1. Spirit Fanfics >
  2. Membros >
  3. atacando

atacando

atacando
Nome: 𝓭𝓾𝓬𝓱𝓮𝓼𝓼
Status: Usuário
Sexo: Feminino
Localização: Fortaleza - CE
Aniversário: Indisponivel
Cadastro:

atacando


•sou apenas mais uma fã de Hetalia espalhada pelo mundo. Normalmente não faço muita coisa, mas às vezes você pode me pegar escrevendo uma história ou então surtando pelos meus multiships hihihi;

•amante de interativas, você provavelmente vai me ver em alguma por aí;

•multishipper, detesto guerras e quero apenas paz e amor;

•eu sou legal, pode falar comigo•

"É quando você olha para eles e percebe, sem qualquer dúvida, que são a coisa mais linda que você já viu em toda a sua vida [Isso é Amor]."
- George DeValier; Bésame Mucho

.o ((QUASE)) b e b ê de . . . rosemary, bloody promises

Postado

Mostrar Spoiler: 𝐌𝐈𝐂𝐇𝐄𝐋𝐋𝐄, 𝐌𝐈𝐂𝐇𝐄𝐋𝐋𝐄. 𝐕𝐎𝐂𝐄̂ 𝐄́ 𝐔𝐌 𝐌𝐎𝐍𝐒𝐓𝐑𝐎 𝐃𝐎 𝐈𝐍𝐅𝐄𝐑𝐍𝐎!
Escreveu
━━ ❝❝𝐉𝐎𝐘𝐂𝐄 𝐏𝐑𝐎𝐕𝐀𝐕𝐄𝐋𝐌𝐄𝐍𝐓𝐄 𝐍𝐀̃𝐎 𝐄𝐒𝐓𝐀𝐕𝐀 𝐄𝐌 𝐒𝐔𝐀 𝐓𝐎𝐓𝐀𝐋 𝐂𝐎𝐍𝐒𝐂𝐈𝐄̂𝐍𝐂𝐈𝐀 𝐐𝐔𝐀𝐍𝐃𝐎 𝐃𝐄𝐂𝐈𝐃𝐈𝐔 𝐎 𝐍𝐎𝐌𝐄 𝐃𝐄 𝐒𝐔𝐀 𝐏𝐑𝐈𝐌𝐄𝐈𝐑𝐀 𝐄 𝐔́𝐍𝐈𝐂𝐀 𝐅𝐈𝐋𝐇𝐀 . . . Os efeitos do álcool e dos entorpecentes químicos já eram uma realidade em sua vida desde o dia 𝟑𝟏 𝒅𝒆 𝑫𝒆𝒛𝒆𝒎𝒃𝒓𝒐 𝒅𝒆 𝟏𝟗𝟗𝟏 e sinceramente? A mulher não parecia nem um pouco disposta a largar esse vício. Aos 𝟑𝟎 𝒂𝒏𝒐𝒔 e sobrevivendo com empregos medíocres em um apartamento de quinta categoria nos subúrbios de Londres, ficar grávida e fodida mentalmente não estava em nenhum de seus planos, mas ela decidiu seguir com a dança e, por algum milagre divino, não abortou a criança. Não foi um conto de fadas e a mulher nunca tentou mascarar isso – se hoje vivia nessa condição, só podia ser o karma cobrando de volta o que havia acontecido. E de cobrança, 𝑱𝒐𝒚𝒄𝒆 𝑷𝒂𝒊𝒔𝒍𝒆𝒊𝒈𝒉-𝑴𝒄𝑲𝒊𝒏𝒏𝒐𝒏 entendia muito bem. Sua filha não tinha nenhum significado especial por trás de seu nome e para a matriarca, não foi nem um pouco importante essa etapa – estava mais preocupada em sobreviver do que perder tempo com frivolidades maternais. Ela, porém, como a assídua fã de terror que era, não perdeu tempo em homenagear sua cria com os nomes das suas figuras mais emblemáticas e favoritas do cinema de horror: 𝑹𝒆𝒂𝒈𝒂𝒏 𝑴𝒄𝑵𝒆𝒊𝒍, a pobre vítima possuída por 𝑷𝒂𝒛𝒖𝒛𝒖, de 𝑶 𝑬𝒙𝒐𝒓𝒄𝒊𝒔𝒕𝒂 e 𝑴𝒊𝒄𝒉𝒂𝒆𝒍 𝑴𝒚𝒆𝒓𝒔, icônico assassino da franquia 𝑯𝒂𝒍𝒍𝒐𝒘𝒆𝒆𝒏. Comentários eram tecidos a torto e a direito sobre a escolha peculiar, especialmente em relação ao segundo nome, que em nenhuma circunstância era "𝒂𝒅𝒆𝒒𝒖𝒂𝒅𝒐 𝒑𝒂𝒓𝒂 𝒋𝒐𝒗𝒆𝒏𝒔 𝒎𝒆𝒏𝒊𝒏𝒂𝒔" – o que na opinião de Joyce, era a mais pura idiotice. Após ser deserdada por seus pais ao se assumir e por não contrair matrimônio algum, Joyce acabou por adotar o sobrenome de solteira de sua avó materna, 𝑹𝒐𝒔𝒂, incluindo-o também na filha – uma forma de dar um dedo do meio hipotético para sua família e levar para a frente a linhagem de uma mulher solo e independente, alguém que não mais seria vítima do destino e do passado, mas sim que reescreveria-o como bem entendesse. Pobre Joyce, mal sabia ela que não apenas o destino lhe esperava no mesmo lugar que toda sua desgraça começou, ele também estava pronto para lhe dar as boas-vindas novamente e 𝒊𝒏𝒕𝒓𝒐𝒅𝒖𝒛𝒊-𝒍𝒂 𝒂𝒐 𝒊𝒏𝒇𝒆𝒓𝒏𝒐.



Escreveu
━━ ❝❝𝐍𝐀̃𝐎 𝐅𝐎𝐈 𝐍𝐄𝐌 𝐔𝐌 𝐏𝐎𝐔𝐂𝐎 𝐁𝐎𝐍𝐈𝐓𝐎 𝐎 𝐒𝐄𝐔 𝐍𝐀𝐒𝐂𝐈𝐌𝐄𝐍𝐓𝐎 . . . – na verdade, estava mais para um conto saído direto das páginas de 𝑵𝒆𝒊𝒍 𝑮𝒂𝒊𝒎𝒂𝒏 ou 𝑺𝒕𝒆𝒑𝒉𝒆𝒏 𝑲𝒊𝒏𝒈, do que uma cena milagrosa e perfeita. Trancada em seu apartamento minúsculo e fétido, Joyce começou a sentir as dores do parto logo às 𝟎𝟖:𝟎𝟎 𝒅𝒂 𝒏𝒐𝒊𝒕𝒆 do dia 𝟑𝟎 𝒅𝒆 𝑶𝒖𝒕𝒖𝒃𝒓𝒐 e quando menos viu, estava gritando desesperadamente em sua banheira minúscula, o sangue escuro e espesso se diluindo com a água enquanto a força que fazia para colocar o bebê para fora drenava toda a energia que tinha. 𝑵𝒊𝒏𝒈𝒖𝒆́𝒎 veio para ajudá-la, nem sequer bateram em sua porta para perguntar qual era o motivo para todo aquele barulho: nada. 𝑵𝒊𝒏𝒈𝒖𝒆́𝒎 se importava e nunca iam se importar e Joyce já estava acostumada com isso. Pela primeira vez em 𝟗 𝒎𝒆𝒔𝒆𝒔, ela desejou que houvesse abortado aquela maldita criança e que ela simplesmente saísse de seu ventre o mais rápido possível para que pudesse ao menos arrumar forças para ir ao hospital. Naquele breve momento, ela 𝒐𝒅𝒊𝒐𝒖 sua filha com todas as forças que ela nem sabia que possuía para odiar alguém além de si mesma. Porém, por algum motivo que apenas podia ser puramente sobrenatural, sua filha nasceu: não apenas nasceu, como era forte – muito forte. 𝑨̀𝒔 𝟎𝟑 𝒉𝒐𝒓𝒂𝒔 𝒆 𝟑𝟑 𝒎𝒊𝒏𝒖𝒕𝒐𝒔 𝒅𝒂 𝒎𝒂𝒅𝒓𝒖𝒈𝒂𝒅𝒂 do dia 𝟑𝟏 𝒅𝒆 𝑶𝒖𝒕𝒖𝒃𝒓𝒐 𝒅𝒐 𝒂𝒏𝒐 𝒅𝒆 𝟐𝟎𝟎𝟑, Reagan Michael Paisleigh-McKinnon veio ao mundo e era uma criança completamente 𝒃𝒊𝒛𝒂𝒓𝒓𝒂. Não 𝒄𝒉𝒐𝒓𝒐𝒖 e nem sequer fez qualquer barulho, na verdade, ficou 𝒑𝒂𝒓𝒂𝒅𝒂 e fixou seus olhos já muito abertos na mãe e a observou minuciosamente – era como se aquele simples bebê 𝒔𝒐𝒖𝒃𝒆𝒔𝒔𝒆 exatamente o que estava acontecendo e que aquela que lhe segurava era sua mãe. A matriarca apenas contemplou a filha por longos minutos antes de ser acometida por um pavor extremo à criança e, como se não houvesse acabado de sair de sete horas exaustivas de parto, levantou e correu com a menina até o primeiro táxi que encontrou, indo imediatamente para o hospital mais próximo e lá ficando por cerca de duas semanas, a onde se recusou veementemente a segurar Reagan, apenas aceitando ficar perto da menina para lhe dar de comer e apenas isso. Algo na simples presença dela parecia lhe apavorar como nada que jamais experenciara e até os dias atuais, nem mesmo ela explicar porquê levou-a para casa após as semanas – embora tente se convencer de que foi por compaixão e até amor, ela sabe que algo muito mais sinistro estava envolvido naquilo, 𝒆𝒍𝒂 𝒔𝒐́ 𝒏𝒖𝒏𝒄𝒂 𝒔𝒐𝒖𝒃𝒆 𝒆𝒙𝒑𝒍𝒊𝒄𝒂𝒓 𝒐 𝒒𝒖𝒆̂.



Escreveu
━━ ❝❝𝐑𝐄𝐀𝐆𝐀𝐍 𝐄́ 𝐄𝐗𝐓𝐑𝐄𝐌𝐀𝐌𝐄𝐍𝐓𝐄 𝐏𝐀𝐑𝐄𝐂𝐈𝐃𝐀 𝐂𝐎𝐌 𝐀 𝐌𝐀̃𝐄, 𝐀𝐎 𝐏𝐎𝐍𝐓𝐎 𝐃𝐄 𝐒𝐄𝐑𝐄𝐌 𝐄𝐗𝐓𝐑𝐄𝐌𝐀𝐌𝐄𝐍𝐓𝐄 𝐁𝐈𝐙𝐀𝐑𝐑𝐀𝐒 𝐀𝐒 𝐒𝐄𝐌𝐄𝐋𝐇𝐀𝐍𝐂̧𝐀𝐒 𝐐𝐔𝐄 𝐂𝐎𝐌𝐏𝐀𝐑𝐓𝐈𝐋𝐇𝐀𝐌 . . . É mais do que óbvio que uma criança se pareça com seu pai, mas as 𝒔𝒊𝒎𝒊𝒍𝒂𝒓𝒊𝒅𝒂𝒅𝒆𝒔 entre a jovem Michael e sua mãe são específicas demais – compartilham a 𝒎𝒆𝒔𝒎𝒂 𝒆𝒔𝒕𝒓𝒖𝒕𝒖𝒓𝒂 𝒇𝒂𝒄𝒊𝒂𝒍 𝒅𝒆𝒍𝒊𝒄𝒂𝒅𝒂, os 𝒎𝒆𝒔𝒎𝒐𝒔 𝒐𝒍𝒉𝒐𝒔 𝒂𝒄𝒉𝒐𝒄𝒐𝒍𝒂𝒕𝒂𝒅𝒐𝒔 e 𝒐𝒑𝒂𝒄𝒐𝒔 e até mesmo a 𝒎𝒆𝒔𝒎𝒂 𝒕𝒆𝒙𝒕𝒖𝒓𝒂 𝒅𝒆 𝒄𝒂𝒃𝒆𝒍𝒐 𝒄𝒂𝒔𝒕𝒂𝒏𝒉𝒐 𝒍𝒆𝒗𝒆𝒎𝒆𝒏𝒕𝒆 𝒐𝒏𝒅𝒖𝒍𝒂𝒅𝒐, sem tirar nem pôr. Indo a extremos, podemos identificar que ambas possuem até mesmo uma coincidência em suas alturas, com Reagan em seus 𝟏𝟔𝟒 𝒄𝒎 e Joyce com seus 𝟏𝟔𝟒,𝟓 𝒄𝒎. Apenas 𝒎𝒊𝒍𝒊́𝒎𝒆𝒕𝒓𝒐𝒔 separando uma exata igualdade até mesmo nisso. Desde pequena, a jovem se acostumou a ouvir como era uma versão em miniatura perfeita de sua mãe – mas quem quer que tenha feito tal comentário, jamais poderia prever o quanto aquilo se tornaria realidade. O universo tem seus 𝒎𝒊𝒔𝒕𝒆́𝒓𝒊𝒐𝒔 e um deles é certamente a parecença 𝒅𝒆𝒔𝒄𝒐𝒏𝒇𝒐𝒓𝒕𝒂́𝒗𝒆𝒍 entre mãe e filha. Embora a psicologia possa facilmente explicar que o comportamento de uma poderia ter influenciado o da outra, nem mesmo os mais experientes psicólogos e psiquiatras poderiam compreender como até mesmo em seus 𝒆𝒔𝒕𝒊𝒍𝒐𝒔, ambas eram quase a mesma pessoa. Reagan tem 𝒆𝒎𝒑𝒓𝒆𝒔𝒕𝒂𝒅𝒐 muito de seu 𝒈𝒖𝒂𝒓𝒅𝒂-𝒓𝒐𝒖𝒑𝒂, as 𝒓𝒐𝒖𝒑𝒂𝒔 𝒂𝒏𝒕𝒊𝒈𝒂𝒔 de Joyce – não somente por conta da constante 𝒇𝒂𝒍𝒕𝒂 𝒅𝒆 𝒅𝒊𝒏𝒉𝒆𝒊𝒓𝒐, mas porquê a garota possui peculiar atração pelo estilo 𝒈𝒓𝒖𝒏𝒈𝒆 levemente 𝒈𝒐́𝒕𝒊𝒄𝒐 de sua mãe, adquirindo 𝒂𝒑𝒓𝒆𝒄̧𝒐 por diversas peças e 𝒄𝒐𝒎𝒃𝒊𝒏𝒂𝒏𝒅𝒐 muitas delas como a própria Joyce às combinava, utilizando-se de fotos e videos antigos para tal. Há quem diga que apesar de serem duas pessoas diferentes, elas são incapazes de funcionar separadamente uma da outra e embora divergências múltiplas possam ser apontadas entre elas, crédito deve ser dado quando merecido – 𝒂𝒍𝒈𝒐 𝒑𝒂𝒓𝒆𝒄𝒆 𝒄𝒐𝒏𝒆𝒄𝒕𝒂𝒓 𝒂̀𝒔 𝒅𝒖𝒂𝒔 𝒅𝒆 𝒖𝒎𝒂 𝒇𝒐𝒓𝒎𝒂 𝒒𝒖𝒆 𝒗𝒂𝒊 𝒎𝒖𝒊𝒕𝒐 𝒂𝒍𝒆́𝒎 𝒅𝒐 𝒔𝒖𝒑𝒆𝒓𝒇𝒊𝒄𝒊𝒂𝒍.




Escreveu
━━ ❝❝𝐀 𝐏𝐑𝐈𝐌𝐄𝐈𝐑𝐀 𝐂𝐎𝐈𝐒𝐀 𝐀 𝐅𝐀𝐂𝐈𝐋𝐌𝐄𝐍𝐓𝐄 𝐒𝐄𝐑 𝐍𝐎𝐓𝐀𝐃𝐀 𝐄𝐌 𝐑𝐄𝐀𝐆𝐀𝐍 𝐄́ 𝐂𝐎𝐌𝐎 𝐀 𝐆𝐀𝐑𝐎𝐓𝐀 𝐏𝐀𝐑𝐄𝐂𝐄 𝐄𝐗𝐀𝐋𝐀𝐑 𝐌𝐄𝐋𝐀𝐍𝐂𝐎𝐋𝐈𝐀 𝐏𝐎𝐑 𝐓𝐎𝐃𝐎𝐒 𝐎𝐒 𝐏𝐎𝐑𝐎𝐒 𝐃𝐎 𝐂𝐎𝐑𝐏𝐎 . . . Dona de uma 𝒂𝒖𝒓𝒂 𝒔𝒐𝒕𝒖𝒓𝒏𝒂 e 𝒎𝒊𝒔𝒕𝒆𝒓𝒊𝒐𝒔𝒂, a jovem McKinnon parece a personagem perfeita para um daqueles filmes indies parisienses, com personagens 𝒑𝒐𝒆́𝒕𝒊𝒄𝒐𝒔 e 𝒎𝒆𝒍𝒐𝒅𝒓𝒂𝒎𝒂́𝒕𝒊𝒄𝒐𝒔, que sempre parecem se acometer em desventuras sem fim – e embora de fato Reagan Michael parece sempre estar acometida por 𝒅𝒆𝒔𝒗𝒆𝒏𝒕𝒖𝒓𝒂𝒔 e 𝒊𝒏𝒇𝒐𝒓𝒕𝒖́𝒏𝒊𝒐𝒔, isso está longe de definir tal peculiar garota. Sua 𝒑𝒆𝒓𝒔𝒐𝒏𝒂 𝒇𝒆𝒄𝒉𝒂𝒅𝒂 e 𝒔𝒊𝒍𝒆𝒏𝒄𝒊𝒐𝒔𝒂 carrega consigo plenos 𝒔𝒆𝒈𝒓𝒆𝒅𝒐𝒔 que apenas se abrem àqueles que ela deseja, não importando quem é, onde e quando. 𝑸𝒖𝒂𝒏𝒅𝒐 𝑹𝒆𝒂𝒈𝒂𝒏 𝑴𝒄𝑲𝒊𝒏𝒏𝒐𝒏 𝒅𝒆𝒄𝒊𝒅𝒆 𝒒𝒖𝒆 𝒊𝒓𝒂́ 𝒔𝒆 𝒎𝒐𝒔𝒕𝒓𝒂𝒓 𝒑𝒂𝒓𝒂 𝒂𝒍𝒈𝒖𝒆́𝒎, 𝒏𝒂̃𝒐 𝒆𝒙𝒊𝒔𝒕𝒆 𝒆𝒔𝒄𝒂𝒑𝒂𝒕𝒐́𝒓𝒊𝒂.
━━ ❝❝𝐔𝐌𝐀 𝐕𝐄𝐙 𝐐𝐔𝐄 𝐂𝐎𝐌𝐄𝐂̧𝐀 𝐀 𝐒𝐄 𝐀𝐁𝐑𝐈𝐑, 𝐑𝐄𝐀𝐆𝐀𝐍 𝐂𝐎𝐌𝐄𝐂̧𝐀 𝐀 𝐃𝐄𝐌𝐎𝐍𝐒𝐓𝐑𝐀𝐑 𝐂𝐋𝐀𝐑𝐎𝐒 𝐒𝐈𝐍𝐀𝐈𝐒 𝐃𝐄 𝐔𝐌𝐀 𝐀𝐔𝐓𝐎𝐂𝐎𝐍𝐅𝐈𝐀𝐍𝐂̧𝐀 𝐐𝐔𝐄 𝐏𝐀𝐑𝐄𝐂𝐄 𝐀𝐓𝐄́ 𝐌𝐄𝐒𝐌𝐎 𝐅𝐎𝐑𝐀 𝐃𝐄 𝐒𝐈𝐍𝐓𝐎𝐍𝐈𝐀 𝐂𝐎𝐌 𝐄𝐋𝐀 . . . A jovem denota conhecer bem suas 𝒒𝒖𝒂𝒍𝒊𝒅𝒂𝒅𝒆𝒔 e 𝒅𝒆𝒇𝒆𝒊𝒕𝒐𝒔, bem como suas 𝒄𝒂𝒑𝒂𝒄𝒊𝒅𝒂𝒅𝒆𝒔 e 𝒍𝒊𝒎𝒊𝒕𝒆𝒔, nunca se puxando além do necessário e possível. Pode soar um tanto 𝒂𝒓𝒓𝒐𝒈𝒂𝒏𝒕𝒆, mas ela sabe quando é 𝒎𝒆𝒍𝒉𝒐𝒓 que alguém em algo e não hesita em provar isso, possuindo extremo desdém por quem a diminui e coloca como incapaz, fazendo de sua missão pessoal mostrar àquela pessoa errada. Uma atitude infantil, claro, mas que parece ser maior do que a própria garota. Possui especial afinco por tudo o que é relacionado a 𝒄𝒂́𝒍𝒄𝒖𝒍𝒐𝒔 e 𝒆𝒔𝒄𝒓𝒊𝒕𝒂, excedendo expectativas nas matérias de 𝒇𝒊́𝒔𝒊𝒄𝒂, 𝒎𝒂𝒕𝒆𝒎𝒂́𝒕𝒊𝒄𝒂, 𝒒𝒖𝒊́𝒎𝒊𝒄𝒂 e 𝒊𝒏𝒈𝒍𝒆̂𝒔, sendo uma secreta queridinha dos professores e sempre sabendo 𝒎𝒂𝒔𝒄𝒂𝒓𝒂𝒓 𝒃𝒆𝒎 𝒔𝒖𝒂𝒔 𝒄𝒐𝒏𝒒𝒖𝒊𝒔𝒕𝒂𝒔 𝒑𝒂𝒓𝒂 𝒒𝒖𝒆 𝒏𝒂̃𝒐 𝒂𝒕𝒓𝒂𝒊𝒂 𝒂𝒕𝒆𝒏𝒄̧𝒐̃𝒆𝒔 𝒊𝒏𝒅𝒆𝒔𝒆𝒋𝒂𝒅𝒂𝒔.
━━ ❝❝𝐀𝐏𝐑𝐄𝐂𝐈𝐀𝐃𝐎𝐑𝐀 𝐃𝐄 𝐔𝐌 𝐁𝐎𝐌 𝐇𝐔𝐌𝐎𝐑 𝐃𝐔𝐕𝐈𝐃𝐎𝐒𝐎, 𝐌𝐈𝐂𝐇𝐀𝐄𝐋 𝐒𝐀𝐁𝐄 𝐁𝐄𝐌 𝐐𝐔𝐀𝐍𝐃𝐎 𝐄 𝐎𝐍𝐃𝐄 𝐅𝐀𝐋𝐀𝐑 𝐒𝐔𝐀𝐒 𝐏𝐈𝐀𝐃𝐀𝐒 . . . Não se preocupe, 𝒓𝒂𝒄̧𝒂, 𝒈𝒆̂𝒏𝒆𝒓𝒐 e tópicos que desafiam o 𝒔𝒆𝒏𝒔𝒐 𝒄𝒐𝒎𝒖𝒎 não fazem parte de sua 𝒆𝒔𝒇𝒆𝒓𝒂 𝒉𝒖𝒎𝒐𝒓𝒊́𝒔𝒕𝒊𝒄𝒂 – ela 𝒅𝒆𝒔𝒑𝒓𝒆𝒛𝒂 com total vigor quem se diverte atiçando negativamente com tais tópicos. Como toda verdadeira apreciadora de 𝒉𝒖𝒎𝒐𝒓 𝒔𝒐𝒎𝒃𝒓𝒊𝒐, Reagan brinca com seus 𝒕𝒓𝒂𝒖𝒎𝒂𝒔 e os de sua mãe (com a permissão dela, claro) e não perde tempo em lançar comentários que geram certo desconforto, mas que são sua vivência diária e a mais pura verdade – comentários tais como "𝒆𝒍𝒂 𝒆𝒔𝒑𝒆𝒓𝒂𝒓 𝒐𝒔 𝒑𝒐𝒓𝒄𝒐𝒔 𝒉𝒐𝒎𝒐𝒇𝒐́𝒃𝒊𝒄𝒐𝒔 𝒒𝒖𝒆 𝒔𝒂̃𝒐 𝒔𝒆𝒖𝒔 𝒂𝒗𝒐́𝒔 𝒏𝒐 𝒊𝒏𝒇𝒆𝒓𝒏𝒐" e outros de mesmo calibre. Ela, porém, conhece os limites e costuma sempre parar quando o desconforto é palpável, evitando até mesmo soltar qualquer anedota perto de pessoas que possam facilmente sentir 𝒈𝒂𝒕𝒊𝒍𝒉𝒐𝒔. Ela usa e abusa de seu humor como forma de lidar com seus demônios, mas não é 𝒃𝒖𝒓𝒓𝒂 ou 𝒊𝒏𝒅𝒆𝒄𝒆𝒏𝒕𝒆 ao ponto de forçar seus trocadilhos pela goela de quem não tem interesse – 𝒎𝒖𝒊𝒕𝒂𝒔 𝒗𝒆𝒛𝒆𝒔 𝒔𝒆 𝒍𝒊𝒎𝒊𝒕𝒂𝒏𝒅𝒐 𝒂̀ 𝒕𝒓𝒐𝒄𝒂𝒅𝒊𝒍𝒉𝒐𝒔 𝒓𝒖𝒊𝒏𝒔 𝒏𝒐 𝒎𝒂𝒊𝒐𝒓 𝒆𝒔𝒕𝒊𝒍𝒐 𝒄𝒐𝒎𝒆́𝒅𝒊𝒂 𝒕𝒊𝒐𝒛𝒂̃𝒐 𝒐 𝒑𝒐𝒔𝒔𝒊́𝒗𝒆𝒍.
━━ ❝❝𝐓𝐀𝐋𝐕𝐄𝐙 𝐎 𝐐𝐔𝐄 𝐌𝐀𝐈𝐒 𝐏𝐎𝐒𝐒𝐀 𝐒𝐔𝐑𝐏𝐑𝐄𝐄𝐍𝐃𝐄𝐑 𝐒𝐎𝐁𝐑𝐄 𝐌𝐈𝐂𝐇𝐀𝐄𝐋 𝐄́ 𝐎 𝐐𝐔𝐀𝐍𝐓𝐎 𝐀 𝐆𝐀𝐑𝐎𝐓𝐀 𝐒𝐄 𝐈𝐌𝐏𝐎𝐑𝐓𝐀 . . . 𝑬𝒎𝒑𝒂𝒕𝒊𝒂 é um grande forte seu, especialmente relacionada e redirecionada para com aqueles que são mais 𝒊́𝒏𝒕𝒊𝒎𝒐𝒔, demonstrando grande 𝒊𝒏𝒕𝒆𝒓𝒆𝒔𝒔𝒆 e 𝒑𝒓𝒆𝒐𝒄𝒖𝒑𝒂𝒄̧𝒂̃𝒐 com seus cotidianos em geral e buscando ser um local de 𝒓𝒆𝒇𝒖́𝒈𝒊𝒐 e 𝒄𝒂𝒔𝒖𝒂𝒍𝒊𝒅𝒂𝒅𝒆 para quem não encontra muito disso em suas vidas. Até mesmo com estranhos Reagan demonstra um avançado grau de gentileza e compaixão e mesmo que não possua formas ou ideias de como ajudar, estará sempre, ou na maioria das vezes, disposta a ouvir e apoiar. Um comum erro comumente cometido, porém, é a associação dessa empatia com 𝒊𝒏𝒈𝒆𝒏𝒖𝒊𝒅𝒂𝒅𝒆 e 𝒕𝒐𝒍𝒊𝒄𝒆. Na visão deturpada de muitas pessoas, alguém como ela é certamente um alvo fácil para suas chantagens desmedidas e mentiras compulsórias – ela, porém, sabe exatamente suas intenções e não está nem um pouco interessada nisso. Reagan não dá espaço para tais pessoas e da mesma forma que pode ser gentil e atenciosa, pode ser 𝒓𝒖𝒅𝒆 e 𝒅𝒆𝒔𝒏𝒆𝒄𝒆𝒔𝒔𝒂́𝒓𝒊𝒂. O que for possível para mostrar a esse tipo de gente que ela não é alguém que eles vão facilmente conseguir passar a perna e sair impunes disso. Seja quem for, ela não se importa de apontar na cara as falsidades baratas e incongruentes dessas pessoas, sempre deixando claro uma coisa: 𝑹𝒆𝒂𝒈𝒂𝒏 𝑴𝒄𝑲𝒊𝒏𝒏𝒐𝒏 𝒏𝒂̃𝒐 𝒆́ 𝒂𝒍𝒈𝒖𝒆́𝒎 𝒒𝒖𝒆 𝒗𝒐𝒄𝒆̂ 𝒗𝒂𝒊 𝒈𝒐𝒔𝒕𝒂𝒓 𝒅𝒆 𝒕𝒆𝒏𝒕𝒂𝒓 𝒎𝒂𝒏𝒊𝒑𝒖𝒍𝒂𝒓.




Escreveu
𝑴𝒖𝒊𝒕𝒐𝒔 𝒇𝒐𝒓𝒂𝒎 𝒐𝒔 𝒒𝒖𝒆 𝒅𝒆𝒔𝒄𝒆𝒓𝒂𝒎 𝒑𝒆𝒍𝒐 𝒂𝒃𝒊𝒔𝒎𝒐 𝒅𝒐 𝒊𝒏𝒄𝒐𝒏𝒔𝒄𝒊𝒆𝒏𝒕𝒆 𝒔𝒆𝒎 𝒄𝒐𝒏𝒔𝒆𝒈𝒖𝒊𝒓 𝒗𝒐𝒍𝒕𝒂𝒓. 𝑶𝒔 𝒎𝒂𝒏𝒊𝒄𝒐̂𝒎𝒊𝒐𝒔 𝒔𝒂̃𝒐 𝒔𝒖𝒂 𝒎𝒐𝒓𝒂𝒅𝒊𝒂𝒔, 𝒑𝒐𝒊𝒔 𝒅𝒆𝒍𝒆𝒔 𝒔𝒂̃𝒐 𝒐 𝒓𝒆𝒊𝒏𝒐 𝒅𝒂 𝒊𝒏𝒔𝒆𝒏𝒕𝒂𝒕𝒆𝒛. 𝑶𝒖𝒕𝒓𝒐𝒔 - 𝒎𝒖𝒊𝒕𝒐𝒔 𝒑𝒐𝒖𝒄𝒐𝒔, 𝒂𝒑𝒆𝒏𝒂𝒔 𝒐𝒔 𝒆𝒔𝒄𝒐𝒍𝒉𝒊𝒅𝒐𝒔 - 𝒔𝒆𝒓𝒊𝒂𝒎 𝒄𝒂𝒑𝒂𝒛𝒆𝒔 𝒅𝒆 𝒄𝒐𝒏𝒕𝒂𝒓 𝒐 𝒒𝒖𝒆 𝒉𝒂́ 𝒑𝒐𝒓 𝒕𝒓𝒂́𝒔 𝒅𝒂 𝒍𝒐𝒖𝒄𝒖𝒓𝒂...❞
━━ 𝐇.𝐏 𝐋𝐎𝐕𝐄𝐂𝐑𝐀𝐅𝐓, 𝐀̀ 𝐏𝐑𝐎𝐂𝐔𝐑𝐀 𝐃𝐄 𝐊𝐀𝐃𝐀𝐓𝐇
clique 𝐀𝐐𝐔𝐈 para acessar o documento da história



Escreveu


psiu! já tá aqui bisbilhotando, seu xereta?

Jogando: a5a4a4
Comendo: dadada
Bebendo: 191919
Permalink Comentários (16)

[12/06/2021] .na magia de seu olhar, perdi-me nos feitiços de sua casa, ((révolution grise))

[05/04/2021] .:PARCE ((que)) je su.is mégalomane, lo.st g,,ame

[14/03/2021] .tem((po)) é prec.io.so! ;; não-posso... perder nenhum MINuto!; era uma vez

[24/02/2021] .ela é uma flor;; selv((agem)) que permeia na prima.vera. TFOA


Atualizações do Usuário

Usuário: atacando
Favoritei a história
História: Meraki - INTERATIVA
História: Meraki - INTERATIVA
VAGAS ABERTAS (00/08) Em meio a uma guerra territorial de gangues de Shinjuku, a notícia trágica de que cinco jovens garotas do ensino médio foram encontradas mortas em apenas..
Usuário: atacando
Favoritei o style
Style: I want you to tell me if you choose X or O; Yixing
Style: I want you to tell me if you choose X or O; Yixing
𝐁𝐚𝐞𝐤𝐡𝐲𝐮𝐧 - 𝐂𝐡𝐚𝐧𝐲𝐞𝐨𝐥 - 𝐉𝐮𝐧𝐌𝐲𝐞𝐨𝐧 - 𝐉𝐨𝐧𝐠𝐃𝐚𝐞 𝐊𝐲𝐮𝐧𝐠𝐒𝐨𝐨 - 𝐌𝐢𝐧𝐬𝐞𝐨𝐤 - 𝐉𝐨𝐧𝐠𝐢𝐧 - 𝐒𝐞𝐡𝐮𝐧 - 𝐘𝐢𝐱𝐢𝐧𝐠 icons para combin..
Usuário: atacando
Favoritei o style
Style: I'd better be around you, Jinsoul
Style: I'd better be around you, Jinsoul
hey, oi, ໒ Escreveu cr. ⌕modelo base: mowan | css e banner: explictyuzi ❛demais créditos estão no modelo!❜ › ७ Citação: eu tive 10 surtos diferentes fazendo esse style, princ..
Usuário: atacando
Favoritei o style
Style: Ela é como a rosa única e eu, seu responsável. Meu coração doía só de pensar em perdê-la, mas o drama entre nós era maior
Style: Ela é como a rosa única e eu, seu responsável. Meu coração doía só de pensar em perdê-la, mas o drama entre nós era maior
Continuava sendo única para mim. Ainda que houvesse um campo cheio de tantas outras iguais a minha, essa rosa era tão única e especial. Senti-me cativado e responsável por aq..
Usuário: atacando
Favoritei o style
Style: EMP: Parece tão bom, parece tão lindo!! pena que não foi VOCÊ que o esculpiu e apenas reproduziu pensando que ninguém notaria essa patifaria e viveria acreditando que se safou
Style: EMP: Parece tão bom, parece tão lindo!! pena que não foi VOCÊ que o esculpiu e apenas reproduziu pensando que ninguém notaria essa patifaria e viveria acreditando que se safou
Eu quero ser livre igual a billie e poder beijar a millie EMP is coming >:) imperador-trohyierano que fez esse banner imperador-trohyierano que fez esse banner imperador..