¯
Status: Usuário
Sexo: Outro
Localização: Lagoa Santa - MG
Aniversário: 28 de Setembro
Cadastro:

Hi-Aniki


Oi pessoinhas. Aqui é a/o Aniki. Sou genderfluid, mas me tratem com os pronomes que quiserem, mas de preferência os neutros.
Amo ler fic's (principalmente yaoi huehuehue) e gosto também de escrever. Gosto de diversas coisas (pessoinha eclética) e sou cosplayer ^-^
Sou livre dos preconceito. Vamos distribuir amor pessoinhas
Amo escutar música e atualmente estou com meus 20 aninhos e já estou na faculdade :3 (pense uma coisa de sugar almas)
Faço psicologia e cobro de graça (por enquanto >:3)
Não se sintam acanhados, podem me dar um oi ^^
Acessem meu Nyah para mais fanfics :)

Academia Autumnlight - Interativa - Ficha 2 (Finalizado)

Postado





divider: https://i.pinimg.com/originals/00/5a/5f/005a5f7718cd06c101da87b7df8d67f7.png

▇▇▇▓▒░「✦Informações Básicas✦」░▒▓▇▇▇

●.•Nome Completo:
❖ Só não dispensa comentários pois, se quiser, pode me dizer os significados por trás dos nomes e sobrenomes. Obviamente, é um tópico obrigatório. Entretanto, os significados não são; apenas faça se achar conveniente. Eu acho interessante saber os porquês das coisas, ainda mais se estiverem diretamente ligadas a algum aspecto importante da personagem.

*╔═══❖•ೋ° °ೋ•❖═══╗*
Nome Completo
*╚═══❖•ೋ° °ೋ•❖═══╝*

Bruno Citrus

Em sua essência, Bruno tem como significados "marrom”, "castanho", "bronzeado", “moreno”, ou seja, remete á uma cor escurecida. Bruno é um nome com duas possibilidades de origem, sendo que as duas remetem para o mesmo significado. Tanto pode ter vindo do latim brunus, como do germânico brun, que querem dizer literalmente “marrom" ou "moreno”. É provável que originalmente este nome tenha sido adotado para designar pessoas com a pele, os olhos ou os cabelos castanhos.

Quem lhe deu esse nome foi sua mãe, e bem...ela o deu por ser um nome fácil de lembrar e que, caso esquecesse o nome do próprio filho, só em ver sua pele escura iria fazer uma ligação de sua pele com seu nome. Sim, sua mãe lhe deu um nome que remetesse a sua pele negra só para que ela pudesse lembrar caso esquecesse.

Citrus, por sua vez, advêm do latim que quer significar Citrino; também chamado de quartzo citrino é uma variedade de quartzo de cor amarela, laranja, excepcionalmente vermelha. Basicamente, é um quartzo com impurezas férricas), no entanto, citrus é também um gênero de plantas da família Rutaceae, de porte arbóreo ou arbustivo, de aromáticas e frutos suculentos, chamados de citrinos, que, dentre vários, existem suas maiores representantes: laranja, limão, toranja, lima, tangerina, e cidra; ou seja, frutas cítricas. Originalmente, Bruno não havia um sobrenome; é comum de sua raça escolher um sobrenome somente a partir de certa idade, e como ele sentiu que precisava de um, escolhe Citrus para si, já que sua mãe vivia dizendo que ele era seu "limãozinho".

●.•Apelido(s): Opcional
❖ Sua personagem possui algum apelido? Um ou mais? Quais são eles? Todo mundo pode usá-los, ou apenas pessoas específicas? Existem um motivo por trás dos apelidos? Quero saber tudo isso neste tópico.

*╔═══❖•ೋ° °ೋ•❖═══╗*
Apelido(s)
*╚═══❖•ೋ° °ೋ•❖═══╝*

Bruno possui diversos apelidos que foram dados tanto por sua mãe quanto pelos amigos da mesma, e cada um lhe chamava de uma certa forma, então vamos nos ater somente aos apelidos mais frequentes e também os que ele mais gosta.

Limãozinho; foi o primeiro apelido que ele recebeu, vindo de sua mãe. Sua origem vem por duas razões: seus cabelos e pêlos verdes e seu aroma natural de frutas cítricas. Não apenas sua mãe o usa, como praticamente todos que são de certa próximos de si, já que é um apelido carinhoso e fofo que Bruno nunca viu problema com o mesmo. No entanto, ela o chama mais por esse apelido do que por seu próprio nome.

Docinho; tal apelido surgiu com as amigas e colegas de trabalho de sua mãe, que sempre o acharam muito fofo e sempre foi um doce de pessoa com elas. Ele não se incomoda com tal apelido pois ele é usado de uma forma carinhosa, embora sejam poucos os que o chamem assim.

Chifrudinho; ele recebeu esse apelido de alguns amigos quando eram pequenos. Não é preciso dizer que esse apelido veio por causa de seus chifres, além de que, entre seu grupo de amigos, ele era o único com chifres. Embora não diga, ele fica meio emburrado quando o chamam assim e prefere que não usem esse apelido.

Prostituto; parece um apelido pejorativo correto? Não para Bruno. Sendo filho de uma meretriz (vulgo prostituta), e com base no ditado "filho de peixe, peixinho é", seus amigos, ainda quando crianças, lhe deram esse apelido mais como uma piada. E sinceramente? Bruno não se importa nem um pouco com ele, até acha graça quando o chamam assim e outros acham que estão lhe xingando. Esse apelido vai também numa onda de alguém que tenta lhe xingar de "filho da puta", já que o mesmo apenas sorri em divertimento e diz algo como "sou mesmo, e daí?" ou "oh, como adivinhou?".

E por fim, o último apelido de Bruno é Verdinho, somente pelo fato de que verde é sua cor favorita, além de ter diversas coisas que são em tom verde. Bruno não se incomoda muito com esse apelido, embora não seja seu favorito.

●.•Alcunha(s): Opcional
❖ O que seria uma alcunha? Bem, é um título pelo qual sua personagem possa ser conhecida. Exemplo: Morrigan, A Bruxa dos Corvos. Se você optar por fazer este tópico, gostaria de saber os motivos por trás da alcunha, se sua personagem gosta ou não dela. Se possui mais de uma.

*╔═══❖•ೋ° °ೋ•❖═══╗*
Alcunha(s)
*╚═══❖•ೋ° °ೋ•❖═══╝*

Agnus Dei ou Lullaby; essas são as duas alcunhas mais famosas de Bruno, embora tenham o mesmo significado, sendo apenas formas diferentes em línguas distintas - a primeira o latim e a segunda inglês - que significa "Canção de Ninar". A razão pela qual Bruno recebeu essas alcunhas deriva tanto do mito que cerca sua própria raça quanto por suas habilidades naturais ligadas aos sonhos das pessoas, fora uma técnica mágica sua que está ligada diretamente com o sono e o sonho. Bruno não pode negar que tem, de fato, uma grande ligação com os sonhos das pessoas, mesmo que as vezes de uma forma indireta, no entanto, ele concorda que tais alcunhas se adequam a sua pessoa, e embora elas não aparentem carregar um grande peso ou significado, a muito mais nas entrelinhas e na sutileza dos sonhos que muitos não pensam, mas ele gosta de pensar assim. Então sim, ele gosta dessas alcunhas, tanto uma quanto a outra; e elas também possuem o mesmo significado, então não faz diferença de qual das duas alguém vai usar para se referir a si.

●.•Idade:
❖ Bem, é óbvio, mas a idade irá determinar o ano escolar em que sua personagem está. O sistema é dividido em três anos. No primeiro, os alunos têm de 15 a 16 anos; no segundo 16-17-18; no terceiro 18-19. Claro que podem haver exceções, pessoas do terceiro podem, por x motivos, terem 20 anos, ou até 15. Tudo depende da personalidade, inteligência, habilidades, etc. Portanto, a idade mínima é de 15 anos e a máxima de 21 anos.

*╔═══❖•ೋ° °ೋ•❖═══╗*
Idade
*╚═══❖•ೋ° °ೋ•❖═══╝*

Bruno nasceu no dia Vinte e Um de Lanio (21/05), na mesma data em que se comemora o Dia do Amor, do ano de Seis Mil Seiscentos e Quarenta (10/10/6640), em meio ao Outono; sendo assim, ele atualmente possui vinte (20) anos de idade. Embora não acredite em coisas como signos, se formos pensar sobre os mesmos, ele seria do signo de Touro, o que ele diz que não se parece em nada com um, já que seus chifres parecem mais com de um carneiro e suas pernas com as de um leão.

●.•Ano escolar:
❖ Foi explicado no tópico acima como funciona. Porém, vai da sua criatividade, apenas leve em consideração as idades máximas e mínimas e tenha bom senso. Além disso, faça algo condizente com sua personagem.

*╔═══❖•ೋ° °ೋ•❖═══╗*
Ano Escolar
*╚═══❖•ೋ° °ೋ•❖═══╝*

Bruno está atualmente cursando o terceiro (3º) ano, mesmo estando com uma idade meio avançada. A razão para estar ainda nesse ano escolar, apesar de sua idade, é pela razão do mesmo ter iniciado os estudos de forma tardia - por culpa, é claro, de sua mãe, e por tal motivo, ele costuma mentir e dizer que tem dezoito anos, e não vinte, para que ninguém o veja como "velho" ou algo do tipo.

●.•Gênero:
❖ Masculino, feminino, transgênero, não-binário, gênero fluído, agênero. Sua personagem pode ser o que quiser. Aqui nós trabalhamos com diversidades, apenas não exagere demais.

*╔═══❖•ೋ° °ೋ•❖═══╗*
Gênero
*╚═══❖•ೋ° °ೋ•❖═══╝*

Bruno se identifica como Masculino Cisgênero.

A cisgeneridade é a condição da pessoa cuja identidade de gênero corresponde ao gênero que lhe foi atribuído no nascimento, tal qual seu sexo biológico. Devemos comentar que sua expressão de gênero - a forma a qual a pessoa manifesta publicamente a sua identidade de gênero, por meio do seu nome, da vestimenta, do corte de cabelo, dos comportamentos, da voz e/ou características corporais e da forma como interage com as demais pessoas baseado nos estereótipos e papéis de gêneros, em que a expressão de gênero da pessoa nem sempre corresponde ao seu sexo biológico - é tipicamente masculina, embora ele não tenha problemas nenhum em utilizar de roupas ditas como femininas - ou até mesmo andar desnudo por aí.

●.•Sexualidade:
❖ Igual ao gênero, todas as sexualidades são válidas; inclusive no quesito romântico também! Neste tópico, seria interessante você dissertar sobre como a personagem descobriu sua sexualidade e/ou suas preferências. Esse segundo iria ajudar bastante este ser que vos escreve aqui. Imagina achar um parzinho daora para sua cria? Seria legal né? Pense bem nisso.

*╔═══❖•ೋ° °ೋ•❖═══╗*
Sexualidade
*╚═══❖•ೋ° °ೋ•❖═══╝*

Bruno se identifica como um rapaz Homossexual (Gay); além disso, ele é adepto a Poligamia.

Homossexualidade (do grego antigo ὁμός (homos), igual + latim sexus = sexo) refere-se à característica, condição ou qualidade de um ser (humano ou não) que sente atração física, estética e/ou emocional por outro ser do mesmo sexo ou gênero. Enquanto orientação sexual, a homossexualidade se refere a "um padrão duradouro de experiências sexuais, afetivas e românticas" principalmente ou exclusivamente entre pessoas do mesmo sexo; "também se refere a um indivíduo com senso de identidade pessoal e social com base nessas atrações, manifestando comportamentos e aderindo a uma comunidade de pessoas que compartilham da mesma orientação sexual." Ou seja; como Bruno se identifica como um homem, ele sente atração - seja romântica, afetiva e sexual - por outros indivíduos que também se identifiquem como masculino, seja cis ou trans. Para Bruno, o sexo biológico da pessoa não importa, mas sim a forma a qual ela se vê e se sente, visando mais o interior da pessoa do que o exterior.

Sua raça é bastante liberal e vê com bons olhos a diferença entre seus indivíduos; ou seja, eles são totalmente a favor de indivíduos que tenham outras sexualidades, identidades de gênero e expressão de gênero diferente "do padrão" por assim dizer, e por tal razão que, quando Bruno tinha por volta de seus onze anos de idade, e percebeu que meninas não o atraíam - e olha que ele sempre via mulheres de corpos volumosos e de belas aparências quase que o tempo todo - e foi contar para sua mãe, ela apenas disse algo como "que bom querido" e voltou a conversar com suas amigas - estas que, diferente de sua progenitora, acharam uma gracinha ele ir falar sobre tal assunto com sua mãe com tanta naturalidade e apertaram suas bochechas. Mesmo que fosse uma criança de onze anos, Bruno já tinha um grande conhecimento sobre nomes e definições a respeito de sexualidades e identidades de gênero, então quando percebeu que se atraía por rapazes, ele sabia que era gay. Oh, e claro, ele não se importa com a raça de um outro indivíduo quando o assunto é atração.

Poligamia, do grego muitos matrimônios, é a união reprodutiva entre mais de dois indivíduos de uma espécie. No reino animal, a poligamia se refere à relação onde os animais mantém mais de um vínculo sexual no período de reprodução. Nos humanos, a poligamia é o casamento ou a união conjugal entre mais de duas pessoas . Os casos mais típicos são a poliginia, em que um homem é casado com várias mulheres, e a poliandria, em que uma mulher vive casada com vários homens. Não deve confundir-se com o amantismo, que é também comum nas sociedades humanas, mas em que o laço com um parceiro sexual para além do casamento não é, nem aceite pela lei, nem na maior parte das vezes, de conhecimento público. Para os Somniatores, é normal eles terem relações com mais de uma pessoa por vez, sendo essa uma prática comum e bem aceita em sua raça; sendo assim, Bruno é o tipo de pessoa que teria mais de um namorado - pode-se dizer que ele teria um relacionamento aberto.

Preferência? É difícil definir uma preferência para Bruno, já que ele sempre foi do tipo "gostei da essência dessa pessoa", e se fossemos comparar duas pessoas a qual ele já mostrou interesse, podemos notar o quão distintas elas são uma da outra. Mas, ok, uma resposta mais direta. Hm...se tratando de Bruno, ele é do tipo que se encanta pelos olhos e sorriso de uma pessoa a primeira vista, então pessoas com belos olhos e sorrisos encantadores são o que lhe despertam interesse. É realmente difícil falar sobre preferências para alguém como ele. Mas está aí, uma preferência: olhos bonitos e sorrisos amáveis - mesmo que sejam de deboche.

●.•Lugar de origem:
❖ Primeiro, leia este documento: Llandry. Não se prenda apenas a isso, se quiser criar cidades novas, dimensões alternativas, fique a vontade! Eu só preciso que tudo de novo seja bem explicado e feito. Pode criar uma cidade nova dentros dos países já existentes. Pode fazer de tudo, desde que não altere as cidades que existam, nem crie outro país ou continente nesse mundo. Se quiser, sei lá, criar um planeta, tudo bem. Se for um reino subaquático, ou nos ares… Tudo bem também. Se quiser criar uma vila dentro de um fodendo vulcão, beleza my dude. Te dou uma liberdade incrível nesse tópico, eu só peço mesmo que seja bem feito, ilustrado e, acima de tudo, coerente, please.

*╔═══❖•ೋ° °ೋ•❖═══╗*
Lugar de Origem
*╚═══❖•ೋ° °ೋ•❖═══╝*

Bruno é originário de Timog, tendo nascido em um pequeno vilarejo chamado Plovoucí Svíčky (que quer significar "Velas Flutuantes"), nas Ilhas Oor, no Reino de Epano. Devido a ter nascido em uma vila de um local que serve mais para o turismo, Bruno se deparou durante sua vida com todo tipo de pessoa. Sua casa, além disso, era praticamente dentro da mata, em uma casa construída nas árvores, então ele sempre esteve em contato com a natureza.

Plovoucí Svíčky é um lugar pequeno, não se comparando com uma cidade, mas ainda assim é altamente movimentado por conta de duas coisas: o comércio e as casas de prostituição. Sim, pois o que mais atrai turistas do que profissionais do sexo? É dito que, a cada cinco esquinas, tem três lojas de comércio e um puteiro pelo menos. A vila, apesar de não ser muito bem vista pelas cidades que existem por perto, tem um baixo índice de violência e crimes e possui uma ampla variedade de raças convivendo em conjunto; apesar de ser um local tido como marginalizado, praticamente todo mundo se conhece e se dão bem, não sendo de fato um mal local para se viver, apesar de não ter tanto a oferecer.

●.•Raça:
❖ Para esse tópico, leia este documento: Raças. Você pode, sim, criar raças diferentes dessas, tem essa liberdade. Contudo, não devem ser raças divinas nem extremamente apelonas. Precisam de fraquezas e controle. Caso vá criar outra raça, peço que fale: Nome da espécie; Poderes; Cultura; Costumes; Aparência e Onde vivem e etc. Claro, pode colocar mais coisas ou deixar de colocar outras, mas as em negrito são essenciais.Se sua personagem for HUMANA ignore esse tópico. Nota: créditos para o meu amigo @Zuboomafoo, o qual criou o nome "Uraiyu" citado no documento.

*╔═══❖•ೋ° °ೋ•❖═══╗*
Raça
*╚═══❖•ೋ° °ೋ•❖═══╝*

Bruno é um Incubus, um dos dois tipos de Semniatores existentes.

Os Semniatores são seres muito parecidos com kemonos, e é dito que eles são uma raça a parte e evoluída dos mesmos, embora eles não sejam...mas se parecem com eles...é complicado.

Para as pessoas que conhecem somente o básico sobre os Semniatores, eles acreditam que os mesmos se tratam de uma raça composta por seres lascivos e desinibidos, de moral duvidosa e que não possuem amor pelos outros, mas isso é uma afirmação que não poderia estar mais errada. Eles são sim....peculiares, mas não são as atrocidades que a maioria acha que são; apenas são mal interpretados. Além disso, diferente dos kemonos, Somniatores não conseguem esconder suas características mais animalescas, mesmo que queiram.

●.•Aparência:
❖ Existem algumas opções de aparência disponíveis, independente de qual escolher, você deve tanto descrever detalhadamente a aparência — ressaltando algumas peculiaridades da personagem, sem apenas jogar adjetivos soltos —, quanto colocar imagens do photoplayer escolhido. Gifs, Icons, Edits e o que mais for são opcionais, fique a vontade para usar deles para enfeitar as coisas. Estilos de roupa também são opcionais, mas lembre que é um mundo não-moderno, então não saia tacando "usa uma cropped", por exemplo. Um ponto importante a se destacar é: não briguem por aparência! E, para isso, eu peço que evitem usar personagens de animes extremamente famosos. Tendo isso em mente, digo que são permitidas as seguintes aparências:

*╔═══❖•ೋ° °ೋ•❖═══╗*
Aparência
*╚═══❖•ೋ° °ೋ•❖═══╝*

Last Period: Owarinaki Rasen no Monogatari - Gajeru

Quando se colocam os olhos em Bruno, a primeira coisa que as pessoas pensam é que ele é um kemono muito do fofo, embora ele não queira passar essa imagem de ser alguém adorável e bonitinho para os outros - mas também não quer deixar de ser elogiado e de atrair olhares, gosta quando falam que ele é bonito.

Para começar, devemos dizer que, embora tenha um corpo com muitas características de animal, ele não é um kemono - mas se parece com um. Um rapaz de estatura tida como baixa para homens, ele mede somente 1,66 centímetros de altura e pesa 58 quilos, e ele odeia sua própria estatura pois se acha baixo demais perto dos outros; na realidade, ele sempre foi o mais baixinho dos grupos de amigos a qual fez parte a vida inteira. A parte inferior de seu corpo - ou seja, da linha de sua cintura até os pés - e seus antebraços - depois dos cotovelos até a ponta dos dedos - são como a de felinos - leões mais especificamente - com unhas - ou melhor, garras - longas e proeminentes, bastante afiadas. Seus pêlos são de um tom de verde chamado de "verde folha" claro, sendo que em suas extremidades - ponta dos dedos, palmas das mãos e pés e unhas - são de cor branca, tal como na parte interna de seus pernas e na região de sua virilha; já em seus braços, tal coloração branca de pêlos ocorre na parte próxima aos cotovelos - essa parte esbranquiçada tem pêlos mais volumosos que o resto de seu braço. Já em relação a sua parte humana, Bruno possui uma tez de cor negra não muito escura, mais ainda é claro de que seu tom de pele não é branco; na parte de seus ombros e pegando o começo de seus peitos, existem marcas mais claras em um formato semelhante á uma meia lua, e o rapaz possui marcas como essas em suas costas também, embora com um formato levemente diferente.

Não podemos nos esquecer de comentar sobre o corpo do rapaz: embora relativamente baixo, ele é atlético e treinado. Embora tenha ombros estreitos, o jovem possui braços e costas fortes, com bíceps levemente musculosos e músculos marcados, podendo ser perceptível também quando olhamos para suas coxas; mesmo tendo panturrilhas finas como a de felinos, suas coxas, por outro lado, são fartas e musculosas, deixando claro que ele é capaz de ferir gravemente alguém com um chute daquelas pernas e o quão ágil o mesmo é. Embora não tenho uma barriga trabalhada, seus peitorais demonstram que ele está quase lá para possuir uma fronte forte e malhada, apesar de que o mesmo não liga tanto para tal, está confortável com a forma a qual seu corpo é; até porque em breve ele deixará de crescer, então não quer ter nenhum arrependimento. Bem, agora falemos de seus chifres: eles tem o mesmo aspecto que as de carneiros, de uma cor marrom escura, quase preta, com sulcos e as placas que constituem seus chifres estão sobre postas sob as outras; elas estão no alto e laterais de sua cabeça e dão uma volta para baixo antes de subir seis centímetros acima de sua cabeça, de pontas afiadas, capazes de perfurar alguém caso lhe dê uma cabeçada; suas orelhas que estão do lado de sua cabeça - um pouco abaixo de seus chifres -, também são semelhante com as de carneiros, sendo longas e arredondadas, meio caídas, da mesma cor de seus pêlos - verde e com pontas brancas. Ele possui dois piercings prateados em sua orelha esquerda. E agora falemos de sua cauda que, embora tenha a parte inferior do corpo como a de um leão, seu rabo não é semelhante com a de felinos, pois é de um tamanho médio, cheia e larga, de cor verde com a parte inferior branca; muitos dizem que sua cauda é fofinha e passam a mão nela.

Certo, agora vamos para o rosto bonitinho de Bruno. Ele possui um rosto pequeno, de queixo arredondado e bochechas gorduchinhas, possuindo um nariz pequeno e redondo, com lábios finos que escondem um sorrio de caninos afiados - tanto superiores quanto inferiores - que ficam visíveis quando ele sorri, tal qual esconde uma língua comprida. Suas sobrancelhas são finas e curtas, da mesma cor de seus cabelos, e ficam praticamente escondidas por trás de sua franja. Seus olhos possuem um formato mais circular e possui cílios grossos e escuros, embora relativamente curtos - e na parte de baixo, quase inexistentes, e pelo fato de seus olhos serem grandes, deixa evidente suas gordas íris de cor dourada com íris pequenas. Abaixo de cada olho existe uma pequena marca negra com formato triangular de bordas mais arredondadas. A respeito dos cabelos de Bruno, eles possuem a mesma cor que seus pêlos, um tom folha claro de verde com pontas brancas, sendo cheio e de fios lisos; na parte de trás, eles chegam até um pouco abaixo de seus ombros, mas como suas pontas ficam despojadas para cima, quase não se nota seu real comprimento. Como dito antes, ele possui uma volumosa franja que tem um formato em "v" entre seus olhos e duas que vão para as laterais de seu rosto, com mechas que ficam por cima e terminam na altura de seu queixo. Todos que já passaram a mão nos cabelos de Bruno diz que eles são macios e especialmente cheirosos.

E por fim devemos falar sobre sua Adolebitque; esse é o nome da marca característica de todo Somniatore, sendo cada uma diferente das demais. A de Bruno se localiza na área de seu umbigo, sendo que o mesmo está em uma parte da marca, com a parte maior acima do umbigo e a parte menor abaixo do mesmo; a marca em si tem 10 centímetros de altura e 7 de largura, da cor branca, se destacando em contraste com sua pele negra, na qual o rapaz tende a escondê-la. Sua Adolebitque possui formatos que lembram corações, asas e espermatozoides seguindo para uma bola dentro de um círculo. Um bônus: suas roupas costumam ser um tanto quanto chamativas; não em questão de cor, mas de modelo, sendo cheio de detalhes. Ele gosta de usar camisetas justas, mas as calças são mais largas e usa um tipo de sapato nos pés, embora de fato não os cubra por completa já que, como alguns animais, somente seus dedos ficam no chão e o resto é mais elevado. Bruno também gosta bastante de usar luvas de dedos e gosta de parecer bonito e elegante.

















- cortar


▇▇▇▓▒░「✦Informações Psicológicas✦」░▒▓▇▇▇

●.•Personalidade:
❖ Ah, um tópico que a minha pessoa adora — só às vezes que não. Bem, eu não deveria precisar citar isso, porém… Faça uma personalidade bem feita por favor, essa é a essência da tua personagem. Tente fugir dos padrões de herói bonzinho ou bad boy 100% babaca. Ou dos tópicos estereotipos de protagonista, ok? Com uma mitologia baseada no equilíbrio, seria legal aplicar isso, não acha? Seja criativo! Gosto de coisas detalhadas e bem feitas. E, como já foi citado nos apontamentos, eu preciso de personagens minimamente sociáveis, que em algum momento abram possibilidades para que seja inseridas nos grupos da história. Não posso desenvolver a personagem em seu próprio mundinho, apenas.

*╔═══❖•ೋ° °ೋ•❖═══╗*
Personalidade
*╚═══❖•ೋ° °ೋ•❖═══╝*

Bom, o que podemos dizer sobre a personalidade de Bruno? Muita coisa, mas vamos com calma. Embora seja um Somniatore, quando você conhece o rapaz, acredita que ele é somente um kemono, já que ele não exibe - pelo menos ao primeiro momento - nenhum comportamento lascivo ou estereotipado dos de sua raça; ele é uma pessoa amigável, sorridente e extremamente sociável e aparenta estar sempre animado, com uma auto-estima bastante elevada é é as vezes super confiante; mas não se deixe enganar pelo jeito despreocupado e divertido do jovem: ele não irá guardar a baixa perto de você. Ele pode ser alguém mais desinibido que não se acanha e fala com qualquer um, mas ele de forma nenhuma confia em alguém antes de conhecê-la e muito bem; a razão pela qual ele pode ser um pouco pegajoso e que gosta de tocar nos outros é para se certificar de saber o que ela está sentindo e quais são suas reais intenções para consigo, e quando não está encostando em alguém, mesmo que não deixe aparente, está analisando e julgando a pessoa, não deixando que nenhum movimento que ela faça passe despercebido por si. Mesmo sendo alguém que fala pelos cotovelos, alguns notam que ele fala de qualquer coisa menos de si, e quando comenta algo a seu respeito, são sempre respostas de cunho raso e superficial, como se estivesse escondendo algo; e Bruno mente. Ok, ele não mente sempre, até porque costuma ser uma pessoa honesta, mas ele é um grande mentiroso e o faz de forma tão elaborada que quase todos acreditam em suas palavras, pois ele passa uma verdade no que diz. E apesar de ter um jeito um tanto quanto infantil e brincalhão, preguiçoso e principalmente fofo, Bruno pode ser bastante maduro e ele, na verdade, cercou seu coração para não se permitir ser machucado como já ouve uma vez; o que você acha que sabe dele, o que vê dele, é apenas o que Bruno quer que você veja/saiba, pois ele tem muitas mais camadas do que os outros imaginam. Ele quer ser visto como um kemono bobinho e detesta chamar muita atenção para si, mas também é ótimo em desviar o foco dos outros de si para qualquer outra coisa. É perceptível que Bruno é uma pessoa de espírito livre e que é bem "natureba", da paz e pode-se dizer até mesmo dizer que ele prefere plantas à pessoas.

Caso você consiga adentrar o muro invisível que Bruno construiu ao seu redor, poderá conhecê-lo de uma forma muito mais profunda e detalhada sobre seu real eu, mas isso é difícil, pois ele precisa confiar plenamente nessa pessoa, e conquistar a confiança do rapaz não é uma tarefa nada fácil; ele pode ser seu amigo e te ajudar em muita coisa, mas isso não significa que você ganhou sua confiança; para Bruno, confiança e lealdade são duas das coisas mais importantes e que devem ser conquistadas com honestidade e tempo, e se uma vez quebradas, é extremamente difícil de serem reconquistadas. E ele é rancoroso, então pode até perdoar, mas nunca, nunca, irá esquecer algo de ruim que alguém lhe fez; mas por outro lado, também lembra das coisas boas que já fizeram para si, o que é algo bom, já que, como Bruno é um garoto de coração mole e doce, adora fazer mimos aos outros e dar presentes para pessoas que gosta. Um romantista nato, Bruno sempre demonstra que sabe *muito* sobre o universo dos flertes, como conquistar pessoas, questões amorosas - sendo um grande conselheiro - e no âmbito sexual; ele sabe bastante sobre esse último assunto, mas prefere não mostrar todos os seus conhecimentos - tanto técnicos quanto prático - para não chocar ninguém, algo que costuma acontecer. Algo que nem sempre ele deixa claro, mas Bruno é uma pessoa que gosta bastante de dinheiro; ele não é daqueles gananciosos que são extremamente mão de vaca e que fazem de tudo para lucrarem e terem dinheiro, mas Bruno gosta sim de ter um dinheiro extra e se passar por um "plaboy" cheio da grana, embora ele seja muito humilde; digamos que seu gosto por, por exemplo, jóias, se deve mais por achá-las bonitas e a imponência que elas passam do que por seu valor.

Bruno é uma pessoa de caráter gentil e bondoso, que sempre oferece ajuda aos outros, e por alguma razão, senhoras de idade o adoram e sempre o chamam de "fofinho" e apertam suas bochechas; por conta disso, Bruno desenvolveu uma "técnica" de conseguir o que quer apelando para o emocional dos outros ao se fazer de coitadinho e de "cachorrinho sem dono", usando de toda sua fofura e um olhar de carência que amolece o coração de muitos; ele não é de usar essa "técnica" sempre, pois não é interesseiro, mas quando a usa, é difícil resistir ao seu "charme". E por falar em charme, Bruno é um rapaz que, no dia a dia, ele não passa nenhuma "aura charmosa", mas quando quer, ele é capaz de seduzir e encantar qualquer um, seja homem ou mulher, pois ele sabe o que falar, como se portar, e até que timbre de voz usar; não duvide das habilidades de sedução de Bruno; além disso, ele é bastante educado, cortês e respeitoso, então se percebe que alguém está desconfortável com seus avanços, ele para e pede desculpas, pois para si, o consentimento é algo muito importante e que deve ser priorizado. E, embora ele seja um rapaz que fala de assuntos mais íntimos como sexo como se falasse do clima, ele é bastante...envergonhado. Ou melhor, ele tem vergonha de se mostrar desnudo - ou com o peito nu e mostrando sua Adolebitque - perto de pessoas que não confia ou que não sabem que ele é um Somniatore, pois, mesmo se fazendo de forte, que não chorar perto dos outros e que aparenta que está sempre bem, Bruno é uma pessoa sensível e que se importa e muito com o que os outros pensam de si, mesmo que tente fingir que não. Bruno também não é a pessoa mais paciente de todas e costuma agir mais por impulso e "instinto" do que pela razão; pelo fato de ser alguém que retêm muito seus sentimentos dentro de si, ele é do tipo que quando explode, coloca tudo para fora de uma forma intensa. E por fim, vamos falar sobre ele ser uma pessoa romântica: Bruno é alguém que acredita muito no amor e está a procura de seu parceiro ideal, e por isso que sempre que ele vai conhecer um cara, fica todo animado, pensando consigo mesmo se ele vai criar um Link com esse rapaz. No geral, Bruno é um rapaz relaxado, que sorri com facilidade e interage com todo mundo pois não tem vergonha e nem se intimida - e é bastante corajoso, indo de cabeça pra qualquer coisa -, no entanto, ele possui um escudo em torno de seu coração para não ser machucado e para conhecê-lo totalmente, é necessário primeiro ganhar sua confiança, uma tarefa que não é fácil. Mas caso o faça, saiba que terá um amigo para a vida toda que iria morrer por seu bem estar. Além disso, ele é considerado por muitos como alguém fofo, e usa e abusa disso, já que adora ser elogiado.

●.•Gostos:
❖ Quais os gostos da sua personagem? O que ela gosta de fazer, ou de comer e por aí vai. Só não confunda com um hobbie. Se quiser fazer uma lista, tudo bem. Se quiser explicar, tudo bem também, apenas não se estenda demais na explicação. Mínimo de 4 gostos.

*╔═══❖•ೋ° °ೋ•❖═══╗*
Gostos
*╚═══❖•ೋ° °ೋ•❖═══╝*

Se formos pensar nos gostos de Bruno, devemos falar primeiramente do seu maior gosto: sexo...É, pode ser um pouco estranho falar assim, mas para um Somniatore como Bruno, sexo é algo a mais do que apenas um prazer carnal; ele faz parte de sua vida de uma forma muito mais profunda e preciosa, algo importante para si. Além disso, sexo é bom, não tem como não gostar - quando feito com consentimento, é claro.

Bruno gosta muito de dormir; um preguiçoso como ele não gostar de tirar uma soneca ou dormir por várias horas seria um ultraje. No entanto, ele é meio "exigente": se não estiver em uma superfície macia, ele não consegue dormir, mas caso tenha isso, ele irá dormir como um bebê - e dorme como gatos: em uma bolinha. E sim, ele gosta de dormir mesmo que nem precise.

Jóias são algo que Bruno sempre gostou bastante, mas por ser pobre, nunca chegou a ter de verdade, então só poderia admirar de longe. Mas ele as adora por considerá-las bonitas e sonha em um dia ter uma bela coroa com pedras preciosas encrustadas nela.

Aventureiro como só ele, Bruno ama sair por aí explorando coisas e se aventurando; ele é fã de esportes radicais e fazer coisas que para muitos seriam considerados loucuras, mas quanto mais adrenalina ele tiver, melhor.

Bruno adora altura. Ele diz que é por causa de suas características felinas e de carneiro, e além de ser um excelente escalador, ele gosta de ficar em lugares altos e ver as coisas de cima; não para se sentir maior que os outros, mas porque considera que uma vista do alto é sempre mais bonita, pois expande os horizontes que vemos.

Bruno, embora seja uma pessoa que costuma ser pacífica, adora lutar. Ou melhor, como ele diz, "trocar golpes fortes contra uma pessoa para fortalecer uma amizade ou ensinar uma lição á quem merece". Ele não é um maníaco por batalha que sai querendo lutar com qualquer um, mas se chamarem ele pra brigar, ele vai sem pensar duas vezes.

Um tipo de brinquedo que Bruno adora brincar, até mesmo nos dias de hoje, é iôiô. Não é incomum vê-lo brincando com um desses por aí, e ele até sabe fazer alguns truques.

E por fim, falemos do gosto de Bruno por labirintos. Sim, Bruno adora tentar chegar o meio de labirintos e do desafio que eles proporcionam - e sempre lhe dizem pra não escalar as paredes para não trapacear, mesmo que ele não o faça...sempre.

●.•Desgostos:
❖ Quais os desgostos da sua personagem? O que ela não gosta de fazer, ou de comer e por aí vai. Se quiser fazer uma lista, tudo bem. Se quiser explicar, tudo bem também, apenas não se estenda demais na explicação. Mínimo de 4 desgostos.

*╔═══❖•ೋ° °ೋ•❖═══╗*
Desgostos
*╚═══❖•ೋ° °ೋ•❖═══╝*

Desgostos é? Hm...o primeiro que podemos comentar é tomar banho. Melhor dizendo, tomar banho em um banheiro comunitário. Melhor ainda: tomar em um banheiro comunitário com pessoas que não sabem que ele é um Somniatore. Bruno gosta de banho, e de tomar banho de chuva por exemplo, mas se souber que terá de se despir perto de outras pessoas que não sabem quem ele é, tenta ao máximo que isso não ocorra.

Bruno não gosta muito de geléia de morango. Ele gosta da fruta, mas não gosta da geléia que fazem com a mesma, embora não saiba o porquê disto.

Algo que Bruno simplesmente não suporta - embora deixe somente umas poucas pessoas fazerem - é ter suas bochechas apertadas. Nunca gostou, já que, desde pequeno, as amigas de sua mãe e umas senhoras conhecidas viam e lhe apertavam as bochechas até que ficassem vermelhas.

Mesmo tendo vindo de um lugar que fumaça de incenso fosse comum, Bruno sempre detestou o cheiro dos mesmos. Concorda que alguns são cheirosos, no entanto, ele ainda não gosta deles, especialmente da fumaça que fazem.

Bruno não gosta de cachorros, ponto!

Mesmo tendo um sono leve, Bruno odeia ser acordado, ou que fiquem fazendo barulho no lugar em que esteja dormindo.

Bruno não gosta nem um pouco de estudar e também prestar atenção na aula quando acha que a matéria é chata e entendiante - mas surpreendentemente, suas notas sempre são acima da média, mas só isso mesmo.

E por fim, temos de citar o grande desgosto de Bruno por sinos. Ele simplesmente odeia o som de sinos, sejam os grandes até os pequenininhos - que para si, são os piores.

●.•Medos e Fobias:
❖ Talvez, um dos tópicos mais importantes — tirando a personalidade e história — junto com o de sonhos e metas. " Mas por que é importante?" É simples: todos possuem medos. Pronto. Um medo é aquilo que define a fraqueza de alguém, bem como aquilo que pode vir a ser superado. E com isso, dá para se concluir que esse tópico é de suma importância. E, não, sua personagem não pode ter nenhum medo. Ninguém é feito de ferro — no sentido emocional, pois Tetsutetsu nos mostra o contrário no sentido físico — e medos ajudam em algo maravilindo: desenvolvimento. Fobias também entram nisso, já que são medos exagerados. É sempre bom uma personagem ter no mínimo uma, claro, só não exagere.

*╔═══❖•ೋ° °ೋ•❖═══╗*
Medos & Fobias
*╚═══❖•ೋ° °ೋ•❖═══╝*

Bruno não é verdadeiramente uma pessoa cheia de medos, já que é bastante corajoso, no entanto, ainda para listar alguns. Como por exemplo, seu medo por locais que sejam iluminados com luzes avermelhadas. Específico? Sim, mas para Bruno, isso tem uma razão (será explicado em sua história) e para ele entrar em um local que tenha uma iluminação vermelha, é preciso muito esforço, pois ele não vai de jeito nenhum por vontade própria; é do tipo que finca suas garras no chão e á primeira oportunidade, vai fugir. Outro medo do rapaz é de tomar choques; o pior para ele é saber que irá tomar um choque e que não tem como impedir, e isso ele odeia e teme bastante. Esse medo nasceu quando um amigo seu, com capacidade de eletrocutar, ficava lhe dando choques e avisando o que iria fazer, mas só o fazia quando Bruno estava minimamente distraído; a partir daí, ele tem medo de levar choques. Bruno também tem um certo medo de achar que está sendo vigiado e perseguido; ele não sabe dizer quando ou como esse medo nasceu, apenas o tem desde que se conhece por gente - ou que tem boas lembranças do passado. E por fim, o rapaz tem um grande medo de ficar sem dentes. É, meio estranho, mas esse é um medo que Bruno tem e veio de um pesadelo que teve quando criança, e desde então ele toma cuidado pra não comer nada que possa quebrar ou até arrancar um dente.

Em relação a fobias, Bruno possui algumas em particular. Uma delas é a Cinofobia, caracterizada pelo medo e aversão extremo á cães. Tal fobia nasceu em um determinado momento de quando Bruno era pequeno, por volta dos 5 anos, e ele já tinha um certo medo de caninos em geral, no entanto, depois de um encontro com um cachorro grande que, ao constatar que ele "parecia" um gato por conta de suas pernas, o atacou de forma feroz, Bruno passou a temer de forma absurda cachorros e outros tipos de caninos (lobos, raposas, dentre outros). Agora as outras fobias de Bruno estão relacionados a um episódio muito ruim e triste de sua vida, que será explicada em sua história, mas vale a pena comentar sobre elas aqui antes de tudo. Uma delas possui três denominações: Agrafobia, Contreltofobia e Virginitifobia; nomes distintos para uma mesma fobia: o medo e aversão ao estupro e/ou abuso sexual, seja em passar, saber ou ver outrem nessa situação.Já as outras fobias são a Rabdofobia, caracterizada pelo medo e aversão de ser punido severamente - não confundir com lutar e brigar contra pessoas, pois elas não são a mesma coisa - e a Humilhofobia que, como seu nome sugere, é o medo e aversão de ser humilhado - sendo pior quando ocorrido em público ou em torno de uma ou mais pessoas.

●.•Traumas: Opcional
❖ É a mesma vibe dos medos, só que não obrigatório. But, seria legal um trauma, uma situação tensa. Bem, de todo modo, isso depende muito do background da sua personagem. Só pense com carinho nisso, certo? Isso pode estar intimamente ligado aos medos, ou até inserido nesse tópico.

*╔═══❖•ೋ° °ೋ•❖═══╗*
Traumas
*╚═══❖•ೋ° °ೋ•❖═══╝*

O maior trauma da vida de Bruno foi da vez que ele foi sequestrado, levado para longe de seu país natal, vendido e escravizado. Sim, Bruno, durante um tempo de vida, foi escravo. Durante esse período, ele passou por coisas terríveis e tristes demais para uma pessoa de sua idade passar, e eu poderia ficar aqui e ditar tudo como foi esse momento e que originou seu trauma de escravidão, ser acorrentado, punido de diversas formas e humilhado - claramente coisas que resultaram em suas fobias -, no entanto, deixarei para explicar com maiores detalhes em sua história.

●.•Sonhos e Metas:
❖ O que sua personagem deseja? Qual o seu objetivo? Isso é algo muito importante. Porque um objetivo traça uma linha para o desenvolvimento e/ou crescimento da personagem, em conjunto com o aprendizado, dificuldades e medos. Lembrando que os objetivos precisam fazer sentido com a história e personalidade da personagem. Falta de coesão e coerência tira nota em redação, aqui você corre certos riscos, se é que me entende. Além disso, seja mais criativo nesse tópico, não vou aceitar um simples "deseja ser mais forte", ok? Todos tem um sonho ou um objetivo dentro de si, procure explorar bem tal parte de sua personagem, pode até mesmo dizer se seu son

*╔═══❖•ೋ° °ೋ•❖═══╗*
Sonhos & Metas
*╚═══❖•ೋ° °ೋ•❖═══╝*

Bruno é uma pessoa que nunca pensou muito no que iria fazer da vida; iria deixar que suas escolhas e ações o levassem até algum lugar no futuro e que deixaria o destino decidir qual seria o melhor caminho para ele trilhar; no entanto, depois que foi escravizado, ele decidiu que se tornaria um justiceiro. Ou melhor, um político, alguém com poder e influência o bastante para criar leis e regras e ter força o bastante para defender e ajudar aqueles que, assim como ele, passaram - ou estão passando - por uma prática terrível e absurda que é a escravidão. Bruno deseja criar normas e regras, leis, que tenham o objetivo de abolir essa terrível prática e salvar os que estão nessas condições horrendas. Ele deseja realizar isso de uma forma dentro da lei e correta, no entanto, também não nega que, se pudesse, iria atrás de todos os que estão envolvidos nessa rede de tráfico de escravos - tanto os sequestradores, os vendedores e os compradores - e os mataria com suas próprias mãos, mas não antes de fazê-los sofrer e torturá-los até que implorassem pela morte. Extremo demais ele? Alguns dizem que sim, mas Bruno sempre diz que, como tais pessoas não estiveram em sua pele, não podem sequer imaginar o que ele passou e por isso dizem que seus pensamentos são radicais - e por conta disso ele prefere não comentar a parte de querer matar todas essas pessoas, apenas que gostaria de ser uma pessoa com poder o bastante para acabar com a escravidão. Além disso, Bruno deseja poder encontrar e ir atrás de seus amigos que foram vendidos e, infelizmente, não sabe o que houve com eles depois que se separaram.

E sonhos? Hm...possivelmente conhecer seu pai. Saber pelo menos quem ele é e como está. E claro, ter sua própria coroa de ouro encrustada de jóias.

▇▇▇▓▒░「✦Informações Complementares✦」░▒▓▇▇▇

●.•História:
❖ E aqui temos um dos pontos chave da sua ficha, o passado de sua personagem. E, antes de tudo, vamos deixar claro que eu gosto demais quando uma personagem não tem uma história clichê, sabe? Nem todo bendito herói é órfão ou maltratado pela família, mas é impossível alguém viver uma vida perfeita com a família para sempre. Existem altos e baixos, bem como existem erros e acertos. A história da personagem mostrará a maneira como ela pensa diante de certas situações; mostrará determinada evolução dela. Eu quero algo foda, nada de doze linhas e beleza, não. Escreva, escreva e escreva. Mostre e evolução, os erros, os acertos, os medos, os amores, as decepções e tudo o que estiver relacionado ao passado da personagem na história! Ah, um ponto importante a se destacar é que quem fizer uma personagem que seja do segundo ou do terceiro ano, deve escrever como foi(foram) o(s) ano(s) anterior (es) dela em Autumnlight, se ela fez algo de memorável, ou algo marcante aconteceu consigo. Aconselho que para que fique mais organizado, crie um subtópico "História em Autumnlight".

*╔═══❖•ೋ° °ೋ•❖═══╗*
História
*╚═══❖•ೋ° °ೋ•❖═══╝*

Bruno nasceu em uma pequena vila nas Ilhas Oor, chamada Plovoucí Svíčky, no Reino de Epano, em Timog. Tal pequenina vila é conhecida por conta de ser um local na qual na qual é bastante movimentado por conta da fama que as Ilhas Oor possuem por conta do turismo, mas além disso, o comércio - de todo tipo - na cidade é muito alta, junto as diversas casas de prostituições que existem pela vila, o que é o que mais chama atenção na realidade, pois Plovoucí Svíčky é conhecido por ser uma vila com uma população composta por diversas raças diferentes, fora um baixo índice de criminalidade, mesmo que atividades ilegais acontecessem bastante por lá; mas seus moradores sempre foram muito unidos, era como se a vila fosse uma realidade a parte de todo o resto. Foi nessa realidade que bruno veio ao mundo; filho de uma Succubus com um Incubus, o garotinho nunca chegou a conhecer o pai, o que para Somniatores, isso é algo até muito comum, mas o que não foi comum ocorreu quando sua mãe pôs os olhos em si pela primeira vez: ela teve um Link consigo. Para Somniatores, é comum que o progenitor que cuide do mesmo - geralmente a mãe - o abandone quando a criança completa 7 anos, no entanto, sua mãe, Maya, por conta do Link, passou a nutrir um grande amor por sua cria, então decidiu que cuidaria dele até que fosse adulto - ou que ele resolvesse sair de casa. Maya teve outros nove filhos antes de ter Bruno, mas ele foi o primeiro a qual ela teve um Link, e por isso, ele era tão significativo para si.

Maya sempre foi uma pessoa que fazia o que queria e não ligava muito para como o faria, mas graças a seus "dotes", e por ser uma Succubus, ela conseguia o que desejava de forma muito simples ao que se relacionava com pessoas de grande valor aquisitivo na vila, sejam eles homens ou mulheres. No entanto, quando Bruno nasceu, ela percebeu que as pessoas que geralmente caíam em seus charmes já não se interessavam tanto nela, já que estava o tempo todo com o bebê e deixava claro que nutria muito mais amor por seu filho do que pelas pessoas a qual ela saía; então Maya sabia que teria de se virar para criar sua criança de outra forma. Para sua sorte, ela já estava na vila a tanto tempo que, depois de juntar umas coisas que tinha uns conhecimentos que adquiriu ao longo dos anos, Maya abriu sua própria lojinha de bebidas alcoólicas, e nos primeiros cinco anos, tudo deu certo para ela; sua clientela era fiel - e sabia que eles iam lá mais para paquerá-la do que por suas bebidas caseiras - e ficava com Bruno em casa, e mesmo sem nunca ter ido a escola, ele aprendeu a falar por conta que tinha muitos amiguinhos de sua idade. Um dia, ele disse que queria ir a escolinha, e Maya até lembrou que esqueceu que era necessário crianças irem para a escola; mesmo atrasado uns aninhos, ela o matriculou na escola que tinha na vila, no entanto, teve de voltar dois anos pois Bruno, mesmo sabendo falar, não lia nem escrevia, mas ele se adaptou ao colégio que estava e fez muitos amigos, já que, assim como si, ele sempre foi muito sociável.

Desde bem pequeno Bruno foi ensinado por sua mãe a respeito do que ela sabia - ou ia se lembrando - dos Somniatores, e quando ele completou 7 anos, ele se agarrou na perna da mulher e começou a chorar pedindo para que ela não o abandonasse, pois ele amava muito sua mãe; Maya apenas riu e, o levantando com sua cauda, disse que nunca iria abandoná-lo, pois ele era seu amado filho - embora fosse o décimo e último dela. Foi mais ou menos nessa idade que Maya decidiu que iria fechar sua loja de bebidas e passar a trabalhar no bordel mais valorizado da vila; ela sempre gostou de sexo, e como muitos homens e mulheres a cortejavam querendo "algo a mais", ela decidiu que iria se tornar uma prostituta, já que era amiga de várias que tinha no local, e sendo uma Somniatore, se tornou a prostituta mais cara da vila, embora ela e Bruno vivessem de forma bem humilde pois, mesmo ganhando bastante dinheiro por seus "serviços", mais da metade ia para seu cafetão; bom, Bruno nunca foi uma pessoa exigente e sempre foi humilde como ela, e contanto que ela pudesse ter dinheiro para comprar para seu filho o que ele queria, estava de bom tamanho. Na escola, Bruno era zoado por ter uma mãe meretriz, no entanto, para ele, sexo era algo extremamente normal e comum para se saber e ver, então ele sempre dizia coisas como "mas sexo é algo natural, porque seria ruim minha mãe viver dessa forma?"; Bruno era sempre repreendido pelas professoras pois, para crianças de sua idade, falar abertamente sobre esses assuntos mais "íntimos" era praticamente um tabu, no entanto, para um Incubus como ele, era algo tão banal quanto lavar as mãos antes de comer. Além disso, ele havia chegado em uma época em que seu corpo estava começando a mudar e, quando estivesse com seus 14 anos, poderia ter a capacidade de "fazer bebês" como Maya dizia, mas ele também tinha noção de que só podia "fazer bebês" com alguém que quisesse. Bruno sempre foi muito educado a ser respeitoso e que Somniatores são uma raça que preza pelo consentimento - de qualquer forma - acima de qualquer coisa, então era assim que ele agia: alguém que era charmoso naturalmente mas que nunca tentava avançar se o outro não estivesse confortável. Alguns não sabiam lidar direito com Bruno por conta de ser de uma raça....peculiar e ter tido uma criação bem diferente, mas ele também não saía falando "besteirinhas" e, se não fosse pela marca em sua barriga, todos achariam que ele era somente um kemono - mas tendo uma mãe como Maya, sua raça não era segredo, mas o pessoal da vila gostava muito dos dois Somniatores, então tudo bem.

Por alguns anos, Bruno levou uma vida pacata - mas boa - e feliz naquela pequena vila, na qual ele só se importava em brincar e se divertir o dia todo, e como a população da vila era bastante unida, e todos se conheciam, e era um local que sempre recebia turistas, Bruno não via problemas em andar por aí sem camisa - ou as vezes até desnudo quando menorzinho - e mostrando sua Adolebitque, embora sua mãe lhe dissesse que não deveria mostrar sua marca pois as pessoas "de fora" - ou seja, os turistas - não eram tão amigáveis e dóceis para com Somniatores; mas Bruno nunca deu muita importância para isso, até que foi isso que causou seu maior infortúnio. Bruno estava brincando em um lago com alguns amigos e amigas - duas meninas ani-elfas, um menino fada, dois garotos kemonos e uma menina meio-orc - quando um homem de aproximadamente quarenta anos - claramente um turista - se aproximou deles; Bruno tinha seus 12 anos, e seu grupinho de amigos tinham entre 10 e 13 anos, e como eram acostumados a lidar com "estrangeiros" - o nome que eles davam para os turistas que visitavam a vila, não se amedrontaram de estarem sozinhos com um homem desconhecido em uma parte mais afastada das construções, embora não fosse tão longe da casa de Bruno que ficava no meio da mata. O homem desconhecido estava muito bem vestido - algo não tão usual para turistas da vila - e tinha um sorriso meio estranho no rosto, mas parecia amigável, mas ele tinha um olhar que Bruno sabia bem o que era: malícia, principalmente enquanto ele olhava para a marca em sua barriga, o que fez ele se esconder na água.

— Olá crianças, boa tarde. — ele começou e retirou a cartola que usava, fazendo uma pequena reverência. — Chamo-me William von Harp e estou atualmente indo atrás de crianças talentosas para uma apresentação que eu e meu grupo iremos realizar em alguns dias, e pude perceber como vocês são perfeitos para os papéis dos personagens da vossa peça. Gostariam de tentar? — ele sorriu e colocou a cartola perto de sua virilha, e mesmo que as outras crianças não notassem, Bruno sentia que tinha algo com aquele homem. No entanto, antes que ele dissesse algo, o "líder" de seu grupinho, o menino fada, que era o mais velho, se animou com a ideia e se levantou da água, se vestindo rapidamente e dizendo que eles iriam, olhando para os amigos e os chamando. Bruno não queria muito ir, mas foi quase carregado pela amiga meio-orc; bom, talvez não fosse nada demais e ele estava apenas imaginando coisas. O senhor von Harp os guiava até onde seria o hotel em que ele e seu grupo estavam hospedados - de acordo com o homem - e ia contando coisas sobre como seria a tal peça, os personagens, etc; mas quando as crianças chegaram no lugar, mais parecia uma cabana do que um hotel, mas até aí tudo bem, no entanto, Bruno percebeu que tinha algo estranho quando o humano permitiu que as crianças entrassem primeiro e depois a porta foi fechada e trancada atrás deles, os deixando em um ambiente escuro. — Bruno....cadê o moço? — uma das ani-elfas (gêmeas), as mais novas do grupo, lhe perguntou, mas o mesmo não sabia responder. Momentos depois, ele sentiu um cheiro no ar e sabia do que se tratava: era um sonífero! — Cubram os narizes, não aspirem essa fumaça. — mesmo que a tal fumaça sequer havia se feito presente, as crianças fizeram como pedido e cobriram os narizes com suas roupas, e segundos depois, uma névoa roxa cobriu aquele cômodo. A meio-orc tentou abrir a porta usando sua força, mas antes que conseguisse quebrar a porta, homens mascarados entraram naquele cômodo por passagens secretas e iam desacordando as crianças; Bruno tentou se defender, mas no fim, ele também foi atacado, recebendo uma forte pancada na parte de trás da cabeça e apagando.

Quando Bruno acordou, ele percebeu que haviam grilhões em seu pescoço e pulsos, que estavam ligados por correntes, tal qual em seus tornozelos, e não estavam mais no mesmo lugar de antes; e pelo movimento do local que estava, que tinha um balançar, era com certeza um barco. Não era preciso ser um gênio para saber o que havia acontecido: ele e seus amigos haviam sido sequestrados, e pelo o que podia imaginar, seriam escravizados. Bruno olhou em volta e viu várias pessoas de diversas raças diferentes ali naquele pequeno cômodo do barco; todos estavam acorrentados e utilizando vestes que mais se assemelhavam com trapos. Seus amigos estavam perto de si, e estavam acordando aos poucos, e quando notaram a situação que se encontraram, começaram a chorar, mas uma batida vinda do teto com um "calem a boca" fez eles se assustarem e apenas chorarem baixinho, tentando não fazer barulho. — Bruno....o que a gente faz? — um de seus amigos kemonos (pavão) lhe perguntou, tentando consolar a meio-orc que estava desesperada. — Eu...não sei. Ah, com licença — ele se virou para um panahon larien que estava perto deles, que o encarou sem espírito nenhum no olhar — Para onde estão nos levando? — o mais velho apenas suspirou e olhou para uma pequena abertura que havia ao seu lado, dando uma vista para o mar. — Eu não sei garoto. Me capturaram em Alfheim a mais de três meses atrás, e estou acorrentado aqui desde então. No entanto, acredito que eles irão nos levar para o local destinado, já que, quando você e seus amigos foram trazidos, ouvi os traficantes dizendo que "a carga estava pronta e podiam enfim voltar para casa", mas onde será esse lugar eu não sei. Só lhes digo algo rapaz: abandone toda e qualquer esperança, especialmente você que é um Somniatore. — depois disso, o homem fechou os olhos e escondeu o rosto nos joelhos. Bruno começou a sentir lágrimas escorrendo por suas bochechas e tentando se fazer de forte perto dos amigos, já que ele era o sempre sorridente Bruno, mas no fundo, ele só pensava em sua mãe e o quão burro foi em não ter dado ouvidos as suas palavras.

Os dias foram se passando e Bruno já havia perdido a noção do tempo; o quanto eles estavam ali naquele barco? Naquele maldito espaço confinado que fedia a urina, fezes, vômito e sangue? O cheiro do mar se misturava ao de suor e deixava somente tudo pior; eles se alimentavam pouco e tinham uma quantidade mínima de água todos os dias, e ele tinha certeza de que alguém havia morrido, pois o odor de morte era notável a cada dia que passava, e quando ele acreditou que iria enlouquecer, a voz de von harp se fez audível sob suas cabeças. — Notícias boas suas criaturas, finalmente chegamos em casa. Devemos preparar vocês para o leilão, então é bom que estejam todos vivos, hahaha. — aquela risada era um som pior do que o de regurgitação e gemidos de desespero dos outros. Quando o navio parou, passos iam e vinham do convés, e depois de longos minutos, a porta foi aberta, e alguns traficantes entraram, puxando eles para fora ao ligar todas as correntes; e enquanto iam andando - a primeira vez em muito tempo - Bruno pode perceber que sim, alguém havia morrido. Quando Bruno saiu, a luz do sol - que nem estava tão forte, pois parecia ser fim de tarde - quase o cegou, mas a brisa era boa, e quando conseguia ver melhor, notou estar em um lugar que nunca viu antes, mas era bonito, no entanto.... — Sejam bem-vindos à Nova República. O leilão será em algumas horas, então vocês terão de estar apresentáveis. Vamos andando. — William disse e seus subordinados começaram a puxar os escravos para carroças e os separando em três grupos; para a sorte de Bruno, ele e seus amigos ficaram juntos. A viagem de carroça não levou muito tempo, e quando pararam, estavam em um tipo de chalé, na qual eles foram levados para um grande banheiro público e tiveram os grilhões e correntes soltos, mas era claro que havia algo de estranho naquele lugar, pois pessoas com magia não estavam conseguindo usá-la. Lhes foi ordenado que se banhassem e depois eles seriam vestidos, e foi isso o que tiveram de fazer, tudo ocorrendo em um silêncio mórbido. Depois do banho, cada um foi levado para um quarto diferente e vestidos com roupas únicas - sendo que a de Bruno era algo bem provocativo e deixava sua Adolebitque em destaque - e depois tiveram os grilhões presos novamente e levados para as carroças novamente, sendo levados para um tipo de caverna. Nessa caverna, eles entraram por uma passagem na rocha e seguiram por uma escada até um quarto iluminado com uma ofuscante luz avermelhada e eles estavam em um tipo de palco, podendo ver cadeiras postas na parte de baixo.

Todos os escravos então foram separados e mantidos em pontos específicos do palco, até que, depois de alguns minutos, pessoas muito bem apresentáveis começaram a chegar e a se sentarem nas poltronas, com placas contendo número em suas mãos; o leilão iria começar. O senhor von Harp então foi para o meio do palco e se apresentou, deu boas-vindas aos participantes e explicou como o leilão iria acontecer, para em seguida ele dar início com o primeiro grupo: o que Bruno estava. O primeiro a ser puxado e levado para o meio do palco foi aquele panahon larien que Bruno vez ou outra conversava mas nunca soube o nome. Quando ele foi vendido e levado para seu "novo dono", o homem lhe deu um olhar e um sorriso triste, movendo os lábios em um "adeus". O leilão continuou até que suas duas amigas ani-elfas foram levadas para o centro do palco totalmente assustadas e tremendo de medo. — E agora, lhes apresentamos as gêmeas ani-elfas Mizuchi e Miyuki de 10 anos, e como são gêmeas, é claro que não podemos vencê-las separadas. - William começou e as pessoas riram de sua frase; bruno só sentiu nojo. — E por causa disso, vejam como uma "promoção": duas pelo preço de uma! Então, comecem os lances. — quando ele terminou de falar, diversas placas foram levantadas e ele ia subindo os preços, até que alguém deu um último lance que ninguém mais quis ultrapassar. — E vendidas! As gêmeas ani-elfas serão agora propriedade do senhor Hanks d'ela Rosa. Agradecemos pela compra, pode vir pegar suas novas escravas. — as meninas então foram sendo puxadas, mas elas gritavam por ajuda e olhavam para os amigos, que estavam temerosos e petrificados. — Agora temos aqui um garoto fada de 13 anos chamado Lux; como podem ver, suas asas podem não ser muito grandes, mas possuem cores belíssimas. Podem começar os lances. — e depois de algumas placas levantadas, Lux também foi vendido. — Parabéns pela nova aquisição madame Vânia Rhondo. — em seguida, outro amigo seu foi levado. — Agora temos aqui Billy, um kemono pavão com belas penas e uma voz encantadora de apenas 11 anos. Comecem os lances. — não demorou muito até que ele também fosse levado embora por um casal chamado Yankeeha. — E temos aqui outro kemono, dessa vez, um pequeno coelho de 11 anos. Quem vai querer? — diversas placas foram levantadas e no fim, ele foi vendido para uma velha chamada Elena Klarita. — Agora apresentamos essa menina meio-orc de 12 anos chamada Sophia. Mesmo sendo nova, possui uma grande força, perfeita para trabalhos braçais. Comecem os lances. — assim como antes, muitas placas foram levantadas e ela foi vendida para um homem chamado Zhan Fi-Han. — E para terminarmos o primeiro grupo, deixamos o melhor para o final... — o senhor von Harp foi até Bruno e o puxou, o jogando no meio do palco e deixando-o em pé, sem a possibilidade de tentar esconder sua marca. — Como podem ver, esse rapaz se trata de um Incubus, tem 12 anos e se chama Bruno. Como sabem, Somniatores machos não são tão comuns, e ele ainda não pode engravidar ninguém, mas já está numa boa idade para começar a "brincar". E o melhor de tudo, ele é virgem! - isso era mentira, já que, quando tinha 11 anos, sua mãe o colocou para transar com uma de suas amigas prostitutas para ele começar a aprender na prática como era fazer sexo e se tornar um bom Incubus no futuro, sendo que, para Somniatores, ele até começou a ter relações mais tardiamente (geralmente se iniciando aos 8 anos) — Quem quer começar? — quase todas as placas se levantaram e as pessoas começaram a gritar seus lances, que iam subindo e subindo cada vez mais, até que uma mulher gritou um valor enorme e todos ficaram em silêncio. — Vendido! Agradecemos pela sua compra senhor Violett McGarden. Pode pegâ-lo. — Bruno foi empurrado nas mãos de um traficante e levado até um empregado - escravo - da mulher que o comprou. — Que menininho mais bonitinho você. — ela disse apertando suas bochechas — Farei de você meu mais novo brinquedo. Sink, vamos. — ela disse para o escravo orc que estava segurando Bruno e foram embora daquele lugar, mas o menino estava tão chocado com tudo o que havia acontecido - o leilão, as vendas de seus amigos, sua própria compra - que simplesmente desmaiou, só conseguindo ouvir a voz de William anunciando mais uma pessoa para ser vendida por aquelas pessoas repugnantes.

Ao que abriu os olhos, Bruno estava em uma cama macia, com lençóis brancos e num quarto simples e pequeno, com pouca mobília, sendo bem básico mas, comparado com o barco que ficou, aquele lugar era um luxo. Embora estivesse sem os grilhões e correntes, havia um tipo de faixa em seu pescoço feito de um material duro e frio, que não apertava seu pescoço, mas estava bem fixado no lugar; tal faixa também estava em seus pulsos e tornozelos, sendo uma uma cor dourada, mas não parecia ouro; não pareciam algemas, mas ele ainda se sentia aprisionado. Bruno se levantou e foi até a janela - a única - que tinha ali e olhou pelo vidro; embora o quarto desse uma bela visão para o mar, e estivesse de dia - permitindo que Bruno pudesse apreciar a bela paisagem, ele se sentia terrível e fechou as cortinas, não queria pensar que estava tão longe de casa.....casa...Bruno começou a chorar ao imaginar que talvez nunca mais iria rever sua mãe. Bruno foi tirado de seu momento de choradeira com um barulho vindo do teto, e ao olhar para cima, havia uma centauro aranha o encarando e sorrindo. — Finalmente acordou. Você ficou apagado por um bom tempo rapaz. Nossa senhora está esperando por ti há um bom tempo. Vista-se com a roupa que está no armário, iremos nos encontrar com ela para o almoço em alguns minutos. — quando a mulher saiu - Bruno não sabe exatamente por onde, ele ficou pensando se deveria mesmo fazer o que ela disse, mas preferiu não desobedecer, então trocou o pijama que usava pela roupa que estava no armário; uma roupa semelhante á que o escravo orc que o levou na noite anterior vestia: algo simples, de tons terrosos, e poucos tecidos misturados, uma coisa bem pobre, mas o bastante para cobrir o corpo. Estando pronto, alguns minutos depois a porta de seu quarto foi aberta pela centauro aranha que sorria para ele de forma enigmática, no entanto, ela não parecia uma má pessoa - e como estava trajando vestes não tão diferentes da sua, deveria ser uma escrava também, pois havia as mesmas faixas douradas no pescoço, pulsos e tornozelos da mulher. — Vamos, a madame McGarden está a nossa espera. — ela disse e passou a andar pelos corredores do que parecia ser uma mansão; Bruno foi a seguindo em silêncio enquanto a mesma comentava sobre o lugar e a família que o comprou, mas sua cabeça estava em outro lugar, praticamente não ouvia o que ela dizia, isso também não o interessava.

Em certo momento, ela parou e Bruno quase esbarrou na mulher; ela abriu grandes portas de madeira rubra que dava lugar á um jardim bonito, com belas flores, árvores e fontes; no meio do jardim, havia uma formosa mesa branca, na qual haviam duas pessoas sentadas e, em volta delas, dois escravos - o orc de antes e um titan de uns 4 metros, sendo que, rapidamente, a mulher aranha se juntou a eles. Uma das pessoas que estava sentada á mesa era a mulher do leilão, que parecia estar na casa dos 50 anos, mas ainda era muito bonita, de cabelos avermelhados com algumas mechas acinzentadas; ela também vestia-se de forma elegante, com um belo vestido violeta. Ao lado dela, havia um homem que parecia ter por volta dos 20, cabelos avermelhados e também usava trajes formais e elegantes; e como era muito parecido com a mulher, provavelmente era filho dela. Enquanto a senhor possuía uma feição sorridente e doce, o homem encarava Bruno com um olhar analítico, estando sério. — Oh, boa tarde meu jovem, dormiu bem? Venha aqui, deve estar com fome. Você dormiu bastante, acabou perdendo o café da manhã, mas ainda bem que acordou para o almoço. — a mulher, chamada Violett McGarden - pois Bruno se lembrava do nome dela - apontou para que o menino se sentasse em uma cadeira perto dela, com um prato de comida e um copo de bebida postos ali. Mesmo que não confiasse naquela mulher - afinal, ela o comprou! - ele estava morrendo de fome e não se alimentava direito à tempos, então se sentou e começou a comer como se nunca mais fosse ter um prato de comida a sua frente na vida. A senhora McGarden apenas riu de si e seu filho bufou, revirando os olhos, mas também parecia....curioso sobre si; Bruno conseguia sentir o olhar do outro sobre si e não gostava dele. — Coitadinho, deve ter passado tanto tempo sem comer. Mas não se preocupe, a partir de hoje, terá comida todos os dias. Eu sou Violett McGarden, e esse aqui é meu filho Luciel. A partir de hoje, você será....um de nossos "empregados" — ela disse entre aspas, mas era só um eufemismo para "escravo" — Sabe, eu fiz três compras ontem, e planejava mandar todos para meu marido, que gerencia uma Casa Vermelha — Bruno sabia que tal nome era somente uma outra forma de dizer "prostíbulo" — No entanto....eu não poderia mandar você para lá, seria um desperdício. Você é muito bonitinho...e é jovem, deve ter bastante energia, e com certeza, saberá como satisfazer meus desejos mais do que o impotente do meu esposo — Violett revirou os olhos com uma cara de raiva — Luciel também me convenceu a deixa você aqui na casa, já que, como um Incubus, você é....especial. Será nosso novo brinquedinho, espero que não quebre fácil. — o sorriso da senhora agora era medonho, fazendo Bruno segurar forte o garfo em mãos. — Bem, deixarei que Nana te mostre a mansão. Bhust — o orc se aproximou da mulher — Nix — o titan se ajoelhou — Vamos. — o titan pegou tanto Violett quanto Luciel em seus braços e, junto ao orc Bhust, deixaram Bruno no jardim somente com a aranha chamada Nana. — Vamos rapaz, termine de comer, terá de ter energia para hoje a noite. — a mulher limpou o canto de seus lábios e ele engoliu em seco; havia perdido a fome.

Nana, embora tivesse uma face que exibisse um sorriso malicioso, era bastante educada - embora cínica - e que tinha uma grande paciência com Bruno, sempre tentando deixá-lo a vontade e lhe explicava tudo com calma; ela sentia que ele estava assustado e dizia que, enquanto ele obedecesse, nada de ruim aconteceria. Isso não ajudou a deixar Bruno mais calmo, que perguntava a mulher aranha o que havia acontecido com seus amigos, mas nana apenas negava com a cabeça e dizia que era melhor esquecer deles, pois nunca mais os veriam. Depois de algumas horas ensinando o menino sobre a rotina da mansão e qual seria seu novo papel - o concubino da senhora McGarden e de Luciel -, Bruno foi levado até um quarto com iluminação vermelha e deixado nu, depois acorrentado sob a cama; ele estava entrando em desespero pois, em volta, podia ver vários brinquedos sexuais diversos e outros objetos que mais pareciam para tortura. — Seja forte rapaz, é a única coisa que você pode fazer... — Nana disse e fechou a porta enquanto Bruno pedia por sua ajuda. Por alguns minutos, Bruno ficou ali, olhando para os lados, tentando se soltar, mas em vão, até que uma porta fora de seu campo de visão foi aberta e então Violett e Luciel apareceram trajando vestes de couro, justas, e decotadas. — Ohoho, que bela visão, não acha Lu? — ela disse com um olhar lascivo; o outro apenas concordou com a cabeça. — Bem, então pegue o lubrificante e alguns brinquedos. — a mulher disse subindo na cama e se sentando sob as coxas de Bruno, que encarava a mulher em desespero. — Vamos começar a brincar!

Do lado de fora do quarto - trancado - era possível ouvir diversos tipos de barulhos diferentes: gemidos de tesão e dor, gritos de euforia e ajuda, choros de prazer e tristeza, exclamações para mais e para parar, pele contra pele, chicotes contra pele....era uma sinfonia que, para a senhora McGarden e seu filho eram uma incrível melodia, mas para os escravos que estavam no corredor, era comparável a uma orquestra em que todos os instrumentos estão desafinados e vão se quebrando; eles só podiam imaginar o que o pobre menino Bruno estava passando. Depois do que pareceu ser uma eternidade, um click foi escutado; a porta fora destrancada, e a imponente voz da mestre da casa se fez presente. — Nana, por favor, limpe tudo por aqui, já acabamos por hoje. Certifique-se de que nosso bonequinho estará disposto para amanhã. — somente quando o barulho de uma outra porta abrindo e fechando foi percebido que a aranha adentrou o quarto e colocou a mão na boca com nojo, tal qual os outros escravos que olharam para dentro do cômodo. Haviam brinquedos sexuais e objetos de tortura jogados pelo chão de qualquer forma, tal qual vestes de couro; fluidos corporais se misturavam a suor, lubrificante, sangue, urina e até mesmo vômito, tanto no carpete quanto na cama; e no meio do colchão, estava o pequeno Bruno, deitado em posição fetal, com lágrimas secas nas bochechas e resquícios de vômito no canto dos lábios. Ele havia diversas feridas abertas pelo corpo - principalmente em suas costas e pernas, tinha marcas de palmadas, chicotes e outras coisas por sua pele - agora avermelhada, pingos de cera de vela pela extensão de seus membros, e seu corpo estava melecado de suor, sangue, sêmen e lubrificante; o menino se tremia todo e balbuciava coisas como "porque?", "por favor não", "pare" e outras coisas que Nana não queria mais escutar, até mesmo tentou não olhar "o estado" que ele havia sido deixado, mas só pelo olhar sem brilho em suas íris, ela soube que, mentalmente, ele já estava perdido.

Os dias que se seguiram não foram nada agradáveis para Bruno que, por ser novo, e o favorito de Violett e Luciel, era usado e abusado por eles de diversas formas possíveis, e o que antes era somente para que ele fosse alguém para satisfazer os desejos sexuais doentios daqueles dois, acabou por se tornar um objeto na qual eles descontavam suas frustrações. Se algo quebrava, Bruno era punido, mesmo não tendo culpa; se ele fazia algo errado, mesmo que pequeno, era humilhado na frente de todos que estivessem por perto; se ele demonstrasse que estava claramente passando mal no meio de uma das sessões de estupro que passava, a senhora McGarden o colocava para dormir no jardim desnudo, como forma de "educá-lo". Luciel era o pior, pois tinha um tipo de paixão doentia por si: ele não sabia que queria machucar ou mimar Bruno, então fazia os dois; lhe dava presentes, era carinhoso - mesmo tendo uma personalidade fechada e fria - só para, de noite, abusar sexualmente de si e quase matá-lo sufocado, dizendo coisas como "você é um Incubus, sexo para você é algo bom". E deveria; Bruno foi ensinado que o ato sexual é algo bom, mas somente quando as duas - ou mais - partes estão de acordo, e não quando um deles está claramente implorando para parar e não existe prazer, apenas dor, nojo e tristeza. As vezes, o garoto se perguntava se a vida nas Casas Vermelhas seria melhor, pois ser o "bonequinho" daquela mãe e filho doentes era uma tortura, e mais de uma vez, ele tentou se matar, mas no final, perdia a coragem.

Por longos e quase dois arrastados anos se passaram desde que Bruno foi sequestrado; e ele já não tinha esperanças de que um dia seria livre ou que voltaria para sua mãe; no entanto, mesmo carregando marcas em seu corpo, sendo constantemente punido e humilhado com ou sem razão, Bruno ainda conseguia ter alguns pequenos momentos de felicidade, pois, diferente de seus mestres, e os empregados normais da mansão McGarden, o menino era bem acolhido pelos escravos, tendo ficado muito íntimo de três: Nana, a centauro aranha, Bhust, o orc, e Nix, o titan. Para Bruno, aqueles três eram os escravos que mais lhe ajudavam e davam apoio emocional de alguma forma; Nana era quem lhe "socorria" mais por ser a escrava mais próxima da senhora McGarden, e por isso, cuidava pessoalmente de Bruno para que ele estivesse sempre no seu "melhor estado" - ela passava bastante a perna em sua mestre, mas como era muito inteligente e ardilosa, a humana sequer percebia; Bhust era um orc que, embora não falasse por ter tido as cordas vocais danificadas ainda novo, era muito expressivo em seu olhar e em sua linguagem corporal, sendo muito atencioso e que, muitas vezes, fazia os trabalhos de Bruno em seu lugar para que o menino pudesse descansar depois de ser severamente punido, humilhado e abusado pouco antes; e Nix era um gigante medroso mas muito adorável, que servia como o segurança e o "paizão" dos escravos por ser o mais velho da mansão, e ele adorava passar tempo junto ao Incubus e gostavam de conversar, sendo que o menino lhe contava como era sua vida com sua mãe e em como sua vila era diferente mas muito amigável com todos. É, mesmo que sua vida naquela casa como um escravo fosse um inferno, nem tudo era tão ruim, pois ele tinha amigos. Certo dia - isso depois de mais de um ano que o rapaz estava na mansão, Nix e Bruno estavam conversando sobre magia e o menino disse que ele não tinha capacidades mágicas, mas que isso nunca o preocupou pois sua mãe lhe dizia que provavelmente ele era um bruxo como ela, mas que não iria se preocupar em fazer um ritual para abrir suas vias mágicas pois ele também nunca se preocupou com isso; fazer uso de seus feromônios era quase que um feito mágico, como ele gostava de dizer. Mas Nix não ficou muito satisfeito com a resposta do garoto. — I-isso não está correto Bruno! — ele o disse com um olhar determinado. — Amanhã eu irei lhe ajudar a abrir suas Vias Mágicas para lhe transformar em um Bruxo! — o mesmo disse e se levantou - já que sempre se sentava para conversar com os outros - e foi andando para seus aposentos. — Encontre-me as nove da noite na entrada do jardim. — depois disso, ele saiu da vista do menino. Ok, aquilo foi estranho, mas não iria negar - só esperava que Violett não viesse querer uma sessão de sexo, sendo que mal fazia dois dias desde a última vez que foi abusado por ela e Luciel.

O dia se passou como os outros: ruim, mas nem tanto; de noite, Luciel apenas veio até seus aposentos para que ele pudesse ser mimado por Bruno ao que o menino lhe fazia massagem pelo corpo - podemos dizer que isso foi uma boa noite, já que, depois disso, o McGarden foi embora depois de mais uns amassos; Bruno sentiu um mal no estômago, mas só isso. No dia seguinte, Bruno estava claramente ansioso para qual seria o ritual que Nix estava preparando para si; ele via que o titan estava mais ocupado, indo de um lugar para o outro junto a outros escravos; Nana estava ao seu lado em suas tarefas como o usual e Bhust...bem....Bruno não o viu o dia inteiro, mas imaginava que ele deveria ter ido acompanhar o senhor McGarden - Stefan, marido de Violett, uma pessoa que não tinha tanto contato - para as Casas Vermelhas. A cada hora que passava, a ansiedade de Bruno aumentava, e quando já era de noite, e ele estava em seu quarto, só esperando o relógio marcas 20:58 - sendo que todos já estavam dormindo - para poder ir para o jardim. Dando o horário, ele foi de forma rápida, mas silenciosa, para fora da mansão, encontrando Nana no local onde Nix disse que estaria. — Vem, o Nix me mandou te buscar. Ele está muito animado para ver que tipo de Bruxo você irá se tornar. Nix é um bruxo também sabia? — disso ele não sabia, mas ficou ainda mais ansioso para saber como seria o ritual que o titan havia preparado para si. Nana o guiava para um local afastado do jardim e adentrando a floresta densa que havia nas redondezas da mansão McGarden, um local que Bruno nunca havia ido antes, não porque foi proibido, mas porque temia que isso o lembrasse mais de sua antiga vida. Depois de algum tempo andando por meio as árvores, eles chegaram em um local no meio da floresta que, para Bruno, era meio estranho. Havia uma grande e velha árvore no meio de um terreno descampado, sem quaisquer plantas, somente o chão arenoso. Nix, Bhust e outros escravos estavam ali, segurando instrumentos e tudo estava muito bem iluminado pela luz da lua, visto que não haviam árvores em volta para bloquear os raios lunares. — Que bom que chegou Bruno — Nix disse enquanto Nana ia se juntar aos outros e pegar um tambor — Podemos começar o ritual. P-primeiro...v-você deve tirar...t-tirar... — o titan parecia envergonhado de dizer o que quer que fosse. — É para você tirar as roupas Bruno. — Nana disse com um tom divertido; o titan apenas ficou constrangido. — Oh, ok. — disse somente antes de retirar suas roupas e as entregar para Bhust. — Certo, agora por favor, entre aqui. — Nix disse ao retirar um grande pedaço da casca da velha e podre árvore, revelando ali um grande buraco e, como pedido pelo titan, Bruno entrou no buraco e abraçou as próprias pernas, se ajeitando em uma posição confortável, tal qual foi instruído pelo titan; em seguida, fechou os olhos quando a casca foi colocada no lugar, o deixando no escuro, embora alguns feixes de luz entrava naquele espaço oco por conta dos buracos que havia na árvore.

— Pois bem, comecem. — Nix disse com uma voz firme para os escravos, que então começaram a tocar os instrumentos que estavam consigo em uma sinfonia acelerada e semelhante a usadas em festivais; outros cantavam em uma língua que Bruno não reconhecia, mas não tentou se focar na letra - já que não havia tanto, sendo mais a sustentação de notas do que uma canção letrada - e o titan ia batendo na árvore como se tocasse um tambor, enquanto assoprava uma estranha fumaça dentro da árvore por um dos buracos que havia na mesma, deixando o Incubus tonto por conta do cheiro da fumaça, o deixando confuso, mas também leve. Por longos minutos, os escravos estavam tocando aquela música e cantando enquanto dançavam em volta da árvore onde Bruno estava dentro, sendo de tempos em tempos envolto em uma fumaça estranha soprada por Nix no buraco, o deixando alterado, como se estivesse drogado, mas estranhamente.....bem. Ele podia ouvir tudo o que acontecia com clareza, sentia cada leve alteração na brisa que passava em sua pele, seus pensamentos estavam silenciosos e não se focava em nada, estando de mente limpa e sem quaisquer preocupações, no entanto, quando o ritmo da música ficou mais agitada e o canto agressivo, junto as batidas irregulares de Nix no tronco da árvore, Bruno ia sendo tomado por uma sensação que ele não sabia dizer que era terrível ou incrível; uma mistura dos dois talvez. Sua cabeça girava e ele se sentia sufocado, ao mesmo tempo que seu corpo estava dormente e não obedecia aos seus comandos. Ele estava ao ponto de enlouquecer, ao mesmo tempo que sentia que sua alma estava fora de seu corpo, e sua mente havia deixado de existir. E então, tudo parou do nada, somente um longo "a" era sustentado pelos escravos e um batuque veloz de Nix. — Agora, Bruno, deixe todas as suas emoções se libertarem, deixe que tudo saía de uma vez. Não pense, não imagine, não planeje. Apenas deixe sair. AGORA! LIBERTE-SE!

E então......

Bruno abriu os lábios e um estrondoso grito de dor e sofrimento saiu rasgando sua garganta, forçando todos a tamparem os ouvidos e até mesmo os animais que estavam por perto saíram rapidamente, fugindo daquele som agoniante. O grito de Bruno era tão arrebatador que chegou a quebrar por completo o tronco da árvore, tendo seus pedaços projetados para alguns centímetros longe do menino, e o chão abaixo dele até mesmo tremia. Ao que o fôlego em seus pulmões acabou, Bruno fechou os lábios e abriu os olhos, sentindo que algo de estranho ocorria em seu corpo; que um sentimento forte passava em suas veias; que se sentia....fantástico, mas cansado, tanto que ele apagou depois do ritual, podendo ouvir de fundo Nix comemorando e dizendo que o ritual havia sido um sucesso. Quando abriu os olhos, Bruno estava deitado no colo de nana, que passava os dedos em seu cabelo e lhe sorria gentilmente. — Isso parece um costume seu garoto, mesmo não precisando dormir, você o faz demais. — a mulher aranha riu de si e o ajudou a ficar de pé, embora Bruno ainda se sentisse meio zonzo. — E então, como está se sentindo? — Nix lhe perguntou com um olhar ansioso. — Hm...diferente, eu acho. Quero dizer....eu me sinto bem, apenas sensível...e minha orelhas estão doendo. — Bruno disse cobrindo as orelhas com as mãos, sentindo que todos os sons ao seu redor estavam muito mais altos e nítidos do que em qualquer outro momento de sua vida, e olha que sempre teve uma boa audição. — Eu tinha minhas suspeitas quanto aquele seu grito de antes — Nix começou — Mas agora tenho certeza. Você é um bruxo do elemento secundário do som! Parabéns Bruno. — todos os escravos então foram parabenizar Bruno, que apenas agradecia e sorria meio sem graça, tentando não demonstrar como suas orelhas estavam sensíveis e que todas aquelas vozes juntas faziam seus tímpanos doerem bastante. — Certo, melhor voltarmos antes que alguém dê falta de nós — Nana disse batendo palmas para chamar atenção de todos; de fato, já havia se passado bastante tempo. Bem, Bruno estava feliz por agora ser um bruxo com poder do som. Mas como isso lhe seria útil? Nix se ofereceu para ajudá-lo a treinar seus poderes, então já seria um começo.

No dia seguinte, Bruno teve de realizar suas tarefas estando com as orelhas extremamente sensíveis e o corpo ainda mole pelo ritual da noite passado, o que o deixava letárgico e irritadiço, algo que Violett e Luciel não gostaram muito vindo de Bruno, principalmente quando, em um determinado momento, ele respondeu e gritou com sua senhora. Tudo naquele momento ficou em silêncio, e quando o Somniatore percebeu o que fez, ele arregalou os olhos e sentiu as pernas bambas, já imaginando como seria punido pela mulher; no entanto, ela o olhou com uma feição de tesão e corou, dizendo coisas como "eu não sabia que você poderia ser violento dessa forma bonequinho". Sim, estranhamente, aquilo excitou a outra, tal qual seu filho, que estava perto. — Vá ao quarto vermelho essa noite querido, vamos testar esse seu novo jeitinho — a senhora disse depois de dar uma apertada em sua bunda, indo embora com Luciel. Bruno não entendeu exatamente o que se passou, no entanto, ele não foi punido, o que era bom, mas teria de ir ao famigerado Quarto Vermelho, na qual seria, como usual, sexualmente abusado por aqueles dois. E Bruno não suportava mais isso, mas enquanto usasse aquelas faixas douradas, não poderia fazer nada. Em uma certa hora, enquanto Bruno limpava as escadas, ele pode ouvir uma conversa degraus acima; eram dois homens, e embora não reconhecesse as vozes, sabia que já as tinha escutado antes. Eles falavam baixo, como se o que conversassem fosse um segredo, e se Bruno não tivesse despertado seus poderes ligados ao som, com certeza não teria escutado-os. — Um carregamento de escravos vai chegar amanhã a noite e porra, tá cada vez mais difícil achar gente que presta. — um deles falou em tom irritado, enquanto o outro riu em deboche. — São vocês que não procuram nos lugares certos. Essa embarcação vem de Gwynt não é? Ela vai para onde depois? — o de voz mais grossa perguntou. — Dragon's Fall. — quando o primeiro homem disse isso, os olhos de Bruno se arregalaram e ele quase deixou a escova cair de seus dedos. Dragon's Fall ficava em Epano, o país em que nasceu, e não era muito longe das Ilhas Oor, onde ficava sua vila. Aquela era a primeira vez em muito tempo que um pingo de esperança surgia em seu peito. E se....não, era loucura. Seria impossível ele fugir da mansão McGarden e se infiltrar no barco. Mas e se...

Bruno continuou ouvindo a conversa dos homens e limpando as escadas como se nada estivesse acontecendo; ele estava decorando todas as palavras deles, cada pequena informação, horário, local, tudo. Bruno estava decidido a fugir, e faria isso, nem que precisasse matar alguém! Quando os homens foram embora, e o Incubus terminou seus deveres, ele saiu correndo em busca de Nix, alguém que sabia que iria lhe ajudar. — Você tem certeza disso Bruno? — o titan perguntou em quase um sussurro; ele havia passado tanto tempo naquele lugar que qualquer menção a fuga era um pensamento impossível. — Sim Nix, eu tenho certeza absoluta! Ele falaram que era um carregamento pequeno pois, como estava atrasados no prazo, acabaram vindo com somente metade da quantidade normal de escravos. E pense só, escravos tentando tomar um navio de escravos é algo que ninguém nunca pensaria. É a oportunidade perfeita para fugirmos! — o Somniatore falava com um tom firme na voz; seus olhos, que antes não haviam um brilho sequer, agora queimavam em determinação! — Eu não sei....pra começar, não sabemos como tirar as faixas. Você sabe que não podemos nos afastar da mansão sem um dos mestres com elas, e somente Violett sabe como desativá-las. Desista disso Bruno, não vai adiantar, eu sei pois já tentei. — Nix apenas negou com a cabeça e deixou o menino sozinho, que apertou as mãos em punhos. Mas antes que ele ficasse irritado, teve uma ideia. — Espera Nix. Eu tenho um favor a te pedir. — ele alcançou o titan, que tentou dizer que não iria ajudá-lo em seu plano suicida, mas o que o rapaz pediu foi como controlar seus poderes, apenas isso. Nix ficou desconfiado com o pedido, mas no fim o ensinou algumas técnicas para que ele pudesse pensar e planejar alguma tática para usar seus poderes de forma que lhe fosse útil. Foi algo rápido, mas o suficiente para Bruno, que só agradeceu e foi embora. Nix sentia que o menino estava tentando algo, e temia por sua segurança; até porque o via como seu filho. Quando a noite caiu, Bruno já estava no cômodo avermelhado, desnudo, mas com um chicote em mãos. Se os McGarden queriam que ele fosse agressivo, então ele seria. Ele teve de segurar uma feição de nojo quando Violett e Luciel entraram no quarto e com olhares luxuriosos; ele apenas bateu o chicote no chão e apontou com a cabeça para a cama, na qual ambos foram mais do que rapidamente. — Vamos brincar. — disse somente antes de se juntar aqueles dois na cama e torcer para que não passasse mal no meio do ato.

Quando tudo acabou, Violett estava deitada na cama totalmente exausta e Luciel estava se levantando e se arrumando, dizendo que teria de se encontrar com sua noiva em alguns minutos, então foi o primeiro a ir embora; parecia que o universo estava conspirando a favor de Bruno, já que lhe deu a oportunidade perfeita para ficar sozinho com a senhora. Agora era sua chance! Bruno se deitou de Violett e a abraçou por trás, ronronando em seu pescoço, o que fez a outra rir de si; ela parecia bem confortável, o que era bom. — Senhora Violett....eu gostaria de lhe perguntar algo... — sua voz soou baixa e seu timbre diferente do comum, era quase...mágico, além disso, ele soltava seus feromônios, o que sabia que causava efeito forte nos humanos. — Diga meu bonequinho. — a mulher virou o rosto e o olhou, e em seus olhos, ele podia ver que estavam opacos, exatamente como os olhos das pessoas ficavam quando ele as hipnotizava. Perfeito, seu plano estava indo bem. — Eu sempre quis saber como a senhora coloca essas faixas douradas em nós...e como tirá-las....poderia me dizer isso minha senhora? — ele fez um olhar pidão e muito fofo, o que vez Violett se virar totalmente para si e apertar suas bochechas; seus olhos ainda opacos. — É claro meu bonequinho. Elas são faixas comuns, mas quando eu digo uma certa palavrinha, elas se ativam e se prendem á qualquer que estejam com elas, e se eu falar a palavrinha de novo, elas desativam. — a mulher disse lhe dando beijos no pescoço. Ok, ele estava quase lá. — E qual seria essa palavrinha minha senhora? Por favor, diga-me, eu lhe imploro. — Bruno odiava implorar, mas se tratando da outra, aquilo deveria funcionar, já que ela amava quando o mesmo implorava. Violett se aproximou de sua orelha e sussurrou a palavra bem baixinho em seu ouvido, o que fez Bruno sorrir. — Eu lhe agradeço do fundo do meu coração minha senhora. Tenho somente outro favor a lhe pedir. — ele disse e se sentou, sendo acompanhado pela mulher em seguida. — Sim bonequinho, o que é? — ele passou a mão em seu rosto e seu sorriso se desmanchou. — *negrito* Esqueça essa conversa que tivemos agora. *negrito* — suas palavras soaram com um timbre rouco e denso, e os olhos opacos da mulher ficaram mais escuros, com ela somente acenando com a cabeça. — Bem, está na hora da senhora se banhar minha madame. — quando ele disse isso, os olhos da McGarden voltaram ao normal, e ela parecia confusa. — Eu irei chamar Nana para preparar seu banho senhora Violett. — Bruno se levantou e abriu a porta, vendo Nana esperando-o do lado de fora, escorada na parede. — Nana, pode preparar o banho da senhora Violett? — ele disse sorrindo e depois mexeu os lábios dizendo "vamos fugir amanhã Nana", que arregalou os olhos mas depois sorriu. — Senhora Violett, um banho quente a aguarda. — a mulher aranha disse alegre adentrando o quarto enquanto Bruno saía do mesmo trajando somente uma calça. Ele agora iria dizer seu plano de fuga para todos os outros escravos. Eles iriam ser livres!

No dia seguinte - depois de Bruno ter explicado seu plano de fuga para todos os escravos e, com muito esforço, convencer a todos de fugirem - tudo estava normal; ninguém parecia suspeitar de nada, pois todos estavam agindo como o usual. No entanto, quando anoiteceu, os empregados da mansão perceberam um movimento anormal dos escravos, e quando foram ver o que estava acontecendo, estavam todos reunidos em volta de Bruno, que cantava uma bela melodia acapela, sendo que até mesmo Violett e Luciel estavam ali, ouvindo o rapaz cantando - ninguém imaginou que ele soubesse cantar tão bem. E lá estavam eles, todos os residentes da mansão McGarden, ouvindo Bruno cantando uma música tão suave, tão bela, calma e lenta, que estava até mesmo dando sono em alguns. Quando Bruno enfim para de cantar, todos os humanos - ou seja, os McGarden e os empregados normais da casa - dormindo de forma profunda no jardim; ele ainda não sabia exatamente como controlar seus poderes, mas estava se virando como podia. — Certo, eles dormiram. Rápido, não temos muito tempo. — ele disse e se uniu aos outros escravos e disse a palavra de segurança das faixas, as desativando e vendo que todas, de todo mundo, fez um barulho e depois caiu ao chão. Eles se sentiam livres, mas ainda não totalmente. Rapidamente, eles pegaram sacolas escondidas entre os arbustos com roupas e se trocaram por vestes mais arrumadas e elegantes, menos três deles: Nix, Nana e Bhust. Uma das escravas se vestiu com as roupas geralmente usadas por Violett e outro escravo com as roupas de Luciel; eles iriam encenar que os McGarden estavam saindo de casa com três de seus escravos mais confiáveis junto á "amigos". Rapidamente, eles saíram da mansão e foram seguindo um trajeto de carroça até a orla onde estaria o tal navio com escravos. Quando chegaram lá, ninguém desconfiou de nada, pois parecia somente que a senhora McGarden estava interessada em comprar escravos, o que pegou os traficantes de surpresa quando, do nada, foram atacados por raças não-humanas que os prenderam e os jogaram ao mar. — Rápido, soltem todos, não temos tempo a per- — Nix, que estava guiando os outros, do nada foi atingido por uma flecha em sua garganta, o fazendo cambalear e quase cair. Todos olharam espantados para onde aquela flecha havia vindo, vendo um homem com arco em cima de uma casa e, rapidamente, outros apareceram e cercaram-os. Mas como haviam tantas pessoas ali? Pareciam que eles estavam os esperando, mas isso era impossível! Não fazia tanto tempo que eles planejaram a fuga, e ninguém poderia ter vazado essa informação; todos queriam ser livres, então...como?

— Ora ora, o que temos aqui? — uma voz muito familiar se fez presente, e um misto de emoções passou pelo corpo de Bruno. Ele sabia de quem era aquela voz. Nunca se esqueceu dela, mesmo depois de praticamente dois anos sem ouvi-la. William von Harp! — Olá Bruno, como é bom te ver de novo. Você cresceu bastante desde a última vez que nos vimos.....infelizmente eu não pude ter um momento a sós com você naquela época....ainda bem que dessa vez será diferente. Não é Nana? — quando o homem disse o nome da mulher aranha, ela jogou o cabelo de forma arrogante e saiu andando para perto do homem. Nana havia traído eles? Como? Quando? Porque? — Eu sinto muito bonequinho, mas o mundo é daqueles que sabem como agarrar suas oportunidades. Sabe, eu sempre odiei trabalhar naquela casa, odiava a senhora McGarden. Odiava...até perceber que eu queria ser como ela. E então, por longos oito anos, eu vim trabalhando para poder tomar o lugar dela, e quando você veio me dizendo que havia descoberto a palavra de segurança para desativar as faixas douradas, eu quase tive um orgasmo. Algo que, por tanto tempo, eu tentei descobrir, você o fez tão rápido....não sabia se te beijava ou esganava. Mas devo te agradecer, só deixou tudo mais fácil para mim. — Nana dizia tais palavras com um tom ácido e venenoso, mas Bruno não podia crer nela. Nana, aquela mulher que cuidou tanto de si, que foi um pilar emocional, alguém que sempre a ajudou e esteve do seu lado, os traindo daquela forma para ser igual á pessoa que ela admitiu que sempre odiou? Aquela revelação deixou o menino muito triste. — Certo meninos, vamos terminar tudo. Mas deixem o Incubus pra mim, ele é meu. — William disse o encarando com o mesmo olhar que Violett e Luciel o davam, e isso fez a ânsia de vômito de Bruno voltar; ele queria chorar, vomitar e bater naquele homem e na traidora, mas antes que alguém se movesse, o chão tremeu e o pedaço de terra em que o pier estava se rachou e se afastou junto ao barco. Nix estava com as mãos no chão e havia usado sua magia de terra para separar os traficantes dos escravos. — Todos entrem no barco agora. Eu irei atrasá-los. — o titan disse enquanto usava seus poderes para se defender de flechas e outros ataques mágicos vindo dos traficantes enquanto as pessoas saíam correndo para dentro da embarcação. — Mas você está ferido, não vai conseguir lutar com todos sozinho! — Bruno tentou ir até seu amigo, mas Bhust o parou e o pegou nos braços e o jogou para algumas pessoas que estavam dentro do barco, que pegaram Bruno no ar. O Incubus ia tentar pular de volta para o pier flutuante, mas o olhar do orc lhe dizia "vá, eles precisam de você" e o outro lhe sorriu como nunca antes havia visto um sorriso no rosto do orc. Enquanto alguns olhavam para o titan e o orc lutando contra os traficantes e Nana, que usava seus fios para tentar chegar ao barco, alguém foi até o timão e outros ajudavam a guiar o barco, que se afastava mais e mais da costa. Bruno estava em lágrimas ao ver duas das pessoas que lhe foram tão importantes sendo derrotadas e mortas, mas Nix soltou um grito de satisfação; como se ele enfim estivesse livre. O rapaz limpou suas lágrimas e foi até a pessoa que pilotava o barco, lhe dando instruções para que todos pudessem voltar para suas casas. — Eu estou voltando mamãe. Me espere só mais um pouco.

Todos do barco haviam decidido que Bruno deveria ser o primeiro a ser deixado em casa, e estavam traçando um curso para as Ilhas Oor, na qual haviam outras três pessoas que eram de lá. A viagem, embora fosse durar algumas semanas, não deixava ninguém se sentindo mal, pois eles sabiam que estavam voltando para suas famílias e que, graças á Bruno, que havia planejado uma fuga, não seriam escravizados e não teriam o mesmo fim dos que vieram da mansão McGarden. Durante a viagem, Bruno ficava se perguntando se sua mãe iria reconhecê-lo, pois ele havia crescido um pouco e seu cabelo estava bem comprido - e como estava querendo cortá-lo, e se ela não havia esquecido de si. Torcia que este não fosse o caso. Depois de muitos dias, o barco atracou na costa de uma das Ilhas Oor e Bruno, junto aos outros três escravos de lá, desceram do navio, mas antes de cada um ir seguir seu próprio caminho - ou melhor, antes de Bruno ir para Plovoucí Svíčky, um kemono sapo chamado Bum o parou; era ele o timoneiro e navegador do navio, que se dispôs a levar todos para casa antes de seguir para sua própria cidade natal. — Antes que vá, menino Bruno, eu tenho algo a lhe entregar. — o homem, que já era mais um senhor de idade, abriu uma bolsa que levava consigo e tirou de dentro um pequeno ovo que parecia de ouro - como se fosse um ovo de serpente, muito bonito e que brilhava sob a luz do sol. — Aceite isso como um presente de todos nós pois, se não fosse a sua bravura e coragem, teríamos sido escravizados e os seus amigos da mansão que estavam nunca poderiam voltar para casa. Nós lhe agradecemos do fundo do coração. — ele fez uma reverência, tal como os outros. O Incubus apenas sorriu. — Façam uma boa viagem todos vocês. Adeus. — ele disse se despedindo e saiu correndo para onde sabia que passava um tipo de condução que, por algumas moedas, levava as pessoas para certos lugares - sabia disso pois sua mãe o levou para uma cidade longe de onde moravam. Usando um borque que tinha na roupa que havia roubado - que valia bastante -, Bruno deu ao condutor e pediu para que ele o levasse para a vila de Plovoucí Svíčky - e escondeu o ovo de ouro no bolso obviamente - e o homem apenas concordou. Bruno então se sentou e suspirou; nem parecia que aquilo tudo estava sendo verdade, e enquanto ele ia seguindo junto com outras pessoas na condução, via o barco partindo. Sabia que talvez nunca mais fosse ver aquelas pessoas, mas se lembraria delas para sempre, tal qual os amigos que se separou dois anos atrás. Bruno estava decidido: um dia, iria atrás deles!

Depois de horas de viagem, a condução parou na entrada da vila e Bruno desceu, e enquanto olhava para as pessoas andando de um lado para o outro, uma ansiedade apertou em seu peito. Ele estava ali, havia voltado para casa, depois de tanto sofrimento, estava enfim ao seu lar. Ao que passou pela pontezinha que dava acesso á vila, uma mulher passou por si e depois se virou, correndo em sua direção com os olhos arregalados. Ele conhecia essa mulher! Era uma amiga de sua mãe. — Bruno? É você mesmo? — ela o balançou como se não acreditasse e depois o abraçou forte. — GENTE, O BRUNO ESTÁ DE VOLTA. ALGUÉM CHAME A MAYA. O BRUNO VOLTOU. — a mulher gritou enquanto o olhava e dava beijinhos em suas bochechas. As pessoas iam se amontoando em volta do rapaz e lhe dando as boas-vindas e fazendo perguntas de o que havia acontecido com ele e onde estava, enquanto iam andando até onde estaria sua mãe provavelmente. E então, todos pararam e abriram um caminho livre, na qual Bruno viu sua mãe, que o encarava com os olhos arregalados e a boca aberta. — M-mãe...eu sinto muito..e-eu — ele começou a falar de forma envergonhada e olhando para o chão, mas quando voltou o olhar para a mais velha, viu somente um par de seios indo em sua direção e depois um forte abraço vindo dela. — Bruno!! — a mulher gritou e o derrubou no chão, chorando e o abraçando forte, tanto com os braços quando com sua cauda, olhando para seu rosto em seguida. — É realmente você? Oh, meu filho......eu senti tanta a sua falta. — ela chorava e sorria ao mesmo tempo, o beijando na cabeça e fazendo carinho em seu cabelo enquanto se sentavam. — Você não imagina o desespero que eu senti quando percebi que você havia sumido. Fizemos buscas atrás de você e seus amigos, mas não os achamos. E quando ouvimos dizer que um grupo de traficantes de escravos passou por aqui, imaginamos que vocês haviam sido sequestrados, e conforme o tempo passava, nos diziam para perder as esperanças. Mas eu sabia que um dia você iria voltar, e que estava vivo. O Link que tenho por você me dizia para ter fé que um dia voltaria para mim. — ela o olhou e beijou sua testa. — Bem-vindo de volta em casa meu limãozinho. — o menino estava atônito - e até se esqueceu do ovo - mas então lágrimas começaram a cair de seus olhos e ele abraçou sua mãe de volta com força, muito feliz de ter retornado. — Estou de volta mamãe.

Com Bruno agora de volta a vila, muitos fizeram-lhe perguntas sobre onde ele estava e o que havia acontecido, mas o rapaz ainda estava sensível demais para falar sobre isso, no entanto, foi visitar os pais de seus amigos e pedir desculpas pelo o que havia acontecido, que se fosse mais inteligente, nada daquilo teria acontecido, mas também os prometeu que um dia ele iria atrás deles. A partir daí, os dias se seguiram de forma como sempre fora na vida de Bruno antes do inferno chamado Mansão McGarden; ele voltou a estudar - pois havia perdido um bom tempo e correu atrás do prejuízo - e percebeu que sua mãe estava mais grudenta consigo do que ela jamais foi; mas entendia a razão dela estar assim, afinal, ficou dois anos separado dele e não queria que isso se repetisse. E embora as coisas estivesse indo bem para o Somniatore, ele ainda carregava as cicatrizes - não literalmente, pois seu corpo foi tratado por uma curandeira da vila para que ele não tivesse de se olhar no espelho e ver todas aquelas marcas em seu corpo - do tempo que passou como escravo, então quando decidia tirar um cochilo, só por estar com vontade, tinha terríveis pesadelos, e algumas coisas, como palavras, cheiros, gostos, entre outros o faziam lembrar do que passou e quase vomitava, passava mal e saía correndo. Bruno também se lamentava todos os dias por se achar culpado do sequestro de seus amigos, mas agora, ele só poderia seguir em frente e planejar o resgate deles. Sim, já fazia um tempo, mas Bruno sentia que eles estavam vivos! Dois anos então se passaram desde seu retorno para a vila e ele iria para o primeiro ano - mesmo que tivesse perdido dois anos de estudo, ele se dedicou e conseguiu avançar bastante - mesmo estando com 17 anos - quase indo fazer 18, mas isso não era um problema para si. No entanto, certo dia, no começo do ano - no segundo dia para dizer a verdade, ele foi olhar a caixa de correios de sua casa e encontrou ali uma carta para si, e quando a leu, quase caiu da cadeira. Era uma carta-convite da Academia Autumnlight! Certo, ele não entendeu porque uma escola tão prestigiada, famosa e grande como a Autumnlight! lhe queria como seu aluno, mas em que mundo ele diria que não? E isso também seria a oportunidade perfeita para que ele, de alguma forma, pudesse se tornar alguém com força o bastante para ir atrás de seus amigos - afinal, ele se lembrava perfeitamente dos nomes e feições das pessoas que os compraram. Sua mãe ficou extremamente relutante em deixá-lo ir, negando e não permitindo que ele a deixasse uma segunda vez, que não aguentaria ficar longe novamente de eu filho, mas Bruno estava decidido á ir para a academia e prometeu para sua mãe sempre lhe enviar cartas e também a visitar quando fosse possível. Somente depois de muita insistência, e o apoio dos amigos tanto de Bruno quanto de Maya, a Sucubbus lhe deu permissão, mesmo que ainda estivesse temerosa.

Com isso, Bruno foi para a academia, e ainda decidiu que iria escolher para si um sobrenome para não ser somente "Bruno", então escolheu Citrus, pois fazia bastante sentido para com sua pessoa - e sua mãe também gostou. Quando chegou na entrada da academia e passou pela Ponto do Outono, Bruno olhava tudo maravilhado. Bruno estava tão encantado com tudo que quase seguiu por um caminho aleatório, até que um funcionário lhe chamou a atenção e ele se reuniu com os outros recém-chegados; inspirou fundo e sorriu. Iria levar aquela nova vida com um sorriso no rosto e, se sobreviveu dois anos como escravo, três na academia não seria nada demais.E podemos dizer que os dois primeiros anos de Bruno na escola foram...normais. Ele nunca quis se destacar e também não se tornou alguém popular; seu passado era um segredo para os alunos, sendo que somente alguns certos funcionários - principalmente a diretora e a vice-diretora - sabiam que ele teve um passado obscuro como escravo e lhe foi prometido que isso nunca viria a tona por parte deles, o que deixava o rapaz mais calmo. Ele também não contava para muitos que era um Somniatore, pois temia ser rejeitado de alguma forma e tudo mais; ele queria ser aceito naquele lugar, não julgado. E embora não fosse o melhor dos alunos, ele nunca arranjou problemas para ninguém e se empenhava o suficiente nas aulas, e por conta de sua personalidade fofa, ele ganhou a simpatia de muitas pessoas facilmente. O primeiro e o segundo ano se passaram sem problemas, e agora, depois de retornar das férias ao lado de sua mãe - que como nos ano anterior, quase o trancou em casa para não retornar à academia -, Bruno está pronto para o terceiro e último ano na Autumnlight, e espera que, depois de se formar, ele enfim possa ter meios de ir atrás e resgatar seus amigos!

E quanto ao seu nível mágico, Bruno é atualmente um Loch, o maior subnível do Loctri - e ele sabe que nunca irá avançar para o nível Nacthu, então ser um Loch está de bom tamanho para si.

●.•Família: Opcional
❖ Bem, eu quero conhecer um pouco da família da sua personagem. Bem, na verdade eu não quero não. Mas se você me criar algum ser mágico famoso, ou figura importante para o mundo, eu quero conhecer sim. Esse tópico é mais opcional, pois, o importante é a personagem, não a família dela. Então, crie se quiser um pai, uma mãe, um tio, um avô, desde que eles sejam importantes de alguma forma para sua personagem e a ajudem a se desenvolver de alguma forma, ou, dê algo para eu poder explorar no futuro, tudo é válido. Se você acha que os pais de sua personagem não são tão importantes assim, só ignora esse tópico. Se achar necessário também, pode fazer um clã, dizendo seus feitos, fama e influências. Obviamente é algo opcional, só faz quem tem tais ideias.

*╔═══❖•ೋ° °ೋ•❖═══╗*
Família
*╚═══❖•ೋ° °ೋ•❖═══╝*

Maya "A Boa de Copo"

Bruxa Natural (Água)

Viva, Atualmente com 101 anos.

Aniversaria dia 04/12, mede 1,70 de altura e é A+.

Somniatore Succubus, Feminino cisgênero e Pansexual.

Sua mãe é uma mulher que é extremamente famosa em sua vila por ser a única Somniatore de lá - sendo assim a prostituta mais requisitada e cara, diga-se de passagem - e recebeu a alcunha de A Boa de Copo pela razão de amar bebidas alcoólicas e ter uma grande experiência com bebidas; ou seja, ela não fica bêbada com facilidade e é sempre vista com uma garrafa de alguma bebida extremamente forte andando pra lá e pra cá. É mais difícil vê-la sóbria do que qualquer outra coisa.

Maya é uma mulher que, embora seja uma Succubus, e que Bruno sequer seja seu primeiro filho, foi o último desde que ela sentiu um Link com o mesmo quando ele nasceu, e por essa razão passou a cuidar dele mesmo depois que ele já tinha mais de 7 anos. Ela o nomeou de forma que pudesse se lembrar de seu nome caso esquecesse; e Maya é uma mulher de memória terrível, e o chama mais pelo apelido "Limãozinho" do que por seu nome, e mesmo que o deixe livre por aí, não seja de repreendê-lo, e as vezes nem saiba onde ele está ou o que está fazendo, verdadeiramente ama seu filho, o que ficou claro depois que ele foi resgatado e entregue de volta aos seus braços. Mais preguiçosa do que Bruno, Maya tem uma memória ruim e é bastante relaxada, que adora beber e está quase sempre bebendo, embora seja difícil ficar de fato bêbada. Desinibida, ela adora mostrar seus dotes corporais, e por isso costuma usar roupas provocativas ou poucas peças. Uma pessoa "good vibes", ela é sorridente, divertida e calma, muito pacífica e divertida, e mesmo que pareça ser ingênua, ela é muito mais inteligente do que parece e se valoriza ao extremo, se aproveitando de tudo o que pode para se dar bem.Tal qual Bruno, ela é alguém que conversa com qualquer um e não tem vergonha de interagir com desconhecidos, e por conta de seu jeito bobinho e doce, muitos gostam dela logo de cara. Famosa em sua vila por ser uma prostituta muito valorizada por ser uma Succubus, Maya as vezes se acha um pouco, mas é uma pessoa bastante humildes. Sua relação com Bruno é boa - para os padrões de pai e filho dos Somniatores - e, mesmo que não pareça ligar muito para o filho, Maya o ama de forma profunda e verdadeira, pois teve um Link com o mesmo, e depois do tempo que ele passou escravizado e retornou, a mesma passou a ser grudenta com ele e o mimar bastante, não querendo que ele saísse de perto de si. Maya é sim uma boa e amorosa mãe, apenas não parece. E engana-se também quem acha que ela seja fraca; quando você menos espera, ela pode usar a bebida alcoólica de sua garrafa para atacar alguém e seu rabo tem uma força surpreendente e as vezes age de forma instintiva, e como ela adora suas amigas, melhor não mexer com pessoas que ela ama em sua presença, é capaz de ter um braço quebrado.

●.•Habilidades:
❖ O que sua personagem faz? Cozinha, desenha, escreve? É boa com alguma arma? É o tópico realmente para mostrar do que ela é capaz! Se é foda ou se é um pedaço de bosta — brincadeirinha. Só, please, não faça algo irreal demais; seja condizente com a idade e história da personagem. Habilidades são importantes porque geram cenas e podem auxiliar na hora de um possível combate ou aula. Não se prenda aos exemplos que eu citei, há uma gama “giga enorme” de habilidades que uma personagem pode apresentar. Você pode dizer se ela é boa em lutas, se tem alguma capacidade maior com força ou velocidade… Eu só peço que ela não tenha habilidades assassinas. Tem um bom motivo para tal.

*╔═══❖•ೋ° °ೋ•❖═══╗*
Habilidades
*╚═══❖•ೋ° °ೋ•❖═══╝*

Bruno, como um Somniatore, possui uma saliva que serve como: lubrificante, afrodisíaco e entorpecente. Caso ele queira, ela terá somente uma função, e as vezes, lambe os machucados (seus ou de outros) para ajudar na cicatrização e até para ajudar na dor. Pode-se dizer que as vezes o fazem de "remédio" de vez em quando.

Sendo um Incubus, Bruno tem feromônios que pode usar para causar sensações diferentes nas pessoas dependendo de como o rapaz deseja que o outro se sinta; feliz, triste, apaixonado, excitado ou raivoso. Essa é uma habilidade nata sua, tendo aprendido a controlá-la aos 9 anos de idade - tal qual sua saliva. Uma coisa a respeito de seus feromônios - ou chamado por seu "cheirinho natural" - é que o odor é semelhante á frutas cítricas, especialmente o limão.

Bruno é um excelente escalador, visto que ele consegue se agarrar com facilidade nas coisas por conta das garras em seus pés e mãos; então subir em uma árvore é brincadeira de criança para ele. Além disso, ele também tem uma grande capacidade de pulo, conseguindo saltar bem alto e longe.

Tal qual felinos, Bruno possui uma grande elasticidade e flexibilidade, conseguindo fazer coisas que contorcionistas conseguem, o que as vezes assusta as pessoas por não imaginarem que ele poderia ser tão flexível assim.

Embora tenha sido algo que Bruno descobriu só por volta dos 14 anos - quando se tornou um Bruxo -, ele possui uma voz bastante melódica e sabe cantar muito bem, que o ajuda com seus poderes que vem do som. E ele sabe tocar mais ou menos um ou outro instrumento que seja dito como "fácil".

Bruno é muito bom em realizar tarefas manuais como ninguém. Por conta de sua mãe ser desleixada - mais do que ele - e pelo tempo que passou como escravo, Bruno é muito bom limpando, cozinhando, costurando, lavando, etc e tal. Se duvidar, ele até mesmo é capaz de construir alguma coisa.

Bruno não precisa dormir, embora ele o faça as vezes por gostar da sensação de dormir. No entanto, ele pode ficar dias acordado sem demonstrar cansaço.

Os sentidos de Bruno são bastante apurados, o que lhe ajuda com sua Leitura Mental - a capacidade de descobrir o que uma pessoa está sentindo, seja tocando-a, observando seus comportamento e ouvindo sua voz. Oh sim, e Bruno tem a capacidade de hipnotizar pessoas ao olhar diretamente em seus olhos - o faz por alguns minutos, mas está tentando evoluir isso.

Tal qual felinos, Bruno tem a capacidade de ronronar, algo que as vezes ele faz sem perceber quando está muito feliz - ou excitado.

O Incubus é uma pessoa que é bastante atlético desde criança e quando entrou na academia, decidiu se dedicar á táticas de luta, se tornando muito bom em combate físico, e graças a sua grande resistência e estamina natural de sua raça, o faz um adversário bastante irritante de se lidar.

O sistema imunológico de Bruno é de dar inveja, pois da mesma forma como ele não tem doenças, ele também praticamente não pega nenhuma.

Nem precisamos comentar que Bruno é extremamente habilidoso na cama, correto? Mas já deixando aqui que o rapaz é muito bom no que faz nesse ramo; muitos podem confirmar essa afirmação.

E por fim, Bruno tem a grande habilidade de lidar com animais. Ele não sabe exatamente o porque, mas sempre foi bom cuidando de animais, e por conta de sua Leitura Mental, entende perfeitamente o que eles estão sentindo, o que lhe ajuda a tratar deles. Além disso, animais - normais e mágicos - costumam adorá-lo.

●.•Vícios e Manias: Opcional
❖ Hm, olha só, chegamos num tópico polêmico! Polêmica, adoro! Brincadeiras a parte, quero dizer para que manere nesse quesito. Não existe apenas vício em bebidas ou drogas, my dude. Não vou proibir isso, mas também quero que tenha a visão de que jamais estarei influenciando estas coisas. Jamais. Existem vícios em chocolate, por exemplo. Já manias, bem, é muito subjetivo o que é uma mania, siga seu coração. Manias geralmente são engraçadas, mas existem aquelas mais preocupantes também.

*╔═══❖•ೋ° °ೋ•❖═══╗*
Vícios & Manias
*╚═══❖•ೋ° °ೋ•❖═══╝*

Bruno possui só um vício, sendo este o de roer a unha do polegar direito. Como suas unhas crescem rápido, Bruno vive roendo tal unha, pois isso é uma forma dele relaxar e se tornou um vício; ele precisa roer a unha de tempos em tempos durante o dia pois se tornou um hábito ruim. Já se tratando de manias, ele tem três: balançar a cauda com raiva quando está emburrado, de forma quase birrenta para mostrar que está com raiva; passar a unha sob os sulcos de seu chifre e ouvir o barulhinho que faz; e roer ossos de alguma carne que tenha comido.

●.•Frases marcantes:
❖ Com sinceridade, esse tópico é um dos que eu mais gosto de fazer, pois nele há a possibilidade de explorar muito bem o comportamento da personagem, ou seja, colocar a personalidade em prática! Mas suponho que talvez você possa estar perguntando "mas, afinal, o que diabos é isso e como eu faço?" Bem, frases marcantes seriam aquelas frases que sua personagem fala constantemente; em diversas situações. É aquilo de engraçado ou poético que ela diz. Algum conselho, brincadeira, frase triste. São apenas exemplos, pois existe uma variedade grande de frases. Use sua criatividade para dar vida à sua personagem por meio de falas! Não é um tópico opcional, pois isso me ajuda a conhecer melhor o ser que você criou.

*╔═══❖•ೋ° °ೋ•❖═══╗*
Frases Marcantes
*╚═══❖•ೋ° °ೋ•❖═══╝*

"Como vai gracinha?" - Pode-se dizer que é essa a forma como Bruno cumprimenta as pessoas.

"Ai ai, coitado(a), não sabe o que é sofrer." - Diz quando uma pessoa começa a se fazer de vítima e dizer que sofreu por causa disso e aquilo, quando só está fazendo drama por uma coisa pequena.

"Tá tá, agora vai mimir vai." - Fala quando está cansado de ouvir uma pessoa e só quer que ela pare de falar e vá embora.

"Miau/bé filho da puta." - Bruno diz quando alguém lhe enche o saco para que ele mie como um gato ou berre como um carneiro, coisa que ele não gosta.

"Eu sou muito bom em uma coisa...quer ver?" - Ele diz quando está debochando de alguém, insinuando que ele é bom na cama, só para ver a reação da pessoa.

"Mesmo que tudo pareça ir de mal a pior, coloque um sorriso no rosto e siga em frente." - Essa é uma frase que serve bastante como sua filosofia pessoal; o ajudou bastante enquanto ia se recuperando dos traumas dos anos de escravidão.

"Isso me enche de determinação!" - Diz quando ele vê um desafio que quer muito superar e está ficando animado.

"Confie em mim, não vou te julgar por seus kinks." - Ele diz em tom engraçado quando alguém parece querer lhe contar um segredo mas está com vergonha. Mas no fundo, ele realmente quer dizer que não vai julgar ninguém.

"Quer ser meu(minha) irmãozinho(irmãzinha)?" - Pergunta para alguém que acabou gostando bastante e o(a) vê como um(a) irmão(irmã).

"Bate mais forte meu bem, mal senti." - Diz quando está em uma luta - ou em combate - e quer provocar a outra pessoa.

●.•Animal de estimação: Opcional
❖ "Eu posso fazer minha personagem tendo um bichinho?” Poder pode, mas depende do bichinho também. Além de animais domésticos comuns, existem aqueles que são mágicos. Estou disponibilizando um Bestiário [<-- clique, é um link], nele contém animais mágicos domesticáveis e afins. bUT, você pode criar uma criaturinha nova também! Com uma condição: vai ter que explicar sobre ela, cada detalhe. Enfim, para aqueles que decidirem ter um pet, as exigências são: não ser gigantesco, não ser feroz e ter uma mini-ficha. O que deverá conter nessa mini-ficha? Nome, Gênero, Espécie, Como foi adotado/encontrado/criado — ou seja, o background — e a Relação com o dono.

*╔═══❖•ೋ° °ೋ•❖═══╗*
Animal de Estimação
*╚═══❖•ೋ° °ೋ•❖═══╝*

Litegull

Agilidade: ■■■■□
Domesticabilidade: ◧□□□□
Força: ■□□□□
Inteligência: ■■■□□
Periculosidade: ■□□□□
Poder Mágico: ■■◧□□

Litegull, um nome com significado de "pequeno ouro", é uma espécie de Animal Mágico da categoria de Animais Ferozes pela razão dos Litegulls não serem criaturas comumente vistas pelas pessoas e, embora não sejam de fato perigosos, nunca é bom mexer com um bichinho desses, pois eles tem uma pele dura o bastante para defender qualquer ataque - já houveram casos de caçadores que lançaram flechas em um Litegull e a mesma foi ricocheteada em sua direção.

Litegulls são animais que são muito tímidos e ariscos, com uma aparência curiosa: possuem corpos compridos e finos como serpentes, mas possuem oito pequenas e curtas pernas. Suas orelhas são grandes e redondas, possuindo um focinho pequeno e arredondado, com grandes olhos e, embora tenha pêlo, sua pele é dura como a casca de uma tartaruga; o que mais se destaca em sua aparência é o que se assemelha a um chocalho na ponta de sua cauda, num formato circular, formado por pequenas pepitas de puro ouro. O Litegull em si é uma criatura que possui o corpo coberto por ouro, tendo assim a cor dourada e seu pêlo brilha em contato com a luz. Quando ainda são ovos, eles são traficados por um preço absurdo por conta de sua casca ser composta por ouro e, por isso, vale bastante, e alguns mais radicais compram um ovo de Litegull não por conta do ouro de sua casca, mas pelo gosto que dizem que ele tem, e por causa disso, o Litegull é uma espécie quase a beira da extinção, no entanto, existem alguns pesquisadores que criam Litegulls em cativeiro, então ver um desses sendo selvagem é algo raro.

Litegulls são criaturas fofas e adoráveis por conta de seu rostinho, no entanto, são muito tímidos e raramente se mostram para qualquer um, e por conta de viverem sob a terra, cavando túneis subterrâneos, é difícil vê-los na superfície, e mesmo que isso aconteça, por conta de seu comportamento medroso, ele irá correr e se esconder em algum buraco em uma árvore ou cavar um buraco no chão. Por causa disso, é raro ver uma pessoa tendo um Litegull como animal de estimação, sendo necessário ter tido contato com ele desde seu nascimento para que o bichinho tenha confiança em você. Quando isso acontece, o Litegull se torna um companheiro inseparável e muito doce e carinhoso com seu dono, que quer sempre estar enrolado em alguma parte de si - pois, embora sejam mais de habitat terrestre e no subsolo, eles são excelentes escaladores e conseguem grudar em diversas superfícies, como aranhas - e adoram brincar. Eles são bastante ativos, mas quando dormem, é difícil acordá-los. Os mesmos tem um grande "sensor de perigo" e por isso saem em disparada antes mesmo de alguém se aproximar deles, pois como dito antes, são bastante medrosos.

Não se tem muitas informações de onde é o habitat natural original dos Litegulls, já que sua população é baixa e, atualmente, estão espalhados pelo mundo, mas acredita-se que são originários de terras com bastante minério, especialmente ouro, da qual eles se alimentavam - pois possuem dentes bastante resistentes - e assim acabaram se tornando praticamente ouros ambulantes - portanto só existem Litegulls de cor dourada. A expectativa de vida de um Litegull selvagem é de somente 20 anos; no entanto, em cativeiro, eles podem chegar a viver até os 80 quando muito bem tratados. É dito que o Litegull mais velho documentado faleceu com incríveis 113 anos, então é perceptível como essas criaturas podem viver bastante. Mesmo que tenham uma pele dura, eles possuem diversos predadores que se adaptaram á sua resistência, embora é notável que sua pele é muito resistente e bonita, e por isso, antigamente, peles de Litegulls eram usados em alguns locais como armaduras. Eles são mais de fugir ou atacar, no entanto, se avançam, vão com os fortes dentes, e para se defender, se enrolam como uma bola, usando seu corpo duro para se protegerem. É dito que eles usam as pepitas de ouro que formam seu chocalho como uma forma para atrair suas presas; cavam um buraco no chão e se enterram nele, com somente a ponta da cauda para fora e quando pressentem uma presa por perto, começam a balançar lentamente o rabo, o que impressiona sua presa, que se aproxima do chocalho, e assim, é capturado pelo Litegull abaixo da presa.

Um ovo de Litegull tem mais ou menos o tamanho e formato de um ovo de cobra, tirando o fato de ter uma cor dourada como ouro. Quando nascem, eles possuem o comprimento de 10 centímetros e possuem somente dois pares de pernas, sendo que os outros dois vão crescendo ao longo dos dois primeiros anos de vida. Quando adultos - que ocorre quando param de crescer -, eles podem chegar a medir até 80 centímetros de comprimento e 20 de largura, e o chocalho de ouro em sua cauda cresce junto com ele, podendo medir cerca de 15 centímetros de diâmetro e pesar cerca de 2 quilos - enquanto o próprio Litegull pesa no máximo 7 quilos. Litegulls são omnívoros, ou seja, eles se alimentam tanto de carne quanto de vegetais, além de que também podem comer pedras e até mesmo excrementos de outras criaturas, e se bobiar, podem até mesmo comer roupas, metais, plástico e outras coisas, pois são criaturas que, tal qual as baratas, comem de tudo. Em resumo, Litegulls são criaturas bem raras de se encontrar e mais ainda de se domesticar, no entanto, caso você tenha um desses como seu pet, terá um amigo para a vida toda que irá sempre demonstrar o quanto te ama.

Tendo isso dito, vamos falar sobre o Litegull de Bruno: Oceani, uma Litegull fêmea de 6 anos de idade, 78 centímetros de comprimento e 21 de largura, uma "bolinha de pêlos" como o Incubus gosta de chamá-la. Seu nome significa "oceano" em latim e se dá pelo fato de que Bum, o kemono sapo que lhe deu o ovo de Litegull como presente, a estava carregando pelo oceano durante muito tempo sem que chocasse - o que aconteceu dois dias depois que Bruno chegou em sua casa. Ele não sabe como Bum conseguiu um ovo de Litegull, e nem gosta de pensar como o teve em suas mãos, mas aceitou o ovo de bom grado e, quando ele chocou, decidiu cuidar do pequeno bichinho que saiu dele - na época, Bruno sequer sabia o que era um Litegull, descobrindo somente quando levou Oceani no veterinário pela primeira vez. Quando Oceani nasceu, por ainda ser muito pequena, ela não sentiu medo de Bruno, que a pegou em mãos e cuidou da mesma com muita delicadeza, embora não soubesse exatamente o que fazer por não saber de que espécie ela se tratava.

Fora as visitas ao veterinário que ocorriam de tempos em tempos, Oceani sempre ficou na casa de Bruno e aos arredores da árvore onde ela estava, convivendo mais com o Incubus e Maya, então se acostumou muito aos dois e somente á eles - e um pouco ao veterinário que cuidava de si - pois se qualquer pessoa chegasse na casa dos Somniatores, Ani - apelido que Bruno deu a ela e costuma chamá-la assim - ia correndo para debaixo da cama do rapaz e não saía de lá por nada. Oceani é uma criaturinha medrosa que prefere se esconder a atacar, mas quando o faz, morde pra valer alguém e deixa marcas de seus dentinhos e tira pele e sangue; e é melhor não deixá-la irritada, pois ela adora morder canelas quando está brava. Com Bruno - e Maya -, Oceani é um amorzinho; ela adora se enrolar no pescoço do rapaz e dormir ali, sob seus ombros, e quando o mesmo está deitado de bruços, ela passeia sob suas costas e faz um tipo de massagem, na qual ele diz que é bem gostoso. Ani também adora coisas brilhante e, como Bruno diz, ela é uma "cleptomaníaca", pois ela rouba qualquer coisa que seja brilhante - ela adora moedas principalmente - e leva para sua toca, que é sua caminha que fica debaixo da cama de Bruno. Ani raramente sai do quarto de Bruno, só se estiver com ele, e gosta de se esconder entre suas roupas, o que só a torna mais fofinha.

Quando Bruno foi convidado para a academia, ele não conseguiu deixar Oceani com sua mãe, pois iria imaginar que Maya iria esquecer de alimentá-la e, por conta de seu trabalho, a Litegull iria ficar muito solitária em casa, já que sua mãe sempre ficou bastante tempo fora no trabalho, então levou Ani consigo. A pequena criaturinha ama seu dono - e pode-se dizer que o vê como "sua mamãe" - e está sempre grudada nele quando o mesmo está no quarto, e ama principalmente ser mimada pelo Incubus, que o faz bastante, sempre lhe dando petiscos e brincando com ela, menos quando ela decide dormir, pois aí nem ele é capaz de fazê-la sair de sua caminha. Oceani também ama tomar banho e água no geral, então não é incomum que Bruno leve uma bacia com água para algum lugar com grama para dar um banho em Ani, que primeiro tem de brincar com a água para só depois deixar o rapaz lhe banhar; e não se deixe enganar pelo rostinho fofo, pois Ani pode ser bastante teimosa. Sempre que chove, Oceani fica mordendo a canela de Bruno para que ele a leve para fora e possa tomar banho de chuva. Mas no geral, Oceani é bastante medrosa com todo mundo, menos com Bruno - e Maya - e adora se enrolar nele, seja em seus braços, pernas, pescoço e até mesmo em sua cabeça como um chapéu. Bom, ela é muito adorável, impossível negar isso.

●.•Curiosidades: Opcional
❖ E cá está um dos tópicos mais brisados da ficha! Ele deve estar empatado com o “Frases Marcantes”, tenho até medo do que pode sair disso. Enfim, tudo que há de curioso ou que não entrou em nenhum outro tópico pode estar aqui. É sério, você pode colocar qualquer coisa intrigante e que ache relevante sobre sua personagem. Pode colocar desde hobbies até… Sei lá, coloque o que quiser. Não obrigatório, mas é algo descontraído, pelo menos para mim.

*╔═══❖•ೋ° °ೋ•❖═══╗*
Curiosidades
*╚═══❖•ೋ° °ೋ•❖═══╝*

Embora não tenha as "almofadinhas" nas mãos, Bruno as possui nos pés, tal qual gatos, e muitos já apertaram suas patinhas e dizem que é muito bom pra desestressar e gostosinho de massagear - Bruno em si adora também.

Mesmo que seja gay, Bruno já fez sexo com mulheres umas poucas vezes; algumas colegas na academia que descobriram que ele é um Incubus já lhe pediram para ficarem juntos só para "descobrir como é dormir com um Somniatore" (mas para isso, tiveram de lhe dar algo em troca, ou ele devia um favor a essa garota, já que, bem meninas não são realmente seu tipo). Mas todos que já se envolveram com Bruno (de todos os gêneros e raças) concordam com uma coisa: ele é bom no que faz, muito bom.

Apesar que tenha superado muitos traumas da época em que foi escravo, as vezes tais traumas ainda o atormentam; um exemplo é quando o chamam de "bonequinho". Quando alguém chama Bruno assim, ele se sente mal e com vontade de vomitar.

Bruno é O-, o que o faz um recebedor universal.

Bruno tem uma frase que diz para alguns que é "A melhor maneira de recuperar as forças é com sexo", o que para muitos não faz o menor sentido, porque isso deveria gastar mais energia; no entanto, para ele, que consegue absorver Energia Vital de alguém durante o ato sexual - que lhe dá forças e repõe toda sua energia e até ajuda na cicatrização e regeneração de seu corpo -, essa frase faz sentido.

Além de ter uma ótima visão noturna, as íris de Bruno brilham levemente no escuro, o que causa um susto em várias pessoas quando estão em um local escuro e só vêem duas bolinhas douradas meio brilhantes.

Bruno é bastante complexado quanto a sua altura e se acha muito baixinho em comparação com outros garotos - e até algumas garotas.

Por conta de seu nariz sensível, é muito fácil para Bruno espirrar, e ele tem um "espirro de gato"; ou seja, é fininho dito como fofo.

Pode-se dizer que o rapaz é um "homem feminista" e preza pelos diretos iguais entre os gêneros com força; talvez seja por isso que ele consegue fazer amigas mulher com facilidade.

O cio de Bruno ocorre mais ou menos a cada 38 dias e dura por volta de 4, no entanto, ele toma sempre seus remédios durante o dia para permitir que seu cio apenas "apareça" a noite, quando ele está em seu quarto e vai dormir. Já houveram casos em que seu cio caiu junto com a lua cheia e ele teve de tomar junto aos remédios para cio um remédio forte para dormir pois estava enlouquecendo - isso ocorreu no seu segundo ano na academia e pessoas que estavam em quartos próximos ao seu disseram que ele fazia um barulho enquanto dormia, como se fosse um gato no cio sofrendo de dor ao mesmo tempo. Ele sempre anota em um calendário para saber quando ocorreu seu cio e conta quando será o provável próximo cio.

Pela academia, Bruno é conhecido também como "O Cupido" por conta que foi responsável por juntar diversos casais, e muitos vão atrás de si buscando conselhos amorosos.

Uma habilidade dita como inútil de Bruno: ele consegue ler as coisas de cabeça para baixo.

Embora tenha unido vários casais, ele também separou alguns, mesmo que de forma indireta - como uma das duas partes acabar se apaixonando por ele e a outra pessoa ficou com raiva.

Os maiores segredos de Bruno, por assim dizer, é que ele já foi um escravo e que é um Somniatore. O segundo ele não se preocupa tanto que descubram, mas o primeiro sim, e faz de tudo para esconder esse fato dos outros, pois sente muita vergonha de si mesmo por conta disso.

Pelo fato de não precisar dormir e nem sempre o fazer, Bruno tem um "hobbie" por assim dizer, que é observar as estrelas.

Bruno as vezes é chamado por algumas pessoas para ajudá-las a dormir, e por isso tem uma piada entre alguns alunos que é chamá-lo de "sonífero" ou "remédio para dormir" - e isso está ligado também a sua alcunha.

O Incubus gosta de ficar pendurado de cabeça para baixo em galos de árvores, se sustentando pelas pernas; ele diz que isso o ajuda a pensar pois o sangue corre para a cabeça - mas só o deixa tonto depois.

Embora não seja poliglota, Bruno tem uma estranha capacidade de conseguir entender diversas línguas e dialetos diferentes - algo como uma intuição.

Bruno gosta bastante de malhar e o faz bastante dentro de seu quarto como uma forma de passar o tempo quando não tem nada para fazer - ou quando está procrastinando.

O rapaz gosta bastante de pegar um solzinho, no que alguns brincam dizendo coisas como "não dá pra ficar mais bronzeado do que você já é".

●.•Música(s) de inspiração: Opcional
❖ Música é vida e vida é música, não é meixmo? Que musiquinhas combinam com sua personagem? Seja em aparência, personalidade, história, whatever, você tem a liberdade de escolher. Se quiser dar uma trilha sonora para momentos, tristes, felizes, fique a vontade. Se quiser me recomendar músicas também, tô aceitando, bora aumentar minha playlist de 700 músicas hahahaha.

*╔═══❖•ೋ° °ೋ•❖═══╗*
Música(s) de Inspiração
*╚═══❖•ೋ° °ೋ•❖═══╝*

Nickelback - S.E.X. | Neon Hitch - Fuck U Betta | Darren Criss - Fighter | Family Force 5 - Love Addict | Lido - Money | Demi Lovato - Body Say | Christina Aguilera - Your Body | MIIA - Dynasty | Escape The Fate - Gorgeous Nightmare | Beyoncé - Sweet Dreams | The Weeknd - I Feel It Coming | Chris Crocker - I Want Your Bite | Jeffree Star - Legs Up | Rihanna - S&M | Safia - Counting Sheep | Marina & the Diamonds - Sex Yeah | Destiny's Child - Survivor | Bring Me The Horizon - True Friends

▇▇▇▓▒░「✦Informações Mágicas✦」░▒▓▇▇▇

●.•Tipo de magia:
❖ Antes de tudo, se ainda não leu, leia este documento: Magia. Depois que tiver lido, pode vir para esse tópico. Bem, nele você precisará dizer qual é o, dentre os cinco tipos, o tipo de magia que sua personagem possui. Lembrando que ela influenciará diretamente na Classe da personagem. Aqui você também deverá escrever detalhadamente sobre a especialidade da magia de sua personagem. Por exemplo, minha personagem possui a magia Natural, sendo capaz de controlar a madeira. Obviamente, tem muitos outros detalhes a acrescentar, mas esse foi apenas um pequeno exemplo.

*╔═══❖•ೋ° °ೋ•❖═══╗*
Tipo de Magia
*╚═══❖•ೋ° °ೋ•❖═══╝*

O tipo de magia de Bruno é ligada ao elemento secundário do Som, tendo assim a capacidade de manipular som e ondas sonoras. O uso desse poder pode variar de usuário para usuário, além de ser bastante fluido e maleável, além de ser amplo com uma gama de possibilidades grande. Um Bruxo do Som pode criar, formar e manipular o som; capaz de imitar, intensificar, silenciar e distorcer, bem como deformar, fortalecer, ecoar, acelerar e diminuir o som, usando-o como uma poderosa força física e movimento de alta velocidade. Em baixas frequências, o som é potencialmente fatal para os seres vivos, causando danos internos, enquanto que as altas frequências não pode ser ouvido por humanos normais, mas pode ser usado para efeitos de sonar. Uma vez que as vibrações sonoras podem viajar através do ar, terra, água e qualquer forma de meio, a defesa usando barreiras físicas é difícil. Em essência, o som é uma arma invisível, mortal e uma ferramenta versátil.

Para usar seu poder de Som, Bruno costuma usar sua voz - ou seja, cantar - ou tocar algum instrumento, ou até mesmo usar algo para fazer barulho - seja batucar os dedos numa superfície ou bater palmas em um determinado ritmo.

Bruno decidiu dar um nome ao seu poder - embora ele também seja usado por outras pessoas, mas quis ter um nome que fosse sua identidade própria, que é Anima Sonitum, podendo se traduzir como "A Voz da Alma".

●.•Classe Mágica:
❖ Bem, você já deve ter lido o documento, mais de uma vez, então sabe que existem três classes, né? Pois então, nesse tópico você irá me dizer a qual classe sua personagem pertence — se é Mago, Feiticeiro ou Bruxo — e irá dar detalhes específicos de cada classe, que lembrando, está relacionada com o tipo de magia da personagem. Um não é independente do outro.
•. Caso sua personagem seja da classe Mago, precisarei de informações sobre o Item Mágico que ela possui, bem como quão grande é sua Afinidade Mágica, você deverá medí-la numa escala de 0 a 10.
•. Caso sua personagem seja da classe Feiticeiro, precisarei de informações a respeito do Núcleo de Dosagem, mais especificamente, gostaria que me dissesse a cor dele e o quão eficiente ele é, ou seja, quanta magia ele é capaz de não deixar ser desperdiçada. Meça numa escala de 0 a 10.
•. Caso sua personagem seja da classe Bruxo, precisarei de informações sobre o Ritual que foi realizado para a abertura das Vias Mágicas, bem como qual é a relação da personagem com seu respectivo elemento — lembrando que elementos terciários são muito raros e que é um elemento por personagem.

*╔═══❖•ೋ° °ೋ•❖═══╗*
Classe Mágica
*╚═══❖•ೋ° °ೋ•❖═══╝*

A Classe Mágica de Bruno é a denominada de Bruxo, e como dito antes, ele é um Bruxo do elemento Som. O Ritual realizado para desobstruir suas Vias Mágicas foi muito bem detalhado em sua história, então não há necessidade de ser comentada novamente. Sua relação com seu elemento é....bem....complexo por assim dizer. O som e a música nunca foram de fato coisas de suma importância na vida de Bruno; embora ele não as negligenciasse, também não eram tão presentes em sua vida, embora ele teve de aprender a usá-la de alguma forma depois que descobriu seu elemento. E deve admitir que conseguiu controlá-la melhor do que imaginava; sabe que ainda tem muito o que aprender e formas diversas de usar seus poderes que ainda não conhece, mas irá dar seu melhor para poder usar suas habilidades ao máximo!

●.•Técnicas mágicas:
❖ Aqui, você dirá quais as técnicas, ou feitiços, que sua personagem já sabe fazer. Eu peço no mínimo três e no máximo seis, nada mais nem menos do que isso. Lembrando que tudo tem uma fraqueza e uma desvantagem. Não faça técnicas estupidamente fortes, principalmente se sua personagem for do primeiro ano e está começando no mundo mágico. Não faça técnicas absurdas sem que o preço seja equivalente a tal. Leve em consideração tudo o que foi escrito no documento da magia, você tem liberdade para criar, mas é uma liberdade com certas regras. Tenha isso em mente, ok?

*╔═══❖•ೋ° °ೋ•❖═══╗*
Técnicas Mágicas
*╚═══❖•ೋ° °ೋ•❖═══╝*

Vox Somnum | A Voz do Sono

Como seu nome sugere, é uma habilidade que causa um grande sono a todos aqueles que o escutam. Para realizá-la, Bruno canta - ou toca - uma melodia muito bela e calma, usando de poucas notas e uma voz suave e doce, e em meio á cantoria - ou música -, ele começa a contar "1...2..3" duas vezes, e na terceira vez, todos que estão ouvindo essa canção simplesmente adormecem. Para essa técnica surtir efeito, Bruno precisa que o outro - ou os outros - escutem de sua canção por pelo menos 10 segundos até o terceiro contar até 3. Apesar de ser a habilidade que Bruno tem mais controle - por ser a sua favorita - ela é também a que ele tem de tomar mais cuidado pois, por se tratar de som, qualquer um que esteja por perto e escute, será afetado, então ele tem de usar essa habilidade longe de seus companheiros. Além disso, por ser som, quanto mais longe as pessoas estiverem de si, menos efetivo será seu poder; no entanto, por ser som, o diâmetro, ou melhor, o limite que essa técnica alcança é grande - de alguns bons metros, e se torna maior a medida que Bruno canta/faz música cada vez mais alto. Bruno recebeu sua alcunha por conta dessa técnica, já que é a que ele mais usa.

Vox Affectus | A Voz dos Sentimentos

Uma técnica que possui "sub-técnicas" pois Bruno sempre usa timbres e jeitos diferentes para cantar uma mesma canção - ou tocar uma mesma música; para exemplificar, seria como se artistas diferentes, de gêneros musicais diferentes, fizessem um cover de uma mesma música. É isso o que Bruno faz. Em geral, ele faz um som específico que muda de forma, mas sem perder sua essência, para entrar na mente de uma pessoa e influenciar um certo tipo de sentimento nela; podendo ser tristeza, alegria, raiva, medo, etc. Durante sua canção, ele vai falando a emoção que quer influenciar na(s) outra(s) pessoa(s); para tal, ele leva um tempo de mais ou menos 15 segundos para que faça efeito e, como iremos ver em suas técnicas, é limitado por distância e pode atrapalhar quando usado ao seu redor pois afeta quem estiver próximo de si. Uma coisa que essa técnica possui é que Bruno pode usá-la de uma forma mais "agressiva", mas para isso ele se coloca mais em risco: ele se aproxima de um certo indivíduo e sussurra em um timbre profundo o sentimento que quer influenciar no outro diretamente em sua orelha, e com isso, a pessoa está sob efeito de sua técnica.

Vox Hypnosis | A Voz da Hipnose

Um técnica que ele utiliza bastante com o uso de sua própria capacidade natural de hipnose, essa técnica é limitada por distância como as outras, no entanto, ela só surte efeito para as pessoas que estejam olhando diretamente para Bruno, o que ajuda para prevenir seus colegas de serem influenciados por essa técnica. Bruno começa a cantar uma certa canção e ele não pode piscar, e em questão de 12 segundos, qualquer um que estiver lhe olhando, ficará influenciado por sua técnica e ficará hipnotizado, agindo de acordo com os comandos que Bruno passa a cantar, mas para que isso funcione, ele precisa dar ordens diretas e objetivas e sem enrolar demais pensando em um comando. Essa técnica também pode ser usada de perto quando Bruno fica muito perto do rosto de alguém e eles se olham diretamente e a curta distância, e é só ele começar a falar - ou cantar - e usando suas habilidades naturais de hipnose que o outro estará sob seu efeito - sendo este mais forte, porque ocorre em dobro.

Vox Leporem | A Voz da Sedução

Essa técnica, como as outras, precisa ser usada com cuidado perto de aliados, pois eles podem ser pegos nessa habilidade. Nessa técnica - que também é limitada por distância - ele começa a cantar ou tocar uma música com uma sonoridade dita como provocativa e vai movendo seu corpo como se dançasse, fazendo a outra pessoa a seguir seus passos e, com 13 segundos, o efeito surte no indivíduo. Diferente de, por exemplo, Vox Affectus, essa técnica em específico faz com que a pessoa que esteja sob seu controle fique totalmente apaixonado por Bruno e esteja encantado sobre ele, e Bruno possui uma "palavra chave" que, quando fala para essa pessoa, sempre que ela escutar tal palavra depois - pois essa técnica é do tipo duradoura - ele fica sob o controle da técnica e segue ordens pré-estabelecidas por Bruno, o que a torna de certa forma perigosa. Embora ele consiga usar essa técnica em várias pessoas - pois o ponto forte de sua magia é poder usá-la em diversos oponentes de uma vez -, ela é mais forte quando usada em uma pessoa de cada vez. Ele também pode usar essa técnica para deixar uma pessoa extremamente excitada por um determinado tempo - o que, para essa pessoa, será algo bem....irritante de se lidar.

Vox Infinitus | A Voz do Infinito

Essa técnica também pode ser chamada de "grito sônico", pois dá a Bruno a capacidade de soltar gritos estridentes e com alta amplitude sonora, poderosos o bastante para ser úteis em diversas situações, sendo a maioria delas relacionada ao combate. Os gritos de Bruno podem, por exemplo, impactar e até mesmo destruir seus alvos, dentre outras utilidades, no entanto, ele usa mais para criar um tipo de barreira que interrompe ataques direcionados a si. Ele tem a capacidade de direcionar para onde seus gritos serão projetados, o que impede que pessoas em volta sejam atingidas, e elas possuem uma distância maior e são concentradas em um ponto específico. O lado ruim dessa técnica é que ela pode ser refletida - diferente das outras - e caso use demais, ele prejudica sua audição e garganta. Além disso, caso não use essa técnica com cuidado, pode acabar causando a destruição acidental e indiscriminada de alvos próximos e até ferindo de certa forma pessoas que estejam por perto e são pegas acidentalmente em sua técnica. ELe pode usar essa técnica de forma ampla, que ocorra a sua volta e não em uma direção, mas isso seria ruim para quem está perto e por isso não usa - pois pode acabar sendo ruim para si também.

●.•Técnicas mágicas futuras:
❖ Exatamente o mesmo princípio do tópico anteriores, mínimo três e máximo seis, tomando a devida atenção e dosando o poder. Entretanto, nesse tópico, as técnicas serão aprendidas futuramente pela personagem! Sim, é aqui que você me diz alguns poderes que gostaria que ela aprendesse e, se quiser, pode me dizer como exatamente aprendeu, mas isso não é obrigatório. Porém, tenha em mente que talvez eu não use todas as técnicas que você colocar aqui, certo? Mas é sempre bom saber os limites que a personagem pode chegar. Ah, essas técnicas podem ser mais fortes do que as técnicas que a personagem já sabe.

*╔═══❖•ೋ° °ೋ•❖═══╗*
Técnicas Mágicas Futuras
*╚═══❖•ೋ° °ೋ•❖═══╝*

Vox Surgit | A Voz do Acordar

Técnica contrária à Vox Somnum, essa aqui funciona de uma forma específica em quem a escuta - no entanto, Bruno não precisa se preocupar tanto caso um colega seja afetado, pois pode desfazer a técnica depois. Ela consiste em Bruno cantar uma canção - ou tocar uma música - que é parecida com a de Vox Somnum, no entanto, mais estridente e alta, com um ritmo mais acelerado e, em 14 segundos, ele surte efeito no(s) indivíduo(s); só que, ao primeiro momento, nada acontece, pois o real efeito dessa técnica vem só depois, quando a pessoa afetada vai dormir. Sim, essa é uma técnica que ocorre a longo prazo. Quando alguém é atingido por essa técnica e decide ir dormir, a canção/música que Bruno cantou/tocou para realizá-la começa a ressoar na mente dessa pessoa de forma alta e perturbadora, não deixando que ela durma, e até o momento em que ela tente desfazer o efeito dessa técnica - ou até que perceba que se trata de um poder - ela não irá conseguir dormir, e quanto mais tentar descansar, mais alta e barulhenta a canção/música irá ressoar em sua cabeça, lhe dando até mesmo dor nos ouvidos e na cabeça.

Vox Silentii | A Voz do Silêncio

Uma técnica que tem uma distância limite de no máximo 10 metros, essa técnica é o oposto do que sua magia de som sugere, mas silêncio é somente a ausência de som. Sendo assim, Bruno é capaz de, dentro de um determinado espaço, manipular o silêncio, anulando-o ou amplificando-o, silenciando um espaço por completo ou somente alguma coisa/pessoa, ou mesmo sendo capaz de deixar todos do mundo surdo-mudos, ele próprio incluído. Essa técnica precisa que Bruno comece a cantar ou tocar uma música de forma alta e, ao longo de 11 segundos, ir diminuindo o tom até ficar totalmente em silêncio, e assim, tal técnica irá surtir efeito. Para ele, é mais fácil silenciar a si mesmo ou a pessoas quando sussurra em seus ouvidos "silêncio". Essa técnica é perfeita para discrição e furtividade, pois deixa a pessoa totalmente no silêncio e qualquer coisa que ela interagir também ficará em silêncio - mas somente se estiver em contato direto.

Vox Echo | A Voz do Eco

O eco, por si próprio, é uma reflexão de som que chega ao ouvinte pouco tempo depois do som direto. Tendo isso em mente, podemos deduzir sobre como essa técnica age: ela é parecida com a Vox Infinitus, no entanto, ela serve mais como uma forma de rebater e refletir ataques que vão em sua direção, devolvendo á quem lhe atacou. Mas essa técnica também utiliza bastante do princípio da ecolocalização, e por isso, é extremamente útil; a ecolocalização é a capacidade de identificar a posição e a forma dos obstáculos por meio da emissão de sons de alta frequência produtores de ecos, o que auxilia Bruno a encontrar coisas que estejam escondidas ou até mesmo se prevenir de ataques e desviar dos mesmos antes que eles o atinjam.

Vox Corporis | A Voz do Corpo

Essa técnica consiste em Bruno absorver ondas sonoras para o seu corpo através de meios externos - pois tudo faz som - ou criando som com seu próprio corpo - seja cantando, batendo palmas ou até mesmo se focando em absorver o som que seus batimentos cardíacos fazem e assim, usa esse som que se armazena em seu corpo para atacar ao poder gerar e lançar ondas de vibração destrutivas, pois som também é vibração; Bruno absorve o som, o armazena em seu corpo e depois o lança como som ultra-condensado em forma de vibrações. Ele pode ir absorvendo o som aos poucos ou usando um som muito alto para tal, mas precisa de pelo menos alguns segundos - por volta de 10 - para conseguir convertê-lo em vibrações e assim disparar de seu corpo. O lado bom dessa técnica é que ele pode usar junto com outras, mas o lado ruim é que as outras técnicas se tornam mais fracas exatamente por causa disso.

Vox Insanire | A Voz da Loucura

A técnica mais obscura de Bruno, mas também a sua mais forte. Ela usa muito o princípio da Vox Hypnosis, mas enquanto canta/toca música, ele vai meio que contando uma história com elementos assustadores e macabros, feitos para causar medo, e no tempo de 20 segundos - sendo a mais demorada para causar efeito, mas também a que dura mais tempo - a pessoa entra sob o efeito da técnica e começa a alucinar, vendo coisas que não existem e se sente imersa na história macabra que Bruno está contando com sua canção/música, e aos poucos, começa a praticamente enlouquecer. Essa técnica é perigosa pois, quanto mais ela estiver surtindo efeito na pessoa, mais louca ela vai ficando, até que ela pode perder totalmente sua sanidade e, assim, não conseguir voltar a sanidade. Bruno criou essa técnica para usar com *pessoas específicas*, e por isso não usa com os outros, pois sabe que essa técnica é terrível demais e não quer ser responsável por deixar pessoa insanas.

▇▇▇▓▒░「✦Informações Extras✦」░▒▓▇▇▇

●.•Clubes:
❖ Bem, se você leu atentamente o documento sobre a academia, sabe que em Autumnlight existem clubes, mas que eles não são tão comuns assim. Desta forma, aqui está o documento que deve ser lido para que esse tópico seja feito: Clubes. Agora que você já leu, quero saber: quais clubes sua personagem faz parte? Ela participa de um, dois ou três? Leve em consideração o salário e os gostos/personalidade da personagem. Tudo tem que ser bem pensado, ok? Caso sua personagem tenha um Trabalho Fora, saiba que o salário é de 10 Ómras, aproximadamente, mas que esses trabalhos normalmente envolvem o serviço de garçom ou atendente. Agora, sobre o Estágio no Exército, caso sua personagem queira fazer isso, você deverá deixar explícito tal desejo aqui, para que eu possa pensar se a recomendação será feita ou não.

*╔═══❖•ೋ° °ೋ•❖═══╗*
Clubes
*╚═══❖•ೋ° °ೋ•❖═══╝*

Quando Bruno estava no primeiro ano, ele estava tanto no Clube de Culinária quanto no Clube de Duelos; e quando foi para o segundo, continuou no Clube de Duelos, mas saiu do de culinária e foi para o Clube de Artes, mais a pedido de uma amiga do que por vontade própria - e ele não queria estar em muitos clubes ao mesmo tempo, e como estava quase dando na cara de um colega no clube de culinária, saiu do mesmo.

No entanto, agora, no terceiro ano, Bruno está somente no Clube de Astronomia pois foi meio que "convidado a se retirar do clube de duelos". E o motivo? Um casal que fazia parte de tal clube teve uma briga feia e o motivo foi uma suposta traição - que nunca existiu - e Bruno estava nesse meio. Mas como? Bem...a namorada acusava o namorado - bissexual - de ter dormido com Bruno, o que nunca aconteceu, mas por causa disso, os monitores decidiram que seria melhor se os três saíssem do clube pois isso estava atrapalhando a todos - inclusive Bruno, que não tinha nada haver com a história. Mas ele gosta do Clube de Astronomia.

Além disso, Bruno trabalha fora da academia na Loja de Poções Joogid, tendo passado a trabalhar lá pouco depois que foi expulso do clube de duelos e saiu do clube de artes também. E mais uma coisa: é praticamente um segredo dentro da loja, mas Bruno usa sua saliva para a confecção de algumas poções - como afrodisíacos por exemplo, o mais comum - por conta das propriedades que a mesma tem - e claro que isso lhe dá uma graninha a mais.

●.•Como [nome da personagem] reage à:

*╔════❖•ೋ° °ೋ•❖════╗*
Como Bruno Citrus reage à
*╚════❖•ೋ° °ೋ•❖════╝*

❖ Flertes, de ambos os gêneros;

╔═ ❤ ═══════════════╗
Flertes, de ambos os gêneros
╚═══════════════ ❤ ═╝

R.: Primeiramente, eu tenho de abafar uma risada, já que geralmente quem flerta sou eu, mas adoro quando as pessoas vem me cortejar. Depois, eu agradeço o bom gosto dessa pessoa, mas se for uma menina, eu digo que infelizmente não poderemos ter nada além de uma amizade já que gosto de homens; mas se for um cara, eu flerto de volta. Aqui não tem essa coisa de vergonha não, e se o rapaz que veio flertando comigo me despertou o mínimo de interesse, eu flerto de volta e vemos quem vai ceder primeiro - muito provavelmente ele, haha. Embora seja eu a pessoa mais ativa e que vai flertando com quem me interessa, eu tenho de admitir que adoro quando eu sou o flertado, pois sei que sou irresistível ;)

❖ Situações de perigo;

╔═ ❤ ══════════╗
Situações de perigo
╚══════════ ❤ ═╝

R.: Bom, eu tento ficar o mais calmo possível, pois sei melhor do que ninguém que se desesperar não vai ajudar em nada, mesmo que as vezes eu tenha um medinho. Eu tento manter minha mente focada no que tenho de fazer e observo tudo ao meu redor para pensar no que fazer em seguida, mas se tiver alguém comigo que saiba lidar melhor, eu vou é esperar ordens dessa pessoa. As vezes, é melhor deixar algumas coisas com pessoas mais sábias e experientes. Mas como sou corajoso - ou tento ser sempre que posso, eu até me saio "bem" lidando com situações perigosas. Infelizmente, a vida me preparou pra isso.

❖ Situações problema, como em provas ou enigmas;

╔═ ❤ ═════════════════════════════╗
Situações problema, como em provas ou enigmas
╚═════════════════════════════ ❤ ═╝

R.: Ugh, como eu odeio provas. Tipo, sério, odeio, embora eu consiga ir bem o suficiente para passar um tiquinho acima da média, então não reclamo. Mas....eu não curto estudar e as vezes tenho de quebrar a cabeça pra resolver problemas e enigmas, principalmente quando eles não são nada atrativos para mim. No entanto, eu sou realmente teimoso e não sou de desistir fácil de um desafio - ok que talvez eu largue e vá fazer outra coisa, mas sempre irei voltar pra tentar de novo até conseguir.

❖ Morte, de conhecidos e desconhecidos, a morte num geral;

╔═ ❤ ═══════════════════════════════════╗
Morte, de conhecidos e desconhecidos, a morte num geral
╚═══════════════════════════════════ ❤ ═╝

R.: Saber lidar eu até sei, pois vi duas pessoas importantes para mim morrerem, no entanto....é difícil sabe? Digo, o luto é o pior, pois é um sentimento que demora a ir embora e nos trás as lembranças boas - e ruins - daqueles que perdemos e isso só deixa tudo mais difícil mas....temos de nos contentar com o que aconteceu e que não podemos mudar o passado e trazer os mortos de volta a vida - pelo menos, não da forma como eram - e eu aceito isso e sigo em frente, carregando eles em meu peito. Devo dizer que com desconhecidos, eu sinto pela ida deles, mas é difícil sentir tanta empatia por quem você não conhece.

❖ Cenas de violência.

╔═ ❤ ══════════╗
Cenas de violência
╚══════════ ❤ ═╝

R.: Bem, acho que aqui devemos separar as coisas....de que tipo de violência estamos falando? Se for o tipo de violência que ocorre quando duas ou mais pessoas lutam, tipo o que acontece no clube de duelo e lutas por aí, então eu sei lidar bem é claro! Digo, eu sou um ótimo lutador, e sei separar a violência necessária e comum de uma luta de uma violência exagerada e desnecessária; eu não tenho muito medo de machucar os outros e menos ainda de me machucar, pois sei me virar bem. Agora...quanto a uma violência de outras formas...então aí eu não sei lidar muito bem. Quero dizer....hm....acho que tudo tem um contexto, então se existir violência sem contexto, então não gosto.

●.•Como [nome da personagem] se relaciona com:

*╔═══════❖•ೋ° °ೋ•❖═══════╗*
Como Bruno Citrus se relaciona com
*╚═══════❖•ೋ° °ೋ•❖═══════╝*

❖ Par;

╔═ ❤ ═════╗
Par
╚═════ ❤ ═╝

R.: Sem querer me gabar - mas já me gabando, eu sou um ótimo namorado. Existe um namorado melhor do que uma pessoa que é especialista em amor e prazer? Piadas a parte, eu realmente sou um bom namorado, embora, infelizmente, meus relacionamentos não durem muito. Eu sou atencioso, carinhoso, romântico e adoro mimar meu namorado; adoro fazer surpresas, cozinhar pra ele, montar planos para sairmos juntos e fazer alguma atividade que ambos gostamos e coisas desse tipo. Eu dou o espaço que ele precisa e confio e respeito muito nele, mas deixo claro que exijo isso em troca, ou não podemos levar o relacionamento adiante. Acho que muitos namoros acabaram porque eu sou o que chamam de "garoto galinha" e acredito que não precisamos nos prender a um relacionamento com uma só pessoa; qual o problema de eu querer me envolver com, tipo, três caras ao mesmo tempo? Bom, eu sempre deixo claro para meu ficante o jeito que sou e pergunto se ele quer realmente tornar as coisas sérias, então ninguém pode dizer que não sabia onde estava se metendo :p

❖ Professores;

╔═ ❤ ═════╗
Professores
╚═════ ❤ ═╝

R.: Olha....eu não gosto de estudar, verdade, mas eu respeito muito todos os professores e tento não atrapalhar a aula e prestar atenção mas...é difícil, mas eu gosto deles - até os mais chatinhos - e sempre dou o meu melhor nas matérias; quando tiro uma nota boa em alguma prova, os professores até ficam surpresos, e eu também, hehe. Eu tento ser amigo dos professores, acho que só a relação professor-aluno não é o bastante para sermos próximos, mas respeito também o limite aceitável e não sou xereta. Posso não ser o melhor aluno, mas nenhum professor realmente tem algo contra mim - pelo menos eu acho.

❖ Colegas de turma;

╔═ ❤ ═════════╗
Colegas de turma
╚═════════ ❤ ═╝

R.: Oh, meus queridos colegas de turma....eu me dou bem com todos. Pelo menos, tento me dar bem com eles. EU não sou o cara mais popular da sala - também não tento ser, mas também não sou o excluído; pode-se dizer que eu converso com todos, mas tenho meu grupinho de amigos. Eu gosto de tentar oferecer ajuda aos meus colegas e mesmo não sendo tão próximo deles, eu os conheço até relativamente bem, mesmo que as vezes eu seja alvo de piadas de alguns - mas não ligo, tá de boa.

❖ Alunos mais velhos;

╔═ ❤ ══════════╗
Alunos mais velhos
╚══════════ ❤ ═╝

R.: Quando eu era um novato, eu tratava os veteranos com respeito e admiração, além de leveza e carisma, pois não vou babar ovo de ninguém só porque é mais velho. Eu interagia normalmente com eles e até fiz amigos do segundo e terceiro ano, e quando fui para o segundo ano, eu passei a ser o "veterano legal" para os novatos, mostrando que eu não mordia - só se quisessem. E agora, no terceiro, sou visto como um modelo a ser seguido e tento passar para os mais novos alguma coisa importante, então espero que eles possam tirar algum aprendizado importante de mim.

❖ Amigos;

╔═ ❤ ════╗
Amigos
╚════ ❤ ═╝

R.: Os trato como se fossem da minha família! Digo, amigos são coisas muito preciosas para mim, pessoas que estão ao meu lado nos melhores e piores momentos; pessoas que posso contar para qualquer coisa; pessoas que confio minha vida e conto meus segredos mais obscuros...ou pelo menos eles devem ser assim.Vou mandar a real: eu realmente sou seletivo, e para fazer um amigo de verdade, na qual irei confiar, eu levo tempo, tenho minhas razões, mas eu sou capaz de fazer qualquer coisa por um amigo verdadeiro, mas no geral, amigos de coração e alma só tenho no máximo três; mas quantidade não é igual a qualidade, então, contanto que tenha um amigo de verdade, confiável e leal, não me importo de serem poucos.

❖ Inimigos e oponentes;

╔═ ❤ ════════════╗
Inimigos e oponentes
╚════════════ ❤ ═╝

R.: Ohoho, eu gosto muito de sacanear com a cara deles, um debochezinho não faz mal a ninguém. Eu gosto de brincar com meus oponentes e inimigos - e tenho mais do que gostaria pra dizer a verdade - mas não sou mal com eles....pelo menos não pra valer. Eu jogo limpo com eles e nunca atacaria pelas costas, mas isso não quer dizer que eu antes não vá testar a paciência dele; acho que é por isso que algumas pessoas me odeiam. Bem, fazer o que né.

❖ Desconhecidos;

╔═ ❤ ════════╗
Desconhecidos
╚════════ ❤ ═╝

R.: Eu trato eles com simpatia, sorrisos e educação, mas também desconfiança pois nunca se sabe o que um desconhecido planeja fazer; e olha que por muito tempo eu convivi com pessoas estranhas a mim por causa de minha vila. Eu sou gentil e animado, ok, mas também deixo claro que não serei amiguinho de ninguém e que irei deixar um belo espaço entre eu e essa pessoa desconhecida pois eu não confio nela.

❖ Ren Phiphis [primeira impressão caso não o conheça]; Opcional

╔═ ❤ ════════╗
Ren Phiphis
╚════════ ❤ ═╝

R.: Ren? Ren.....de onde eu ouvi esse nome....Ah, lembrei! É um novato bonitinho que causou um tipo de incidente envolvendo a Hécate quando o Drargnar dele pulou nela, não é? QUando ouvi isso, eu quase engasguei de tanto rir, pena que perdi essa pérola. Eu já o vi andando pelos corredores, mas nunca cheguei a falar com ele por...bem....vergonha? Não, não seria essa a palavra, é algo mais....que seria estranho. Digo, somos de anos diferentes e até então nunca rolou nada para interagirmos, então eu não cheguei a tentar puxar papo com ele pois sei que seria algo incomum e, pelo o que a Hécate já me contou uma vez, ele é bem tímido e não sabe socializar direito, entçao com certeza não seria a melhor das ideias já chegar nele puxando conversa. Quem sabe um dia a oportunidade aparece e a gente passa a se falar?

❖ Aelly Narkhan [primeira impressão caso não a conheça]; Opcional

╔═ ❤ ════════╗
Aelly Narkhan
╚════════ ❤ ═╝

R.: Oh, como eu adoro essa filha da p*. Ela é uma das poucas pessoas - entre os alunos - que sabe que eu sou um Somniatore e usa isso a favor dela pois essa coisinha do mal faz chantagem comigo. Assim, eu não odeio ela, já que ela é legal as vezes e tá mais pra uma delinquente com um lado fofinho interno do que uma pessoa ruim, mas ela ainda consegue me irritar. Como ela sabe o que eu sou, ela tenta ao máximo não deixar eu tocá-la, pois ela sabe que eu leria os sentimentos dela, e Aelly parece ser bem reclusa, do tipo que está escondendo algo; mas eu não faço questão de ser amiguinho dela não, não confio nela. No entanto, a gente até se dá bem de alguma forma, apesar de que ela adora me provocar de uma forma que ela sabe que eu não gosto e atira coisas circulares em meus chifres; um dia ainda vou dar o troco, mas por enquanto, estamos bem como estamos.

●.•O que [nome da personagem] acha:

*╔═══════❖•ೋ° °ೋ•❖═══════╗*
O que Bruno Citrus acha
*╚═══════❖•ೋ° °ೋ•❖═══════╝*

❖ da Magia;

╔═ ❤ ════════╗
da Magia
╚════════ ❤ ═╝

R.: Eu acho a magia algo misterioso, e por isso, tão incrível. Bom, eu sou um bruxo e nasci com vias mágicas bloqueadas, mas sempre vi a magia como algo interessante e legal por conta de minha mãe; embora a magia também me assuste, pois nem sempre ela é usada para os melhores fins. As vezes eu penso como seria o mundo sem magia, e não sei se seria melhor ou pior.

❖ dos Dragões (Deuses);

╔═ ❤ ════════════╗
dos Dragões (Deuses)
╚════════════ ❤ ═╝

R.: Meh, nunca fui uma pessoa "religiosa" e sei somente o básico dos Dragões Deuses, mas devo dizer que os respeito e reconheço que nada seria do jeito que é se não fosse por eles. Minha resposta ficou meio vaga né? Foi mal, nunca fui bom em "justifique sua resposta".

❖ dos Deuses Humanos;

╔═ ❤ ════════════╗
dos Deuses Humanos
╚════════════ ❤ ═╝

R.: Eu diria que minha opinião sobre eles é...neutra. Não sou humano, então eles não são algo que tive muito contato, então não ligo tanto assim para eles. Meio frio? Eu diria que não, é apenas a verdade. Deixem eu responder de forma rasa, sou péssimo pra me explicar.

❖ da Academia Autumnlight;

╔═ ❤ ══════════════╗
da Academia Autumnlight
╚══════════════ ❤ ═╝

R.: Eu sempre ouvi coisas diversas a respeito da academia e ela sempre foi um mistério para mim, ao mesmo tempo, que não fazia tanta questão de saber mais sobre; até porque, uma pessoa como eu nunca poderia ir para ela, certo? É, no meu caso, não foi bem assim. Eu me encantei totalmente por esse lugar e, mesmo que tenha umas coisas bem irritante sobre ela, eu não poderia deixar de ser mais grato pela oportunidade de ouro que é ser parte dela.

❖ do Exército;

╔═ ❤ ══════╗
do Exército
╚══════ ❤ ═╝

R.: Hm....não sei, pra dizer a verdade. O exército pra mim sempre foi algo meio misterioso e minha mãe dizia que eu deveria ter respeito pelo exército mas ficar de olho nele. Até hoje não sei o que ela quis dizer com isso, mas eu sigo essa instrução dela.

❖ da Escravidão de raças.

╔═ ❤ ═════════════╗
da Escravidão de raças
╚═════════════ ❤ ═╝

R.: ....se possível, eu gostaria de me abster de falar sobre isso, está me deixando mal.

●.•Sugestão de Cena: Opcional

*╔═══════❖•ೋ° °ೋ•❖═══════╗*
Sugestão de Cena
*╚═══════❖•ೋ° °ೋ•❖═══════╝*

❖ Sugira uma cena que gostaria de ver da sua personagem no decorrer da história. Pode ser brisada, desde que tenha sentido (?)

R.: Eu tenho duas cenas em mente que adoraria ver com o Bruno. A primeira é ele estar na loja de poções trabalhando e algum aluno que ele conhece entra lá e eles se deparam, aí começam a conversar um pouquinho enquanto o bruno atende essa pessoa e entrega a ela o que precisa - e nisso ele meio que revela que algumas das poções, como os afrodisíacos e analgésicos usam sua saliva como um dos ingredientes, mas diz que isso é segredo e que se essa pessoa contar pra alguém, vai apanhar dele. E a segunda cena seria uma em que ele está no cio mas está sem seus remédios e passa o dia todo parecendo doente mas tentando disfarçar e fingir que está tudo bem, o que causa umas cenas cômicas como ele totalmente avoado, ele ronronando se alguém toca nele e ele estar meio carente.

●.•Sugestão de como devo usar sua personagem: Opcional

*╔══════════❖•ೋ° °ೋ•❖══════════╗*
Sugestão de como devo usar sua personagem
*╚══════════❖•ೋ° °ೋ•❖══════════╝*

❖ Sugira maneiras nas quais posso trabalhar com sua personagem. Quais são as coisas que você deseja ver que ela faça? O que quer ver ela enfrentando? Quer ver ela usando que tipo de poder? Ganhando destaque? Respostas para coisas do gênero, não se prenda nessas perguntas apenas.

R.: Eu adoraria ver o Bruno sendo utilizado primeiramente mais como um tipo de alívio cômico e um personagem que ninguém dá muita bola porque ele não quer chamar atenção nem nada. E depois, queria ver ele sendo trabalhado a respeito de suas questão mentais e seus traumas e como isso ainda o afeta de algumas formas e como isso ainda é uma grande cicatriz em seu corpo que, mesmo que não seja física, é muito presente. Ele sofreu bastante e ainda sofre por isso e gostaria que essa dualidade fosse mostrada: ele ser um personagem que finge que está tudo bem pois não quer que os outros saibam o que ele está passando pois não quer que sintam pena dele.

●.•Questionário:

*╔═══════❖•ೋ° °ೋ•❖═══════╗*
Questionário
*╚═══════❖•ೋ° °ೋ•❖═══════╝*

❖ Deseja que sua personagem tenha um par? [Coloque aqui as preferências de sua personagem]

╔═ ❤ ══════════════════════════╗
Deseja que sua personagem tenha um par?
╚══════════════════════════ ❤ ═╝

Sim [ ✔ ]
Não [ ]
Já possui um par [ ]

Bruno não tem realmente uma preferência, mas ele curte caras que tenham olhos e sorrisos bonitos; ele também vai pela "essência" da pessoa, não é muito seletivo não.

❖ Está ciente que sua personagem pode morrer ao longo da história, bem como ficar gravemente ferida?

╔═ ❤ ═══════════════════════════════════════════════════════════════╗
Está ciente que sua personagem pode morrer ao longo da história, bem como ficar gravemente ferida?
╚═══════════════════════════════════════════════════════════════ ❤ ═╝

Sim [ ]
Não [ ]
Por favor, tenha piedade da minha humilde personagem [ ✔ ] (ele já sofreu tanto coitado kk)
Vai lá, mata e machuca! Muahahaha! [ ]

❖ Está ciente que sua personagem pode demorar a aparecer na história?

╔═ ❤ ═══════════════════════════════════════════╗
Está ciente que sua personagem pode demorar a aparecer na história?
╚═══════════════════════════════════════════ ❤ ═╝

Sim [ ]
Não [ ]
Existem mais personagens além da minha para serem apresentadas [ ✔ ]
Quero que minha personagem apareça logo, poura [ ]

❖ Está ciente que no momento em que me enviar sua personagem ela estará em minhas mãos?

╔═ ❤ ═════════════════════════════════════════════════════════╗
Está ciente que no momento em que me enviar sua personagem ela estará em minhas mãos?
╚═════════════════════════════════════════════════════════ ❤ ═╝

Sim [ ✔ ]
Não [ ]

❖ Irá tentar marcar presença nos capítulos, favoritando a história e comentando sempre que possível?

╔═ ❤ ═════════════════════════════════════════════════════════════╗
Irá tentar marcar presença nos capítulos, favoritando a história e comentando sempre que possível?
╚═════════════════════════════════════════════════════════════ ❤ ═╝

Sim [ ✔ ]
Não [ ]
Não, eu vou sumir e você que se f*da! [ ]

Minha opinião sobre Ren, Aelly e Derkian:

Ren = um xuxu que já amo demais <3

Aelly = adoro uma personagem marrenta, sinto que ela vai ser um tipo de tsundere la na frente, kk

Derkian = até o momento desse comentário, só posso dizer que ele é um gato e espero muito vindo dele >:3

E sim, eu só copiei e colei minha opinião da outra ficha nessa porque a preguiça de elaborar outra coisa é grande :v




Permalink Comentários (0)

[21/07/2020] Academia Autumnlight - Interativa - Ficha (finalizada)

[09/07/2020] Varwyce Academy - Interativa - Ficha (finalizada)

[04/07/2020] We got the Power, interativa - Ficha (parcialmente finalizada)

[30/06/2020] Foxy Heart - Interativa - Ficha


Atualizações do Usuário

Usuário: Hi-Aniki
Favoritei o style
Style: The Sweet Escape
Style: The Sweet Escape
I wanna run away with you, so meet me by the cut through. Together we'll make our sweet escape... Escreveu TAG!12+12 12 styles dos 12 artistas mais tocados de todos os tempos..
Usuário: Hi-Aniki
Favoritei o style
Style: Sangonomiya Kokomi
Style: Sangonomiya Kokomi
Style para senhorita da arte da guerra e dona do meu coração ps: Confiram o projeto @Aniverse Mostrar Spoiler: Créditos Modelo css: projeto @TheBoA Imagem principal do ..
Usuário: Hi-Aniki
Favoritei a história
História: Curse Breaker, interativa
História: Curse Breaker, interativa
O colégio de Feiticeiros Jujutsu de Akita nunca foi muito emocionante, e na maior parte das vezes, era sempre esquecido pelos grandes destaques, como Tóquio e Kyoto. Entretanto, ..
Usuário: Hi-Aniki
Favoritei o style
Style: Tartaglia, lover of Snezhnayan queen
Style: Tartaglia, lover of Snezhnayan queen
Escreveu 𝐈𝐍𝐅𝐎𝐑𝐌𝐀𝐂̧𝐎̃𝐄𝐒 base por @theboa style por @hootao correção de bugs/ajuda por @echophic 1 | 2 • 𝑺𝑶𝑩𝑹𝑬 𝑶 𝑷𝑹𝑶𝑱𝑬𝑪𝑻𝑮𝑬𝑵𝑺𝑯𝑰𝑵 •❝Projeto volt..
Usuário: Hi-Aniki
Adicionei uma nova história
História: Entregas em Teyvat
História: Entregas em Teyvat
Aether e Lumine são dois irmãos que trabalham como carteiros e, usando suas motinhas, saem por aí fazendo entregas de cartas, encomendas e qualquer outra coisa para quem for. E f..